Notícias Pesquisas estudam a relação entre alimentação e pandemia
COVID-19

Pesquisas estudam a relação entre alimentação e pandemia

Publicado: Quinta, 13 Agosto 2020 16:47 , Última Atualização: Sexta, 04 Setembro 2020 13:51

Hábitos alimentares podem fornecer pistas sobre o impacto da COVID-19

13082020 FOTO DENTRO MATERIA UFOP BOLSAS EMERGENCIAIS 02

Qual é a influência dos nossos hábitos à mesa sobre nosso bem-estar durante a pandemia? Duas novas pesquisas da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) buscam respostas para a pergunta. Uma delas estuda o impacto do estilo de vida dos infectados por COVID-19 na reação do corpo à doença. Outra investiga a relação entre consumo de glúten, isolamento social e alterações no comportamento. Financiadas por bolsas emergenciais do Programa de Combate a Epidemias da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), duas bolsistas de Ciências Biológicas abordam a alimentação de formas bem diferentes.

No doutorado de Ana Beatriz Rezende, o objetivo é relacionar hábitos prévios de pacientes com a evolução da doença no corpo. Para tanto, a mestra em Saúde e Nutrição vai reunir dados sobre o que os doentes comiam. Mas não só isso. Questões sobre uso de medicamentos e mesmo sobre a espiritualidade compõem o levantamento de informação. “Vamos estudar pessoas tratadas em ambulatório, pacientes que passaram por UTI e também os assintomáticos. Assim, teremos uma amostra diversificada”, informa a pesquisadora.

Já o mestrado de Pamela Félix da Silva mira no consumo de glúten durante o isolamento social. Segundo ela, ambos são suspeitos de causar alterações cardíacas e comportamentais. O glúten é uma proteína presente em grande quantidade nos alimentos industrializados, principalmente em panificados e massas. Durante a pandemia, o consumo desse tipo de comida pode ter aumentado. Ela fará um experimento com ratos para testar as consequências dos dois fatores sobre a saúde física e mental.

13082020 FOTO DENTRO MATERIA UFOP BOLSAS EMERGENCIAIS 01

Esta será a primeira experiência da bolsista em pesquisa de doenças. “É empolgante saber que os resultados deste trabalho contribuirão não só para amenizar os agravamentos à saúde da população decorrentes da pandemia de COVID-19, mas também de possíveis condições futuras”, afirma a bióloga.

Programa Combate a Epidemias
É um conjunto de ações de apoio a projetos, pesquisas e formação de recursos humanos de alto nível para enfrentar a pandemia da COVID-19 e temas relacionados a endemias e epidemias, no âmbito dos programas de pós-graduação de mestrado e doutorado do País. O Programa está estruturado em duas dimensões: Ações Estratégicas Emergenciais Imediatas e Ações Estratégicas Emergenciais Induzidas em Áreas Específicas.

Em três editais, 109 projetos de pesquisa e formação de recursos humanos foram selecionados, com o envolvimento de mais de 1.300 pesquisadores de universidades brasileiras e estrangeiras. Os projetos vão estudar temas relacionados a Epidemias, Fármacos e Imunologia e Telemedicina e Análise de dados Médicos.

Confira no Programa de Combate a Epidemias os detalhes dos três editais:
- CAPES - Epidemias - Edital nº 09/2020
- CAPES – Fármacos e Imunologia - Edital nº 11/2020
- CAPES – Telemedicina e Análise de Dados Médicos - Edital nº 12/2020

Confira o resultado final do Edital nº 09/2020
Confira o resultado final do Edital nº 11/2020
Confira o resultado final do Edital nº 12/2020

Compartilhe o que você leu