Perguntas Frequentes

1- O que é a CAPES?
A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), fundação do Ministério da Educação (MEC), desempenha papel fundamental na expansão e consolidação da pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) em todos os estados da Federação. Em 2007, passou também a atuar na formação de professores da educação básica ampliando o alcance de suas ações na formação de pessoal qualificado no Brasil e no exterior.

As atividades da Capes podem ser agrupadas nas seguintes linhas de ação, cada qual desenvolvida por um conjunto estruturado de programas:

  • avaliação da pós-graduação stricto sensu;
  • acesso e divulgação da produção científica;
  • investimentos na formação de recursos de alto nível no país e exterior;
  • promoção da cooperação científica internacional.
  • indução e fomento da formação inicial e continuada de professores para a educação básica nos formatos presencial e a distância.

A CAPES tem sido decisiva para os êxitos alcançados pelo sistema nacional de pós-graduação, tanto no que diz respeito à consolidação do quadro atual, como na construção das mudanças que o avanço do conhecimento e as demandas da sociedade exigem.

O sistema de avaliação, continuamente aperfeiçoado, serve de instrumento para a comunidade universitária na busca de um padrão de excelência acadêmica para os mestrados e doutorados nacionais. Os resultados da avaliação servem de base para a formulação de políticas para a área de pós-graduação, bem como para o dimensionamento das ações de fomento (bolsas de estudo, auxílios, apoios).

2- Atendimento à imprensa
Para questionamentos referentes à Imprensa, orientamos acessar a Sala de Imprensa (http://www.capes.gov.br/sala-de-imprensa).

3- Portarias
A portaria é um instrumento que regulamenta normas internas do órgão, nesta contém informações importantes sobre objetivos dos programas, concessão de bolsas, requisitos básicos entre outros assuntos. Dúvidas sobre portarias, verificar em: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo 

4- Prêmio CAPES-Interfarma
O Prêmio CAPES-Interfarma de Inovação e Pesquisa será outorgado para as duas melhores teses de doutorado relacionadas à Inovação e Pesquisa nas áreas de Saúde Humana ou Ética/Bioética no Brasil, Medicina, Odontologia, Farmácia, Enfermagem ou de Ciências Biomédicas (que inclui Genética; Fisiologia, Bioquímica, Farmacologia; Imunologia, Microbiologia, Parasitologia e Biologia Celular).
A pré-seleção das teses a serem indicadas ao Prêmio CAPES-Interfarma de Inovação e Pesquisa ocorre nos programas de pós-graduação das instituições de ensino superior. Após a indicação da tese vencedora pela comissão de avaliação, o coordenador do programa de pós-graduação será responsável pela inscrição da tese, exclusivamente, pelo site pci.capes.gov.br/index.php/inscricao.

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/premios/premio-capes-interfarma

5- Prêmio Vale-CAPES de Ciência e Sustentabilidade
O Prêmio Vale-CAPES de Ciência e Sustentabilidade premiará teses de doutorado e dissertações de mestrado que tragam ideias, soluções e processos inovadores para questões como redução do consumo de água e energia, redução de gases do efeito estufa (GEE), aproveitamento, reaproveitamento e reciclagem de resíduos e/ou rejeitos e tecnologia socioambiental com ênfase no combate à pobreza. O prêmio se refere às teses e dissertações defendidas no Brasil em 2011 e foi criado a partir de uma parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e a Vale, firmada durante a conferência Rio +20.

Acesse: http://www.capes.gov.br/bolsas/premios/premio-vale-capes

6- Prêmio Emerald/CAPES
O Prêmio é direcionado a projetos que conciliem a disseminação do conhecimento com o desenvolvimento social aplicado à realidade brasileira. Pesquisadores vinculados a instituições usuárias do Portal de Periódicos poderão submeter trabalhos nos moldes do Edital.

Acesse: http://www.capes.gov.br/component/content/article?id=7499

7- Prêmio CAPES de Tese
O Prêmio CAPES de Tese consiste em passagem aérea e diária para o autor e um dos orientadores da tese premiada para que compareçam à cerimônia de premiação, que ocorrerá na sede da CAPES, em Brasília; certificado de premiação ao orientador, coorientador(es) e ao programa em que foi defendida a tese; certificado de premiação e medalha para autor; auxílio equivalente a uma participação em congresso nacional para o orientador, no valor de R$ 3 mil; bolsa para realização de estágio pós-doutoral em instituição nacional de até três anos para o autor da tese, podendo converter um ano em estágio pós-doutoral fora do país em uma instituição de notória excelência na área de conhecimento do premiado.

A Fundação Carlos Chagas oferecerá aos autores vencedores nas áreas de Educação e de Ensino um prêmio no valor de R$ 15 mil e quatro prêmios na categoria Menção Honrosa no valor de R$ 5 mil cada, sendo duas premiações de Menção Honrosa em cada uma das duas áreas. Já o Instituto Paulo Gontijo premiará com o valor de R$ 15 mil o(a) autor(a) da tese vencedora na subárea de Física.

Já o Grande Prêmio CAPES de Tese consiste em passagem aérea e diária para o autor e um dos orientadores da tese premiada para que compareçam à cerimônia de premiação, que ocorrerá na sede da CAPES, em Brasília; certificado de premiação ao orientador, coorientador(es) e ao programa em que foi defendida a tese; certificado de premiação e medalha para autor; auxílio equivalente a uma participação em congresso internacional para o orientador, no valor de R$ 6 mil; bolsa para realização de estágio pós-doutoral em instituição nacional de até cinco anos para o autor da tese, podendo converter um ano em estágio pós-doutoral fora do país em uma instituição de notória excelência na área de conhecimento do premiado; e U$ 15 mil para o premiado, concedidos pela Fundação Conrado Wessel.

Acesse: www.capes.gov.br/premiocapesdetese

8- Endereço CAPES
Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 06, CEP 70040-020 - Brasília, DF

1- Como obter informações sobre o aplicativo de cursos novos?
A tela inicial do módulo APCN na Plataforma Sucupira trará informações gerais, calendário de eventos e dados de contato. Acesse: http://sucupira.capes.gov.br  

2- Apresentações de trabalhos, conferências, participações de eventos, cursos de curta duração, palestras dadas pelos docentes cadastrados devem constar no aplicativo?
Produções técnicas podem ser cadastradas. Leia os critérios definidos pela área de avaliação para conhecer o peso de tais produtos na avaliação da proposta

3- As dissertações de mestrado ou as teses de doutorado, mesmo não publicadas como destaque, deverão ser informadas?
As dissertações de mestrado ou as teses de doutorado não são inseridas nas Propostas para Cursos Novos.

4- Como fazer o cadastramento de disciplina com ementa variável?
No caso de disciplinas com ementa variável - bibliografia variável, deve-se cadastrar como disciplina normalmente, atentando-se para o fato que tal situação deve ficar esclarecida no desenvolvimento da proposta.

5- E o cadastramento de disciplinas sem ementa ou professor responsável, como deve ser feito?
Usualmente as disciplinas que possuem créditos, também possuem ementa e responsáveis, contudo, deve-se registrar no aplicativo a proposta conforme idealizada pela IES, justificando a adoção de metodologias/estruturas inovadoras nos campos específicos.

6- Como se dá o cadastramento de docentes em proposta de curso de doutorado ou mestrado?
Devem ser cadastrados todos os docentes do programa que está sendo proposto, independente da atuação mais ativa no mestrado ou doutorado. Docentes visitantes não devem ser cadastrados.

7- Qual a orientação para o cadastramento do corpo docente?
Deverão ser inseridos todos os docentes, permanentes e colaboradores, que participarão da proposta.

As categorias que compõem o corpo docente estão descritas na Portaria nº 81, de 3 de junho de 2016, e as orientações necessárias para a inclusão de docentes na proposta de curso novo estão definidas na Portaria nº 161, de 22 de agosto de 2017.

Atenção! Não cadastre docentes visitantes, membros de bancas, conferencistas, coautores de trabalhos e outros colaboradores eventuais. As categorias de docentes permitidas para a APCN são apenas PERMANENTE E COLABORADOR.

8- Como é o processo para que um curso possa ser criado, e em quais casos ele pode ser fechado?
Nos casos de cursos de pós-graduação stricto sensu - mestrado e doutorado acadêmico ou profissional - para que um curso funcione é necessário que a instituição de ensino superior brasileira (IES) preencha o aplicativo para Avaliação de Propostas de Cursos Novos (APCN) aberto anualmente, em período previsto pelo calendário de atividades da Diretoria de Avaliação da CAPES. O calendário é publicado no Diário Oficial da União e divulgado na página da CAPES.

São recomendados ao credenciamento do Conselho Nacional de Educação (CNE/MEC) somente os cursos que obtêm a proposta Aprovada pelo Conselho Técnico Científico da Educação Superior – CTC-ES. Após a aprovação, a instituição de ensino e/ou pesquisa terá até 12 (doze) meses, a contar da data de publicação da homologação do resultado pelo Ministro da Educação, para dar efetivo início ao funcionamento do curso, na forma e nas condições previstas na proposta aprovada.

Todos os cursos aprovados pela CAPES e reconhecidos pelo CNE passam por avaliação periódica da CAPES e, caso sejam avaliados com notas 1 e 2, ficam impedidos de matricular novos alunos, tendo que cumprir apenas o compromisso de concluir a formação dos alunos já matriculados. Vários podem ser os motivos que conduzem à queda da nota na Avaliação, dependendo dos critérios estabelecidos por área de Avaliação, hoje em número de 49.

Veja a lista de áreas de avaliação da CAPES aqui: www.capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao.

9- É necessário o encaminhamento de Regimento/Regulamento do Curso no aplicativo para APCN?
Sim, cada proposta tem que apresentar o regimento do curso. Caso a instituição tenha somente um regimento único para todos os seus cursos, ao preencher a proposta de APCN, na caracterização do curso e/ou no campo reservado para "informações adicionais", o proponente poderá esclarecer/reforçar essa particularidade: a IES decidiu submeter todos os seus cursos de Pós-Graduação vinculados a um regimento único.

10- Como é atualizado o endereço da instituição no APCN?
Nesses casos, a correção deverá ser solicitada à Capes pela Pró-Reitoria da IES por meio do endereço eletrônico: cadastroies@capes.gov.br. Este mesmo endereço pode ser utilizado para envio de alteração de pró-reitores, mediante o encaminhamento da portaria de nomeação.

11- No caso de proposta de curso novo, devemos informar o histórico do curso de graduação?
Não. Este histórico é referente aos cursos de pós-graduação.

12- Onde localizar o cadastro da instituição de ensino superior (IES) no APCN?
As informações cadastrais se encontram na tela 2 do aplicativo.

13- Quais são as orientações para submissão de proposta de curso novo à CAPES?
Para o envio de Propostas de Cursos Novos à CAPES, o proponente deverá acessar o Aplicativo para Avaliação de Propostas de Cursos Novos na Plataforma Sucupira, disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/ e fazer o cadastro inicial da proposta em “Solicitação de Cursos Novos”, selecionando Acadêmico ou Profissional, conforme Calendário DAV.

Quanto às propostas a serem apresentadas, seguem algumas orientações sobre o conteúdo das mesmas:
a) Uma proposta, seja para um programa acadêmico ou profissional, pode abranger um ou dois níveis - isto é, mestrado e/ou doutorado.
b) Cursos profissionais devem ser objeto de uma proposta específica para essa modalidade de curso. Uma mesma proposta não pode incluir um projeto de curso acadêmico com um de mestrado profissional.
c) Caso uma IES queira propor, em uma mesma área, curso acadêmico (mestrado e/ou doutorado) e profissional (mestrado e/ou doutorado), deverá apresentar duas propostas: uma de curso(s) acadêmico(s) e outra de curso (s) profissional(is).
d) A separação das propostas de cursos acadêmicos dos cursos profissionais vincula-se ao propósito da CAPES de assegurar a adequada avaliação dos mestrados e doutorados profissionais, respeitando as especificidades dessa modalidade de curso.

14- Os campos referentes aos ISSNs e ISBNs são obrigatórios?
Sim, ambos são identificadores únicos que são utilizados para validação da informação.

15- Qual a orientação para pedidos de reconsideração?
De acordo com a Portaria CAPES nº 33/2019, é facultado pedido de reconsideração do resultado da avaliação somente após a conclusão de todas as três etapas do processo avaliativo, quais sejam: análise documental, análise de mérito pela comissão de área e análise de mérito pelo Conselho Técnico Científico da Educação Superior (CTC-ES), desde que atenda às seguintes exigências:
a) ser efetuado, exclusivamente por meio da Plataforma Sucupira, no prazo máximo de 20 (vinte) dias corridos, contados a partir da data de publicação do resultado na página da CAPES;
b) ser encaminhado pelo coordenador da proposta e homologado pelo pró-reitor de pós-graduação ou autoridade equivalente.

O pedido de reconsideração deverá limitar-se a apresentar de forma clara e objetiva os argumentos, devidamente fundamentados, que, no entender da Instituição, poderão levar à revisão do resultado da avaliação da proposta submetida. Fica vedada a juntada de quaisquer outras informações e complementos que descaracterizem a proposta original.

A avaliação dos pedidos de reconsideração compreende três etapas: análise de admissibilidade; análise dos pedidos de reconsideração pela área e análise pelo CTC-ES com emissão de parecer definitivo realizado por novos relatores.
Atenção! Na avaliação de pedidos de reconsideração é permitido apenas diligência à área de avaliação, sendo vedada, portanto, a diligência documental e/ou diligência de visita."

16- Podemos enviar uma proposta de curso novo com associação com IES estrangeiras, ou entre IES brasileiras?
Sim. A legislação relativa às formas associativas é a Portaria CPAES nº 214, de 27 de outubro de 2017 . Link: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=157#anchor

17- É obrigatório o preenchimento do currículo Lattes para estrangeiros?
Informamos que não há obrigatoriedade. Entretanto, isso pode facilitar o cadastramento das produções intelectuais, visto que existe a ferramenta de importação de produtos do Lattes.

18- Qual a situação de um docente de certa instituição que tem participação na proposta de outra IES?
Um docente pode atuar como Docente Permanente em até três programas. Veja a Portaria N° 81 de 2016 para mais informações: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=327#anchor

19- Qual o limite de caracteres nos campos do Formulário APCN?
O limite dependerá do campo. Verifique o manual do usuário para obter a informação detalhada.

20- O que significa um curso em funcionamento?
Significa que o curso está em plenas atividades acadêmicas.

21- Quem faz a avaliação de cursos novos?
A avaliação de cursos novos é realizada por consultores acadêmicos vinculados a instituições de ensino e pesquisa das diferentes regiões do país, sendo esse um dos fatores determinantes da credibilidade e legitimidade desse processo. Os integrantes da comunidade acadêmica participam da avaliação na condição de consultores ad hoc, membros de comissões de área, comitês especiais ou de grupos de trabalho, coordenadores de área e membros do CTC-ES.

22- Como ter acesso aos resultados de APCNs?
Os resultados da avaliação das propostas de cursos novos acadêmicos e profissionais estão disponíveis no portal da CAPES nos links abaixo:

Resultado de APCNs: http://capes.gov.br/avaliacao/entrada-no-snpg-propostas/mestrado-e-ou-doutorado-academico/resultados 

23- Onde é possível acessar informações acerca do Seminário sobre elaboração de propostas de cursos novos?
O Seminário “Orientações da DAV para a elaboração de propostas de cursos novos”, que ocorreu em junho de 2017, está disponível em: https://www.capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/8443-seminario-com-orientacoes-para-elaboracao-de-propostas-de-cursos-novos-esta-disponivel-em-video.

24- Como solicitar senha para envio de proposta de curso novo?
A senha pode ser solicitada clicando na opção "Esqueceu a senha?" em "APCN/Minhas Propostas" ou solicitando pelos canais de atendimento.

25- Uma proposta de APCN pode ser preenchida ao mesmo tempo em máquinas diferentes?
Sim, desde que em telas diferentes, isto é: informações diferentes estejam sendo preenchidas.

1- Programas aprovados pela CAPES que ainda não foram objeto da avaliação periódica poderão apresentar proposta de curso novo?
Sim. Os programas aprovados pela CAPES que ainda não foram objeto de avaliação periódica poderão apresentar propostas de curso novo para o outro nível.

2- Como é feita a divulgação do resultado definitivo da avaliação periódica quadrienal?
O resultado definitivo é feito por portaria assinada pelo Ministro de Estado de Educação e publicada no Diário Oficial da União.

3- O que acontecerá com os discentes já matriculados quando o curso ou programa for desativado?
Em caso de desativação do curso ou programa, não haverá prejuízo aos discentes que já estiverem regularmente matriculados. Eles finalizarão sua formação e receberão o diploma reconhecido com validade nacional.

4- O resultado definitivo da avaliação periódica inclui a avaliação dos Recursos enviados ao Conselho Superior da CAPES?
Sim. O resultado será definitivo quando exaurirem os prazos para envio de pedido de reconsideração ou recurso, no âmbito da CAPES.

5- Qual a periodicidade da avaliação de permanência?
Atualmente, a periodicidade da avaliação de permanência é quadrienal (4 anos).

6- Caso o novo curso tenha sido aprovado quando poderá iniciar as atividades?
De acordo com a Portaria nº 33/2019, o novo curso aprovado terá até doze meses, prorrogáveis por igual período, a contar da homologação do parecer favorável da CES/CNE, para dar início ao efetivo funcionamento do programa, na forma e nas condições previstas na proposta. A data de início do funcionamento do programa, que corresponde à matrícula dos discentes, deverá ser posterior à homologação do Ministro de Educação. Caso o programa não entre em funcionamento no prazo fixado, sua autorização perderá a eficácia e, por conseguinte, o programa será excluído da relação de programas avaliados e reconhecidos, com posterior solicitação à CES/CNE da revogação do correspondente ato de reconhecimento.

10- Está claro que cursos novos aprovados e vinculados a programas existentes terão a mesma nota do programa. E os demais? O que acontecerá? Haverá nota? Como ela será atribuída?
Os demais cursos receberão uma qualificação: aprovado ou não aprovado. O novo curso só receberá nota após sua primeira avaliação periódica (Avaliação Quadrienal).

11- Propostas novas com os dois níveis (mestrado e doutorado) receberão nota ou serão avaliadas como aprovadas ou não aprovadas?
Todas as propostas de cursos novos analisadas pela CAPES a partir da publicação da Portaria Nº 182, de 14 de agosto de 2018, serão avaliadas como aprovadas ou não aprovadas, seja para um ou dois níveis.
Excetuam-se, nesse caso, as propostas de cursos novos aprovadas e vinculadas a programas existentes, que receberão a mesma nota do programa. Nesse sentido, os cursos de doutorado aprovados e vinculadas a programas existentes deverão receber pelo menos a nota 4 (quatro).

Ressalta-se que, atualmente, o documento que disciplina o processo de avaliação de propostas de cursos novos de pós-graduação stricto sensu é a Portaria nº 33/2019."

12- O que pressupõe o “padrão de qualidade equivalente ou superior ao mínimo exigido”?
A avaliação da proposta de curso novo levará em conta os requisitos gerais e os requisitos mínimos definidos nos documentos orientadores das áreas de avaliação. A análise da proposta pela comissão de avaliação da área e, posteriormente, pelo CTC-ES (Conselho Técnico-Científico da Educação Superior), para os diferentes itens da Ficha de Avaliação, acarretará na aprovação ou não da proposta.

13- O artigo 14 da Portaria CAPES nº 182, de 14 de agosto de 2018 está contradizendo os §2º e 3º, inciso II do artigo 7º da mesma Portaria?

A regra é o texto do artigo 7º, ou seja:

  • APCN aprovado para programa novo não terá nota;
  • APCN aprovado para curso vinculado à programa existente terá a nota do programa.

A exceção (expressa no art. 14) é para proposta de curso novo de doutorado quando for vinculado à programa existente e o programa tiver nota 3, a proposta precisará tirar nota 4 para aprovação. Nesse caso, a nota final do programa será 4, em outras palavras, a nota do mestrado será elevada.

A ideia é que programas compostos por apenas mestrado possam submeter excelentes doutorados e aumentar a sua nota.

14- Baseados no Art. 14 da Portaria Nº 182, de 14 de agosto de 2018, programas com mestrado nota 3 podem submeter e ter aprovadas propostas de doutorado? Ao aprovar o doutorado a nota do mestrado existente passa para 4 também?
Poderão, no entanto, trata-se de excepcionalidade devido à transição até a próxima avaliação periódica. Como a nota mínima para aprovação do doutorado é quatro, o programa nota três que obtiver a aprovação deste nível demonstrará o padrão mínimo de qualidade para tal, fazendo jus, então, a ter a nota alçada para quatro.

15- O que acontecerá com os cursos de doutorado aprovados por meio da APCN caso sejam vinculados a programas já existentes com nota 3?
Os cursos de doutorado aprovados, por meio da APCN, e vinculados a programas existentes com nota igual a 3 (três), deverão obter, na avaliação da sua proposta, pelo menos a nota 4 (quatro) o que definirá a nota do programa.

16- Programas compostos apenas pelo mestrado e avaliados com nota 3 poderão submeter proposta de curso novo para o nível de Doutorado?
Sim.

17- Quais as consequências para programas e cursos em desativação?
Conforme preconizado na Portaria CAPES nº 182, de 14 de agosto de 2018, os programas e os cursos descredenciados na Avaliação de Permanência deverão suspender o edital de seleção e a matrícula de novos discentes após divulgação do resultado definitivo da avaliação periódica da CAPES. Terão os diplomas reconhecidos com validade nacional para os discentes já matriculados, desde que estejam previamente cadastrados nos sistemas da CAPES e deverão fornecer para a CAPES as informações dos discentes que tenham sido titulados, visando a resguardar o direito adquirido pelos referidos discentes.

18- Por que cursos de mestrado com nota 3 continuarão regulares e aqueles de doutorado serão desativados?
A nota 3 configura-se como nota mínima de entrada no sistema, indicando qualidade regular do curso ou programa. Como o doutorado “tem por fim proporcionar formação científica ou cultural ampla e aprofundada, desenvolvendo a capacidade de pesquisa e poder criados nos diferentes ramos do saber” (Parecer CES/CFE nº 977/1965), o nível de exigência em sua avaliação é maior, resultando no estabelecimento de nota mínima quatro para sua aprovação ou permanência no sistema.

19- Programas de doutorado serão desativados caso obtenham a nota 3?
Sim. Como a nota mínima exigida para o funcionamento dos cursos de Doutorado é 4 (quatro), os programas compostos por mestrado e doutorado ou aqueles com nível de doutorado que obtenham nota igual ou inferior a 3 (três) serão desativados.

20- Qual a nota mínima para aprovação na Avaliação de Permanência?
Caso o programa seja composto apenas por mestrado, basta a nota três. Caso tenha os níveis de mestrado e doutorado ou apenas o de doutorado, a nota deverá ser quatro.

Em síntese:
a) Programas compostos com mestrado e/ou doutorado com nota igual ou superior a 4 (4; 5; 6; 7) são regulares;
b) Programas compostos com mestrado e/ou doutorado com nota inferior a 3 (1; 2) são desativados;
c) Programas com apenas o nível de mestrado com nota 3 são regulares;
d) Programas com apenas o nível de doutorado com nota 3 são desativados;
e) Programas de mestrado e doutorado com nota 3 são desativados.

21- O que é a Avaliação de Entrada?
Avaliação de entrada pode ser considerada como Avaliação de Proposta de Curso Novo, comumente chamada de APCN.

22- O que é a Avaliação de Permanência? Quais os critérios utilizados?
Entende-se por avaliação de permanência o processo avaliativo periódico realizado pela CAPES para análise dos programas que estão em funcionamento. Os critérios dessa avaliação estarão dispostos em documentos orientadores das áreas de avaliação, disponíveis no sítio eletrônico da CAPES.

23- Uma vez aprovado o curso não precisará mais se submeter a avaliação da CAPES?
Uma vez aprovado, o curso passa a compor um novo programa de pós-graduação ou se vincula a um PPG já existente. Todos os programas pertencentes ao SNPG e em funcionamento são avaliados periodicamente, conforme legislação em vigor.

24- Não existe um padrão de qualidade mínimo para o Sistema Nacional de Pós-Graduação? Cada área define o padrão que convém?
Os critérios de padrão de qualidade mínimo para aprovação e renovação do reconhecimento da pós-graduação stricto sensu são propostos pelo Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES), baseados em quesitos como proposta do programa, corpo docente e produção intelectual.

As áreas de avaliação, no entanto, definem os critérios específicos de suas áreas de atuação em seus documentos orientadores, que estão disponíveis no sítio eletrônico da CAPES (www.capes.gov.br).

25- Como as propostas de cursos novos serão analisadas pela CAPES?
As propostas são analisadas pelas comissões de área quanto ao mérito, observando os critérios estabelecidos em documentos orientadores das áreas e legislação própria elaborada pela CAPES. Em seguida, são submetidas à análise do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior, CTC-ES, como resultado serão “aprovadas” ou “não aprovadas”, sem receber notas como no sistema anterior.

26- Onde posso encontrar os critérios utilizados para avaliação de cursos novos?
Acesse a Portaria de APCN em: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=1056#anchor
Para as páginas das áreas, acessar: http://capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao.

27- Quais os critérios de aprovação e reprovação para os novos cursos?
Os critérios e requisitos necessários à aprovação de cursos novos estão definidos em regulamento próprio (Portaria CAPES nº 33, de 12 de fevereiro de 2019) e nos documentos orientadores, antes denominados documentos de áreas.

28- Como um programa é composto?
Um programa é composto por, no máximo, dois cursos: mestrado e doutorado.

Atenção: O programa só pode ter uma modalidade, ou seja, ou será acadêmico ou será profissional. E, necessariamente, os dois cursos deverão ter a mesma modalidade. Recentemente foi publicada Portaria CAPES que dispõe sobre cursos de pós-graduação stricto sensu a distância (mestrado e doutorado). Tais cursos comporão novo programa, distinto de outro possível programa existente presencial.

1- O que é a Avaliação Quadrienal?
O Sistema de Avaliação desenvolvido pela CAPES pode ser dividido em dois processos distintos que se referem à entrada e permanência dos cursos de mestrado profissional (MP), mestrado acadêmico (ME) doutorado profissional (DP) e doutorado acadêmico (DO) no Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG).

A Avaliação Quadrienal é parte do processo de Permanência dos cursos de pós-graduação stricto sensu no SNPG e é realizada em 49 áreas de avaliação, número vigente em 2019, seguindo sistemática e conjunto de quesitos básicos estabelecidos no Conselho Técnico Científico da Educação Superior (CTC-ES).

Os resultados da avaliação periódica de programas de pós-graduação são expressos em notas, numa escala de 1 a 7, que são atribuídas aos mestrados e doutorados após análise dos indicadores referentes ao período avaliado. Esta análise é conduzida nas comissões de área de avaliação e, posteriormente, no CTC-ES, que homologa os resultados finais. São estes resultados que fundamentam a deliberação do Conselho Nacional de Educação (CNE/MEC) sobre quais cursos obterão a renovação de reconhecimento para a continuidade de funcionamento no período subsequente.

A Portaria nº 59, de 21 de março de 2017, dispõe sobre o Regulamento da Avaliação Quadrienal 2017, que compreende os anos de 2013 a 2016, para programas acadêmicos e profissionais. No documento, constam os objetivos e parâmetros da Avaliação Quadrienal 2017, as normas para a avaliação dos programas de pós-graduação, informações sobre o processo, resultados e pedidos de reconsideração, além das fichas de avaliação de programas acadêmicos, profissionais e em rede.

