Notícias CAPES debate desafios da CT&I na Semana Nacional Universitária
Universidade Federal do Ceará

CAPES debate desafios da CT&I na Semana Nacional Universitária

Publicado: Quinta, 24 Mai 2018 15:13 , Última Atualização: Quinta, 24 Mai 2018 15:14

Aconteceu na tarde desta quarta-feira (23), o painel "Educação e política de ciência, tecnologia e inovação" da Semana Nacional Universitária na Universidade Federal do Ceará. Em linhas gerais, o debate apontou como prioridades a necessidade de restabelecer condições de investimentos na base da pesquisa, aproximar a pesquisa científica das demandas da sociedade e entender como as dificuldades do campo científico estão relacionadas a problemas estruturais do País.

Participaram do debate o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Abílio Baeta Neves; o presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP), Tarcísio Pequeno; e o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFC, Antonio Gomes. A mediação foi do pró-reitor adjunto de Extensão, Rogério Mâsih.

24052018 materia UFC 1

Abílio dividiu sua participação em três eixos: análise da conjuntura, principais problemas e perspectivas para ciência, tecnologia e inovação (CT&I) no País. Segundo ele, este é um dos momentos mais acentuados de crise para o campo da CT&I, marcado por turbulências, escassez de recursos e descontinuação de programas.

Ele citou que, nos últimos três anos, houve uma queda sistemática das verbas para a área. "O Brasil não entendeu ainda que ciência, tecnologia e inovação constituem o caminho para o desenvolvimento sustentável", disse, frisando que outros países que atravessaram contextos de crise semelhante conseguiram sair mais rapidamente do cenário adverso justamente com investimentos nesse campo.

De acordo com Baeta Neves, há três questões principais a serem resolvidas com mais urgência para que a CT&I ganhe maior projeção nos próximos anos: restabelecer condições de investimento; aperfeiçoar as formas de financiamento e avaliação de projetos; planejar políticas de CT&I a longo prazo.

24052018 materia UFC 2

O Prof. Tarcísio Pequeno, por sua vez, também fez menção ao momento crítico pelo qual a pesquisa científica passa nacionalmente. Porém, considerou que as adversidades abriram caminho para pensar a inovação no campo de políticas públicas. Projetando os desafios para os próximos anos, o Prof. Tarcísio reforçou a necessidade de romper a crença de que o conhecimento gerado nas universidades e outras instituições de pesquisa não está em consonância com as demandas sociais. Como exemplo de que a crença não tem fundamento, ele citou a contribuição de cientistas da UFC em projetos de áreas estratégicas para o Ceará.

Enumerando vários benefícios que resultaram de pesquisas desenvolvidas no Brasil, o Prof. Antonio Gomes disse que a comunidade científica nacional tem diversos projetos importantes para o País. O problema, segundo ele, é que há outras questões estruturais, fora do campo da CT&I, que impactam negativamente os avanços e a aplicabilidade das pesquisas. Como exemplos, citou os altos juros básicos da economia e o excesso de burocracia que atrapalha o andamento das pesquisas. "A sociedade brasileira precisa incorporar a ideia de que ciência, tecnologia e inovação são patrimônios nacionais", advertiu.

O áudio do painel está disponível on-line.

(CCS/CAPES - Com informações da Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional da UFC)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura “CCS/CAPES”

Compartilhe o que você leu