Notícias Internacionalização: UFRPE foca na produção sustentável e tecnologia
PrInt

Internacionalização: UFRPE foca na produção sustentável e tecnologia

Publicado: Quinta, 25 Abril 2019 11:57 , Última Atualização: Quinta, 25 Abril 2019 14:50

Produção agropecuária, biodiversidade, sustentabilidade e tecnologia. Com estes temas, a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) construiu a sua participação no Programa Institucional de Internacionalização, o PrInt, da CAPES. O objetivo é, além de ganhar visibilidade mundial, buscar soluções para os problemas do Estado.

A UFRPE é uma das 36 instituições de ensino e pesquisa que integram o PrInt para desenvolver um projeto de internacionalização ao longo de quatro anos. “O programa deu uma injeção de ânimo nos nossos professores e pesquisadores. A universidade está organizada para executá-lo da melhor maneira possível, pois entendemos que é uma saída para a internacionalização real”, argumenta a reitora, Maria José Sena.

Para participar do PrInt, a UFRPE, que já tem parceria com instituições de 14 países, definiu dois grandes eixos de atuação: Sistemas de produção agropecuária, biodiversidade e sustentabilidade e Tecnologias portadoras de futuro, que receberão R$ 13 milhões da CAPES para executar seus projetos.

Nestas linhas encontram-se 17 programas de pós-graduação. Todos interagem entre si. “Para chegar a esses temas, fizemos uma ampla discussão interna. Levantamos o que já temos em relação à internacionalização e onde queremos chegar”, afirma Maria Madalena Pessoa Guerra, pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa.

Com forte tradição em pesquisa científica nas áreas de agrárias, veterinária e biológicas, os programas pós-graduação da UFRPE atuam de forma integrada na busca do conhecimento da biodiversidade e na melhoria da produção e uso sustentável dos recursos naturais do Nordeste, especialmente em relação à região do semiárido.

Estudos como manejo e monitoramento ambiental, recuperação de solos, conservação de materiais genéticos nativos e controle e prevenção da poluição estão incluídos neste trabalho. Na parte de tecnologia, alguns exemplos são o desenvolvimento de produtos naturais - para uso medicinal, veterinário e na alimentação, de insumos biotecnológicos e análises espaciais.

Com o PrInt, a UFRPE pretende, por um lado, ampliar e consolidar a internacionalização de programas ligados à produção agrícola, pecuária e pesqueira e, por outro, expandir as pesquisas relacionadas ao desenvolvimento de tecnologias aplicadas à saúde humana, animal e para redução de poluentes. “Esperamos que isso traga para a universidade temas de pesquisas que estão relacionados aos problemas de Pernambuco, em especial ao semiárido. Que tenhamos um retorno para a instituição e a sociedade”, ressalta Valdomiro Souza Junior, coordenador-geral de Pesquisa da UFRPE.

Com o PrInt, a CAPES quer estimular a formação de redes de pesquisas internacionais para aprimorar a qualidade da produção acadêmica vinculada à pós-graduação e promover a mobilidade de docentes e estudantes.

Conheça a página do PrInt na UFRPE: www.print.ufrpe.br

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

Compartilhe o que você leu