Acesse aqui o resultado da Avaliação Quadrienal 2017:
http://avaliacaoquadrienal.capes.gov.br/resultado-da-avaliacao-quadrienal-2017-2

Para mais informações, acesse o hotsite da avaliação quadrienal:
avaliacaoquadrienal.capes.gov.br 

2- Como posso acessar o resultado final da Avaliação Quadrienal 2017?
Acesse o Resultado da Avaliação Quadrienal de 2017 em http://avaliacaoquadrienal.capes.gov.br/resultado-da-avaliacao-quadrienal-2017-2 

1- Como saber se meu diploma de mestrado ou doutorado obtido no Brasil é válido?
I. Para o funcionamento regular de qualquer curso de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) no Brasil e para a expedição de diploma válido em todo território nacional é necessária a recomendação da CAPES.
II. A recomendação da CAPES submete-se ao parecer final do Conselho Nacional de Educação (CNE/MEC). Somente após a aprovação pelo CNE e a publicação da Portaria Ministerial no Diário Oficial da União é que tais cursos são considerados regulares.
III. Não é competência deste Órgão determinar a interrupção de um curso de pós-graduação que funcione sem observar o disciplinamento legal vigente. O oferecimento de curso de pós-graduação stricto sensu não credenciado pelo CNE/MEC incorre em prática de propaganda enganosa omissiva e violação do direito do aluno consumidor. A solução de eventual impasse deve ser buscada através da via hierárquica na IES ofertante (ouvidoria ou setor correspondente da instituição) ou por vias judiciais (Ministério Público ou órgãos de defesa do consumidor).
IV. A relação de todos os cursos avaliados pela CAPES está disponível na Plataforma Sucupira, no menu “Cursos avaliados e reconhecidos”:
https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/index.xhtml

2- Como saber se um curso de mestrado profissional, mestrado (acadêmico) doutorado profissional e/ou doutorado (acadêmico) é recomendado pela CAPES?
A relação de todos os cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrados e doutorados) avaliados pela CAPES está disponível na Plataforma Sucupira, no menu “Cursos avaliados e reconhecidos”: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/index.xhtml 

Nos casos de cursos desativados, cabe ressaltar que os diplomas emitidos enquanto vigorou seu reconhecimento também possuem validade em todo território nacional.

3- Como se dá o ingresso na pós-graduação stricto sensu no Brasil?
A relação de todos os cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrados e doutorados) avaliados pela CAPES está disponível na Plataforma Sucupira, no menu “Cursos avaliados e reconhecidos”: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/index.xhtml. Para saber mais, o interessado deverá entrar em contato com a Instituição de Ensino onde pretende cursar a pós-graduação stricto sensu para obter detalhes da seleção do curso.

4- Meu diploma será válido mesmo que durante os estudos o curso perca o reconhecimento em nova avaliação realizada pela CAPES?
Quem ingressa em um curso de pós-graduação reconhecido tem a garantia de que o diploma que lhe será conferido, ao final, terá validade nacional, ainda que o curso perca o reconhecimento em nova avaliação.

5- Quais são os cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado), na modalidade semipresencial, autorizados a funcionar no Brasil?
Atualmente, os únicos cursos na modalidade semipresencial recomendados pela CAPES e reconhecidos pelo MEC fazem parte do Programa de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Rede Pública de Educação Básica (ProEB) (http://www.capes.gov.br/educacao-a-distancia/proeb), destinados a docentes das redes públicas de educação básica que estejam em efetivo exercício. Nenhum outro curso de pós-graduação stricto sensu nessa modalidade, além desses, foi avaliado pela CAPES e, portanto, caso esteja em funcionamento, não tem autorização para emissão de diplomas válidos nacionalmente. Entretanto, com a publicação da Portaria CAPES nº 90/2019, que dispõe sobre os programas de pós-graduação stricto sensu na modalidade de educação a distância, espera-se que em breve teremos cursos de mestrado a distância aprovados pela CAPES.

6- Um curso de mestrado oferecido por uma instituição brasileira em parceria com uma instituição estrangeira é reconhecido pelo MEC?
A CAPES somente regulamenta os cursos de pós-graduação stricto sensu brasileiros e não possui competência legal para investigar, fiscalizar ou sancionar programas de pós-graduação oferecidos por instituições estrangeiras.

7- Um curso que está aguardando homologação do CNE pode ser considerado reconhecido?
Não. Para ser considerado reconhecido, um curso deve receber homologação do CNE e ter o ato assinado pelo Ministro da Educação e publicado no Diário Oficial da União.

8- O que é a Campanha de Prevenção a Cursos Irregulares?
A campanha visa a esclarecer a sociedade em geral, e aos agentes do Sistema Nacional de Pós-Graduação em particular, sobre a questão dos cursos irregulares de pós-graduação stricto sensu.

Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/campanha-de-prevencao-a-cursos-irregulares 

O que fazer nos casos de falhas de atendimento ou abuso de direito em uma instituição de ensino superior (IES)?
Em função da autonomia administrativa e didático científica constitucionalmente outorgada às universidades (artigo 207, CF/88) e consequentes prerrogativas contempladas pelo artigo 53 da LDB, elas respondem diretamente aos órgãos de defesa do aluno consumidor de serviços educacionais ofertados por instituição privada ou pública pelas eventuais violações dos direitos dos alunos.

A avaliação da qualidade dos cursos de pós-graduação realizada pela CAPES não envolve a apreciação da regularidade do relacionamento das Instituições de Ensino Superior com os respectivos alunos. A solução de eventual impasse deve ser buscada em via hierárquica da instituição (ouvidoria ou setor correspondente da instituição) ou por vias judiciais (Ministério Público ou órgãos de defesa do consumidor).

Como funcionam os mestrados e doutorados profissionais?

A Portaria n° 389, de 23 de março de 2017, do Ministério da Educação (Link: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=241#anchor) instituiu, no âmbito da pós-graduação stricto sensu, as modalidades de mestrado e doutorado profissional.

De acordo com a portaria, as modalidades têm o objetivo de capacitar profissionais qualificados para o exercício da prática profissional avançada e transformadora de procedimentos, visando atender demandas sociais, organizacionais ou profissionais e do mercado de trabalho; de transferir conhecimento para a sociedade, atendendo demandas específicas e de arranjos produtivos com vistas ao desenvolvimento nacional, regional ou local; de promover a articulação integrada da formação profissional com entidades demandantes de naturezas diversas, visando melhorar a eficácia e a eficiência das organizações públicas e privadas por meio da solução de problemas e geração e aplicação de processos de inovação apropriados; além de contribuir para agregar competitividade e aumentar a produtividade em empresas, organizações públicas e privadas.

No âmbito da CAPES a legislação afeta aos cursos profissionais é a Portaria CAPES nº 60, de 20 de março de 2019 (link: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=884#anchor).

O que são os projetos Minter e Dinter?
Mestrado Interinstitucional (Minter) e Doutorado Interinstitucional (Dinter) são turmas de mestrado e de doutorado acadêmicos conduzidas por uma instituição promotora nacional nas dependências necessariamente de uma instituição de ensino e pesquisa receptora.

Turmas Fora de Sede são turmas de mestrado e de doutorado profissionais conduzidas por uma instituição promotora com programa de pós-graduação stricto sensu obrigatoriamente nacional e avaliado pela CAPES fora das dependências dessa instituição.

Por visar regiões, no território brasileiro ou no exterior, afastadas de centros consolidados em ensino e pesquisa, as turmas de Minter e Dinter promovem maior grau de qualificação dos recursos humanos, tendo por objetivo principal viabilizar a formação de mestres e doutores para atuação em docência e/ou pesquisa, além de subsidiar a criação de novos programas de pós-graduação stricto sensu; auxiliar no fortalecimento de grupos de pesquisa; e promover a cooperação entre instituições de ensino e pesquisa.

As Turmas Fora de Sede, por sua vez, objetivam qualificar recursos humanos para atuação no mercado de trabalho; atender demandas sociais, profissionais, técnicas e tecnológicas das organizações públicas e privadas; contribuir para o aumento da produtividade e competitividade das organizações brasileiras; e promover a cooperação entre instituições acadêmicas e não acadêmicas.

Cada programa promotor poderá cadastrar apenas um de cada tipo de turma na Plataforma Sucupira. Isto é, cada programa acadêmico pode cadastrar na Plataforma e ser responsável pela condução, concomitantemente, de uma turma Minter e uma turma Dinter.

O Ofício circular nº 5/2018-DAV/CAPES orienta a apresentação e acompanhamento de turmas Minter e/ou Dinter e de Turmas Fora de Sede, acesse em:
https://www.capes.gov.br/images/stories/download/avaliacao/23032018-Oficio-Circular-n-5.pdf

O que o autor pode fazer nos casos de plágio de tese ou dissertação?
Quando constatada violação de seus direitos autorais, o autor de tese e dissertação poderá buscar, em ação judicial própria, a reparação civil pelo dano que lhe foi acarretado. Além disso, pode ser tentado o impedimento ou a revogação da outorga do título, junto a Instituição de Ensino Superior, mediante pedido administrativo, ou, no bojo da ação judicial referida.

1- Quem da instituição de ensino superior pode enviar o Coleta CAPES ou fazer outras ações de natureza administrativa na Plataforma Sucupira?

A Plataforma Sucupira está acessível aos pró-reitores de pós-graduação de todas as IES associadas e coordenadores da IES principal e IES associadas.

A Pró-reitoria de pós-graduação de cada IES associada poderá cadastrar a coordenação local na Plataforma Sucupira.

Entretanto, é de responsabilidade do(a) coordenador(a) da IES principal:
• enviar o Coleta CAPES;
• definir carga horária e créditos em disciplinas;
• cadastrar disciplinas e linhas de pesquisa;
• alterar a Instituição de Ensino da Rede de um docente ou discente, caso seja necessário;
• fazer solicitações de mudanças substanciais no Programa.

Apenas o(a) Coordenador(a) da IES principal visualiza todos os discentes e docentes da Rede. O(A) coordenador(a) da(s) IES(s) associada(s) só podem visualizar e alterar as informações dos discentes e docentes vinculados à sua IES, com exceção de mudar a Instituição de Ensino da Rede.

O(A) coordenador(a) da(s) IES(s) associada(s) pode(m) corrigir as pendências para o Envio do Coleta relativas à sua IES.

2- Onde é possível acessar as informações acerca da avaliação do Sistema Nacional de Pós-Graduação? E como funciona a Plataforma Sucupira?
O acesso às informações relativas à avaliação do Sistema Nacional de Pós-Graduação é feito pelo endereço eletrônico: http://sucupira.capes.gov.br.

A tela inicial da Plataforma Sucupira viabiliza o acesso público a informações gerais relacionadas aos Programas, calendário, manuais e opções de contato. Nessa tela pública, à medida que os programas de pós-graduação (PPGs) inserem suas informações no Coleta, elas podem ser visualizadas por toda a comunidade externa. Também são apresentadas as informações sobre propostas de cursos novos, projetos de minter, dinter e turma fora de sede, qualis, cursos recomendados e reconhecidos e avaliação periódica de programas.

Para realizar o acesso restrito, os Pró-reitores, Coordenadores de programas, Coordenadores de área e gestores DAV/CAPES, devem clicar em “Acesse a Plataforma” no campo superior direito da página.

Somente terão acesso por meio de senha personalizável à Plataforma Sucupira (acesso restrito) os pró-reitores, coordenadores de programas, coordenadores de área e gestores DAV/CAPES.

Atenção! O acesso restrito à Plataforma Sucupira deve ser feito pelos navegadores Mozilla, Chrome ou Safari."


Nesse caso, deverá ser inserida a data fim da participação do aluno como participação externo e depois cadastrá-lo no menu Discentes como matriculado.

4- O que faço quando ao cadastrar um coautor como participante externo, e não ter como informar todos os dados que são solicitados no formulário?
Para o caso de produções importadas do Lattes, foi implementada uma associação simples de coautores de produções bibliográficas. Dessa forma, se o nome do pesquisador não for encontrado na base de dados do programa ou de outros programas de pós-graduação, será possível associar o nome desse pesquisador à produção. É importante ressaltar que essa ação não permitirá que essa pessoa seja associada ao programa, o que impede o reaproveitamento do seu cadastro em outras atividades do programa, sendo que ela contará apenas como um quantitativo de coautoria para a publicação.

5- O que fazer quando o nome aparecer de forma incorreta ao digitar um CPF?
Ao digitar o CPF, o Sistema valida as informações (nome, data de nascimento, sexo e país do documento) a partir dos dados da Receita Federal. Caso o nome esteja correto na Receita e errado na Plataforma, solicitamos que encaminhe Print Screen das telas, por meio do Fale Conosco (faleconosco@capes.gov.br), mostrando o nome correto e no sistema o que está equivocado, para abrirmos a solicitação de correção junto ao setor técnico responsável.

6- Como acessar o aplicativo Sucupira – Pró Reitor?
Está disponível para download de forma gratuita na Apple Store (IOS) e Google Play (Android) o aplicativo Sucupira – Pró Reitor, voltado para atender os pró-reitores das instituições de ensino superior (IES) do Brasil, permitindo que tenham acesso a dados institucionais preenchidos pelos coordenadores de PPGs de suas IES. É uma aplicação de acompanhamento do preenchimento das informações do Sistema Nacional de Pós-graduação (SNPG), que permite acesso a dados de discentes, docentes, produções intelectuais, entre outras informações utilizadas na avaliação dos cursos de pós-graduação das IES as quais os pró-reitores são responsáveis.

Pelo aplicativo, também podem ser realizadas buscas rápidas por PPGs, obtidas informações estatísticas, verificadas pendências de desativação de curso ou programa, mudança de área básica ou de nome de curso, propostas de cursos novos, início de funcionamento de cursos ou mudança da data de início de cursos.

7- O que fazer quando o cadastramento de um discente no programa ocorrer de modo errado?
O discente que for inserido de forma incorreta no programa poderá ser excluído por meio do botão “Remover”.

8- No cadastramento de discente, o que representa a aba Vínculo?
A aba Vínculo objetiva coletar a informação de se há algum tipo de vínculo empregatício do discente e a qual tipo de instituição e verificar qual a expectativa de atuação profissional dos egressos dos cursos de pós-graduação. São coletadas informações sobre o vínculo atual e a intenção de atividade futura do autor do trabalho de conclusão. Essas informações não são obrigatórias, porém, são relevantes para avaliação e planejamento do sistema de pós-graduação, e para inferir a expectativa e disponibilidade dos pós-graduados face ao mercado de trabalho. O cadastramento do vínculo empregatício deve ser feito no módulo de Trabalhos de conclusão na 6ª aba (Vínculo).

Como é feito o cadastro de orientador e coorientador para o trabalho de conclusão? Orientadores devem ser cadastrados no Menu “Discentes”, podendo ser marcado o principal e os demais são considerados coorientadores. No menu “Trabalho de Conclusão”, aba “Banca Examinadora”, é possível apenas alterar o nome do orientador principal do discente ou o período de orientação. Basta redigir o nome desejado e avançar até a sétima aba, salvando as alterações ao final do processo.

9- Qual o procedimento para cadastro de novo coordenador?
O(A) pró-reitor(a) de pós-graduação ou pessoa em cargo equivalente na instituição, deve realizar o cadastro do coordenador de programa no menu “Cadastros -> Coordenador de programa -> Cadastrar”. Logo após o cadastro realizado, será encaminhada uma notificação para o coordenador, no e-mail cadastrado no menu “Docentes”, informando-o que o perfil de coordenador de programa foi gerado.

10- Como é feito o cadastro de pró-reitor ou de pessoa em cargo equivalente?
Para solicitar cadastro ou alteração de pró-reitor, a pró-reitoria da IES deverá encaminhar um e-mail para cadastroies@capes.gov.br com os seguintes dados: nome da IES, CPF do pró-reitor, e-mail e portaria de nomeação.

11- Como se dá o cancelamento de bolsa integrada com o SAC?
Se o discente é bolsista da CAPES, a alteração da situação matriculado para uma situação de saída do curso (mudança de nível sem defesa, desligado, abandonou ou titulação) acarreta no cancelamento da bolsa no SAC.

12- Como anexar o arquivo do Trabalho de Conclusão com tamanho superior a 250 Mb do discente?
Caso o arquivo exceda o tamanho de 250 Mb, deverá ser anexado um documento provisório, indicando que o trabalho será enviado por correio, em mídia digital, para o endereço: (http://www.capes.gov.br/tutorial-sucupira/ProducoesAcademicas_TrabalhoConclusao.html).

13- Como cadastrar um discente?
Para realizar o cadastramento do discente, o Coordenador (a) de Programa deve acessar a Plataforma Sucupira e seguir os seguintes passos: selecionar no menu “Pessoas” a opção "Discentes" e clicar em "Cadastrar Discentes". Ao informar o CPF do discente, o sistema faz a validação junto à Receita Federal e traz os dados de nome, gênero, país de nascimento e data de nascimento. O (a) usuário (a) deve preencher o restante dos dados e ao final do preenchimento acionar a opção "Salvar". As informações dos discentes deverão ser atualizadas de acordo com a situação em que se encontrar o discente.

14- Como fazer o desligamento de um discente do PPG?
Para o desligamento de um discente, há três opções: selecionar a opção “Abandonou” = aluno da pós-graduação que abandonou o programa, por iniciativa própria; “Desligado” = aluno da pós-graduação que foi formalmente desligado do programa; ou remover o discente pelo botão, quando for cadastrado erroneamente no programa.

15- Como realizar a alteração da área de concentração de um projeto (somente de alguns cursos) cadastrada erroneamente na Plataforma Sucupira?
Ao alterar a linha de pesquisa de um projeto, a área de concentração se altera automaticamente.

16- Como realizar a alteração da bibliografia ao cadastrar uma disciplina?
No menu “Disciplinas” é possível alterar a ementa e a bibliografia da disciplina do curso de Mestrado e/ou Doutorado. Deverá clicar no botão alterar e realizar a modificação.

17- Como realizar a alteração de nível quando discente de mestrado está cadastrado como aluno de doutorado?
Caso o discente seja aluno do mestrado e tenha sido cadastrado equivocadamente no doutorado, o programa deverá encaminhar um e-mail para (sucupira.coleta@capes.gov.br) informando o equívoco. O e-mail deverá ainda ter um anexo onde conste a solicitação para que seja realizada a alteração do nível do discente com a anuência do coordenador do programa.

18- Como realizar o cadastro do financiador?
Para realizar o cadastro do financiador, acesse: http://www.capes.gov.br/tutorial-sucupira/Programa_Financiadores.html 

19- Como titular um discente?
A situação “titulado” poderá ser selecionada no Menu “Produções Acadêmicas” --> “Trabalho de Conclusão”, quando será atribuída uma nova situação do discente. Nesse caso, será necessário cadastrar todos os dados do trabalho de conclusão.

20- Como registrar a data de início do funcionamento do PPG ou Curso?
Se o programa ou o curso estiver com a situação EM PROJETO, o coordenador do PPG ou o pró-reitor deverá solicitar o registro de início de funcionamento a partir do menu SOLICITAÇÕES.

A data de início do funcionamento do PPG ou Curso corresponde à data de início da oferta de disciplinas para atendimento dos alunos nele matriculados, e deverá ser informada na Plataforma Sucupira no prazo de até 30 dias após seu início.

21- Qual a orientação para quando surgirem dificuldades no preenchimento da Plataforma Sucupira – Coleta CAPES (Manual)?
Ao preencher a coleta de dados utilizar o tutorial (treinamento coleta) http://www.capes.gov.br/tutorial-sucupira/PaginaInicial.html 

Além disso, o manual de Preenchimento da Plataforma Sucupira apresenta conceitos e definições consolidados no Sistema Nacional de Pós-Graduação – SNPG com relação às características da informação que é prestada no Coleta de Dados, além de procedimentos técnicos de preenchimento.

Acesse por gentileza o Manual de preenchimento disponível na Plataforma Sucupira (https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/), selecionando a opção Coleta de Dados > Manual Coleta.

Em caso de dúvidas, solicitamos que o Coordenador do Programa de Pós-Graduação entre em contato com equipe de atendimento, por meio do telefone 0800 61 61 61, opção 7.

22- Estou tentando cadastrar trabalho de conclusão (registrar titulação) de um discente, e não consigo, pois o sistema não busca o nome. Como resolver?
O cadastro do discente deve ser feito previamente no menu "Discentes".

23- Como cadastrar uma bolsa para o discente (CAPES, CNPq, ou outras declaratórias)?
Os discentes com bolsa da CAPES serão identificados automaticamente e de forma integrada com o SAC. Bolsistas de outros órgãos/entidades poderão ser identificados por meio do ícone " Associar Bolsa" a ser informado pelo coordenador do PPG no menu "Discentes".

24- É possível marcar uma turma para dois cursos simultaneamente?
Sim, permite-se selecionar a mesma turma a dois cursos simultaneamente, desde que a carga horária seja igual.

25- Qual o procedimento para importar o currículo Lattes?
Para o cadastro de docentes com a base de dados do CNPq, favor acessar: http://www.capes.gov.br/tutorial-sucupira/ImportacaoLattes_Apresentacao.html

26- Como incluir programas de fomento externo a um financiador já vinculado ao PPG?
Caso não encontre o programa de fomento externo desejado na lista apresentada, ou não haja nenhum programa cadastrado, clique em “Solicitar Inclusão”. Aparecerá uma tela de cadastramento da solicitação.

27- O que fazer quando aparecer a mensagem de alerta ao tentar atualizar situação de discente que seja bolsista, e o SAC estiver fechado?
A mensagem de alerta ocorre quando não é possível alterar a situação do discente bolsista para titulado, trancado ou desligado quando o SAC estiver fechado. A alteração só poderá ser realizada no período em que o aplicativo SAC estiver aberto. Quando o SAC estiver fechado e o usuário abrir o registro do discente bolsista, o sistema apresentará a seguinte mensagem de alerta na Plataforma Sucupira “Não é possível fazer a alteração pois o SAC encontra-se fechado”.

28- O que é o módulo Coleta de Dados?
A partir do momento que um curso de pós-graduação é recomendado pela CAPES e reconhecido pelo Conselho Nacional de Educação/Ministério da Educação, ele passa a fazer parte do Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG). Com isso, passa a ter a obrigatoriedade de prestação de informações à CAPES, a respeito de toda a sua atividade acadêmica e de pesquisa. Devem ser reportados dados de infraestrutura física, formação e atividades de docentes, matrícula e titulação de alunos, disciplinas oferecidas, projetos de pesquisa desenvolvidos, produção bibliográfica em termos de artigos científicos, livros, dissertações e teses defendidas, produção técnica e tecnológica, etc. Para o recebimento dessas informações, há um sistema denominado "Coleta de Dados", que foi reformulado para fazer parte da Plataforma Sucupira.

O módulo Coleta da Plataforma Sucupira reproduz basicamente os mesmos campos de informação que eram usualmente solicitados no aplicativo anterior "Coleta de Dados". A fundamental e essencial mudança será que a inserção de informações pelos programas de pós-graduação (PPGs) passa a ser contínua e online, ou seja, os dados poderão ser alimentados na Plataforma a qualquer momento, assim que alguma situação é concretizada (por ex. a matrícula ou titulação de um aluno, o cadastramento de uma produção intelectual, o ingresso de um docente).

O preenchimento do módulo Coleta de Dados na Plataforma Sucupira será feito pelo coordenador do programa de pós-graduação, por meio de senha personalizável.

Acesse o Portal Coleta na Plataforma Sucupira: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/

Para mais informações, acesse: http://www.capes.gov.br/avaliacao/plataforma-sucupira/modulo-coleta-de-dados.

29- Como alterar a situação de um programa ou curso de “em projeto” para “em funcionamento”?
Caso o programa ou curso esteja com a situação “em projeto”, a pró-reitoria ou a coordenação do PPG deverá solicitar o início de funcionamento do programa no menu “Solicitações -> Registro de Início de Funcionamento -> Solicitar”.

Quando apenas um dos níveis estiver na situação “em projeto”, estarão desabilitadas as opções de:
• cadastrar informações básicas para o Curso em projeto (aba 3 do Menu Dados Cadastrais);
• cadastrar discentes no nível do Curso em projeto;
• cadastrar disciplinas nesse nível.

30- O que significa mudança de nível com ou sem defesa?
As situações “mudança de nível com defesa” ou “mudança de nível sem defesa” cancelam automaticamente a bolsa de mestrado. Essas situações indicam que o aluno passou do nível de mestrado para o de doutorado. Caso o aluno tenha direito a receber uma bolsa de doutorado, ele estará habilitado no SAC, mas a bolsa deve ser concedida no SAC.

31- Na falta do arquivo da dissertação ou da tese, pode-se anexar a ata de defesa e, após as devidas correções da dissertação ou tese pelo aluno, substituir o arquivo?
O trabalho de conclusão só deve ser cadastrado com a dissertação ou tese completa em anexo. A ata da defesa não é considerada.

32- Como cadastrar um discente de pós-graduação quando há um registro ativo do mesmo discente na graduação?
Inicialmente é necessário desligar o discente da graduação, e depois cadastrá-lo como matriculado na pós-graduação. Ver passo a passo:
1 – Tela inicial – clicar no módulo discentes;
2 – Selecionar Nível “Graduação” e clicar em “Consultar”;
3 – Serão listados todos os discentes de Graduação ativos (matriculados). Clicar em “alterar” para mudar a situação;
4 – Alterar a situação para “Desligado” e clicar em “Alterar”.

33- Como proceder quando o campo "Não encontrou a Instituição de Ensino - Clique aqui para solicitar" não funciona, ao atrelar a titulação de um docente ou para vincular a um participante externo?
Encaminhe as informações da IES: nome, sigla, endereço, cidade, país, e-mail, telefone, fax, endereço eletrônico/website para o e-mail: cadiesestrangeiras@capes.gov.br 

34- O que fazer quando não localizar o ISSN ou o título quando for cadastrar uma produção bibliográfica?
No campo poderão ser digitados tanto o número ISSN quanto o título do periódico, e o sistema buscará automaticamente o cadastro correspondente na base de dados e não haverá possibilidade de alteração deste número de ISSN ou grafia do mesmo. Caso a busca não retorne nenhum resultado, significa que esse registro ainda não foi feito. Para cadastrar um periódico, é necessário fazer uma solicitação que será encaminhada a DAV para validação da informação (Menu solicitações --> cadastramento de veículos). Somente após essa validação, é que o periódico estará disponível para seleção.

35- Como proceder quando informações cadastradas em Coletas anteriores não forem localizadas, assim como dados de discentes?
Para cada PPG, foi feita a migração de dados que constavam no Coleta de Dados referente a 2012 para a Plataforma Sucupira, além dos dados de discentes que foram matriculados ou titulados no Cadastro de Discentes, referentes a 2013 e 2014. Porém, por razões de compatibilidade técnica, foram detectados alguns casos impeditivos de importação ou necessidades de ajustes. Assim, é fundamental que o coordenador faça uma checagem cuidadosa dos dados relacionados ao seu PPG na Plataforma.

36- O que deve fazer o coordenador quando não estiver recebendo e-mails das listas de distribuição utilizadas pela CAPES?
Os coordenadores dos programas deverão acessar a Plataforma Sucupira e corrigir ou inserir os e-mails corretos no campo “E-mail Institucional do Programa”, no menu “Dados Cadastrais”, na segunda aba “Endereço do Programa”, clicando no botão para alterar . A comunicação é feita utilizando o e-mail do programa, já que as comunicações são institucionais e não pessoais.

37- O que fazer quando ao cadastrar discente surgir a mensagem: “O discente não possui orientador vigente cadastrado”?
O orientador deve ser cadastrado no menu Discentes – Dados da Orientação, com período coerente com a data da matrícula e titulação.

38- Como definir o nome da Turma?
O nome da Turma é definido pela IES.

39- Como cadastrar discentes que estão com o curso trancado?
Na Plataforma Sucupira, não há a situação "trancado". Caso haja necessidade de suspensão de bolsa de um discente com essa situação, fazer a solicitação junto a Diretoria de Programas e Bolsas da CAPES.

