Notícias CAPES incentiva cursos emergentes e em consolidação nos estados
Pós-graduação

CAPES incentiva cursos emergentes e em consolidação nos estados

Publicado: Sexta, 03 Julho 2020 14:59 , Última Atualização: Sexta, 03 Julho 2020 15:00

Serão 1.800 bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado para os programas de pós-graduação considerados estratégicos. Programa é feito em parceria com o Confap.

03072020 imagem

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) apresentou nesta sexta-feira, 03, para a comunidade acadêmica o Programa de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PDPG) - Parcerias Estratégicas nos Estados. O detalhamento foi feito por Benedito Aguiar, presidente da CAPES, durante o Fórum Virtual do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), parceiro na ação.

“A ideia é que nós possamos apoiar as áreas estratégicas em cada estado. As Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) realizarão oficinas para definir as áreas prioritárias”, afirma Benedito Aguiar. Para o presidente, as bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado vão contribuir para a fixação de pesquisadores “em regiões que têm certa dificuldade neste processo”. A CAPES e o Confap atuarão de maneira articulada para induzir o desenvolvimento regional com a concessão de 1.800 bolsas aos programas de pós-graduação (PPGs) considerados emergentes e em fase de inicial de implantação, com notas 3 ou 4 na avaliação.

Odair Dellagostin, presidente da FAP do Rio Grande do Sul, coordena o grupo de trabalho composto pela CAPES e o Confap para discutir o Parcerias Estratégicas nos Estados e se mostrou otimista com a iniciativa: “Com certeza será um Programa importante para todo o país e as FAPs serão parceiras nesse direcionamento dos esforços para o financiamento da pós-graduação nos estados”.

Aguiar vê a iniciativa como uma forma de “reduzir as assimetrias com fortalecimento do apoio para pesquisa, desenvolvimento tecnológico, formação de recursos humanos nos estados”. Parte dos investimentos será destinado ao Norte, Nordeste e Centro-Oeste. “Esses PPGs precisam de um olhar especial para que possamos alavancá-los pelo papel estratégicos que possuem em suas regiões”, complementou.

Os planos de desenvolvimento econômicos dos estados serão considerados para direcionar os investimentos. Em sua fala, o presidente destacou a necessidade de planos de desenvolvimento institucional das universidades. “Institucionalizar nas universidades as ações de desenvolvimento científico e tecnológico são fundamentais para que os atores do processo estejam envolvidos de maneira mais efetiva”, ressaltou.

Dois editais serão lançados no âmbito do Programa: um, direcionado aos PPGs emergentes criados a partir de 2013; outro, voltado aos programas em consolidação que estão há mais de duas avaliações no sistema da CAPES. Os documentos estão em fase de conclusão e devem ser publicados nos próximos meses.

A CAPES e o Confap assinaram em novembro de 2019 um protocolo de intenções para a criação do Programa e investimento em cursos de estratégia e relevância para o desenvolvimento regional de acordo com as definições de cada estado.

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

 

Compartilhe o que você leu