Notícias Professores brasileiros vão ensinar português no exterior
Programa Leitorado

Professores brasileiros vão ensinar português no exterior

Publicado: Segunda, 31 Agosto 2020 18:17 , Última Atualização: Segunda, 31 Agosto 2020 18:17

Os selecionados pelo Programa Leitorado serão financiados pelo Ministério das Relações Exteriores

31082020 FOTODENTRO MATERIA RESULTADO EDITAL LEITORADO

Quinze professores brasileiros foram selecionados para promover a língua, cultura e literatura do Brasil no exterior, pelo Programa Leitorado, conforme resultado divulgado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 31. A parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE) vai aumentar o acesso desses profissionais a centros internacionais de excelência e oferecer oportunidade de colegas no Brasil e no exterior colaborarem entre si.

Além de ensinarem disciplinas relacionadas à língua e literatura brasileiras, os selecionados vão colaborar com projetos acadêmicos durante os dois anos previstos para a execução das atividades, que podem ser prorrogados pelo mesmo período. O MRE vai financiar as bolsas, na modalidade Leitor, e as passagens de ida e volta dos beneficiários. À CAPES coube o processo seletivo e a avaliação dos candidatos, conforme os critérios estabelecidos no edital.

A iniciativa conta com a cooperação de Angola, Bolívia, Chile, China, Coreia do Sul, Equador, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Guiné-Bissau, Hungria, Israel, Índia, Japão, Líbano, México, Peru e Reino Unido. Por isso, os professores formados em nível de licenciatura precisaram comprovar experiência no ensino de língua portuguesa e proficiência em inglês, francês, espanhol, italiano ou alemão, conforme o exigido pela instituição à qual se candidataram.

Quanto ao número dos selecionados, a CAPES esclarece que algumas situações contribuíram para uma quantidade divergente da prevista anteriormente. A Universidade de Sophia, no Japão, só divulgará seu resultado mais tarde, em razão de atrasos causados pela pandemia de COVID-19. A Pontifícia Universidade Católica do Peru, tem o posto de leitor fechado por não ter condições de apresentar um plano pedagógico e manter as contrapartidas previstas no edital em função da mesma causa da instituição japonesa. Já a Universidade de Helsinque, na Finlândia, não aprovou nenhum dos três candidatos pré-selecionados constantes do Resultado Preliminar. Assim, este posto será fechado com base no item 1.3.5 do edital que permite a extinção da vaga.

Devido à crise sanitária causada pelo novo vírus corona e à alta das moedas estrangeiras, a CAPES adiou todas as mobilidades internacionais previstas para este ano. As ações serão retomadas em 2021, em comum acordo com as instituições estrangeiras que receberão os pesquisadores brasileiros. Essa medida não significa cancelamento de qualquer iniciativa, apenas o seu adiamento ou a readequação dos programas, em conformidade com a nova realidade mundial, incluindo questões de ordem orçamentária.

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

Compartilhe o que você leu