40- Quais são os principais ícones da Plataforma Sucupira?
As principais funcionalidades da Plataforma Sucupira são construídas de forma a trazer um padrão de ações a serem executadas pelo usuário, como descritas a seguir:
- Consulta
As telas de consulta dispõem de opções de campos de busca, que variam de acordo com o Menu navegado.
- Inserção
Telas de cadastramento da informação
- Visualização
Conferencia das informações preenchidas, na própria tela ou por meio de relatórios.
- Alteração
Possibilidade de alterar uma informação já preenchida.
- Exclusão
Possibilidade de excluir uma informação já preenchida. Recomenda-se a exclusão apenas de informações erradas.
- Atualizar vínculo
Possibilidade de desvincular ou vincular uma pessoa no PPG, sem a necessidade de excluir a informação.
- Gerenciar referências
Possibilidade de verificar, por ano, quais são os vínculos dos docentes, participantes externos e discentes (produção, projetos de pesquisa, trabalho de conclusão, orientações, turmas).
- Ajuda
Posicionando o cursor em cima do ícone ajuda aparecerão orientações sobre o item selecionado.
- Atualizar informação/pendências
Possibilidade de alterar o ano de uma consulta, ou uma lista de pendências na verificação de erros.

41- É possível cadastrar outras pessoas além do coordenador do programa para ter acesso e preencher o Coleta?
Não há possibilidade de acesso para outras pessoas além do coordenador do PPG ou do pró-reitor da IES para preenchimento do Coleta.

42- O que fazer quando o cadastro da instituição não for localizado?
Durante o cadastro de docentes e participantes externos, caso a IES de titulação do docente/participante externo ou a IES de origem do participante externo não seja encontrada, o cadastro da IES deverá ser solicitado via e-mail.
No caso de IES nacional, a solicitação deverá ser encaminhada para o e-mail cadastroies@capes.gov.br , com as seguintes informações: nome da IES, sigla, status jurídico, CPF e e-mail do dirigente, CPF e e-mail do pró-Reitor, endereço, bairro, cidade, estado, CEP, e-mail, telefone, fax, website.

Já no caso de IES estrangeira, a solicitação deverá ser enviada para o e-mail cadiesestrangeiras@capes.gov.br, com as seguintes informações: nome, sigla, endereço, cidade, país, e-mail, telefone, fax, endereço eletrônico/website.


43- Como funcionou o carregamento de informações de pessoas do Coleta 2012 na Plataforma Sucupira?
As pessoas que foram cadastradas no Coleta 2012 (discentes e participantes externos) com o documento “Outro” ou com passaporte brasileiro não foram carregadas, para evitar que informações erradas fossem alimentadas na Plataforma Sucupira. Dessa maneira, para esses casos, essas pessoas deverão ser novamente cadastradas, inserindo-se o CPF ou o passaporte estrangeiro.

Os alunos que tenham sido titulados ou que abandonaram o curso em 2012 não foram carregados para o Sucupira como participantes externos. Caso estes alunos tenham participação em produções (projetos de pesquisa, por exemplo), essas pessoas deverão ser novamente cadastradas no Menu Participante Externo.

Os alunos que tenham mudado de nível com ou sem defesa (ou apresentação pública da dissertação) em 2012 foram carregados como matriculados no doutorado para o Módulo Coleta da Plataforma Sucupira.

44- Onde constam os dados básicos de um programa?
Diferentemente do Coleta, na Plataforma Sucupira os dados básicos de um programa, endereço e áreas de concentração estão no menu “Dados Cadastrais”. Os dados do financiador estão em menu específico, denominado “Financiadores”.

45- Como realizar a inserção de teses e dissertações?
Como o Cadastro de Discentes foi desativado, a inserção do arquivo com o texto completo de teses e dissertações será feita na Plataforma Sucupira.

46- Como cadastrar os alunos das turmas do Minter ou Dinter?
Os discentes matriculados em programas Minter ou Dinter são considerados alunos regularmente matriculados no programa de pós-graduação. Sendo assim, eles devem ser registrados no cadastro de discentes. Ver mais em: http://www.capes.gov.br/tutorial-sucupira/Pessoas_Discentes.html

47- É preciso colocar o nome do programa em inglês?
Este campo é de preenchimento obrigatório no menu “Dados Cadastrais”.

48- Como cadastrar participantes de produções intelectuais?
Há a opção de cadastro somente do responsável pela produção para aquelas denominadas de “Grande Colaboração”.

49- Como acessar perfis diferenciados de acesso e de utilização?
No módulo Coleta, o pró-reitor e o coordenador do PPG têm funcionalidades diferenciadas, bem como senhas específicas. Por meio da plataforma é possível realizar algumas solicitações à CAPES sem a necessidade de envio de ofício (registro de início de funcionamento de curso, mudança de área básica, mudança de data de início de curso).

50- Quais relatórios são consolidados?
Há um relatório específico para os participantes externos e outro para discentes bolsistas. Em todos os relatórios, será possível selecionar o ano de referência para a consolidação das informações. Os relatórios poderão ser disponibilizados em pdf, html ou xls.

51- Quem será o "responsável por projeto de pesquisa"?
Um docente do programa ou um participante externo poderá ser responsável pelo projeto de pesquisa. A natureza do projeto, anteriormente denominada como “em desenvolvimento” foi substituída por “inovação”. Foi incluída também a natureza “projeto interinstitucional”.

52- Como é calculado o tempo de titulação de discente com mudança de nível sem defesa?
O Sistema contará o tempo de titulação do aluno que mudou de nível sem defesa a partir da matrícula no mestrado, e não a partir da matrícula no doutorado.

53- De que maneira se dá a validação de CPF, CNPJ ou CEP?
O módulo Coleta fará a busca automática do CPF, CNPJ e CEP, na base da Receita Federal e dos Correios, nos campos de preenchimento onde essas informações forem necessárias (cadastro de pessoas, financiadores e dados cadastrais). Com isso, se evitará que docentes, discentes, participantes externos, e financiadores sejam cadastrados com dados equivocados.

54- Qual a data para o preenchimento de dados no Coleta?
Os dados podem ser preenchidos continuamente pelo coordenador à medida em que estiverem disponíveis no PPG.

Apesar da possibilidade de inserção contínua de dados dos PPGs, haverá um período ao longo do ano ou semestre em que será solicitado ao coordenador do PPG e pró-peitor, a conferência e consolidação das informações inseridas na plataforma até determinado momento.

55- Qual o procedimento para solicitar bolsa a um discente cujo registro não aparece no SAC?
Um aluno só estará habilitado a receber bolsa no SAC se estiver com a condição de matriculado na Plataforma Sucupira. A concessão da bolsa deve ser feita diretamente no SAC.

56- Quais as situações de discentes em um programa de pós-graduação (PPG) que aparecem no menu “Discentes”?
• Abandonou: aluno da pós-graduação que abandonou o programa, por iniciativa própria;
• Desligado: aluno da pós-graduação que foi formalmente desligado do programa;
• Matriculado: aluno da pós-graduação formalmente matriculado em um dos cursos do programa;
• Mudança de nível sem defesa: aluno que mudou de nível mestrado para doutorado automaticamente, sem apresentar trabalho de conclusão. Portanto, o trabalho de conclusão referente a este aluno não deverá ser cadastrado, assim como o orientador do mestrado não será informado. Deverá ser informado o orientador do discente no Doutorado.

57- Quais as opções que aparecem no menu “Trabalhos de Conclusão”?
• Mudança de nível com defesa de dissertação (ou apresentação pública do trabalho de mestrado): aluno que defendeu trabalho de conclusão de mestrado e ingressou imediatamente no doutorado no mesmo PPG. Se houver financiador, deverá ser referente ao status atual do discente no ano base. Obs.: deverá ser cadastrado o trabalho de conclusão respectivo;
• Titulado: aluno do programa de pós-graduação que defendeu trabalho de conclusão em um ano de referência. Obs.: deverá ser cadastrado o trabalho de conclusão respectivo.
O que fazer quando há substituição de Coordenador?
No caso de mudança de coordenador(a), o(a) pró-reitor(a) deverá clicar na opção “Listar/Alterar” e encerrar o período de vigência do(a) coordenador(a) antigo(a) antes de cadastrar o(a) novo(a) coordenador(a).
Na tela de consulta, é necessário selecionar o nome do programa e clicar no botão “Consultar” para visualizar o (s) coordenador (es) cadastrado (s). Para informar o fim da vigência de um(a) coordenador(a), é necessário clicar no botão “Alterar”.

58- Como cadastrar um discente ou docente que já possui um vínculo como participante externo?
É necessário desvincular o docente ou discente como participante externo ao inserir a data do Fim do Vínculo.
1º O usuário deve acessar, no Portal Coleta, o ícone “Participantes Externos”;
2º Em seguida, consultar o nome do Participante Externo e clicar no ícone “Desvincular”;
3º Neste campo o usuário deve inserir a data em que ocorreu o Fim do Vínculo do discente/docente como Participante Externo;
4º Após este procedimento é possível realizar o novo cadastro tanto no módulo discente quanto no módulo docente.

59- Como fazer para inserir um e-mail do programa ou do coordenador em situações que dão erro?
Apenas e-mails institucionais são aceitos no cadastro do programa ou do coordenador. Não serão aceitos outros endereços como contas no gmail, yahoo, uol, etc.

60- Como fazer a transferência para o doutorado antes de titular no mestrado?
Para inserir o discente no doutorado antes da titulação é necessário selecionar a situação “mudança de nível sem defesa” no menu “Discentes”.

Como funciona o Programa de Apoio aos Coordenadores de Área - Pró-Área?
O Programa de Apoio aos Coordenadores de Área (Pró-Área) é voltado para os membros da Coordenação de Áreas de Avaliação. O Pró-Área é um incentivo para quem ajuda a CAPES no planejamento e execução de atividades relacionadas com a avaliação do Sistema Nacional de Pós-Graduação.

Os coordenadores de área, adjuntos de Programas Acadêmicos e adjuntos de Programas Profissionais estão aptos a participar do programa.

A solicitação é feita via Auxílio Financeiro a Projeto Educacional ou de Pesquisa (AUXPE) junto à Diretoria de Avaliação. Só podem se habilitar coordenadores dentro do período do mandato, desde que não estejam faltando menos de seis meses para o término. O auxílio será liberado apenas para quem esteja com a situação fiscal regular.

Os recursos são exclusivamente para despesas de custeio, relativas à aquisição de material de consumo, pagamento de diárias, passagens, despesas com locomoção, seguro saúde e outros serviços prestados por pessoa física ou jurídica.

Para mais informações, orientamos a leitura da Portaria nº 234, de 30 de outubro de 2018, disponível no link http://capes.gov.br/avaliacao/sobre-a-avaliacao/legislacao-especifica.

1- A CAPES disponibiliza qualificação para eventos?
A qualificação de eventos não é realizada desde 2009. São realizados o Qualis periódicos, a classificação de livros e o Qualis artístico.

2- A classificação de um periódico é a mesma para a sua versão impressa e eletrônica?
A classificação de um periódico pode variar entre a sua versão impressa e eletrônica, em especial se houver diferenças editoriais significativas entre as duas versões do periódico.

Por outro lado, o Qualis depende da informação enviada pelos programas de pós-graduação. Assim, se os Programas informarem produção apenas em um dos meios de divulgação (eletrônico ou impresso), somente este constará na lista de periódicos avaliados pelo Qualis.

3- Ao acessar a lista de periódicos do Qualis, notei que um mesmo periódico tem classificações diferentes, que mudam conforme a área de Avaliação. Como entender esta mudança?
Até o evento do Qualis relativo aos periódicos de 2013 a 2016, um periódico poderia ter classificações diferentes a depender da área de avaliação do Programa que o havia utilizado para publicar um artigo científico.

A adoção de critérios distintos por cada comissão, considerando os diferentes indicadores referenciados nas bases indexadoras ou demais indicadores qualitativos, justificava a não existência de uma classificação única para o periódico.

No entanto, diversas medidas estão sendo tomadas pela Capes, conjuntamente com a comunidade acadêmica, com o objetivo de aprimorar os instrumentos da avaliação, dentre elas, a definição de novos critérios de avaliação dos periódicos informados pelos programas de pós-graduação. Para o quadriênio 2017-2020, um mesmo periódico terá apenas uma classificação com base na área em que tiver tido o maior número de publicações (área-mãe). Nos casos de empate, será considerada área mãe aquela em que o número de publicações no periódico for mais representativo em relação ao total de produções da área.

4- Como é constituído o Qualis?
O Qualis é uma ferramenta para a avaliação de programas de pós-graduação no que se refere aos artigos publicados em periódicos científicos (Qualis Periódicos), à produção artística (Qualis Artístico) e à publicação em livros (Qualis livros). Logo, sua função é exclusivamente avaliar a produção dos programas de pós-graduação.

Os veículos que compõem o Qualis são constituídos pela produção informada pelos programas de pós-graduação anualmente no módulo Coleta de Dados da Plataforma Sucupira.

Quando os dados chegam à CAPES, são reunidos em uma base de dados os títulos de todos os periódicos mencionados pelos Programas naquele ano. Portanto, o Qualis é o processo de classificação dos periódicos mencionados pelos próprios programas e não do universo de periódicos de cada área.

Como resultado, disponibiliza-se uma lista com a classificação dos veículos utilizados pelos programas de pós-graduação para a divulgação da sua produção. Essa classificação é realizada pelos comitês de consultores de cada área de avaliação seguindo critérios previamente definidos pela área e aprovados pelo CTC-ES, que procuram refletir a importância relativa dos diferentes veículos para uma determinada área. Os critérios gerais e os específicos utilizados em cada área de avaliação da CAPES estão disponibilizados nos respectivos Documentos Orientadores, que podem ser acessados nas páginas das áreas pelo link: http://www.capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao.

5- Como é feita a atualização do Qualis? E como saber qual a atualização mais recente ao realizar uma consulta de Periódicos Qualis?
Há um calendário pré-definido pela Diretoria de Avaliação da CAPES para instituição de comissões que avaliarão a base de dados de periódicos, atualmente a atualização acontece a cada dois anos.

A consulta deve ser feita na página da Plataforma Sucupira. Ressaltamos, entretanto, que é válida sempre a última atualização do Qualis.

6- Como faço para indicar um periódico para o Qualis das Áreas?
Pela declaração de um dos programas de pós-graduação reconhecidos pela CAPES, quando do preenchimento Anual do Coleta de Dados, de que seus docentes, discentes ou pesquisadores publicaram artigos científicos no veículo.

7- Como obter a lista de Qualis Livros?
Por uma limitação técnico-operacional, a classificação de livros está sendo utilizada exclusivamente para fins do processo de avaliação. Ou seja, nesse momento não se divulga a relação dos livros classificados. As áreas que se utilizam da classificação de livros para a Avaliação dos Programas têm feito o procedimento diretamente por meio dos cadernos de indicadores, para avaliação dos programas de pós-graduação e/ou planilhas específicas e sua divulgação tem acontecido dentro da área, ou seja, diretamente aos programas.

É importante ressaltar que os livros devem ser declarados no Módulo Coleta da Plataforma Sucupira, no campo referente à produção intelectual.

Para mais informações sobre o andamento da qualificação de livros em cada área, sugere-se contato direto com o coordenador de cada área pelo e-mail disponível na página da CAPES.

Acesse a página das áreas de avaliação por meio do link http://www.capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao".

8- Como posso acessar as informações sobre as normas e editoras recomendadas pelas CAPES para publicação de livros?
A CAPES não possui cadastro de editoras, nem faz avaliação sobre sua qualidade.

9- Como proceder quando há divergência entre a editora e o portal da CAPES, em relação a classificação do Periódico?
A classificação do periódico, para efeitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu é a que está disponível na Plataforma Sucupira no Módulo Qualis. Periodicamente as áreas avaliam os periódicos utilizados pelos programas da sua área, a classificação de um periódico pode ser alterada ao longo do tempo, valendo sempre a última publicada.

10- Como proceder quando uma classificação de um periódico deveria ser mais elevada do que o apresentado?
A classificação do Qualis é de responsabilidade de cada comissão de área, qualquer questionamento deve ser enviado para o e-mail da área de avaliação.

11- Quais são os endereços eletrônicos de algumas bases indexadoras de periódicos?
MEDLINE: http://www.nlm.nih.gov/pubs/factsheets/jsel.html 
EMBASE: http://www1.elsevier.com/homepage/sah/spd/site/locate_embase.html 
IPA: http://www.scientific.thomson.com/media/scpdf/ipa_userguide_ed4.pdf 
CINAHL: http://www.cinahl.com/library/library.htm 
SPORTDISCUS: http://www.sirc.ca/products/sportdiscus.cfm 
JCR: http://scientific.thomson.com/knowtrend/essays/selectionofmateriasl/journalse 
LILACS: http://www.bireme.br/abd/P/crit_Selecao.htm 
SciELO Brasil: http://www.scielo.br/criteria/scielo_brasil_pt.html 

12- O que é necessário para que um periódico seja inserido na listagem Qualis?
Para que um periódico seja inserido na listagem Qualis, para fins de classificação, é necessário que programas de pós-Graduação stricto sensu citem no Relatório Anual da CAPES (Coleta de Dados) que esse veículo foi utilizado para a publicação da produção intelectual de seus Recursos Humanos (docentes/discentes/pesquisadores).

13- O que é o Qualis-Periódicos?
O Qualis Periódicos é uma ferramenta para a avaliação de programas de pós-graduação no que se refere aos artigos publicados em periódicos científicos. Logo, sua função é exclusivamente avaliar a produção científica dos programas de pós-graduação.
Quando os dados sobre a produção científica dos programas de pós-graduação chegam à CAPES, eles são reunidos em uma base de dados que apresenta os títulos de todos os periódicos mencionados pelos Programas naquele ano. Portanto, o Qualis é o processo de classificação dos periódicos mencionados pelos próprios programas e não do universo de periódicos de cada área.
Como resultado, disponibiliza-se uma lista com a classificação dos periódicos utilizados pelos programas de pós-graduação para a divulgação da sua produção. Essa classificação é realizada pelos comitês de consultores de cada área de avaliação seguindo critérios previamente definidos pela área e aprovados pelo CTC-ES, que procuram refletir a importância relativa dos diferentes periódicos para uma determinada área. Os critérios gerais e os específicos utilizados em cada área de avaliação da CAPES estão disponibilizados nos respectivos Documentos Orientadores, que podem ser acessados nas páginas das áreas pelo link: http://www.capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao.

14- Para que serve o Qualis-Periódicos?
A função do QUALIS é exclusivamente auxiliar na avaliação da produção científica dos programas de pós-graduação. Qualquer outro uso fora do âmbito da avaliação dos programas de pós-graduação não é de responsabilidade da CAPES.
A consulta ao Qualis periódicos pode realizada na página do Qualis na Plataforma Sucupira (http://qualis.capes.gov.br). Já os critérios gerais e os específicos utilizados em cada área de avaliação da CAPES estão disponibilizados nos respectivos Documentos Orientadores, que podem ser acessados nas páginas das áreas pelo link: http://www.capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao.

15- O que ocorre com os periódicos que não constam no Qualis?
Sendo o Qualis Periódicos uma ferramenta para a avaliação de programas, não constar na lista do Qualis pode significar que uma das situações ocorreu:
1) Nenhum discente ou docente dos PPG da área publicou em determinado periódico. Nesse caso, ele não aparecerá na lista.
2) Apesar de ter publicado no periódico, o programa não informou tal produção na Plataforma Sucupira.
3) Houve publicação no periódico, essa publicação foi informada na Plataforma Sucupira, mas a Área de Avaliação que analisou o periódico o classificou como ""Não Periódico"", a partir dos critérios definidos em seu(s) respectivo(s) Documento(s) de Área. Por esse motivo, tal revista não constará na classificação Qualis.

16- O que é Qualis Artístico?
O Qualis Artístico foi implementado, em 2007, com o fim de incorporar ao processo de avaliação da Pós-Graduação, aquela produção artística diretamente relacionada aos cursos de pós-graduação. O princípio orientador desta iniciativa consiste na valorização das ações que articulam pesquisa acadêmica de pós-graduação com a criação de obras artísticas.

A área de Artes/Música considera a produção artística central para o processo de avaliação de seus Programas de Pós-Graduação stricto sensu. Logo, o Qualis Artístico é o instrumento que permite a classificação, de acordo com critérios e procedimentos claros e compreensíveis às demais áreas de avaliação, da produção artística dos programas de pós-graduação submetida à CAPES, em cada ano do quadriênio, por meio do módulo Coleta na Plataforma Sucupira. Outras áreas de avaliação também utilizam o Qualis Artístico, ainda que atribuam uma importância menor a este item no quesito da ficha de avaliação.

Acesse o Portal Carolina Bori - Revalidação/Reconhecimento de Diplomas Estrangeiros disponível em http://carolinabori.mec.gov.br/.

1- A instituição que ofertava meu curso de pós-Graduação stricto sensu fechou, como faço para obter informações ou documentação?
Nestes casos o aluno deverá recorrer ao Conselho Nacional de Educação (CNE) para que este se pronuncie sobre o tema.

2- Como são distribuídas as áreas de avaliação?
Com o intuito de facilitar o desenvolvimento das atividades de avaliação, as 49 áreas de avaliação são agregadas, por critério de afinidade, em dois níveis:

• Primeiro nível: Colégios
• Segundo nível: Grandes Áreas

As áreas são distribuídas em 3 Colégios e 9 Grandes Áreas. Para maiores informações, acesse http://www.capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao.

3- Como ocorre a avaliação da pós-graduação stricto sensu?
A avaliação da pós-graduação, criada em 1976, é um instrumento de grande importância à concessão de auxílios, tanto por parte das agências de fomento nacionais, como dos organismos internacionais. Além do acompanhamento anual, todos os programas de pós-graduação stricto sensu são submetidos a uma criteriosa avaliação periódica, cujos resultados são publicamente divulgados. Essa avaliação, atualmente, é realizada a cada 4 (quatro) anos. Os programas recebem notas na seguinte escala: 1 e 2, tem canceladas as autorizações de funcionamento e o reconhecimento dos cursos de mestrado ou doutorado por ele oferecidos; 3 significa desempenho regular, atendendo ao padrão mínimo de qualidade; 4 é considerado um bom desempenho e 5 é a nota máxima para programas com apenas mestrado. Notas 6 e 7 indicam desempenho equivalente ao alto padrão internacional. O Ministério da Educação, por meio do Conselho Nacional de Educação, reconhece os resultados da avaliação dos cursos novos e da Avaliação Periódica da CAPES.

4- Como ter acesso ao calendário da Diretoria de Avaliação - DAV 2019?
Acesse as datas de início e término relativas a cada atividade de avaliação disponíveis em http://capes.gov.br/avaliacao/sobre-a-avaliacao/calendario-2019.

5- Como interpretar as notas atribuídas aos programas de mestrado e doutorado das instituições de ensino superior brasileiras?
A Portaria Ministerial n.º 321, de 5/04/2018 (http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=123#anchor" target="_blank" style="box-sizing: border-box; color: rgb(0, 148, 255); text-decoration-line: none; background-color: transparent;">link: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=123#anchor), condiciona a validade nacional dos diplomas de mestrado e doutorado ao mérito reconhecido pelos programas de pós-graduação stricto sensu na avaliação da CAPES, em termos do padrão mínimo exigível para seu pleno funcionamento. Essa avaliação é procedida por consultores especializados das diversas áreas do conhecimento, atuantes no magistério superior e na pesquisa. Na Avaliação de Entrada, os programas são avaliados apenas como "aprovados" ou "não aprovados".

Já na Avaliação de Permanência, eles recebem notas. Conheça alguns detalhes da sistemática de avaliação de permanência:

  • Ela é efetuada por programas e as notas distribuídas entre 1 e 7;
  • Notas superiores a 5 somente são atribuídos a programas com elevado padrão de excelência e que tenham cursos de doutorado;
  • Programas de nota 7 são aqueles com desempenho claramente destacado dos demais, inclusive dos de nota 6;
  • Os programas que oferecem apenas cursos de mestrado podem obter, no máximo, nota 5;
  • Os programas que receberem notas 1 e 2 deixam de ser recomendados pela CAPES.

Após análise prévia das comissões de avaliação, os resultados das avaliações de todos os programas são encaminhados para apreciação e deliberação do Conselho Técnico Científico da Educação Superior (CTC-ES), da CAPES e, posteriormente, ao Conselho Nacional de Educação (CNE), para homologação e, em seguida, ao Ministro de Estado da Educação para o ato de reconhecimento que é necessariamente publicado no Diário Oficial.

6- Como tenho acesso a critérios para criação de cursos novos, calendário e informações sobre avaliação?
No site da CAPES (Menu Capes -> Avaliação - www.capes.gov.br/avaliacao/entrada-no-snpg-propostas) você pode ter acesso a todas essas informações.

7- Quais as atribuições de um coordenador de Área?

Cabe ao coordenador de Área:

  • Colaborar continuamente no debate e na definição da política nacional para o desenvolvimento da pós-graduação em sua área e para o desenvolvimento da pesquisa, tecnologia e inovação;
  • Ser interlocutor da CAPES junto à comunidade acadêmica na identificação, planejamento e execução dos programas e linhas de ação do órgão;
  • Coordenar as atividades das comissões e grupos regulares de consultores correspondentes a seu campo de competência.

A função requer de seu titular, além de elevada competência e autonomia intelectual, dedicação especial e permanente disponibilidade para reuniões na CAPES e encontros com a comunidade acadêmica.

8- O que é o mestrado profissional?
"Mestrado Profissional" é a designação do mestrado que enfatiza estudos e técnicas diretamente voltadas ao desempenho de um alto nível de qualificação profissional. Confere, pois, idênticos grau e prerrogativas, inclusive para o exercício da docência, e, como todo programa de pós-graduação stricto sensu, tem a validade nacional do diploma condicionada ao reconhecimento prévio do curso (Parecer CNE/CES 0079/2002). Responde a uma necessidade socialmente definida de capacitação profissional de natureza diferente da propiciada pelo mestrado acadêmico e não se contrapõe, sob nenhum ponto de vista, à oferta e expansão desta modalidade de curso, nem se constitui em uma alternativa para a formação de mestres segundo padrões de exigência mais simples ou mais rigorosos do que aqueles tradicionalmente adotados pela pós-graduação. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é responsável por regular a oferta de programas de mestrado profissional por meio de chamadas.

9- Qual a finalidade da classificação das áreas de conhecimento realizada pela CAPES?
A classificação das áreas do conhecimento tem finalidade eminentemente prática, objetivando proporcionar às Instituições de ensino, pesquisa e inovação uma maneira ágil e funcional de sistematizar e prestar informações concernentes a projetos de pesquisa e recursos humanos aos órgãos gestores da área de ciência e tecnologia.

A organização das áreas do conhecimento está em uma tabela que apresenta uma hierarquização em quatro níveis, do mais geral ao mais específico - abrangendo nove grandes áreas nas quais se distribuem as 49 áreas de avaliação da CAPES. Estas áreas de avaliação, por sua vez, agrupam áreas básicas (ou áreas do conhecimento), subdivididas em subáreas e especialidades:

1º nível - Grande Área: aglomeração de diversas áreas do conhecimento, em virtude da afinidade de seus objetos, métodos cognitivos e recursos instrumentais refletindo contextos sociopolíticos específicos;
2º nível – Área do Conhecimento (Área Básica): conjunto de conhecimentos inter-relacionados, coletivamente construído, reunido segundo a natureza do objeto de investigação com finalidades de ensino, pesquisa e aplicações práticas;
3º nível - Subárea: segmentação da área do conhecimento (ou área básica) estabelecida em função do objeto de estudo e de procedimentos metodológicos reconhecidos e amplamente utilizados;
4º nível - Especialidade: caracterização temática da atividade de pesquisa e ensino. Uma mesma especialidade pode ser enquadrada em diferentes grandes áreas, áreas básicas e subáreas.
A Tabela está disponível no site da Capes, menu Nossas Ações > Avaliação > Documentos de Apoio > Tabelas > Tabela de Áreas de Conhecimento/Avaliação. Ou se preferir acesse o link http://www.capes.gov.br/avaliacao/instrumentos-de-apoio/tabela-de-areas-do-conhecimento-avaliacao.

10- Como é feito o envio do recurso à CAPES?
O envio dos recursos à CAPES deve ser físico, pelos correios. Os originais devem ser assinados, onde couber, o que em processo administrativo é essencial, quando inexistir processo digital oficialmente instituído pelo órgão.
Recebidos, os autos serão Digitalizados na Coordenação de Gestão de Documentos (CGD), transformados em processo digital e receberão um número SEI (Sistema Eletrônico de informações, que é interno da CAPES e ainda não se “ relaciona” com outras plataformas digitais). A partir deste ponto, serão tramitados dentro do órgão. Cada novo documento que chegar, caso solicitado pelo relator (na fase da admissibilidade), pela comissão assessora (na fase do parecer de mérito ) ou por algum membro do Conselho Superior da CAPES ( na fase decisória) , será digitalizado e apensado, pela Coordenação Executiva dos Órgãos Colegiados (CECOL), aos autos.

11- Como se dá a tramitação de recursos das decisões do Conselho Técnico Científico da Educação Superior (CTC-ES)?
A Portaria CAPES nº 185, de 12 de agosto de 2019 dispõe sobre a tramitação de recursos das decisões do Conselho Técnico Científico da Educação Superior (CTC-ES) ver mais em: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=1867#anchor 

De acordo com o documento, os recursos das decisões do CTC-ES deverão ser protocolados conforme documento anexo à referida Portaria e dirigidos ao presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), no prazo de até 15 dias úteis, a partir da decisão recorrida, publicada no site da CAPES.

Interposto o recurso, o Presidente da CAPES designará um relator, dentre os membros da Diretoria Executiva da CAPES, para emissão de parecer sobre sua admissibilidade

Admitido o recurso, o Presidente da Capes solicitará manifestação a membros de Comissão Assessora, a apresentar-se mediante parecer escrito, no prazo de 30 (dias) dias úteis, prorrogável por igual período.

Com a publicação da Portaria CAPES nº 185/2019, fica revogada a Portaria CAPES nº 273/2018.

12- Dados os novos critérios de aprovação ou reprovação de curso novo, especialmente para o nível de doutorado, o que acontecerá com os programas que receberam nota 3 na avaliação quadrienal de 2017?
Os programas de doutorado que, na Avaliação Quadrienal de 2017, tenham recebido nota 3 permanecerão no Sistema Nacional de Pós-Graduação até a próxima avaliação periódica, quando deverão obter pelo menos a nota 4 (quatro) para renovar o reconhecimento.

1- Avaliação Pós-Graduação Stricto Sensu
A avaliação da pós-graduação, criada em 1976, é um instrumento de grande importância à concessão de auxílios, tanto por parte das agências de fomento nacionais, como dos organismos internacionais. Além do acompanhamento anual, todos os programas de pós-graduação stricto sensu são submetidos a uma criteriosa avaliação periódica, cujos resultados são publicamente divulgados. Essa avaliação, atualmente, é realizada a cada 4 (quatro) anos. Os programas recebem notas na seguinte escala: 1 e 2, tem canceladas as autorizações de funcionamento e o reconhecimento dos cursos de mestrado e/ou doutorado por ele oferecidos; 3 significa desempenho regular, atendendo ao padrão mínimo de qualidade; 4 é considerado um bom desempenho e 5 é a nota máxima para programas com apenas mestrado. Notas 6 e 7 indicam desempenho equivalente ao alto padrão internacional. O Ministério da Educação, por meio do Conselho Nacional de Educação, reconhece os resultados da avaliação dos cursos novos e da Avaliação Periódica da CAPES.

2- Quando serão disponibilizadas as fichas referentes aos programas avaliados na Trienal 2014?
As fichas dos programas avaliados na Trienal 2013, assim como todos os documentos utilizados para a avaliação encontram-se disponíveis em www.capes.gov.br/avaliacao/entrada-no-snpg-propostas

3- Como interpretar as notas atribuídas aos programas de mestrado e doutorado das instituições de ensino superior brasileiras?
A Portaria Ministerial n.º 1.418, de 23/12/98, condiciona a validade nacional dos diplomas de pós-graduação stricto sensu ao mérito reconhecido na avaliação da CAPES, que é procedida por consultores especializados das diversas áreas do conhecimento, atuantes no magistério superior e na pesquisa.

Conheça alguns detalhes da sistemática de avaliação:

  • Ela é efetuada por programas e as notas distribuídas entre 1 e 7;
  • Notas superiores a 5 somente são atribuídos a programas com elevado padrão de excelência e que tenham cursos de doutorado;
  • Programas de nota 7 são aqueles com desempenho claramente destacado dos demais, inclusive dos de nota 6;
  • Os programas que oferecem apenas cursos de mestrado podem obter, no máximo, nota 5;
  • Os programas que receberem notas 1 e 2 deixam de ser recomendados pela CAPES;
  • Os resultados das avaliações de todos os programas são encaminhados ao Conselho Técnico Científico da Educação Superior - CTC-ES, da CAPES e ao Conselho Nacional de Educação - CNE, para homologação e, em seguida, ao Ministro de Estado da Educação para o ato de reconhecimento que é necessariamente publicado no Diário Oficial.

4- Como tenho acesso a critérios para criação de cursos novos, calendário e informações sobre avaliação?
No site da CAPES (Menu CAPES -> Avaliação -> Entrada no SNPG: PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS - www.capes.gov.br/avaliacao/entrada-no-snpg-propostas você pode ter acesso a todas essas informações.

5- Falhas de atendimento ou abuso de direito da IES
Em função da autonomia administrativa e didático científica constitucionalmente outorgada às universidades (artigo 207, CF/88), e consequentes prerrogativas contempladas pelo artigo 53, da LDB, elas respondem diretamente aos órgãos de defesa do aluno consumidor de serviços educacionais, ofertados por instituição privada ou pública, pelas eventuais violações dos direitos dos alunos. A avaliação da qualidade dos cursos de pós-graduação realizada pela CAPES não envolve a apreciação da regularidade do relacionamento das Instituições de Ensino Superior com os respectivos alunos. A solução de eventual impasse deve ser buscada em via hierárquica da IES, sem prejuízo da provocação judicial (art. 5º incisos XXXV e LXXIV, da Constituição).

6- Informações sobre a Universidade Gama Filho

1) a CAPES teve a iniciativa de interlocução junto a outras Instituições de Ensino Superior localizadas na cidade do Rio de Janeiro para indução e suporte na formatação e apresentação de novos cursos de pós-graduação nas áreas/especificidades daqueles que existiam na Universidade Gama Filho.

Ver nota aqui: www.capes.gov.br/36-noticias/6947-capes-reabre-calendario-para-apresentacao-de-propostas-de-cursos-novos-para-o-estado-do-rio-de-janeiro-

2) Resultados da avaliação de propostas de cursos novos para o Rio de Janeiro, apresentadas no período entre 14 e 28 de maio, com prorrogação até 4 de junho de 2014:

-Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UERJ): Programa de Mestrado (ME) e de Doutorado (DO) em Ciências do Exercício e do Esporte (área de Educação Física): nota 4 (155ª Reunião do CTC-ES, 3 a 7/11/2014);
-Universidade Santa Úrsula (USU): Programa de Mestrado Profissional (MP) em Gestão do Trabalho para a Qualidade do Ambiente Construído (área Interdisciplinar): nota 3 (154ª Reunião do CTC-ES, 11/09/2014);
-Universidade Veiga de Almeida (UVA): Programa de Mestrado (ME) e de Doutorado (DO) em Direito (área de Direito): nota 4 (153ª Reunião do CTC-ES, 6 e 7/08/2014).

(ver resultados no Portal da CAPES em www.capes.gov.br/avaliacao/entrada-no-snpg-propostas/mestrado-profissional/resultados) ou (www.capes.gov.br/avaliacao/entrada-no-snpg-propostas/mestrado-e-ou-doutorado-academico/resultados)

3) A proposta da Universidade Santa Úrsula (USU) para o Programa de Mestrado Profissional (MP) em Ensino na Saúde (área Interdisciplinar) não foi recomendada.

O que é o Linha Direta?
O Linha Direta é um canal desenvolvido sob a responsabilidade da CAPES, onde os bolsistas poderão estabelecer contato direto com o técnico responsável pelo processo de candidatura ou acompanhamento de sua Chamada.
Ressaltamos que a comunicação com o técnico responsável se dará exclusivamente por meio deste sistema. Orientamos que entre em contato com o mesmo.

Acesse: linhadireta.capes.gov.br 

1- Como obter acesso ao Painel de Controle do Programa Ciência sem Fronteiras?
Informamos que o Painel de Controle do programa Ciência sem Fronteiras encontra-se desativado por período indeterminado.

2- Quando serão abertas novas chamadas para o Programa Ciência sem Fronteiras?
Informamos que o programa Ciências sem Fronteiras cumpriu com seus objetivos e foi finalizado. Para mais informações acerca dos programas fomentados pela Diretoria de Relações Internacionais da CAPES recomendamos que acesse o link: https://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior 

Qual o valor das bolsas da CAPES no exterior?
O valor das bolsas no é definido pela Portaria CAPES 125/2018 acessível através do link https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/01062018-Portaria-125-de-29-de-maio-2018.pdf

Como funcionam os Programas Estratégicos - Diretoria de Programas e Bolsas no País e Diretoria de Relações Internacionais?
As bolsas ofertadas no âmbito dos Programas Estratégicos são destinadas a projetos com vistas a atender às áreas do conhecimento de natureza essencial e prioritária para o país em vinculação com seus programas estratégicos. A CAPES concede bolsas a projetos de pesquisa aprovados conforme os editais da Diretoria de Programas e Bolsas no País (DPB). Após a aprovação do projeto pela DPB, poderão ser indicados candidatos a bolsas no exterior, as quais serão concedidas e gerenciadas pela Diretoria de Relações Internacionais (DRI).

Tipo de programa
Bolsa individual

Objetivo
Conceder bolsas de estágio no exterior relacionadas às áreas do conhecimento de natureza estratégicas para o país, com vistas à inserção internacional de estudantes e pesquisadores, ao estabelecimento de intercâmbio científico e à abertura de novas linhas de pesquisa. Os estudos no exterior devem, sobretudo, contemplar pesquisas que não possam ser realizadas no Brasil.

Modalidade de bolsas e benefícios

Modalidades:
Estágio Sênior
Estágio Pós-Doutoral
Doutorando Sanduíche
Graduação Sanduíche

Benefícios:
Mensalidade
Auxílio Seguro saúde
Auxílio deslocamento
Auxílio instalação
Obs: não cabem encargos recíprocos para desenvolvimento das atividades que impliquem em pagamento de taxas escolares.

Duração:
A duração do estágio no exterior varia conforme a modalidade de bolsa e o cronograma de execução proposto na candidatura dentro da vigência do projeto.

Para mais informações acesse https://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior/programas-estrategicos 

1- Como obter Informações acerca do Programa de Pós-doutorado no Exterior?
O Programa oferta bolsas no exterior para a realização de estudos avançados fora do Brasil após o doutorado. Destina-se a pesquisadores ou docentes com menos de oito anos de formação doutoral e que não possuam vínculo empregatício, visando à internacionalização de forma mais consistente, aprimorando sua produção e qualificação científicas, funcionando como atividade de treinamento prático e avançado em pesquisa, desenvolvendo métodos e trabalhos teórico-empíricos em parceria com pesquisadores estrangeiros de reconhecidos méritos científicos.

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa, no site da CAPES disponível em http://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior/pesquisa-pos-doutoral-no-exterior 

2- Como funciona o Programa Estágio Pós-Doutoral Bayer?
O estágio contempla as necessidades de capacitação de recursos humanos qualificados com ênfase na inovação tecnológica nas áreas de pesquisa e desenvolvimento Agronômico e de Fármacos, visando descobrir, pesquisar e desenvolver produtos inovadores, constituindo-se em mecanismo de reforço a centros de pesquisa nacionais voltados para as atividades de P&D.

Objetivos: oferecer oportunidade de formação pós-doutoral no exterior, possibilitando dar maior visibilidade internacional à produção científica e tecnológica brasileira; ampliar o potencial de colaboração conjunta entre pesquisadores que atuam no Brasil e no exterior; ampliar o acesso de pesquisadores brasileiros a centros internacionais de excelência; possibilitar o desenvolvimento de centros de ensino e pesquisa brasileiros com o posterior retorno do bolsista.
Para mais informações, acesse: http://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior/pesquisa-pos-doutoral-no-exterior/programa-estagio-pos-doutoral-bayer

3- Como funciona o Programa Estágio Pós-Doutoral Sanofi?
O estágio contempla as necessidades de capacitação de recursos humanos qualificados com ênfase na pesquisa em medicamentos no Brasil, visando a descoberta, a pesquisa e o desenvolvimento de produtos farmacêuticos inovadores, constituindo-se em mecanismo de reforço a centros de pesquisa nacionais voltados para as atividades de P&D nesta área.

Objetivos:
Oferecer oportunidade de formação pós-doutoral no exterior, possibilitando dar maior visibilidade internacional à produção científica e tecnológica brasileira;• Ampliar o potencial de colaboração conjunta entre pesquisadores que atuam no Brasil e no exterior;• Ampliar o acesso de pesquisadores brasileiros a centros internacionais de excelência;• Possibilitar o desenvolvimento de centros de ensino e pesquisa brasileiros com o posterior retorno do bolsista.

Para mais informações, acesse: http://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior/pesquisa-pos-doutoral-no-exterior/programa-estagio-pos-doutoral-sanofi 

Como obter mais informações acerca do Programa Professor Visitante no Exterior - PVE?
O Programa de Professor Visitante no exterior visa oferecer bolsa no exterior para a realização de estudos avançados após o doutorado e destina-se a pesquisadores ou docentes que possuam vínculo empregatício com instituição brasileira de ensino ou pesquisa.

Modalidades:
Professor Visitante no Exterior Sênior: professor ou pesquisador, com vínculo empregatício, que possua mais de 10 (dez) anos de doutoramento, tendo por referência o último dia para a inscrição no processo seletivo;
Professor Visitante no Exterior Júnior: professor ou pesquisador, com vínculo empregatício, que possua até 10 (dez) anos de doutoramento, tendo por referência o último dia para a inscrição no processo seletivo;
Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa, no site da CAPES disponível em http://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior/programa-professor-visitante-no-exterior 

O que é o Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE)?
O PDSE foi instituído em 2011, em substituição ao Doutorado Sanduíche Balcão e ao Programa de Doutorado no País com Estágio no Exterior (PDEE). A alteração visou ampliar o número de cotas concedidas às Instituições de Ensino Superior (IES), e dar maior agilidade no processo de implementação das bolsas de estágio de doutorando no exterior.

A Pró-Reitoria de Pós-graduação das IES, ou órgão equivalente, é responsável por divulgar o PDSE, gerenciar suas cotas, selecionar e orientar seus estudantes, homologar as candidaturas aprovadas, divulgar os resultados, realizar o acompanhamento dos bolsistas e egressos, mantendo a CAPES informada sobre o andamento do estágio no exterior e garantindo o cumprimento das normas do PDSE.

Os Programas de Pós-Graduação participantes do Programa CAPES-PrInt não poderão indicar estudantes para o PDSE.

Tem por objetivo apoiar a formação de recursos humanos de alto nível por meio da concessão de cotas de bolsas de doutorado sanduíche no exterior às Instituições de Ensino Superior com cursos de Doutorado reconhecidos pela CAPES. O estágio no exterior deve contemplar, prioritariamente, a realização de pesquisas em áreas do conhecimento menos consolidadas no Brasil.

Para mais detalhes, recomendamos que acesse a página do programa no site da CAPES http://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior/programa-de-doutorado-sanduiche-no-exterior-pdse 

1- A CAPES possui uma lista de instituições de ensino superior conveniadas?
Não. A escolha do país, da instituição e do orientador é de inteira responsabilidade do candidato.

2- O cartão BB Américas cobra tarifas para gastos realizados fora dos Estados Unidos?
Informamos que em 1 de dezembro de 2016 a CAPES recebeu comunicado do BB Américas informando que os gastos com cartões pré-pagos realizados pelos bolsistas fora dos Estados Unidos serão tarifados em 1% do valor da compra ou saque, e de que trata-se de tarifa cobrada pela Mastercard do usuário final do cartão, de forma a cobrir os custos incorridos com transações internacionais. A CAPES foi informada ainda que todos os bolsistas receberam comunicado a respeito dessa nova cobrança.

3- Como conseguir uma bolsa de pós-graduação no exterior?
As bolsas concedidas pela CAPES para o exterior são nas seguintes modalidades: doutorado, estágio de doutorando e estágio pós-doutoral. Informações sobre esses programas estão disponíveis no site www.capes.gov.br, no menu Bolsas/Estudantes - Bolsas e Auxílios Internacionais.

Todas as bolsas são concedidas por meio de chamadas públicas, que são amplamente divulgadas na página da CAPES. O link para acesso aos editais abertos no site da Capes é: http://www.capes.gov.br/editais-abertos.

4- Como solicitar uma declaração de recebimento de Bolsa para ex-bolsista?
Por se tratar de informação pessoal, que pela Lei de Acesso à Informação deve ser preservada pelos agentes públicos, a declaração do período em que foi bolsista CAPES pode ser entregue somente ao próprio beneficiário. Desta forma, necessitamos que comprove sua identidade, mediante o envio de cópia legível do documento de identidade devidamente autenticada. A cópia deve ser inserida como documento anexo no formulário Fale Conosco.

5- Não estou recebendo as comunicações via e-mail da CAPES. O que pode estar havendo?
As orientações são:
i) Certifique-se de que o e-mail fornecido para a CAPES durante a inscrição está correto, de que sua caixa de entrada esteja sempre disponível e de que seu anti-spam não esteja bloqueando o servidor ‘@capes.gov.br’;
ii) Desabilite a solicitação automática de confirmação de envio que alguns provedores oferecem;
iii) Observe, no caso de e-mail institucional, se seu provedor não está bloqueando as mensagens ou os anexos enviados;
iv) Verifique sempre, além da caixa de entrada, sua caixa de lixo eletrônico/spans;
v) Fique atento a e-mails com a epígrafe ‘CAPES’, que podem estar passando despercebidos.

6- O que é a Carta de Concessão?
A Carta de Concessão é o documento emitido no momento em que a bolsa é concedida, onde constam os benefícios do bolsista; os compromissos do bolsista com a CAPES e da Fundação com o bolsista; a duração da bolsa e o período de concessão total atendido.

7- O que significa período de interstício?
Conforme o Regulamento Geral de Bolsas para o Exterior, o interstício corresponde ao período equivalente ao de bolsa concedida, durante o qual o (a) ex-bolsista deverá permanecer no Brasil e terá a sua atuação profissional acompanhada pela CAPES.

O período de interstício começa a ser contado a partir da data de chegada ao Brasil. Acordos específicos poderão prever períodos de interstícios diferenciados que estarão descritos no respectivo Edital.
É vedado ao (à) bolsista ausentar-se do Brasil durante o período de interstício.

Nos casos de período de interstício igual ou superior a 06 (seis) meses, o (a) bolsista poderá ausentar-se do Brasil por até 30 (trinta) dias ao ano, não cumulativos, mediante simples comunicação prévia à Capes sobre o motivo, o período do afastamento e o local de destino da saída temporária. O afastamento do Brasil por períodos superiores a 30 (trinta) dias, durante o período de interstício, está condicionado à prévia autorização da CAPES. Nesse caso, o (a) bolsista deverá apresentar solicitação com justificativa e documentação pertinente, com antecedência mínima de 30 (trinta) dias, que será submetida à análise e decisão da CAPES.

8- Quais são as formas de candidatura às bolsas ofertadas pela CAPES para o Exterior?
Para verificar as formas de candidatura recomendamos que acesse a página da CAPES por meio do link http://www.capes.gov.br/bolsas-e-auxilios-internacionais/formas-de-candidatura/programas 

9- Quais são as modalidades de bolsas ofertadas pela CAPES para o Exterior?
A CAPES concede auxílios e bolsas de estudo/pesquisa para estudantes, professores e pesquisadores por meio dos seus programas e ações. Dessa maneira, dá suporte à formação de profissionais para o magistério superior e para o desenvolvimento científico e tecnológico nacional, promovendo, igualmente, a internacionalização da ciência, tecnologia e inovação brasileiras, com o apoio a iniciativas individuais de mobilidade, bem como a cooperação entre grupos e instituições de ensino e pesquisa.

As bolsas podem ser individuais, vinculadas a projetos conjuntos de pesquisa ou a parcerias universitárias. O projeto conjunto de pesquisa é caracterizado pelo fomento a grupos de pesquisa sediados no Brasil e no exterior, contemplando a mobilidade de pesquisadores, estudantes e docentes. Já as parcerias universitárias são acordos entre universidades brasileiras e estrangeiras com o objetivo de promover o intercâmbio, o reconhecimento mútuo de créditos e a aproximação entre currículos.

10- Quais são os países participantes de acordos e parcerias com a CAPES?
Dentre os programas oferecidos pela CAPES há os que são frutos da negociação com países e/ou instituições estrangeiras e parcerias com entidades educacionais internacionais. Estes programas têm como base acordos bilaterais e/ou multilaterais e memorandos de entendimento que são executados por meio de chamadas públicas e editais de seleção voltados para projetos ou concessão de bolsas de estudo.

O objetivo dos acordos firmados com organismos, entidades e governos estrangeiros é apoiar os projetos e programas de interesse nacional desenvolvidos em conjunto com países e instituições de reconhecido mérito acadêmico, científico e tecnológico.

Para participar desses programas é imprescindível que os grupos de pesquisa brasileiros estejam ligados a programas de pós-graduação recomendados pela CAPES e reconhecidos pelo Conselho Nacional de Educação – CNE.

11- Servidor público federal pode acumular bolsa CAPES no exterior com o salário?
Na condição de servidor público, cabe ao bolsista observar o disposto no Decreto 91.800/85, na Lei 8.112/90, bem como no Decreto 5.707 Artigo 9º sobre a autorização de afastamento do Brasil. Na redação da autorização para o afastamento, que deve ser publicada em Diário Oficial, devem constar o período efetivo da bolsa e a informação de que o servidor receberá "bolsa CAPES". Destacamos que é de responsabilidade do bolsista a negociação do afastamento com o empregador para as atividades no exterior e que não é permitida a concessão em período de férias do bolsista (nem para outra finalidade que não seja estudos ou pesquisa). O bolsista deve manter a guarda dos documentos de sua responsabilidade, dentre eles a autorização formal do empregador para afastamento do país, uma vez que documentos e informações adicionais poderão ser solicitados a qualquer momento para melhor instrução do processo. A licença sem remuneração para tratar de assuntos particulares a qual fazem jus servidores estáveis, a critério da Administração, não é recomendada para fins de bolsa. Este tipo de licença prevê possibilidade de interrupção a qualquer tempo (a pedido do servidor ou no interesse do serviço) e um eventual retorno antecipado ao Brasil implicaria em necessidade de devolução integral dos valores recebidos pela bolsa de estudos já concedida.

12- Um estrangeiro pode receber bolsa da CAPES no exterior?
Para bolsas no exterior é necessário ser brasileiro ou ter naturalidade, como explicitam cada um dos editais e chamadas para bolsas no exterior.

A CAPES concede bolsas de mestrado no exterior?
A CAPES deixou de oferecer bolsas para mestrado no exterior desde 2003, pois a política estabelecida pela agência é a de incentivar o doutorado no exterior, uma vez que o Brasil já possui cursos de excelência em mestrado que atendem à demanda de pesquisa nesta modalidade. Ainda há, contudo, a possibilidade de alunos de mestrado realizarem estágios no exterior (mestrado sanduíche), no âmbito de alguns programas realizados por meio de Cooperação Internacional. Para mais informações acesse a página www.capes.gov.br/cooperacao-internacional.

As seleções para esses editais é sempre via programas de pós-graduação recomendados pela CAPES. Desta forma, os alunos matriculados em cursos de mestrado devem se informar nas coordenações dos seus cursos se existem projetos aprovados em editais da CAPES que contemplam bolsas de mestrado sanduíche.

Como participar do Programa de Doutorado Pleno no exterior?
O programa de Doutorado Pleno no Exterior contempla as diversas áreas do conhecimento e destina-se a candidatos de elevado desempenho acadêmico que se dirijam a instituições estrangeiras de excelência para a realização de doutorado pleno em universidades do exterior.

Tem como objetivo oferecer bolsas de doutorado pleno no exterior como alternativa complementar às possibilidades ofertadas pelo conjunto dos programas de pós-graduação no Brasil; ampliar o nível de colaboração e de publicações conjuntas entre pesquisadores que atuam no Brasil e no exterior, proporcionando maior visibilidade internacional à produção científica, tecnológica e cultural brasileira e ampliar o acesso de pesquisadores brasileiros a centros internacionais de excelência.

Para mais informações recomendamos que acesse a página do programa através do link: http://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior/doutorado 

1- Como funciona o Programa CAPES/Udelar docentes?
O Programa CAPES /Udelar - Docentes, Brasil-Uruguai tem por objetivo a promoção do intercâmbio e a formação de recursos humanos de alto nível, possibilitando que professores uruguaios, provenientes da Universidad de la Republica (Udelar), possam realizar estudos nas universidades brasileiras em Programas de Pós-Graduação reconhecido pela CAPES.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/uruguai/capes-udelar-docentes

2- Como funciona o Programa CAPES/Udelar Projetos?
O Programa CAPES /Udelar - Projetos tem por objetivo estimular, por meio de projetos conjuntos de pesquisa, o intercâmbio de docentes e pesquisadores brasileiros e uruguaios, vinculados a Programas de Pós-Graduação de Instituições de Ensino Superior (IES), visando à formação de recursos humanos de alto nível no Brasil e no Uruguai, nas diversas áreas do conhecimento.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/uruguai/capes-udelar-projetos 

O Programa de Qualificação de Docente e Ensino de Língua Portuguesa no Timor-Leste ainda está ativo?
Comunicamos que o Programa de Qualificação de Docente e Ensino de Língua Portuguesa no Timor-Leste foi desativado.

Como funciona o Programa CAPES /STINT - Projetos Conjuntos de Pesquisa?
O Programa, pela seleção de projetos conjuntos de pesquisa, desenvolvidos por grupos brasileiros e suecos, tem por objetivos:

I. Fortalecer a cooperação entre Instituições de Ensino Superior e/ou de Pesquisa do Brasil e da Suécia;
II. Fomentar a colaboração e o intercâmbio científico entre grupos de pesquisa e desenvolvimento brasileiros e suecos;
III. Fomentar a mobilidade de docentes e de estudantes de pós-graduação no nível de doutorado e de pós-doutorado.Modalidades de bolsas e benefícios 
Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/suecia/capes-stint 

1- Como participar do Programa Doutorado Pleno em Cambridge - COT (Cambridge Trust)?
O Cambridge Commonwealth, European and International Trust (COT), também conhecido como Cambridge Trust do Reino Unido, atua desde a década de 1980 no suporte financeiro a estudantes internacionais, que de outra forma não teriam condições de acesso à Universidade de Cambridge. Nesse sentido, o Programa CAPES - COT foi idealizado para permitir que jovens brasileiros, com reconhecido mérito acadêmico, desenvolvam seus estudos em uma das mais renomadas instituições de ensino do mundo em qualquer área do conhecimento. Além de tornar a representatividade brasileira na Universidade de Cambridge mais significativa, o Programa favorecerá a criação de vínculos entre núcleos de pesquisa britânicos e brasileiros, com o retorno do bolsista após a conclusão do doutorado.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/reino-unido/doutorado-pleno-em-cambridge

2- Como participar do Programa de Qualificação Internacional (PQI) em Turismo e Hospitalidade – Reino Unido?
O programa tem como objetivo a seleção de até 120 (cento e vinte) estudantes brasileiros dos cursos de Bacharelado/Licenciatura/Tecnólogo em Turismo e/ou Hospitalidade interessados em realizar, com bolsas de estudo concedidas pelo Ministério do Turismo, com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), curso de capacitação em técnicas avançadas de gestão do turismo e hospitalidade em escolas de excelência no Reino Unido.

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa no site da CAPES, através do link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/reino-unido/mtur-capes.

3- Quais os objetivos Programa CAPES/Nottingham e Birmingham - PhD Pleno?
O objetivo do Programa CAPES /Universidade de Nottingham /Universidade de Birmingham – Bolsa de Doutorado Pleno é apoiar estudantes a realizar o doutorado pleno nas Universidades de Nottigham ou na Universidade de Birmingham visando a formação de docentes e pesquisadores de alto nível e a consolidação da cooperação científica entre o Brasil e o Reino Unido.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/reino-unido/nottingham-birmingham

4- O que é o Programa CAPES /Universidade de Dundee – Bolsa de Doutorado Pleno?
O Programa CAPES /Universidade de Dundee é baseado no Memorando de Entendimento assinado entre a Fundação e a Universidade, reconhecida como uma das universidades mais proeminentes do Reino Unido, sendo também internacionalmente famosa pela sua experiência em diversas áreas do conhecimento, tais como ciências naturais e da vida, medicina, engenharia e artes.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/reino-unido/programa-capes-universidade-de-dundee

5- Quais os objetivos do Programa CAPES /Universidade de Nottingham?
O programa tem como objeto o estreitamento, fortalecimento e aprofundamento da cooperação técnico-científica e o suporte ao acesso de pesquisadores e estudantes de instituições de ciência, tecnologia e inovação, e de empresas brasileiras ao Centro de Drug Discovery da Universidade de Nottingham.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/reino-unido/programa-capes-nottingham

6- O que é o Programa Newton Fund – Institutional Links?
O programa Newton Fund – Institutional Links é um programa do Departamento Britânico para Negócios, Inovação e Habilidades e o delivery partner (parceiro de execução) no Brasil é o Conselho Britânico. A CAPES aderiu ao programa com assinatura de Acordo de Cooperação para a Operacionalização do Newton Fund no Brasil, em 26 de janeiro de 2015.

O Programa consiste na prestação de apoio financeiro para promover a cooperação científica e de pesquisa sobre temas específicos, conforme chamadas lançadas.

A seleção dos projetos é realizada por chamadas lançadas pelo Newton Fund, que recomendará à CAPES projetos para co-financiamento. As propostas serão recebidas por meio de editais específicos da CAPES com o Reino Unido ou pelo edital do Programa Geral de Cooperação Internacional - PGCI

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/reino-unido/programa-newton-fund-institutional-links

1- Quais os objetivos do Programa CAPES/FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia?
O programa CAPES /FCT tem como objetivo aprovar projetos conjuntos de pesquisa entre instituições de ensino brasileiras e portuguesas. Podem ser inscritos projetos de todas as áreas do conhecimento, desde que a finalidade seja o intercâmbio, a mobilidade pesquisadores, docentes e discentes de pós-graduação e que contribuam para a expansão e internacionalização de suas instituições.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link https://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/portugal/fct

2- Quais os objetivos do Programa CAPES/INL?
O Programa CAPES /Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) visa estimular e apoiar a realização de projetos especiais de pesquisa, que não possam ser realizadas exclusivamente no Brasil, permitindo o acesso de instituições de ciência, tecnologia e inovação, pesquisadores, estudantes e empresas brasileiras ao Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), visando o desenvolvimento de pesquisa na área de Nanotecnologia, utilizando-se da capacidade instalada, de recursos humanos e de infraestrutura disponíveis naquela instituição e demais entidades a ela associadas, estimulando ainda o fomento à formação de recursos humanos altamente qualificados no nível de pós-graduação.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/portugal/capes-inl

3- Quais os objetivos do PDPP - Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores?
O Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores - PDPP visa selecionar bolsistas supervisores integrantes do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - Pibid e alunos do Plano Nacional de Formação de Professores - Parfor para participarem de cursos de desenvolvimento profissional nas universidades portuguesas de Aveiro e do Porto, nas áreas de Pedagogia, Física, Química, Matemática e Língua Portuguesa.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/portugal/pdpp 

1- Como funciona o Programa CAPES/NUFFIC?
O Programa CAPES/NUFFIC visa a formação de recursos humanos de alto nível e se destina a apoiar projetos conjuntos de pesquisa favorecendo o intercâmbio de estudantes e pesquisadores, consolidando a cooperação bilateral entre Brasil e Holanda.

Tem como objetivo selecionar projetos conjuntos de pesquisa desenvolvidos por grupos brasileiros e holandeses vinculados à Instituições de Ensino Superior e/ou de Pesquisa com o intuito de apoiar e fomentar o intercâmbio científico entre grupos de pesquisa e desenvolvimento públicos brasileiros e holandeses. O Programa CAPES/NUFFIC visa fomentar a mobilidade de docentes e de estudantes de graduação e pós-graduação nos níveis de doutorado e de pós-doutorado.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/paises-baixos/programa-capesnuffic.

2- Como funciona o Programa BRANETEC?
Comunicamos que o Programa CAPES /BRANETEC encerrou suas chamadas no último Edital de nº 069/2013. A partir de então, as chamadas de graduação sanduíche foram integradas ao programa CAPES /NUFFIC. Esclarecemos que todos os projetos CAPES/BRANETEC em andamento terão suas atividades e liberação de recursos mantidas conforme as orientações do Ofício nº 26/2016.

O Programa CAPES/BRANETEC visa criar e consolidar a cooperação bilateral entre Brasil e Holanda, por meio de parcerias universitárias com apoio a projetos conjuntos de pesquisa, favorecendo o intercâmbio de estudantes de graduação e as iniciativas de semelhança de estrutura, conteúdos curriculares e metodologias de ensino.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/paises-baixos/branetec 

1- Quais os objetivos do Programa CAPES/BRICS?
O programa tem como objetivo selecionar PPGs reconhecidos e recomendados pela CAPES, com nota igual ou superior a 6 (seis), inscritos por IES brasileiras como candidatas a participar da Universidade em Rede do BRICS nas áreas prioritárias definidas.

Áreas temáticas: Energia; Ciência da computação e segurança da informação; Estudos dos BRICS, em cursos de Relações Internacionais, Ciência Política ou Ciências Sociais; Ecologia e mudanças climáticas; Recursos hídricos e tratamento da poluição; Economia.

Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/brics

2- Quais os objetivos do Programa CAPES/PIFC - Programa de Incentivo à Formação Científica de Estudantes de Cabo Verde, Moçambique e Angola?
O objeto deste edital é selecionar projetos de IES brasileiras que possibilitem a concessão de bolsas a cidadãos de Cabo-Verde, Moçambique ou Angola para realização de atividades de iniciação científica em nível de graduação, de modo a fornecer a capacitação necessária para que o estudante possa contribuir para o desenvolvimento de seu país. O programa, realizado por meio de uma cooperação entre a CAPES e o Ministério das Relações Exteriores (MRE), busca conceder bolsas de iniciação científica em projetos de execução bimestral que possibilitem estudantes de graduação de desses países realizar, gratuitamente no Brasil, atividades de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação em áreas de pesquisa mutuamente acordadas, durante o período das férias acadêmicas.

Acesse a página do programa: www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/capes-pifc.

3- Como funciona o Programa Escola de Altos Estudos?
A Escola de Altos Estudos tem por objetivo apoiar os Programas de Pós-Graduação de Instituições de Ensino Superior federais, estaduais, confessionais e comunitárias, por meio do fomento à cooperação acadêmica e do intercâmbio acadêmico internacional. Esse apoio se dará por meio da oferta de cursos monográficos intensivos de alto nível, ministrados por docentes e pesquisadores radicados no exterior de elevado conceito internacional.
https://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/escola-de-altos-estudos 

4- Como funciona o Programa MARCA – Mobilidade Docente?
O programa visa apoiar projetos de parcerias universitárias, em nível de graduação, de instituições participantes do programa MARCA, devidamente reconhecidas pelos respectivos sistemas educacionais. Serão consideradas aptas a envio de propostas somente IES com atividades de ensino, pesquisa e extensão, de países que integram o Mercosul e associados, acreditadas no Arcosul e participantes do programa MARCA.

Para mais informações recomendamos que acesse a página do programa através do link a seguir: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/mercosul/programa-capes-marca-mobilidade-docente

5- Como funciona o Programa CAPES PPCP-Mercosul?
O programa tem por finalidade a seleção de projetos de pesquisa nas diversas áreas do conhecimento, bem como o fomento ao intercâmbio de doutorandos e o aperfeiçoamento de docentes e pesquisadores, na mesma intensidade.
As modalidades de apoio são:
Serão financiadas pela CAPES, bolsas de estudos, transporte aéreo, diárias e seguro saúde para as missões aprovadas nos projetos, que podem ser do tipo:
Missão de Estudo: Concessão de bolsas de estudo, auxilio instalação, seguro saúde e auxílio deslocamento nas modalidades de mestrado sanduíche, doutorado sanduíche e pós-doutorado, tendo duração mínima de 03 (três) meses e máxima de 12 (doze) meses, de acordo com as normas da CAPES e dos órgãos responsáveis de cada país.
Missão de Trabalho: Concessão de diárias e passagens aéreas a docentes e pesquisadores participantes da equipe brasileira, com duração de no mínimo 07 (sete) e máximo 30 (trinta) dias.
A CAPES concederá à equipe brasileira anualmente o valor de até R$ 10.000,00 (dez mil reais), em recursos de material de consumo para execução do projeto.
Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/mercosul/programa-capes-ppcp-mercosul.

6- Como funciona o Programa de Associação para Fortalecimento da Pós-Graduação - PFPG?
O programa consiste na associação acadêmica, por meio de parceria universitária, entre uma instituição de ensino superior de cada país membro ou associado do Mercosul participante do programa para o fortalecimento de cursos de pós-graduação na região;

A parceria universitária deverá ser contemplada entre curso de pós-graduação stricto sensu de excelência, que atuará como entidade promotora (de maior desenvolvimento relativo), e curso associado, que atuará como entidade receptora (de menor desenvolvimento relativo).

Modalidades de apoio
Serão financiadas pela CAPES, bolsas de estudos, transporte aéreo, diárias e seguro saúde para as missões aprovadas nos projetos, que podem ser do tipo missão de trabalho e missão de estudo.
A instituição promotora será responsável somente pelos gastos correspondentes às missões de trabalho (passagens aéreas, seguro saúde e diárias para docentes e pesquisadores).

Missões de Trabalho: Viagem de docentes brasileiros e estrangeiros membros da equipe do projeto, com nível de doutorado. A instituição receptora será responsável somente pelos gastos correspondentes às missões de estudo (passagens aéreas, auxílio instalação, seguro saúde, e mensalidades dos estudantes).

Missões de Estudo: Concessão de bolsas de estudo nas modalidades mestrado sanduíche, doutorado sanduíche e pós-doutorado, tendo duração mínima de 3 (três) meses e máxima de 6 (seis) meses, de acordo com as normas da CAPES e dos órgãos responsáveis de cada país

Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/mercosul/programa-de-fortalecimento-da-pg-do-mercosul.


7- Como funciona o Programa de Parcerias Universitárias MERCOSUL Português-Espanhol – PGPE?
O programa consiste de projetos de parcerias institucionais universitárias nas especialidades de Letras, Português e Espanhol, exclusivamente em nível de graduação, para fomentar o intercâmbio nos países do Mercosul – Argentina, Paraguai, Uruguai, Venezuela e Chile. Tem como objetivo fomentar parcerias institucionais estimulando o intercâmbio de estudantes de graduação, com foco no ensino de língua, português e espanhol como segunda língua e estimular a aproximação das estruturas curriculares, inclusive a equivalência e o reconhecimento mútuo de créditos obtidos nas instituições participantes.

Para mais informações recomendamos que acesse a página do programa através do link a seguir: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/mercosul/parcerias-universitarias-portugues-espanhol

8- O que é o Projeto Regional de Mobilidade em Formação Docente - Pasantía?
A Comissão Regional de Formação Docente, integrante do Setor Educacional do Mercado Comum do Sul (Mercosul) abriu chamada pública para financiamento de projetos conjuntos de mobilidade de curta duração em formação de professores. Podem participar do Projeto Regional de Mobilidade em Formação Docente instituições que atuem com formação docente na Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

A iniciativa surgiu a partir da experiência do Programa de Apoio ao Setor Educacional do Mercosul (PASEM), que apoiou a mobilidade de cerca de 300 profissionais da educação em 20 estágios realizados de 2013 a 2015.

Confira mais informações sobre o Projeto Regional de Mobilidade em Formação Docente
1) http://www.cfe.edu.uy/index.php/component/content/article/35-division-planeamiento-educativo/2310-llamado-a-pasantias-del-proyecto-regional-de-movilidad-en-formacion-docente
2) http://capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/8462-programa-seleciona-propostas-para-intercambio-em-formacao-docente-no-mercosul

Saiba mais sobre o Setor Educacional do Mercosul, acesse o link http://www.edu.mercosur.int/pt-BR/

9- Como funciona o PEC-PG - Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação?
Este programa é fruto de parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), o Ministério das Relações Exteriores (MRE) por intermédio da Divisão de Temas Educacionais (DCE) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O PEC-PG tem por objetivo a concessão de bolsas de doutorado pleno, em IES brasileiras, a professores universitários, pesquisadores, profissionais e graduados do ensino superior dos países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém Acordo de Cooperação Educacional, Cultural ou de Ciência e Tecnologia visando o aumento de qualificação necessária para que o estudante possa contribuir para o desenvolvimento de seu país. Os benefícios são: mensalidade, auxílio deslocamento exterior – Brasil (mediante disponibilidade orçamentária), isenção do pagamento de mensalidades ou taxas acadêmicas e passagem Brasil – exterior (financiada pelo MRE).

O programa tem a duração de 48 meses.

As inscrições são gratuitas e feitas diretamente na página do programa por meio do preenchimento de questionário de inscrição e envio de documentos, conforme descrito em edital. Após o envio, cada proponente receberá, imediatamente, no endereço eletrônico informado no formulário, a confirmação de recebimento da inscrição. A inscrição do candidato implica o conhecimento e aceitação das regras e condições estabelecidas em cada Edital, em relação às quais não poderá alegar desconhecimento.

É vedado o acúmulo de bolsa destinada à mesma finalidade, quando concedida por agência de fomento brasileira. Estudantes/pesquisadores que já usufruíram de bolsa de qualquer dessas agências não poderão ser contemplados novamente, na mesma modalidade, mesmo após o cumprimento do interstício exigido, exceto para bolsas de pesquisa pós-doutoral.

Para mais informações acesse http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/pec-pg

10- Como funciona o Programa de Licenciaturas Internacionais - França?
O Programa tem como objetivo selecionar parcerias universitárias entre cursos de licenciatura brasileiros e a Universidade Paris-Sorbonne (licenciatura em Letras Português/Francês Língua Estrangeira) e a Universidade Pierre et Marie Curie (licenciaturas em Biologia, Física, Matemática, Química) visando a diversificação curricular dos cursos de licenciatura brasileiros, tendo como prioridade o aperfeiçoamento e a valorização da formação de professores para a educação básica, com possibilidade de obtenção de diploma francês.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link:
http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/licenciaturas-internacionais/licenciaturas-internacionais-franca

11- Como funciona o Programa Licenciaturas Internacionais - Portugal?
O programa tem como objetivo a seleção para projetos de graduação sanduíche para estudantes de cursos de licenciaturas das áreas de Biologia, Física, Matemática, Química e Português no âmbito do Programa de Licenciaturas Internacionais PLI – Portugal, com vistas a valorizar e estimular a formação de professores de educação básica no Brasil. As universidades participantes são:
Universidade do Algarve
Universidade de Aveiro
Universidade da Beira Interior
Universidade de Coimbra
Universidade de Évora
Universidade de Lisboa
Universidade do Minho
Universidade Nova de Lisboa
Universidade do Porto
Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa no site da CAPES, através do link:
http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/licenciaturas-internacionais/licenciaturas-internacionais-portugal 

12- Quais os objetivos do Programa Abdias Nascimento - Projetos Conjuntos de Pesquisas?
O Programa tem dentre seus objetivos: incrementar o intercâmbio acadêmico entre Instituições de pesquisa; proporcionar a realização, por parte de discentes e docentes de Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras, de atividades de pesquisa, de desenvolvimento tecnológico e de inovação com parceiros de IES no exterior; possibilitar que discentes e docentes das IES, com larga experiência em pesquisa e inovação na área de tecnologia assistiva (TA), participem de atividades de ensino, de pesquisa, de desenvolvimento tecnológico e de inovação em universidades brasileiras e do exterior; atender, preferencialmente, a candidatos auto declarados pretos, pardos, indígenas e pessoas com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades e super dotação, conforme dispõe a Portaria MEC nº 1.129, de 17 de novembro de 2013.

Para mais informações recomendamos que acesse a página do programa através do link: www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-abdias-nascimento-projetos-conjuntos-de-pesquisa

13- Como funciona o Programa Estágio Pós-Doutoral PCTI 2014 - Parques Tecnológicos?
O programa visa a concessão de bolsas para estágio pós-doutoral no exterior, nas áreas e temas que compõem o Programa Ciência sem Fronteiras (Portaria Interministerial Nº1, de 9 de janeiro de 2013), possibilitando dar maior visibilidade internacional aos ambientes de inovação brasileiros, em especial os Parques Científicos e Tecnológicos, e ampliar o potencial de desenvolvimento desses ambientes com o posterior retorno do bolsista. O referido estágio deverá ser realizado em ambientes de inovação internacionais de comprovada excelência, de acordo com as normas do Edital e da legislação aplicável à matéria.

Para mais informações recomendamos que acesse a página do programa através do link: http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-estagio-pos-doutoral-pcti-2014-parques-tecnologicos

14- Como funciona o PGCI - Programa Geral de Cooperação Internacional?
O Programa Geral de Cooperação Internacional - PGCI tem por objetivo selecionar projetos conjuntos de pesquisa e parcerias universitárias em todas as áreas do conhecimento, além de fomentar o intercâmbio entre Instituições de Ensino Superior e institutos ou centros de pesquisa e desenvolvimento brasileiros e estrangeiros. O programa também objetiva selecionar candidaturas individuais, para casos de candidatos academicamente excepcionais que não possam ser contemplados por editais específicos da CAPES para bolsas no exterior.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-geral-de-cooperacao-internacional

15- Quais os objetivos do Programa Institucional de Internacionalização – CAPES - PrInt?
O Programa visa à seleção de Projetos Institucionais de Internacionalização de Instituições de Ensino Superior ou de Institutos de Pesquisa que tenham ao menos quatro Programas de Pós-Graduação (PPG) recomendados pela CAPES na avaliação trienal de 2013 e na quadrienal de 2017, dentre os quais deverá haver, ao menos, dois cursos de doutorado.

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa por meio do link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-institucional-de-internacionalizacao-capes-print

16- Como funciona o Programa Leitorado?
O Programa Leitorado financia professores interessados em divulgar a cultura brasileira e a língua portuguesa em instituições universitárias estrangeiras. As vagas para leitor, função regulamentada pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE) desde 1999, é uma parceria da CAPES com o MRE.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-leitorado

17- Como funciona o Programa regional MATH-AmSud?
O Programa regional MATH-AmSud é uma iniciativa para gerar e fortalecer as capacidades regionais da América do Sul e a cooperação com a França mediante implantação de redes de pesquisa-desenvolvimento em matemática, através da apresentação de projetos comuns.

Seus objetivos são:
Desenvolver a colaboração em matemática por meio de intercâmbios de pesquisadores e de informação entre os países da América do Sul envolvidos, e entre estes últimos e a França.
Apoiar os projetos de pesquisa fundamental e aplicada com um componente regional entre a França e pelo menos dois países sul-americanos associados ao projeto.
Favorecer na América do Sul a sinergia com outros programas regionais e multilaterais deste setor, em particular com a União Europeia.
Para mais informações recomendamos que acessem a página do programa através do link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-regional-math-amsud

18- Como funciona o Programa STIC AmSud/CAPES?
O Programa é uma iniciativa da cooperação francesa e brasileira com o intuito de incentivar e reforçar a colaboração e a formação de redes de pesquisa e desenvolvimento no domínio das Ciências e Tecnologias da Informação e da Comunicação (STIC).

Objetivos
Desenvolver instrumentos que facilitem o intercâmbio de estudantes, professores, pesquisadores e o compartilhamento de resultados de pesquisa.
Selecionar e financiar projetos conjuntos de pesquisa, tendo em sua dimensão o potencial de inovação e de transferência tecnológica, envolvendo a França e pelo menos dois países sul-americanos parceiros.
Favorecer as sinergias com outros programas regionais e multilaterais na área.

Para mais informações recomendamos que acesse a página do programa através do link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-stic-amsud-capes

19- Quais os objetivos do Programa Pró-Mobilidade Internacional (CAPES/AULP)?
O Programa Internacional de Apoio à Pesquisa e ao Ensino por meio da Mobilidade Docente e Discente Internacional (Pró-Mobilidade Internacional) destina-se à estruturação, fortalecimento e internacionalização dos Programas de Graduação, Pesquisa e Pós-Graduação das universidades integrantes da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP).

Para mais informações recomendamos que acesse a página do programa através do link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/pro-mobilidade-internacional-capes-aulp 

20- Quais os objetivos do PVEx - Programa Professor Visitante do Exterior?
O programa tem como objetivo incentivar a realização de visitas de curta, média e longa duração a Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras e a Institutos ou Centros de Pesquisa e Desenvolvimento públicos brasileiros, por professores e por pesquisadores atuantes no exterior, em todas as áreas do conhecimento, cuja formação e experiência profissional representem uma contribuição inovadora para cursos de doutorado brasileiros.

Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/pve 

21- Como funciona o Programa CAPES/UTFORSK?
O programa possui dentre seus objetivos: fortalecer a cooperação entre Instituições de Ensino Superior e/ou de Pesquisa do Brasil e da Noruega; fomentar a colaboração e o intercâmbio científico entre grupos de pesquisa e desenvolvimento brasileiros e noruegueses; fomentar a mobilidade de docentes e de estudantes de pós-graduação no nível de doutorado e de pós-doutorado.

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do Programa através do link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/noruega/capes-siu 

Como funciona o Programa CAPES /JSPS?
O Programa CAPES – JSPS tem amparo no Memorando de Entendimento entre a CAPES e a Japan Society for the Promotion of Science (JSPS) e tem como objeto apoiar a implementação de projetos conjuntos de pesquisa e o intercâmbio técnico e científico entre Instituições de Ensino Superior (IES) do Brasil e do Japão, de modo a fomentar a formação de recursos humanos de alto nível em ambos os países. As concessões previstas incluem missões de estudos, missões de trabalho e recursos para custeio do projeto.

As instituições brasileiras devem seguir as diretrizes da CAPES, quando da apresentação do projeto, de acordo com as normas estabelecidas em editais específicos. As instituições japonesas devem atender às diretrizes do JSPS.
O programa tem como objetivo promover a cooperação acadêmica entre as instituições de ensino superior (IES) do Brasil e do Japão, com base no mútuo benefício para ambos os países. Nessas condições, visa a apoiar parcerias por meio do financiamento de projetos conjuntos de pesquisa entre técnicos e acadêmicos brasileiros e japoneses, oriundos de universidades ou institutos de pesquisa em seus respectivos países.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/japao/programa-capes-jsps 

Como funciona o Programa CAPES /Weizmann?
O Programa CAPES /WEIZMANN, parceria entre a CAPES e o Weizmann Institute of Science, foi criado para fortalecer a cooperação técnico-científica entre a República Federativa do Brasil e o Governo de Israel, por meio do intercâmbio de estudantes e docentes. O edital prevê a seleção de projetos nas seguintes áreas do conhecimento: biologia, bioquímica, química, física, matemática e ciência da computação.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/israel/programa-capes-weizmann 

Quais os objetivos do Programa Pró-Haiti?
O Programa Emergencial em Educação Superior Pró-Haiti–Graduação é coordenado pela CAPES, em conjunto com a Secretaria de Educação Superior (SESu) do Ministério da Educação (MEC) e o Ministério das Relações Exteriores (MRE), e foi criado para auxiliar na reconstrução do Haiti, atuando no fortalecimento e na recomposição do Sistema de Educação Superior do país. O programa baseia-se na concessão de bolsas de estudos a estudantes das instituições de ensino superior de Porto Príncipe em instituições de ensino superior brasileiras (IES).

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/haiti/pro-haiti 

1- Como funciona o Programa CAPES /Brafagri?
O programa consiste em projetos de parcerias universitárias nas áreas de ciências agronômicas, agroalimentares e veterinária, disciplinas correlatas, exclusivamente em nível de graduação, para fomentar o intercâmbio em ambos os países e estimular a aproximação das estruturas curriculares, inclusive a equivalência e o reconhecimento mútuo de créditos obtidos nas instituições participantes.
Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/franca/capes-brafagri

2- Como funciona o Programa CAPES /Brafitec?
O programa consiste em projetos conjuntos de pesquisa em parcerias universitárias em todas as especialidades de Engenharia, exclusivamente em nível de graduação, para fomentar o intercâmbio em ambos os países e estimular a aproximação das estruturas curriculares, inclusive a equivalência e o reconhecimento mútuo de créditos.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/franca/brafitec

3- Como funciona o Programa CAPES/Embrapa/Fundação Agrópolis?
O programa é fruto de acordo assinado entre a CAPES e a Fundação Agrópolis, contando com a participação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Sua cobertura temática engloba abordagens interdisciplinares e integradas que incluem o aumento da demanda por produtos e subprodutos de plantas para aplicações alimentares e não alimentares, a interação entre mudança climática e culturas agrícolas, além da prevenção e gerenciamento de riscos relacionados às culturas.

Tipo de programa
Projeto conjunto de pesquisa

Objetivo
Aprofundar a cooperação acadêmica e científica entre grupos de pesquisa brasileiros e franceses e a formação de recursos humanos por meio da seleção de projetos conjuntos de pesquisa nas áreas temáticas agrícolas e de desenvolvimento sustentável, fomentando o intercâmbio e consolidando a cooperação entre os dois países. Serão selecionadas propostas em duas modalidades:
Linha 1: Projetos apresentados por pesquisadores empregados em exercício do quadro permanente da Embrapa;
Linha 2: Projetos propostos por professor/pesquisador vinculado a Instituição de Ensino Superior – IES brasileira.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/franca/programa-capes-embrapa-fundacao-agropolis

4- Cooperação Internacional – França Como funciona o Programa CAPES/Cofecub?
O Programa CAPES /Cofecub visa fomentar o intercâmbio entre Instituições de Ensino Superior e institutos ou centros de pesquisa e desenvolvimento públicos brasileiros e franceses.
Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/franca/cofecub 

1- Como funciona o Programa CAPES /Fulbright - Estágio de Doutorando?
O Programa CAPES – Fulbright Estágio de Doutorando nas Ciências Humanas, Ciência Sociais, Letras e Artes nos EUA é realizado pela CAPES em cooperação com a Comissão para o Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos da América e o Brasil – Comissão Fulbright.

Objetivo
Incrementar as pesquisas realizadas por doutorandos no país nas áreas das Ciências Humanas, das Ciências Sociais, das Letras e das Artes e estreitar as relações bilaterais entre os dois países.
Para mais informações recomendamos que acesse o segunte link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/capes-fulbright-estagio-de-doutorando

2- Como funciona o Programa CAPES /Fulbright - Estágio Pós-Doutoral?
O programa é realizado pela CAPES em cooperação com a Comissão para o Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos da América e o Brasil – Comissão Fulbright.

Objetivo
Incrementar as pesquisas realizadas por recém-doutores no país nas Ciências Humanas, Ciências Sociais, Letras e Artes, e estreitar as relações bilaterais entre os dois países.
Para mais informações recomendamos que acesse o seguinte link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/capes-fulbright-estagio-pos-doutoral-nas-ciencias-humanas-ciencias-sociais-letras-e-artes-nos-eua

3- Como funciona o Programa CAPES /Fulbright - Professor/Pesquisador Visitante nos EUA?
O programa tem como objetivo selecionar candidatos para bolsas de Professor/Pesquisador Visitante nos EUA para ministrar aulas, realizar pesquisas e desenvolver atividades de orientação técnica e científica, em renomadas instituições de ensino superior, no âmbito do Programa CAPES/Fulbright Professor/Pesquisador Visitante nos EUA, destacar no meio universitário e de pesquisa dos EUA a atuação de cientistas brasileiros em diversas áreas do conhecimento e promover o mais alto nível de aproximação, diálogo e aprofundamento no conhecimento mútuo das respectivas culturas e sociedades.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/capescomissao-fulbright

4- Como funciona o Programa CAPES /Fulbright - Programa NEXUS?
O Programa NEXUS consiste na formação de grupos de pesquisadores que desenvolverão projetos dentro das áreas de Energia Sustentável e Mudanças Climáticas. Os grupos de pesquisa serão compostos de membros do Brasil, EUA e do Canadá ou de países da América Latina e do Caribe (dentro do espaço geopolítico Western Hemisphere).

Objetivo
Aprofundar a cooperação acadêmica e científica entre grupos de pesquisa do Brasil, dos EUA, e dos demais países das Américas e do Caribe (Western Hemisphere), por meio do incentivo à formação de redes de pesquisadores nas Américas e no Caribe, para a colaboração e promoção de parcerias que apresentem potencial de real impacto regional de longo prazo. A partir das áreas principais, terá enfoque especial os temas que se referem a Energias Renováveis, Adaptação comportamental e social às Mudanças Climáticas, Avaliação das Mudanças Climáticas e seus impactos (métricas e padrões), Mudanças Climáticas e biodiversidade e Mudanças Climáticas e segurança Alimentar e de Disponibilidade de Água.

Para mais informações recomendamos que acesse o seguinte link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/programa-nexus 

5- Como funciona o Programa CAPES /Fulbright Mestrado em Produção Cinematográfica nos EUA (MFA)?
O programa é realizado pela CAPES em cooperação com a Comissão para o Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos da América e o Brasil – Comissão Fulbright e tem como objetivo a formação de roteiristas, nos denominados Master of Fine Arts (MFA), nível de formação acadêmica mais elevada na área. Busca ainda, complementar a formação técnica e especializada na área de produção cinematográfica e o estreitamento das relações bilaterais entre Brasil e Estados Unidos.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/capes-

6- Qual o foco do Programa CAPES /NIH?
A parceria entre a CAPES e o National Institutes of Health (NIH), por intermédio da iniciativa denominada Research Career Transition Award, objetiva incentivar a pesquisa científica de excelência na área médica e biomédica e o empenho mútuo na educação e formação da próxima geração de cientistas brasileiros e norte-americanos. O NIH é uma agência vinculada ao Department of Health and Human Services dos Estados Unidos, desempenhando um papel altamente relevante em ações de apoio a descobertas científicas que estimulem o progresso na área de saúde.

O Programa CAPES /NIH tem seu foco central na mobilidade de estudantes de pós-doutorado sob a perspectiva de proporcionar o acesso de jovens pesquisadores a uma formação científica de alto nível e garantir-lhes as devidas condições para o prosseguimento em uma carreira independente de pesquisa. Além disso, tem como objetivo construir colaborações de longo prazo, assegurar o retorno dos pesquisadores ao Brasil após a formação e estimular a publicação conjunta das descobertas das pesquisas.

As candidaturas devem ser apresentadas individualmente por doutor brasileiro, cujo título tenha sido há até 5 (cinco) anos. A proposta deve incluir, entre outros requisitos, um projeto de pesquisa já aceito por um dos institutos do NIH. O processo seletivo é composto de 3 (três) etapas: análise documental e de mérito, priorização e seleção final pela CAPES, mediante apresentação de proposta de apoio de tutor do NIH. As atividades do Programa estão estruturadas em duas fases, consistindo a primeira de 2 (dois) a 3 (três) anos de treinamento no NIH e a segunda de 2 (dois) a 3 (três) anos de pesquisa ou atuação docente junto a universidade ou instituto de pesquisa no Brasil.
Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/programa-capes-nih

7- Como funciona o Programa CAPES/NSF - Biodiversidade?
O Programa consiste no apoio a parcerias por meio de projetos conjuntos de cooperação internacional, em iniciação científica, na área de biodiversidade, com mobilidade de discentes exclusivamente em nível de graduação, entre as Instituições de Ensino Superior Brasileiras e pesquisadores financiados pela National Science Foundation (NSF) no âmbito da Division of Environmental Biology (DEB), incluídos ainda os do Programa “Dimensões da Biodiversidade para Pesquisa e Infraestrutura Associada”.

Objetivo
Apoiar parcerias por meio de projetos conjuntos de cooperação internacional em iniciação científica, na área de biodiversidade; promover a mobilidade acadêmica de discentes em nível de graduação; aprofundar a cooperação acadêmica entre as Instituições de Ensino Superior brasileiras e pesquisadores financiados pela National Science Foundation (NSF).

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/capes-national-science-foundation-nsf

8- Quais os objetivos do Programa CAPES/PDPI?
Programa conjunto entre a Diretoria de Relações Internacionais – DRI e a Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica – DEB, em parceria com a Embaixada dos Estados Unidos da América no Brasil e com a Comissão Fulbright. A iniciativa oferece curso intensivo em universidade nos Estados Unidos, com atividades acadêmicas e culturais, para professores de língua inglesa da educação básica em efetivo exercício na rede pública de ensino.

Objetivo
O Programa tem o objetivo de capacitar professores de língua inglesa, que estejam em efetivo exercício nas escolas públicas de educação básica, oferecendo curso intensivo de 06 (seis) semanas em universidade nos Estados Unidos.
Os cursos destinam-se a promover o desenvolvimento profissional de professores de língua inglesa por meio do fortalecimento do domínio das quatro habilidades linguísticas - compreender, falar, ler e escrever em inglês; da imersão no cotidiano de um país de língua inglesa, ampliando sua capacidade de contextualização histórica e cultural no ensino do idioma; do compartilhamento de metodologias de ensino, aprendizagem e avaliação que estimulem o aperfeiçoamento do processo ensino/aprendizagem.

Para saber mais, basta acessar a página do programa e o edital pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/certificacao-em-lingua-inglesa.

9- Como funciona o Programa CAPES /CWRU?
A cooperação entre a CAPES e a Case Western Reserve University (CWRU) foi estabelecida por meio de Memorando de Entendimento celebrado em 21 de outubro de 2013 e por meio de Acordo de Cooperação assinado em 17 de dezembro de 2014, com a Case School of Engineering, pelo qual se criou o Programa de Mobilidade de Estudantes de Engenharia.

Tipo de programa
Projeto conjunto de pesquisa

Objetivo
Estabelecer programas de dupla diplomação na modalidade de doutorado em cotutela entre as IES brasileiras e a CWRU, notadamente nas áreas de Ciência e Engenharia de Polímeros e Colóides e em Engenharia Biomédica.
A CAPES e a CWRU selecionarão, conjuntamente, as propostas das IES brasileiras.

As IES brasileiras aprovadas e a CWRU selecionarão os bolsistas participantes.

A CAPES oferecerá 20 bolsas em cada uma dessas áreas por ano. Cada IES brasileira poderá selecionar até 5 bolsistas por ano.

O bolsista selecionado efetuará o primeiro e o último ano de estudos em sua instituição de origem, no Brasil. O segundo e o terceiro ano do curso serão efetuados na CWRU, nos Estados Unidos.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/programa-capes-cwru

10- Como funciona o Programa CAPES /Fulbright Professor Assistente de Língua Portuguesa nos EUA (FLTA)?
O programa é realizado pela CAPES em cooperação com a Comissão para o Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos da América e o Brasil – Comissão Fulbright.

Tipo de programa
Bolsa individual

Objetivo
Selecionar candidatos para bolsas de Professor Assistente de Língua Portuguesa nos EUA (Foreign Language Teaching Assistant – FLTA), bem como incrementar o ensino de português em universidades dos EUA e estreitar as relações bilaterais entre os dois países.

Modalidade de bolsa e benefícios
Modalidade:
Capacitação

Benefícios custeados pela CAPES:

  • Auxílio deslocamento
  • Benefícios custeados pela CAPES e pela Fulbright:
  • Bolsa incluindo os benefícios de moradia, alimentação e seguro-saúde.
  • Duração: 9 (nove) meses.

Inscrição
As inscrições serão gratuitas e o candidato deverá apresentar sua candidatura separadamente à CAPES e à Comissão Fulbright, exclusivamente, pela internet, mediante o preenchimento dos formulários de inscrição online e de acordo com as instruções específicas de cada entidade, ambos disponíveis nas páginas http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/capes-fulbright-fltahttp://fulbright.org.br/

Os formulários de inscrição online deverão ser anexadas as documentações exigidas em edital.

11- Como obter mais informações acerca do Programa CAPES/Harvard de Professor Pesquisador Visitante Júnior (PPVJ)?
O Programa CAPES-Harvard de Professor/Pesquisador Visitante Júnior, por meio da concessão de bolsas na modalidade de pós-doutorado a professores efetivos de Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras, tem como objetivos: incentivar o intercâmbio de conhecimento entre professores e pesquisadores do Brasil e da Universidade de Harvard; contribuir para o estreitamento dos laços institucionais entre IES brasileiras e a Universidade de Harvard; estimular a realização de pesquisas conjuntas entre professores e pesquisadores do Brasil e da Universidade de Harvard.

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa, através do link a seguir: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/programa-capes-harvard-de-professor-pesquisador-visitante-junior-ppvj

12- Como obter mais informações acerca do Programa CAPES /TAMU?
O Programa CAPES /TAMU promove o apoio e a promoção de projetos de colaboração entre a Universidade Texas A&M e os cientistas e acadêmicos no Brasil em temas de importância mútua para o Brasil e os Estados Unidos. Tem como objetivo apoiar o desenvolvimento de projetos conjuntos de pesquisa e fomentar a mobilidade de pesquisadores e de estudantes de doutorado e pós-doutorado, em todas as áreas do conhecimento, visando ao desenvolvimento de núcleos de pesquisa transnacionais entre instituições do Brasil e da Universidade Texas A&M, nos Estados Unidos. Nesse caso, o apoio da CAPES é destinado a missões de trabalho para docentes, missões de estudos de doutorado-sanduíche e pós-doutorado, além da concessão de recursos de custeio à equipe brasileira.

Para mais informações recomendamos que acesse a página do programa através do link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/programa-tamu

13- Como funciona o Programa SETEC-CAPES/NOVA?
O Programa SETEC-CAPES/NOVA de Capacitação para Professores da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica visa propiciar treinamento nas instituições consorciadas ao Northern Virginia Community College - Nova, nos Estados Unidos, com atividades acadêmicas e culturais voltadas para professores em efetivo exercício na Rede Federal, constituída pelas seguintes instituições: Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IF), Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefet), Escolas Técnicas vinculadas a Universidades Federais e Colégio Pedro II.

Objetivos
Valorizar os profissionais que atuam na Rede Federal fortalecendo o domínio das quatro habilidades linguísticas – compreender, falar, ler e escrever em inglês – dos professores de língua inglesa, expondo-os às práticas pedagógicas dos Community Colleges norte-americanos. O programa também tem como objetivo, compartilhar com os professores da Rede Federal experiências do ensino de inglês como segunda língua propondo atividades que estimulem a participação do aluno em sala de aula, estimular o uso de recursos online e de outras ferramentas na formação continuada de professores na preparação de novas metodologias e materiais para uso em sala de aula, bem como estimular parcerias com professores norte-americanos com vistas a futuros intercâmbios de professores e de alunos entre os dois países.

Para mais informações recomendamos que acesse a página do programa através do link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/programa-setec-capes-nova

14- Quais os objetivos do Programa CAPES – Fulbright de Doutorado Pleno nos EUA?
O Programa CAPES - Fulbright de Doutorado Pleno nos EUA tem como objetivos: formar recursos humanos de alto nível nos EUA, como alternativa complementar às possibilidades ofertadas pela pós-graduação no Brasil, para candidatos com excelente desempenho acadêmico, e com propostas de pesquisa que não possam ser realizadas total ou parcialmente no Brasil; fomentar a formação de líderes que possam contribuir significativamente para a pesquisa no Brasil e no mundo nas áreas relacionadas ao Programa; fortalecer as áreas de conhecimento em consolidação no Brasil; ampliar o nível de colaboração e de publicações conjuntas entre pesquisadores que atuam no Brasil e no exterior; e ampliar o acesso de pesquisadores(as) brasileiros(as) a universidades de excelência dos EUA.f) Proporcionar maior visibilidade internacional à produção científica, tecnológica e cultural brasileira.
Para mais informações, acesse a página do programa: http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/programa-capes-fulbright-de-doutorado-pleno-nos-eua

15- Quais os objetivos do Programa CAPES/Fulbright de English Teaching Assistant (ETA) para Projetos Institucionais?
O programa busca selecionar projetos de Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras, para o recebimento de assistentes de ensino de língua inglesa (cidadão estadunidense – falante nativo), com intuito de contribuir para a elevação da qualidade dos cursos de bacharelado e/ou licenciatura em Letras, Língua Inglesa, na perspectiva de valorizar a formação e a relevância social dos profissionais do magistério da educação básica.
Para mais informações acesse a página do programa http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/programa-de-assistente-de-ensino-de-lingua-inglesa-para-projetos-institucionais-capes-fulbright

16- Como funciona o Programa Brasil-Estados Unidos de modernização da educação superior na graduação (PMG - EUA)?
O PMG é realizado pela CAPES em cooperação com a Comissão Fulbright, com o apoio do Conselho Nacional de Educação – CNE e primeiramente financiará Projetos Institucionais de Modernização (PIMs) para cursos de graduação nas áreas das Engenharias.

Objetivo
Os objetivos do Programa Brasil-Estados Unidos de Modernização da Educação Superior na Graduação (PMG – EUA) são: criar ambiente propício para o desenvolvimento do pensamento criativo, com sólida base teórica, da capacidade de inovação e de empreendedorismo dos graduandos em engenharia; gerar modelos inspiradores de currículos, de metodologias de ensino-aprendizagem e de gestão de cursos de graduação, reprodutíveis no conjunto do sistema de ensino superior brasileiro; formar redes de colaboração acadêmica entre o Brasil e os EUA para o aprimoramento da qualidade da educação na graduação e alinhamento com as tendências internacionais da área de engenharia; integrar o curso de graduação com os diferentes níveis de formação superior, com a sociedade e com o setor produtivo; criar um ambiente propício à modernização da educação brasileira, com o apoio de regulação apropriada junto ao CNE; e compor os esforços de internacionalização das IES brasileiras.

Para mais informações acesse a página do programa: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/pmg-eua

17- Como funciona o Programa CAPES/Harvard?
O Programa consiste no financiamento de bolsas de estudos para todos os níveis de formação acadêmica na Universidade de Harvard e reitera a parceria entre as instituições, iniciada com o programa Cátedra CAPES/Harvard.

Objetivo
Conceder a estudantes e pesquisadores de alto nível do Brasil oportunidades de estudos e pesquisas nos diversos campos das ciências da vida, das ciências físicas e exatas, bem como nas áreas das engenharias e tecnológicas.
Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/capes-harvard

18- Quais os objetivos do Programa CAPES-YALE de doutorado em Ciências Biomédicas?
O Programa CAPES -Yale de Doutorado em Ciências Biomédicas foi criado visando treinar estudantes para se destacarem neste ambiente de pesquisa.

Este programa, por meio da concessão de bolsas para excepcionais estudantes do Brasil realizarem doutorado pleno no Programa Combinado de Ciências Biológicas e Biomédicas (Programa BBS) de Yale, tem como objetivo principal formar os futuros líderes acadêmicos para a pesquisa no Brasil e no Mundo nas áreas relacionadas. O programa visa ainda fomentar uma transformação de longo prazo na qualidade da ciência produzida no Brasil e por brasileiros no mais alto nível de competitividade internacional.

Objetivos
Os objetivos do Programa CAPES -Yale de Doutorado em Ciências Biomédicas são: selecionar e formar estudantes do Brasil no Programa Combinado de Ciências Biológicas e Biomédicas (Programa BBS) na Universidade de Yale; fomentar a formação de líderes que possam contribuir significativamente para a pesquisa no Brasil e no mundo nas áreas relacionadas ao Programa; fortalecer as áreas de conhecimento em consolidação no Brasil; ampliar o nível de colaboração e de publicações conjuntas entre pesquisadores que atuam no Brasil e no exterior; ampliar o acesso de pesquisadores (as) brasileiros (as) a centros internacionais de excelência; e proporcionar maior visibilidade internacional à produção científica, tecnológica e cultural brasileira.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/estados-unidos/programa-capes-yale-de-doutorado-em-ciencias-biomedicas 

1- Como funciona o Programa CAPES DGPU?
O programa tem como objetivo apoiar o intercâmbio entre instituições de ensino e pesquisa, brasileiras e espanholas por meio da mobilidade de docentes, pesquisadores e discentes de pós-graduação brasileiros e espanhóis, visando à consolidação, expansão e internacionalização das instituições de ensino superior e dos institutos ou centros de pesquisa e desenvolvimento públicos brasileiros. Este apoio se concretiza com a abertura de processo de seleção para projetos conjuntos de pesquisa e para seminários (workshops) em todas as áreas de conhecimento.

Informações sobre a inscrição:

  • A apresentação da proposta deverá ser efetuada pela equipe brasileira à CAPES e pela equipe espanhola à DGPU;
  • No Brasil, as inscrições da equipe brasileira serão gratuitas e feitas exclusivamente pela internet, mediante o preenchimento do formulário de inscrição;
  • O candidato envia proposta à CAPES para realização de Projeto conjunto de pesquisa ou seminário (não pode ser para os dois), sendo que cada proposta deve prever um coordenador de projeto responsável no Brasil e outro na Espanha;
  • A análise e seleção das propostas consistem em quatro fases, verificação da consistência documental, análise do mérito, priorização das propostas previamente aprovadas e reunião entre CAPES e DGPU para decisão final. 

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/espanha/capesdgpu

2- Como obtenho mais informações acerca do Programa CAPES -Salamanca/ProUni?
O programa ProUni - Salamanca prevê o apoio a estudantes brasileiros de baixa renda , para realização da primeira graduação na Universidade de Salamanca (Espanha). A CAPES financia o período de estudos preparatórios para os exames de admissão à Universidade de Salamanca e o primeiro semestre do curso escolhido, após este período o Banco Santander – Santander Universidades será o responsável pelo financiamento do restante do curso. O ingresso definitivo na Universidade depende da aprovação individual do aluno nos exames admissionais, cujos critérios de avaliação são estabelecidos unilateralmente pela Universidade de Salamanca.

O programa visa o fortalecimento da cooperação bilateral no âmbito educativo, mediante a seleção de alunos brasileiros de baixa renda, cuja situação socioeconômica se conforme aos critérios do ProUni, para cursarem graduação completa na Universidade de Salamanca.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/espanha/capes-salamanca-prouni 

1- Como funciona o Programa CAPES/MÊS/Cuba - Docentes?
O Programa CAPES /MES/Cuba - Docentes tem como objetivo promover o intercâmbio de professores cubanos no Brasil, visando à formação de recursos humanos de alto nível nas diversas áreas do conhecimento por meio da concessão de bolsas de estudo, nas modalidades doutorado sanduíche ou pós-doutorado, visando o aumento da qualificação de professores universitários, pesquisadores, profissionais e graduados do ensino superior cubanos em programas de pós-graduação brasileiros reconhecidos pela CAPES.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/cuba/mes-docentes


2- Como funciona o Programa Capes/MES-Cuba - Projetos?
O Programa CAPES/MES-Cuba - Projetos visa estimular o intercâmbio de docentes e pesquisadores brasileiros e cubanos, vinculados a Programas de Pós-Graduação de Instituições de Ensino Superior (IES), e promover a formação de recursos humanos de alto nível no Brasil e em Cuba, nas diversas áreas do conhecimento.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/cuba/mes-projetos 

O Programa Colciências ainda encontra-se ativo?
Este programa foi desativado e já não recebe mais propostas. Para novos projetos deve ser observado o edital do programa PGCI - Programa Geral de Cooperação Internacional.
Acesse a página do PGCI: https://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-geral-de-cooperacao-internacional

Existem colaborações entre a CAPES e instituições chinesas?
No momento não há programas de cooperação internacional ativos entre o Brasil e China por meio da CAPES.

1- Como funciona o Programa Cátedra Bonn em Ciências Sociais e Humanas?
O Programa, por meio da concessão de bolsa na Universität Bonn (Instituição Anfitriã) a notável pesquisador e professor sênior do Brasil, especialista nas seguintes áreas de conhecimento prioritárias do Programa: Ciências Sociais e Humanidades, com foco em Fenômenos de Dependências Assimétricas Agravadas tem por objetivos: aprofundar a cooperação acadêmica entre instituições de ensino superior e centros de pesquisa brasileiros e estrangeiros; aprofundar a cooperação entre pesquisadores e educadores de instituições de pesquisa e ensino superior no Brasil e seus pares da Instituição Anfitriã; contribuir para a mobilidade de professores e pesquisadores entre a Instituição Anfitriã e as instituições de ensino superior brasileiras; e aumentar o conhecimento na Instituição Anfitriã sobre as contribuições de notáveis pesquisadores e educadores do Brasil, especialistas nas áreas de conhecimento prioritárias do Programa.

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa no site da CAPES no menu Cooperação Internacional > Cátedras > Programa Cátedra Bonn Em Ciências Sociais E Humanas ou pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/catedras/programa-catedra-bonn 

2- Como funciona o Programa Cátedra Brasil da Universidade de Münster?
A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e a Universidade de Münster estabelecem o programa “Cátedra Münster”. A cátedra tem o objetivo de apoiar pesquisadores brasileiros no desenvolvimento de atividades de ensino e pesquisa na Westfäliche Wilhelms-Universität Münster (WWU) e no apoio ao recém-criado Centro Brasileiro da WWU.

Para mais informações recomendamos que acesse o link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/catedras/catedra-brasil-da-universidade-de-muenster

3- Como funciona o Programa Cátedra CAPES / Universidade de Bolonha?
O Programa tem a finalidade de conceder bolsa a notável professor e pesquisador sênior do Brasil, especialista em qualquer disciplina ou área acadêmica, para lecionar e pesquisar na Universidade de Bolonha, Itália. O professor/ pesquisador contemplado fará jus aos seguintes benefícios: mensalidade, auxílio instalação, auxílio seguro saúde e auxílio deslocamento no trecho Brasil/Itália/Brasil. Dentre seus objetivos encontram-se: aprofundar a cooperação acadêmica entre instituições de ensino superior e centros de ciência e tecnologia brasileiros e estrangeiros, a fim de promover o desenvolvimento da ciência e tecnologia no Brasil e na Itália; aprofundar a cooperação entre pesquisadores e educadores de instituições de pesquisa e ensino superior no Brasil e seus pares na Universidade de Bolonha; destacar nos meios universitário e de pesquisa italianos o desempenho de notáveis cientistas brasileiros em todas as áreas do conhecimento; destacar o compromisso em promover o mais alto nível de aproximação, diálogo e aprofundamento no conhecimento mútuo das respectivas culturas e sociedades.

Para mais informações recomendamos que acesse o link a seguir: http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/catedras/programa-catedra-capes-universidade-de-bolonha

4- Quais os objetivos do Programa Programa Cátedra CAPES/ Universidade de Brown?
O programa tem como objetivo aprofundar a cooperação acadêmica entre instituições de ensino superior e centros de ciência e tecnologia brasileiros e americanos, a fim de promover o desenvolvimento da ciência e tecnologia em ambos os países, e aprofundar a cooperação entre pesquisadores e educadores de instituições de pesquisa e ensino superior no Brasil e seus pares da Universidade de Brown e aumentar o conhecimento na Universidade de Brown sobre as contribuições de notáveis pesquisadores e educadores do Brasil, por meio da concessão de bolsa a notável pesquisador e professor sênior do Brasil, especialista em qualquer disciplina ou área acadêmica.
Para mais informações recomendamos que acesse o seguinte link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/catedras/catedra-capes-universidade-de-brown

5- Quais os objetivos do Programa Cátedra CAPES /CES de Ciências Sociais e Humanas (Portugal)?
O programa objetiva aprofundar a cooperação acadêmica entre instituições de ensino superior e centros de ciência e tecnologia brasileiros e estrangeiros, a fim de promover o desenvolvimento da ciência e tecnologia no Brasil e em Portugal; Aprofundar a cooperação entre pesquisadores e educadores de instituições de pesquisa e ensino superior no Brasil e seus pares do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra; Destacar nos meios universitário e de pesquisa portugueses o desempenho de notáveis cientistas brasileiros no âmbito das ciências sociais e humanas; Destacar o compromisso em promover o mais alto nível de aproximação, diálogo e aprofundamento no conhecimento mútuo das respectivas culturas e sociedades.

Para mais informações recomendamos que acesse o seguinte link: http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/catedras/programa-catedra-capes-ces-de-ciencias-sociais-e-humanas-portugal

6- Quais os objetivos do Programa Cátedra CAPES/Harvard?
O Programa Cátedra CAPES/Universidade de Harvard nos EUA, por meio da concessão de bolsa na Universidade de Harvard a notável pesquisador e professor sênior do Brasil especialista em qualquer disciplina ou área acadêmica, tem por objetivos: aprofundar a cooperação acadêmica entre instituições de ensino superior e centros de pesquisa brasileiros e estrangeiros; aprofundar a cooperação entre pesquisadores e educadores de instituições de pesquisa e ensino superior no Brasil e seus pares da instituição anfitriã; contribuir para a mobilidade de professores e pesquisadores entre a instituição anfitriã e as instituições de ensino superior brasileiras; e aumentar o conhecimento na instituição anfitriã sobre as contribuições de notáveis pesquisadores e educadores do Brasil, especialistas nas áreas de conhecimento prioritárias do Programa.

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa no site da CAPES no menu Nossas Ações > Cooperação Internacional > Cátedras > Programa Cátedra Harvard ou pelo link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/catedras/catedra-capes-harvard

7- Quais eram os objetivos do Programa Cátedra CAPES/Sorbonne?
O programa teve como objetivos: aprofundamento da cooperação acadêmica entre instituições de ensino superior e centros de ciência e tecnologia brasileiros e estrangeiros, a fim de promover o desenvolvimento da ciência e tecnologia no Brasil e na França; cooperação entre pesquisadores e educadores de instituições de pesquisa e ensino superior no Brasil e seus pares da Sorbonne Universités; Destaque, nos meios universitário e de pesquisa franceses, do desempenho de notáveis cientistas brasileiros em todas as áreas do conhecimento e do compromisso em promover o mais alto nível de aproximação, diálogo e aprofundamento no conhecimento mútuo das respectivas culturas e sociedades. O programa Programa Cátedra CAPES/Sorbonne cumpriu com seus objetivos e foi desativado. Para mais informações acerca dos programas fomentados pela Diretoria de Relações internacionais da CAPES recomendamos que acesse o link: https://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior

8- Como funciona a Cátedra Celso Furtado em História e Humanidades Brasileiras – Professor Visitante Sênior no St. John’s College?
O programa tem como objetivos: aprofundar a cooperação acadêmica entre instituições de ensino superior e centros de pesquisa brasileiros e estrangeiros, a fim de promover o debate sobre História e Humanidades brasileiras no Brasil e nos países participantes; aprofundar a cooperação entre pesquisadores e educadores de instituições de pesquisa e ensino superior no Brasil e seus pares da Instituição Anfitriã; contribuir para a mobilidade de professores e pesquisadores entre a Instituição Anfitriã e as instituições de ensino superior brasileiras, além de promover o debate sobre História e Humanidades brasileiras; aumentar o conhecimento na Instituição Anfitriã sobre as contribuições de notáveis pesquisadores e educadores do Brasil.

Para mais informações recomendamos que acesso o seguinte link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/catedras/catedra-celso-furtado

9- Quais são os objetivos da Cátedra Drª Ruth Cardoso?
A CAPES, por meio da Coordenação Geral de Cooperação Internacional, a FAPESP, a Universidade de Columbia e a Comissão Fulbright, tornam pública a realização de seleção de professor/pesquisador visitante na Universidade de Columbia. O programa tem por objetivos: oferecer apoio à participação de professores/pesquisadores brasileiros atuando em instituições brasileiras em atividades de docência e pesquisa na Universidade de Columbia, na cidade de Nova York, EUA; destacar no meio universitário e de pesquisa dos EUA a atuação de cientistas brasileiros atuando em instituições do país nas áreas de Ciências Humanas e Sociais; promover o mais alto nível de aproximação, diálogo e aprofundamento no conhecimento mútuo das respectivas culturas e sociedades; honrar a memória da eminente Profa. Dra. Ruth Corrêa Leite Cardoso, ex-bolsista da Comissão Fulbright na Universidade de Columbia em 1988, e personalidade de destacada atuação na cena acadêmica brasileira, em particular nas Ciências Humanas e Sociais.

Para mais informações recomendamos que acesso o seguinte link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/catedras/programa-ruth-cardoso

10- Quais são os objetivos do Programa Cátedra Instituto de Educação da Universidade de Londres - Anísio Teixeira?
O Programa tem como objetivo específico enviar pesquisadores, intelectuais e formuladores de políticas públicas ao Instituto de Educação da Universidade de Londres, proporcionando ambiente propício para permitir o desenvolvimento do estudo acadêmico na área de educação, com prioridade para a área de tecnologia aplicada à educação. Dentre os objetivos gerais encontram-se: aprofundar a cooperação acadêmica entre instituições de ensino superior e centros de educação brasileiros e ingleses, a fim de promover o desenvolvimento da educação em ambos os países; aprofundar a cooperação entre pesquisadores e educadores de instituições de pesquisa e ensino superior no Brasil e seus pares do Instituto de Educação da Universidade de Londres; e aumentar o conhecimento na Universidade de Londres sobre as contribuições de pesquisadores e educadores brasileiros, por meio da concessão de bolsa a notável pesquisador e professor sênior do Brasil.

Para mais informações recomendamos que acesse o seguinte link: https://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/catedras/catedra-anisio-teixeira

11- Quais os objetivos do Programa Cátedra Rio Branco – Oxford?
O programa tem como objetivo enviar pesquisadores, intelectuais e formuladores de políticas públicas à Universidade de Oxford, proporcionando ambiente propício para a análise da função desempenhada pelo Brasil no cenário mundial e das posições adotadas pelo país em temas globais.

Para mais informações recomendamos que acesse o seguinte link: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/catedras/catedra-rio-branco-oxford

12- Como funciona o Programa Cátedra Rio Branco/ King's College?
O Programa, por meio da concessão de bolsa a notável pesquisador e professor sênior do Brasil, especialista nas seguintes áreas de conhecimento prioritárias do Programa: Relações Internacionais, Ciência Política ou outras Ciências Sociais com foco em Política Externa Brasileira, tem por objetivos:

  • Aprofundar a cooperação acadêmica entre instituições de ensino superior e centros de pesquisa brasileiros e estrangeiros;
  • Aprofundar a cooperação entre pesquisadores e educadores de instituições de pesquisa e ensino superior no Brasil e seus pares da instituição anfitriã;
  • Contribuir para a mobilidade de professores e pesquisadores entre a Instituição Anfitriã e as instituições de ensino superior brasileiras; e
  • Aumentar o conhecimento na instituição anfitriã sobre as contribuições de notáveis pesquisadores e educadores do Brasil, especialistas nas áreas de conhecimento prioritárias do Programa. Para mais informações acerca do

Programa recomendamos que acesso o seguinte link: https://www.capes.gov.br/bolsas-e-auxilios-internacionais/pais/214-reino-unido/9634-catedra-rio-branco-kings-college

1- Como funciona o Programa CAPES -DFATD?
O Programa CAPES -DFATD promove o apoio e a promoção de intercâmbio científico entre grupos de pesquisa brasileiros e canadenses e a mobilidade acadêmica entre os dois países. Anteriormente chamado de CAPES -DFAIT, a mudança de DFAIT para DFATD deve-se à fusão da Agência Canadense de Desenvolvimento Internacional ao então Ministério das Relações Exteriores e Comércio Internacional/Departament of Foreign Affairs and International Trade (DFAIT), que passou a se chamar Ministério das Relações Exteriores, Comércio Internacional e Desenvolvimento/Department of Foreign Affairs, Trade and Development (DFATD).

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa no site da CAPES por meio do link https://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/canada/programa-capes-dfait

2- Como funciona o Programa CAPES -MITACS?
O Programa CAPES-MITACS visa propiciar a formação de recursos humanos altamente qualificados nas melhores universidades e instituições de pesquisa estrangeiras, com vistas a promover a internacionalização da ciência e da tecnologia nacional, estimulando estudos e pesquisas de brasileiros no exterior, inclusive com a expansão significativa do intercâmbio e da mobilidade de graduandos. Tem como objetivo oferecer oportunidade de estudo a discentes brasileiros em universidades de excelência, bem como oferecer a possibilidade de estágio programado de pesquisa ou inovação tecnológica em indústria, centro de pesquisa ou laboratório da própria universidade.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link: https://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/canada/programa-capes-mitacs

Como funciona o Programa CAPES /WBI - Projetos Conjuntos de Pesquisa?
O Programa CAPES /WBI é regido pelo interesse mútuo de Brasil e Bélgica em favorecer a colaboração e o intercâmbio acadêmico e científico. O Wallonie Bruxelles International é o organismo responsável pelas relações internacionais da região belga e tem como um de seus focos de atuação a cooperação internacional na área educacional, com vistas à difusão da sua cultura e ao suporte da inserção internacional de suas instituições de ensino e pesquisa. O programa tem como objetivo apoiar o intercâmbio científico entre grupos de pesquisa brasileiros e belgas nas especialidades de Ciências Biológicas e de Saúde; Agroindústria; e Engenharias (especialidades mecânica, transporte, logística aeronáutica e espacial, química, elétrica, materiais e ambiental) química e física.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/belgica/programa-capeswbi

1- Como funciona o Programa CAPES/IIASA de Doutorado Sanduíche?
O IIASA é um instituto internacional envolvido na investigação científica em questões de importância globais, tais como áreas de ciência e tecnologia, agricultura, meio-ambiente, naturais e análise de energia e recursos de sistemas, não estando restrito a essas, com sede na cidade de Laxenburg, Áustria. O programa é fruto da cooperação entre a CAPES e o IIASA e visa à seleção de estudantes de doutorado vinculados a instituições de ensino superior brasileiras para realização de estágio em pesquisa de doutorado sob a supervisão dos experientes pesquisadores do Instituto Internacional para Análise de Sistemas Aplicados (IIASA). O objetivo do Programa é selecionar estudantes de doutorado vinculados a instituições de ensino superior brasileiras para realização de estágio em pesquisa no IIASA, em suas áreas de atuação, tais quais: ciência e tecnologia, agricultura, meio ambiente, energia, recursos naturais e análise de sistemas, não estando restrito a essas.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/austria/programa-capes-iiasa-ds

2- Como funciona o Programa CAPES/IIASA de Pós-Doutorado?
O programa é fruto da cooperação entre a CAPES e o IIASA e visa a seleção de pesquisadores brasileiros ou estrangeiros que possuam visto permanente no Brasil, que tenham obtido o título de doutor há menos de 8 anos, para realização de estágio em pesquisa de doutorado sob a supervisão dos experientes pesquisadores do Instituto Internacional para Análise de Sistemas Aplicados (IIASA). O IIASA é um instituto internacional envolvido na investigação científica em questões de importância globais, tais como áreas de ciência e tecnologia, agricultura, meio ambiente, naturais e análise de energia e recursos de sistemas, não estando restrito a essas, com sede na cidade de Laxenburg, Áustria e tem como objetivo selecionar candidatos de pós-doutorado para realização de estágio em pesquisa pós-doutoral no IIASA, em suas áreas de atuação, tais quais: ciência e tecnologia, agricultura, meio ambiente, energia, recursos naturais e análise de sistemas, não estando restrito a essas.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/austria/programa-capes-iiasa-pd

3- Como funciona o Programa de Verão para Jovens Cientistas CAPES/IIASA?
O IIASA é um instituto internacional envolvido na investigação científica que fornece suporte para os formuladores de políticas públicas sobre questões de importância em três áreas problemáticas globais: Energia e Alterações Climáticas; Água e Alimentação; Pobreza e Equidade. O programa é fruto da cooperação entre a CAPES e o IIASA e promove o apoio a jovens cientistas que pretendem desenvolver sua pesquisa sob a supervisão dos experientes pesquisadores do Instituto Internacional para Análise de Sistemas Aplicados (IIASA). Tem como objetivo apoiar candidatos com excelente qualificação científica e acadêmica, para desenvolvimento de sua pesquisa no IIASA em programas de temas estratégicos.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/austria/programa-capes-iiasa 

1- Como funciona o Programa CAFP?
O Programa de Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-graduação Brasil/Argentina, fruto da Cooperação CAPES /SPU (Secretaria de Políticas Universitárias da Argentina), estimula a parceria acadêmica entre os dois países nas atividades de formação em pós-graduação, enfatizando o intercâmbio de docentes e alunos. Destina-se às Instituições de Ensino Superior (IES) argentinas e brasileiras que possuem cursos de pós-graduação recomendados pela CAPES e CONEAU (Comissão Nacional de Avaliação Universitária), membro do Ministério da Educação da Argentina.

O programa de parceria universitária tem como objetivo o estímulo ao desenvolvimento de projetos de parcerias universitárias entre pelo menos uma IES brasileira e uma argentina, exclusivamente em nível de pós-graduação, para o fomento ao intercâmbio de estudantes de pós-graduação, docentes, pesquisadores e professores visitantes, em diversas áreas do conhecimento, para o fortalecimento dos cursos de pós-graduação nos dois países.
Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/argentina/centros-associados-cafp

2- Como funciona o Programa CAPG?
O Programa CAPG/BA (Programa de Centros Associados de Pós-Graduação) prevê o intercâmbio acadêmico entre Instituições de Ensino Superior para a promoção da formação de recursos humanos de alto nível nos dois países, nos termos do Protocolo adicional ao Convênio de Cooperação Educativa entre o Brasil e a Argentina assinado no dia 15 de junho de 2000. O programa associa, por convênio institucional, as atividades dos programas de pós-graduação do Brasil e da Argentina.

O projeto conjunto de pesquisa tem como objetivo o estímulo ao intercâmbio acadêmico de docentes, pesquisadores e estudantes brasileiros e argentinos vinculados a programas de formadores de pós-graduandos em Instituições de Ensino Superior (IES) de Brasil e Argentina por meio de projetos conjuntos de pesquisa.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/argentina/centros-associados-capg 

1- Como funciona o auxílio de curta duração na Alemanha?
O Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico/DAAD, em cooperação com a CAPES, o CNPq e a FAPESP, oferece um programa de auxílios para estadas de pesquisa na Alemanha para doutorandos com bolsas de estudo no Brasil. Com o objetivo de viabilizar a permanência de doutorandos brasileiros em universidades alemãs, institutos de pesquisa, laboratórios ou bibliotecas para pesquisas específicas, relevantes ao desenvolvimento da tese de doutorado, sem a interrupção da bolsa no país da agência brasileira.

Para mais informações acerca do programa acesse http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/alemanha/auxilio-de-curta-duracao-para-doutorandos-brasileiros"

2- O que é o Bragecrim?
O programa Bragecrim (Iniciativa Brasil-Alemanha para Pesquisa Colaborativa em Tecnologia de Manufatura) tem o objetivo de apoiar e financiar projetos conjuntos de pesquisa entre grupos de pesquisa brasileiros e alemães na área de tecnologia de manufatura avançada.

A principal meta dos projetos aprovados no âmbito do programa é gerar conhecimento tecnológico fundamental, possibilitando o desenvolvimento de soluções inovadoras para o aprimoramento da produtividade, qualidade e sustentabilidade das companhias industriais tanto brasileiras quanto alemãs. Outro importante objetivo é a troca de conhecimento por meio de missões de trabalho e de estudos de pesquisadores/docentes e estudantes de ambos os países.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link https://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/alemanha/bragecrim

3- O que é o Bragfost?
O BRAGFOST (Simpósio Brasil-Alemanha em Fronteiras da Ciência e Tecnologia) é um programa que conta com o apoio da Fundação Alexander von Humboldt. O Simpósio visa desenvolver e cultivar novas fronteiras de investigação e aprofundar os conhecimentos internacionais e interdisciplinares.

O programa visa apoiar a participação de pesquisadores brasileiros no Simpósio anual Brasil-Alemanha em Fronteiras da Ciência e Tecnologia, permitindo a interação de jovens cientistas brasileiros e alemães, a fim de explorar novas oportunidades para cooperação.

Acesse a página do Apoio à participação em evento por meio do link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/alemanha/bragfost

4- Como funciona o Doutorado CAPES/DAAD?
O programa é realizado pela CAPES em cooperação com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, e o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico – DAAD e visa apoiar candidatos com excelente qualificação científica e acadêmica, para realização de estudos na República Federal da Alemanha nas modaldiades Doutorado Pleno no Exterior, Doutorado Sanduíche no Exterior, Duplo Doutorado no Exterior (oferecido pela CAPES e pelo DAAD).

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/alemanha/doutorado-capes-daad-cnpq

5- Como funciona a cooperação CAPES/HUMBOLT?
O Programa Bolsas para Pesquisa CAPES /Humboldt é uma iniciativa da CAPES em cooperação com a Fundação Alexander von Humboldt (AvH) da Alemanha com o objetivo de conceder bolsas para pesquisadores altamente qualificados, que possuam vínculo empregatício ou não em Instituições de Ensino ou Pesquisa do Brasil, em todas as áreas do conhecimento. A parceria visa a internacionalização de forma mais consistente, o aprimoramento da produção e qualificação científicas e o desenvolvimento de métodos e teorias em conjunto com pesquisadores, de reconhecido mérito científico, alemães ou estrangeiros residentes na Alemanha.

Para mais informações acesse a página do programa através do link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/alemanha/humboldt. Acesse também o link do programa no site da Fundação Alexander von Humboldt: http://www.humboldt-foundation.de/web/capes-humboldt-fellowship.html.

6- O que são as Novas Parcerias Integradas (i-NoPa) com a Alemanha?
O programa i-NoPa – Novas Parcerias Integradas foi uma iniciativa no conjunto das ações de cooperação acadêmica orientada pela demanda entre o Brasil e a Alemanha numa parceria da CAPES com o Deutscher Akademischer Austausch Dienst (DAAD) e a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ).

Visava o apoio ao intercâmbio científico entre grupos de pesquisa brasileiros e alemães e à formação de recursos humanos, bem como incentivar a inovação tecnológica no setor produtivo público e privado a partir de resultados de pesquisas desenvolvidas por instituições qualificadas do Brasil e da Alemanha, de modo a contribuir para o desenvolvimento sustentável, nas áreas de "Energia Heliotérmica" e "Tecnologias de Biogás".

Informamos que o programa i-NoPa – Novas Parcerias Integradas cumpriu com seus objetivos e foi desativado. Para mais informações acerca dos programas fomentados pela Diretoria de Relações internacionais da CAPES recomendamos que acesse o link: https://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior

7- Como conseguir um intercâmbio científico de curta duração na Alemanha?
O programa de Intercâmbio Científico Brasil-Alemanha de Curta Duração foi realizado pela CAPES em parceria com o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico – DAAD, e visava o aprimoramento da cooperação acadêmica e científica entre os dois países. O programa previa o financiamento de missões de professores de instituições brasileiras e alemãs por períodos de 30 a 90 dias.

Teve por objetivo o fomento à pesquisa e o estreitamento de vínculos entre cientistas brasileiros e alemães, através da preparação para a cooperação entre grupos de pesquisas dos dois países. Também configurava como objetivo, a facilitação do acesso a bibliotecas e laboratórios especializados, a execução de pesquisas de campo e o incremento da possibilidade de publicações conjuntas.

Informamos que o programa Intercâmbio Científico Brasil-Alemanha de Curta Duração cumpriu com seus objetivos e foi desativado. Para mais informações acerca dos programas fomentados pela Diretoria de Relações internacionais da CAPES recomendamos que acesse o link: https://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior


8- O que é o Programa Probral?
O programa Probral apoiava projetos conjuntos de pesquisa desenvolvidos por grupos brasileiros e alemães vinculados a Instituições de Ensino Superior e/ou Pesquisa. O programa foi resultado da parceria entre a CAPES e o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) tinha como objetivo: Apoiar e fomentar o intercâmbio científico entre grupos de pesquisa brasileiros e alemães. Prevê a concessão de recursos para a realização de missões de trabalho e aquisição de material de consumo para os projetos, bem como o financiamento de bolsas de doutorado sanduíche e pós-doutorado na Alemanha.

O programa Probral apoia projetos conjuntos de pesquisa desenvolvidos por grupos brasileiros e alemães vinculados a Instituições de Ensino Superior e/ou Pesquisa. É resultado da parceria entre a CAPES e o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) e visa o apoio e o fomento ao intercâmbio científico entre grupos de pesquisa brasileiros e alemães. Prevê a concessão de recursos para a realização de missões de trabalho e aquisição de material de consumo para os projetos, bem como o financiamento de bolsas de doutorado sanduíche e pós-doutorado na Alemanha.

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa no site da CAPES através dp link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/alemanha/probral.

9- Como participar do Programa de Assistente de Ensino de Língua Alemã para Projetos Institucionais – GTA?
O Programa de Assistente de Ensino de Língua Alemã para Projetos Institucionais tem o intuito de contribuir para a elevação da qualidade dos cursos de bacharelado e/ou licenciatura em Letras, Língua Alemã, na perspectiva de valorizar a formação e a relevância social dos profissionais do magistério da educação básica. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) selecionam Instituições Públicas de Ensino Superior (IES) que queiram ser anfitriãs no âmbito do Programa de Assistente de Ensino de Língua Alemã (GTA) para Projetos Institucionais.

As instituições interessadas em receber um Assistente de Ensino de Língua Alemã (que será um bolsista DAAD alemão) deverão apresentar projetos de caráter institucional, com duração de até quatro anos consecutivos, que contemplem a inserção de um falante nativo, na condição de assistente de ensino, em cursos de bacharelado e licenciatura em Letras, Língua Alemã e Universidades Brasileiras que ofereçam, em seus Centros de Línguas, aulas de alemão.

Para mais informações, recomendamos que acompanhe a página do programa pelo link http://capes.gov.br/cooperacao-internacional/alemanha/programa-de-assistente-de-ensino-de-lingua-alema-para-projetos-institucionais-gta

10- Programa de Iniciativa de Pesquisa Colaborativa (PIPC) – CAPES-DFG
O Programa de Iniciativa de Pesquisa Colaborativa (PIPC) – CAPES-DFG visa aprofundar a cooperação acadêmica entre instituições de ensino superior e centros de pesquisa brasileiros e alemães; aprofundar a cooperação entre pesquisadores e educadores de instituições de pesquisa e ensino superior no Brasil e seus pares na Alemanha; contribuir para a mobilidade de professores, pesquisadores e estudantes de pós-graduação entre as universidades alemãs e as instituições de ensino superior brasileiras; apoiar projetos conjuntos de pesquisa desenvolvidos por grupos brasileiros e alemães vinculados a instituições de ensino superior e de pesquisa; incentivar a criação de redes de pesquisa.

Para mais informações, recomendamos que acesse a página do programa no site da CAPES pelo link http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/alemanha/programa-de-iniciativa-de-pesquisa-colaborativa-capes-dfg

11- O que é o Programa NoPa?
O Programa NoPa promoveu o apoio e a promoção de intercâmbio científico entre grupos de pesquisa brasileiros e alemães e a mobilidade acadêmica entre os dois países. Teve como objetivo a seleção de projetos conjuntos de pesquisa dentro dos temas definidos pelos Grupos Assessores Temáticos, o fortalecimento da colaboração entre pesquisadores brasileiros e alemães e o estimulo a mobilidade acadêmica. O programa Programa NoPa cumpriu com seus objetivos e foi desativado. Para mais informações acerca dos programas fomentados pela Diretoria de Relações internacionais da CAPES recomendamos que acesse o link: https://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior

12- O que é o Programa UNIBRAL?
O programa foi executado pela CAPES em cooperação com o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico – DAAD, divido em duas modalidades: UNIBRAL I e UNIBRAL II. Teve como objetivo apoiar projetos de parceria entre universidades brasileiras e alemãs para promover o intercâmbio de docentes e estudantes de graduação.

O programa Programa UNIBRAL cumpriu com seus objetivos e foi desativado. Para mais informações acerca dos programas fomentados pela Diretoria de Relações internacionais da Capes recomendamos que acesse o link: https://www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-exterior 

Como funciona a Casa do Brasil na França?
A Casa do Brasil na França oferece apoio e moradia a estudantes e pesquisadores brasileiros, desempenhando um importante papel no desenvolvimento da pós-graduação. Abriga permanentemente, no mínimo, 120 brasileiros que desenvolvem pesquisas em instituições parisienses.

Outra função da instituição é divulgar a cultura brasileira no universo de mais de cem nações representadas na cidade universitária, por meio de conferências, concertos e exposições. O local recebe visitas de pessoas do mundo inteiro, além de ser objeto de teses de pesquisadores que fazem doutorado em arquitetura e em história da arte. Anualmente, o prédio é visitado por centenas de pessoas. Tombada pelo Patrimônio Histórico da França, a Casa brasileira foi construída a partir de um projeto conjunto dos arquitetos Lúcio Costa e Le Corbusier, inaugurada em 1959, na cidade universitária de Paris.

MAISON DU BRESIL Cité Internationale Universitaire de Paris 7L boulevard Jourdan - 75014 Paris Telefone: 01.58.10.23.00 Fax : 01.45.81.36.60 http://www.maisondubresil.org"

Como funciona a Casa do Brasil em Madrid?
A Casa do Brasil em Madri, vinculada ao Ministério das Relações Exteriores do Brasil, oferece apoio e moradia a estudantes e pesquisadores brasileiros, desempenhando um importante papel no desenvolvimento da pós-graduação. Abriga permanentemente vários brasileiros que desenvolvem pesquisas em instituições na capital espanhola.

Outra função da instituição é divulgar a cultura brasileira e o ensino do português através, sobretudo, de conferências, concertos e exposições. O local recebe visitas de pessoas do mundo inteiro, além de ser objeto de teses de pesquisadores que fazem doutorado em arquitetura e em história da arte. Anualmente, o prédio é visitado por centenas de pessoas.

Sendo um edifício singular em Madri reconhecido pelo “Colégio Oficial de Arquitetos da Espanha”, a Casa do Brasil foi construída a partir de um projeto conjunto dos arquitetos Luis Afonso d’Escragnolle Filho e Fernando Moreno Barberá, inaugurada em 1962, na cidade universitária de Madrid.

CASA DO BRASIL
Avda. Arco de la Victoria, 3 28040 - Madrid - EspañaTelefone: +34 914 551 560 http://www.casadobrasil.es 

Como conseguir apoio para evento no exterior?
O Programa de Apoio a Eventos no Exterior visa a apoiar a participação de professores e pesquisadores doutores em eventos científicos no exterior, com vistas à apresentação de trabalhos científicos de modo a propiciar a visibilidade internacional da produção científica, tecnológica e cultural gerada no país; oferecer oportunidades para a atualização de conhecimentos e a incorporação de novos modos ou modelos de gestão da pesquisa por professores e pesquisadores brasileiros e ampliar o nível de colaboração e de publicações conjuntas entre pesquisadores que atuam no Brasil e no exterior.

O apoio consiste em valor fixo de auxílio, que se destina a contribuir com despesas com a estadia e o traslado de ida e volta do Brasil ao país no qual será realizado o evento. O valor é definido em Portaria da CAPES e pago de acordo com a localização geográfica do evento.

Para mais informações, acesse a página do programa no site da CAPES (http://capes.gov.br/bolsas-e-auxilios-internacionais/pais/218-multinacional/8367-paex-2).

PAEP - Programa de Apoio a Eventos no País

O Programa de Apoio a Eventos no País – PAEP – é um programa que visa impulsionar a realização de eventos científicos no Brasil e a formação de professores para a educação básica, através da concessão de auxílio financeiro às Comissões Organizadoras.

Inicialmente voltado apenas a eventos de curta duração, cujos vínculos se relacionavam unicamente à pós-graduação; desde 2010, o programa atende também àqueles eventos que prezem pela formação e melhoria do quadro docente da educação básica.

Roteiro para solicitação de apoio:
1. Leia o edital vigente, Edital PAEP 04/2012 – RETIFICAÇÃO;
*A proposta deverá ser submetida com antecedência mínima de 90 dias da data de início do evento;
2. Acesse o SICAPES-PAEP para submeter sua solicitação;
3. Preencha e envie o ANEXO III (AUXPE) - formulário pelo CORREIO;
4. Aguarde contato da equipe PAEP, que comunicará os passos seguintes.
* O formulário AUXPE deve ser preenchido conforme ANEXO III (AUXPE) – manual de preenchimento.

O que é a carta de encaminhamento exigida na documentação para submissão de proposta de solicitação de recursos do PAEP?
Informamos que a Carta de encaminhamento é um pedido formal à Coordenação do PAEP. Deve conter o nome do evento, a data, local de realização, a importância do evento. Deve ser um pedido simples com informações básicas.

Programa de Demanda Social (DS)

Objetivo:
Promover a formação de recursos humanos de alto nível, por meio de concessão de bolsas a cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado).

Condições obrigatórias:
As bolsas serão concedidas a instituições de personalidade jurídica de direito público e ensino gratuito, avaliadas pela CAPES com nota igual ou superior a três.

Como funciona?
o As bolsas de estudo do DS são gerenciadas pelas instituições e cursos de pós-graduação, que são responsáveis pela seleção e acompanhamento dos bolsistas, conforme orientações da CAPES.

Acesse o regulamento: www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria_076_RegulamentoDS.pdf

Programa de Apoio à Pós-Graduação (PROAP)

O Programa de Apoio à Pós-Graduação - PROAP destina-se a proporcionar melhores condições para a formação de recursos humanos e para a produção e o aprofundamento do conhecimento nos
cursos de pós-graduação stricto sensu mantidos por instituições públicas.

O PROAP é oferecido a todas as instituições que possuem cursos recomendados pela Capes e por se tratar de um programa institucional, todas as informações sobre ele devem ser obtidas com a pró-reitoria de pós-graduação da instituição de ensino superior.

Acesse o regulamento: www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/PORTARIA-N-156-DE-28-DE-NOVEMBRO-DE-2014.pdf

Acúmulo de Bolsa

Posso acumular bolsa pela Demanda Social/Prosup sendo servidor público?
Com relação à situação de ser servidor público, existem cláusulas específicas nos regulamentos vigentes dos Programas Demanda Social e do PROSUP prevendo que:
o 1- quando servidor público, somente os estáveis poderão ser beneficiados com bolsas de mestrado e doutorado, conforme disposto no art. 318 da Lei 11.907, de 02 de fevereiro de 2009;
o 2 - os servidores públicos beneficiados com bolsas de mestrado e doutorado deverão permanecer no exercício de suas funções, após o seu retorno, por um período igual ao de afastamento concedido (§ 4º, art. 96-A, acrescido pelo Art. 318 da Lei nº 11.907, de 02 de fevereiro de 2009 que deu nova redação à Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990).
o No caso de professores substitutos de instituições públicas, o regulamento vigente do Programa Demanda Social (Portaria 76/2010) estabelece que a condição de bolsista tem de vir antes da contratação como professor substituto (Artigo 9°, inciso XI, letra b).

Posso acumular bolsa pela Demanda Social/Prosup trabalhando como autônomo?
Para os trabalhadores autônomos vale a explicação do segundo parágrafo: para acumular bolsa com atividade remunerada é necessário que os estudantes já bolsistas se dediquem a atividades relacionadas à sua área de atuação e de interesse para sua formação acadêmica, científica e tecnológica" e obtenham autorização, concedida por seu orientador, devidamente informada à coordenação do curso ou programa de pós-graduação em que estiver matriculado.

Posso acumular bolsa pela Demanda Social/Prosup sendo Tutor UAB?
Quanto aos questionamentos relacionados à Universidade Aberta do Brasil (UAB), informamos que de acordo com a Portaria Conjunta CAPES/CNPq nº 01/2007 os bolsistas da CAPES e do CNPq matriculados em programas de pós-graduação no país, selecionados para atuar nas instituições públicas de ensino superior como Tutores da Universidade Aberta do Brasil – UAB, de que trata o Decreto no 5.800, de 8 de junho de 2006, nos termos da Lei no 11.502 de 11 de julho de 2007, terão as respectivas bolsas de estudo preservadas pelas duas agências, pelo prazo da sua duração regular. Aos demais agentes da UAB o acúmulo de bolsas não é permitido.

Posso acumular bolsa pela Demanda Social/Prosup recebendo outra bolsa da CAPES?
Não é permitido o acúmulo de duas bolsas da CAPES, com exceção do caso descrito acima (Tutores da UAB). Aproveitamos para ressaltar que é vedado o acúmulo de bolsas provenientes de quaisquer agências públicas de fomento.

Posso acumular bolsa pela Demanda Social/Prosup trabalhando na mesma área que curso? Se meu coordenador/orientador permitir esta tudo bem com a Capes?
Conforme previsto pela Portaria Conjunta CAPES/CNPq nº 01/2010 há a possibilidade do acúmulo de bolsas com atividade remunerada. Entretanto, de acordo com Artigo 1º da referida Portaria, este benefício aplica-se tão somente a quem já é bolsista. Convém esclarecer que para acumular bolsa com atividade remunerada é necessário que os estudantes já bolsistas se dediquem a atividades relacionadas à sua área de atuação e de interesse para sua formação acadêmica, científica e tecnológica. Além disso, é importante ressaltar que para receber complementação financeira ou atuar como docente, o bolsista deve obter autorização, concedida por seu orientador, devidamente informada à coordenação do curso ou programa de pós-graduação em que estiver matriculado. Essa informação deve ser registrada no Cadastro Discente da CAPES.

Posso acumular bolsa pela Demanda Social/Prosup recebendo o INSS? Recebendo o seguro desemprego? Recebendo aluguel de imóvel próprio?
De acordo com a normativa vigente, não haveria impedimento ao recebimento de bolsas dos Programas Demanda Social ou PROSUP concomitante ao recebimento de benefícios provenientes do INSS ou aluguel de imóvel próprio. Também não há impedimento explícito nos regulamentos desses programas acerca do possível acúmulo de bolsas CAPES e recebimento de rendimentos provenientes de seguro desemprego. Entretanto, após uma leitura na regulamentação do Programa do Seguro-Desemprego (www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7998.htm)entende-se que tal benefício somente poderá ser concedido quando o beneficiário não possuir renda própria de qualquer natureza. Portanto, o impedimento do acúmulo em questão residiria na normatização vigente do seguro desemprego. Sugerimos que o solicitante verifique esse detalhe evitando complicações futuras.

O programa
O objetivo do programa é o financiamento de estudantes matriculados em cursos não gratuitos de Pós-Graduação presencial de mestrado, mestrado profissional e doutorado, recomendados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e ofertados por instituição de ensino superior com adesão ao FIES Pós-graduação.

Adesão
Para efetuar a sua adesão ao Programa de financiamento de Pós-Graduação, acesse: fies.mec.gov.br/principal/autenticacao

Beneficiários
A nova modalidade do Fies terá 31,6 mil potenciais beneficiários, matriculados em mais de 600 programas de pós-graduação stricto sensu ofertados por cerca de 170 instituições privadas.

O Fies da Pós-graduação não atenderá cursos de especialização (lato sensu) nem cursos de ensino a distância. Alunos já contemplados com bolsas da Capes pelo Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares (Prosup) não poderão solicitar o financiamento.

Atraso de bolsa de Jovens Talentos para a Ciência – JTCIC
O bolsista deve entrar em contato com o coordenador do JTCIC em sua IES, pois eles têm acesso às informações de cada bolsista.

Bolsas
Serão concedidas até 11.000 (onze mil) bolsas de iniciação científica, pelo período de até 12 (doze) meses, improrrogáveis, a serem implementadas a partir de 02 de janeiro de 2015. Os estudantes serão classificados em ordem decrescente das notas obtidas na prova seletiva, até o limite do número total de bolsas oferecidas.

Cadastramento dos dados bancários
Os dados foram recebidos e a senha de acesso será enviada automaticamente pela equipe de TI da Capes, para o email informado.

Como realizar minha inscrição?
Os estudantes deverão realizar sua inscrição exclusivamente via Internet por meio do preenchimento do formulário disponível no endereço eletrônico: jovenstalentos.capes.gov.br até 06 de julho 2014. A seleção será realizada mediante aplicação de prova seletiva, que mantem a data no dia 14 de setembro de 2014, com início às 13h, horário oficial de Brasília (DF), nas unidades da federação em que houver instituições que aderiram ao programa, com a duração máxima de quatro horas e 30 minutos. Ao preencher o referido formulário, o ESTUDANTE confirma estar ciente dos requisitos exigidos neste edital para a participação no PJT-IC e que aceita todas as condições nele estabelecidas.
Acesse o Edital: www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/262014-Edital-2014-JOVENS-TALENTOS-final.pdf

Como os alunos serão avaliados no decorrer da vigência da bolsa?
Os critérios de avaliação serão definidos pelas Instituições de Educação Superior.

Erro visualização de resultado
Tente fazer os procedimentos abaixo:

1. certifique-se que está utilizando o Mozilla Firefox
2. desbloqueie janelas pop up
3. consulte o manual do usuário, disponível na tela inicial do site

Se você efetuou todos os passos acima, envie para o email JTCIC@CAPES.GOV.BR um print da tela.

Haverá seleção do Programa Jovens Talentos para a Ciência no ano que vem?

Acompanhe as notícias no site www.capes.gov.br, onde são divulgadas as oportunidades.

Há edital para o Programa Jovens Talentos para a Ciência?
Consulte o regulamento do Programa disponível no site da Capes no link: www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/262014-Edital-2014-JOVENS-TALENTOS-final.pdf.

Mudança de curso dentro da mesma IES
A mudança de curso dentro da mesma IES é permitida. É necessário que nos informe o nome completo do aluno, CPF, IES, curso de origem e destino para que possamos fazer a alteração no sistema.

Nota de Corte
A CAPES esclarece que desde a primeira edição do Programa, em 2012, sempre utilizou a nota de corte de 60 pontos e, desta forma, milhares de candidatos nas duas primeiras edições, que também não atingiram a referida pontuação, não foram selecionados pelo programa, o qual tem o limite máximo de concessão de até 11.000 bolsas.

Este procedimento tem sido adotado como prática nos últimos anos, até pelos próprios objetivos do Programa, o qual visa incentivar jovens talentosos para a ciência nas Universidades brasileiras, o que implica na seleção de alunos com perfil de excelência, ou seja, com nota igual ou superior a 60 no processo seletivo.

Os 3.891 candidatos aprovados foram os únicos com nota igual ou superior a 60.

Objetivo
O programa de incentivo à iniciação científica, Jovens Talentos para a Ciência, é destinado a estudantes de graduação de todas as áreas do conhecimento e tem o objetivo de inserir precocemente os estudantes no meio científico. Os estudantes recém-ingressos em universidades federais e institutos federais de educação são inscritos pela instituição de ensino superior. Os alunos são selecionados por universidade, mediante prova de conhecimentos gerais.

O que será avaliado?
A seleção dos estudantes será formalizada por meio de prova objetiva de conhecimentos gerais (exatas e humanas), composta por questões de múltipla escolha, a ser realizada em um dos campi da instituição do estudantes, com duração de 4 (quatro) horas e 30 (trinta) minutos.

Obrigações das Instituições
o Indicar no formulário disponível no link: www.capes.gov.br/bolsas/programas- especiais/jovens-talentos-para-a-ciencia, o Coordenador Institucional do PJT-IC. A indicação do Coordenador Institucional confirma a adesão da instituição ao programa;
o Indicar no formulário apropriado o Coordenador Institucional do programa e o(s) coordenador(es) de curso;
o Elaborar plano de trabalho para duração de 1 (um) ano prevendo atividades dos bolsistas conforme indicado no item 2.4.1 do regulamento;
o Encaminhar à CAPES, ao final de 1 (um) ano, parecer consolidado acerca do desempenho dos bolsistas do Programa Bolsa Jovens Talentos para a Ciência;
o Manter em sua guarda os termos de compromissos assinados pelos bolsistas selecionados pelo prazo de 5 (cinco) anos.

Quais são os requisitos para candidatura dos estudantes?
o Estar regulamente matriculado em curso de graduação na modalidade presencial em Instituição Federal de Ensino Superior que aderiu ao PJT-IC;
o Ter concluído o ensino médio no final de 2012 ou 2013 e ter ingressado na primeira graduação no segundo semestre de 2013 ou no primeiro semestre de 2014;
o Não possuir vínculo empregatício;
o Não acumular a Bolsa do Programa Jovens Talentos para a Ciência com bolsas de estudos de outros Programas da CAPES ou do CNPq ou de outras instituições Nacionais ou Internacionais;
o Não estar em débito, de qualquer natureza, com a CAPES, CNPq ou outras agências ou instituições de fomento à pesquisa;
o Não ter sido bolsista da CAPES, CNPq ou outras agências públicas, na mesma modalidade de bolsa.

Quais as atividades que terão que realizar se adquirirem a bolsa?
O estudante deverá se dedicar às atividades obrigatórias previstas no plano de trabalho, durante a vigência da bolsa. Bem como participar das atividades complementares oferecidas pela instituição, tais como: seminários, eventos, palestras e outras atividades formativas pertinentes.

Quem já possui bolsa do CNPq pode participar? Quem já possui bolsa do CNPq pode participar?
O estudante não acumular a bolsa do Programa Jovens Talentos para a Ciência com bolsas de estudos de outros Programas da CAPES ou do CNPq ou de outras instituições Nacionais ou Internacionais.

Quem será responsável pela elaboração das provas?
A elaboração e aplicação das provas serão de responsabilidade da CAPES.

Resultado de seleção - Edital nº 26 / 2014
Os estudantes devem acessar o link jovenstalentos.capes.gov.br/ e logar com CPF e senha, que já possuem, e verificar a nota.

Recuperação de senha/troca de email
A recuperação de senha pode ser feita. Segue situações e procedimentos:
o aluno não tiver mais acesso ao email cadastrado
Enviar um email para o endereço JTCIC@CAPES.GOV.BR com o nome completo, CPF, IES e o endereço de email que quer utilizar.
o aluno esqueceu a senha e o email continua o mesmo
Clicar em LEMBRAR SENHA na tela inicial do site: jovenstalentos.capes.gov.br/

Seleção
a) A seleção será feita por meio de prova de conhecimentos gerais, composta por questões de múltipla escolha, a ser realizada na sede instituição do candidato
b) As instituições ficarão responsáveis pela disponibilização dos espaços para a realização da prova, cabendo ao MEC a definição quanto à logística para aplicação das mesmas.

Posso acumular a bolsa da Capes com atividade remunerada?
Para acumular bolsa com atividade remunerada é necessário que o estudante já bolsista consiga algum emprego na área de seu estudo. No entanto, cabe ao orientador permitir este acúmulo. Existem algumas exceções: tutores da Universidade Aberta do Brasil (UAB), professores da educação básica da rede pública e profissionais de saúde pública podem ter o vínculo empregatício previamente à bolsa e acumular as funções. No entanto, cabe ressaltar que é necessário que, além de atender a esses requisitos, esses profissionais também atendam aos requisitos de seleção de bolsa da instituição de ensino que oferta o curso de seu interesse, pois cabe a ela definir seus critérios de seleção de bolsas da Capes.

Bolsas Capes no Brasil - como funciona?
As bolsas de pós-graduação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) no país são institucionais. Isso significa que todos os cursos de mestrado e doutorado avaliados e recomendados pela Capes com nota igual ou superior a três possuem uma cota de bolsas. As bolsas de estudo são gerenciadas pelas instituições e cursos de pós-graduação, que são responsáveis pela seleção e acompanhamento dos bolsistas. Informações sobre concessão, pagamento, suspensão, cancelamento, implementação ou vigência de bolsa devem ser verificadas junto à coordenação do curso e à Pró-Reitoria de Pós-Graduação.

Em casos de desistência, o bolsista deve ressarcir a Capes?
A não conclusão do curso acarretará a obrigação de restituir os valores despendidos com a bolsa, salvo se motivada por caso fortuito, força maior, circunstância alheia à sua vontade ou doença grave devidamente comprovada. A avaliação dessas situações fica condicionada à aprovação pela Diretoria Colegiada da CAPES, em despacho fundamentado deverá ser comunicado à Pró-Reitoria, a qual informará mensalmente a CAPES os cancelamentos ocorridos.

Conta para recebimento de bolsas Capes no país
A conta para recebimento de bolsas Capes no país deve ser:
- Conta corrente de qualquer banco;
- Sendo titular do bolsista (não pode ser conta conjunta, nem conta-poupança).
A orientação para que os bolsistas abram conta corrente no Banco do Brasil se deve ao fato de a Capes possuir conta neste banco e realizar todas as suas atividades financeiras, inclusive pagamento de bolsistas, por ele. Também é uma questão de segurança, já que o valor não precisa sair de um sistema bancário para outro. Informamos que sim é possível receber por outro banco, no entanto poderá ter situações de atraso no pagamento pela necessidade de realização de doc bancário (transferência entre bancos), por exemplo. Já o pagamento feito direto pela Capes via Banco do Brasil é recebido por todos os bolsistas no mesmo dia do depósito.

Isenção de desconto em bolsas Capes
As bolsas de estudos são isentos do imposto de renda, não tributável, desde que caracterize doação, ou seja, quando recebidos exclusivamente para proceder a estudo ou pesquisa e o resultado dessas atividades não represente vantagem para o doador e não caracterize contraprestação de serviços.

Os rendimentos isentos recebidos a título de bolsa de estudos não justificam acréscimo patrimonial.

Dessa forma é necessário que sejam especificadas na declaração de rendimentos, no Campo 'Isentos e Não-Tributáveis'.

Para obter mais informações sobre este processo acesse o link da Receita Federal: www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2012/perguntao/perguntas/pergunta-166.htm

Declaração de recebimento de Bolsa
Qualquer declaração de que o bolsista precisar deverá ser obtida junto à pró-reitoria de pesquisa e pós-graduação da instituição de ensino, tendo em vista que ela é a responsável pela concessão e administração das bolsas da Capes. Caso surjam outras dúvidas, a Capes tem, em seu site, uma área dedicada a dúvidas frequentes para livre acesso.

Distribuição de cotas pela Capes
As cotas de bolsas serão distribuídas considerando: Política de apoio prioritário às áreas estratégicas estabelecidas pela CAPES; Característica, localização, dimensão, nível e desempenho do curso na avaliação da CAPES; Análise de diagnósticos e políticas de indução da CAPES.

Pode-se usufruir de uma bolsa de mestrado e simultaneamente fazer um curso de pós-graduação que não seria por bolsa?
Sim, o aluno bolsista pode fazer os dois cursos, porém a Lei n°12.089 de 11/11/2009 proíbe uma mesma pessoa ocupar simultaneamente mais de uma vaga como estudante em cursos superiores de instituições públicas de ensino superior. Sobre o acúmulo de vagas em cursos de níveis diferentes, as instituições devem ser consultadas, tendo em vista o regimento interno de cada uma delas. Lembrando que a referida Lei não se restringe à graduação. Malgrado o texto afinal sancionado, vale lembrar que a Lei de Diretrizes e Bases assegura às universidades a prerrogativa de criar cursos e dispor sobre os requisitos de ingresso, o que legitima as Instituições Federais de Ensino Superior, medida consentânea com a democratização do acesso e, quiçá, com a preservação do investimento público, ante o maior risco de desistência. A Lei N° 12.089 define também que, em ficando constatado que um estudante ocupa duas vagas em instituições públicas do ensino superior, ele terá cinco dias úteis para fazer opção por um dos cursos. "Se o aluno não comparecer no prazo assinalado ou não optar por uma das vagas, a instituição deverá providenciar o cancelamento da matrícula", diz comunicado da Secretaria de Imprensa da Presidência da República.

Bolsas REUNI - Pós-Doutorado
A Portaria Conjunta nº 1 autoriza a CAPES a descentralizar os recursos financeiros para as Universidades Federais participantes do Programa de Bolsas de Pós-doutorado do REUNI. A portaria tem vigência retroativa a fevereiro de 2011, a CAPES descentralizará os recursos financeiros às universidades que, por sua vez, providenciarão sua transferência aos bolsistas.

Atraso de pagamento de bolsa DS e Prosup
As bolsas Capes no pais são institucionais, isso significa que os programas de pós-graduação selecionam os bolsistas entre os seus alunos matriculados, dentro da cota de bolsas Capes pertencente a cada curso. Cabe à Capes fazer o pagamento aos bolsistas indicados pelas coordenações dos cursos. Informações sobre concessão, pagamento, suspensão, cancelamento, implementação ou vigência de bolsa devem ser verificadas junto às Pró-Reitorias de Pós-Graduação, no caso de bolsas Demanda Social e PROSUP. Os (as) bolsistas devem entrar em contato com tais unidades nos casos em que houver atraso no pagamento, ou alguma informação divergente.

Como conseguir uma bolsa de Pós-Graduação Stricto Sensu no país?
Informamos que o interessado em uma bolsa da Capes deve procurar a coordenação do curso de pós-graduação em que pretende ingressar (ver Cursos Recomendados) e se informar sobre os procedimentos e requisitos necessários para obtê-la.

Comunicado Capes PROEB
Continua valendo o comunicado disponível no site da Capes: Por meio da Portaria nº 209, de 21 de outubro de 2011, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) aprovou o Programa de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Rede Pública da Educação Básica (PROEB), com o objetivo de apoiar a formação continuada em nível de pós-graduação stricto sensu para professores das redes públicas de educação básica. Pelo impacto do PROEB nos programas de pós-graduação das instituições de ensino superior (IES), em consonância com as Portarias do Ministério da Educação (MEC) nº 478 e nº 289, de 2011, que dispõem sobre a concessão de bolsas de Formação Continuada aos professores matriculados em cursos de Mestrado Profissional, a Capes informa que divulgará, em breve, as normas específicas para sua implantação.

Acesse: www.capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/5039-comunicado-capes-proeb

Estrangeiros têm direito a concorrer a uma Bolsa da Capes?
As bolsas da Capes são concedidas apenas para brasileiros ou estrangeiros naturalizados no Brasil, exceto nos casos especificados nos editais (por exemplo, intercâmbio de professores). Caso surjam outras dúvidas, a Capes tem, em seu site, uma área dedicada a dúvidas frequentes para livre acesso.

Cancelamento de bolsas
Os cancelamentos de bolsas devem ser verificados na coordenação do curso programa de pós-graduação da Instituição, para preencher um formulário de cancelamento e devolução de valores (se for necessário) e verificar os próximos passos para efetuar essa devolução. Nestes casos, será emitida uma Guia de Recolhimento da União (GRU) pelas coordenações, pois estas são as responsáveis por informar à Capes tanto a concessão da bolsa, quanto o seu cancelamento/devolução.

Posso alterar meus dados bancários?
Os procedimentos de seleção, cadastramento, suspensão e cancelamento de bolsas, assim como os de alteração de dados bancários, são realizados pelo Coordenador do Programa de Pós-Graduação (PPG) por meio do acesso ao SAC, Sistema de Acompanhamento de Concessões (http://sac.capes.gov.br). Para tanto, é necessário que o Coordenador esteja devidamente registrado e tenha seus dados periodicamente atualizados na Plataforma Sucupira.

Objetivo
O Programa Institucional de Qualificação Docente para a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica tem como objetivo viabilizar a formação, em nível de pós-graduação stricto sensu no país, dos integrantes do quadros de pessoal permanente das Instituições de Ensino Superior pertencentes à Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (RFEPT), a saber: Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IF's), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), CEFET-RJ, CEFET-MG e Escolas Técnicas vinculadas às Universidades Federais.

Como Funciona?
A CAPES, em parceria com a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC) do Ministério da Educação, oferece bolsas de mestrado e doutorado a docentes, técnicos e gestores que sejam admitidos como alunos regulares em Programas de Pós-Graduação stricto sensu no país, de acordo com o Plano Institucional de Qualificação Docente (PIQD) da IFET de origem.

O PIQDTEC é administrado pelas próprias instituições, que selecionam e acompanham os seus bolsistas.

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-pais/piqdtec

Portarias Conjuntas CAPES/CNPQ nº 01/2007 e nº 01/2010
As Portarias Conjuntas CAPES/CNPQ nº 01/2007 e nº 01/2010 não se aplicam aos bolsistas de pós-doutorado (pesquisadores em nível de estágio pós-doutoral) uma vez que esses não são "bolsistas discentes matriculados em programas de pós-graduação".Desse modo, ficam excluídas dessa interpretação as bolsas de pós-doutorado. No que tange ao PNPD, convém esclarecer que:
1. De acordo com os editais do PNPD, não é permitido o recebimento concomitante de bolsa do PNPD com bolsa de qualquer outra natureza;
2. Não é permitido manter vínculo empregatício estatutário ou celetista (nem mesmo estando afastando das atividades laborais), uma vez que os editais trazem expressa tal exigência, juntamente com a de dedicar-se integral e exclusivamente às atividades do projeto, o que impede o recebimento dessa bolsa com o trabalho como autônomo;
3. Não há qualquer previsão nos editais do PNPD que obstam o recebimento de bolsa PNPD com proventos decorrentes de seguro desemprego ou de aluguel de imóvel próprio;
4. Os editais do PNPD não permitem o recebimento de bolsa PNPD quando o candidato é aposentado ou está em situação equiparada.

Por fim, cabe ressaltar que é necessário que, além de atender a esses requisitos, esses profissionais também atendam aos requisitos de seleção de bolsa da instituição de ensino que oferta o curso de seu interesse, pois cabe a ela definir seus critérios de seleção de bolsas da Capes.

Princípios Norteadores
Os projetos submetidos ao edital deverão estar em consonância com, no mínimo, um dos seguintes princípios norteadores:
1. estar relacionado à inovação e ao incremento da cooperação científica com empresas;
2. objetivar a formação de recursos humanos para inovação;
3. resultar em aumento da competitividade das empresas de base tecnológica, em consonância com a PDP;
4. aumentar qualitativa e quantitativamente o desempenho científico e tecnológico do país e a competitividade internacional da pesquisa brasileira;
5. contemplar a inovação, ter relevância regional ou estar inserido em uma política de desenvolvimento local;
6. resultar em adensamento tecnológico e na dinamização de cadeias produtivas.

Objetivos
Apoiar projetos de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, mediante a seleção de propostas que visem:
7. à absorção temporária de jovens doutores, com relativa experiência em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&D&I), para atuarem em projetos de pesquisa e desenvolvimento em áreas estratégicas;
8. ao reforço à pós-graduação e aos grupos de pesquisa nacionais;
9. à renovação de quadros nas universidades e instituições de pesquisa para a execução de ensino em nível de pós-graduação, orientação e pesquisa;
10. à expansão e consolidação de programas e ações induzidas das agências que participam desse programa;
11. ao apoio à Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP), à Lei nº 10.973/04 - Lei da Inovação e à Lei nº 11.487/2007 que disciplina e concede incentivo fiscal ao desenvolvimento de projetos de P&D&I conjuntos de Instituições de Ciência e Tecnologia e empresas;
12. ao apoio às empresas de base tecnológica (EBTs) e às entidades setoriais de apoio à pesquisa, desenvolvimento e inovação nas empresas (ETSs);
13. ao desenvolvimento das ações dos Núcleos de Inovações Tecnológicas (NITs) das Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs).

Objetivo
O PNPD/CAPES, Programa Nacional de Pós Doutorado da CAPES, é um programa de concessão institucional que financia estágios pós-doutorais em Programas de Pós-Graduação (PPG) stricto sensu acadêmicos recomendados pela CAPES.

O número de cotas de bolsas oferecido varia de acordo com critérios definidos pela CAPES, que podem levar em conta o desempenho do PPG na avaliação trienal, as áreas de apoio estratégico, a região em que se situa a IES, entre outros. Os PPGs contemplados são responsáveis pela seleção e acompanhamento dos bolsistas, assim como pela definição de seus objetivos e atividades.

OBJETIVOS DO PNPD/CAPES
I – promover a realização de estudos de alto nível;
II – reforçar os grupos de pesquisa nacionais;
III – renovar os quadros dos Programas de Pós-Graduação (PPG) nas instituições de ensino superior e de pesquisa;
IV – promover a inserção de pesquisadores brasileiros e estrangeiros em estágio pós-doutoral, estimulando sua integração com projetos de pesquisa desenvolvidos pelos Programas de Pós-Graduação no país.

MODALIDADES
As três modalidades de bolsa PNPD/CAPES são detalhadas no Regulamento do programa. Embora os bolsistas inscritos na modalidade C possam interromper as atividades decorrentes de vínculo empregatício, e retomá-las após o encerramento da bolsa, nenhum bolsista PNPD/CAPES pode desenvolver atividades profissionais concomitantes à bolsa, sob pena de lhe ser imputada a obrigação de restituir à CAPES os valores recebidos acrescidos de multa e juros. A tabela-resumo abaixo descreve as principais características de cada uma delas, mas recomenda-se fortemente que os candidatos leiam atentamente o Regulamento a fim de conhecerem os pormenores de cada modalidade.

 
Modalidade de bolsaPúblico alvoAceita Vínculo empregatício?Duração Máxima da Bolsa
A Brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil e portadores de visto temporário. Não, o bolsista não pode manter vínculos empregatícios de nenhuma espécie enquanto bolsista. Até 60 meses.
B Estrangeiros residentes no exterior. Não, o bolsista não pode manter vínculos empregatícios de nenhuma espécie enquanto bolsista. Até 60 meses.
C Brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil e empregados como docentes em IES ou pesquisadores em instituições públicas de pesquisa. Sim, desde que o bolsista mantenha-se afastado das atividades e não mantenha o vínculo com a mesma IES de onde provém a bolsa PNPD. Até 12 meses.

A BOLSA PNPD/CAPES
A bolsa PNPD/CAPES engloba dois aportes financeiros distintos: a bolsa mensal e o pagamento de recursos de custeio anual.

A bolsa mensal consiste no pagamento de mensalidades de R$ 4.100,00 diretamente ao bolsista.

O aporte anual de recursos de custeio será iniciado no ano de 2014, em data a ser posteriormente divulgada pela CAPES. Essa verba destina-se a subsidiar atividades de pesquisa do bolsista, tais como a sua participação em eventos como congressos, encontros e simpósios. O repasse dos recursos de custeio e as normas de sua utilização acompanham o programa de fomento ao qual o PPG está vinculado (exemplos: PROAP e PROEX).

CADASTRAMENTO DA BOLSA
Os procedimentos de seleção, cadastramento, suspensão e cancelamento de bolsas, assim como os de alteração de dados bancários, são realizados pelo Coordenador do Programa de Pós-Graduação (PPG) por meio do acesso ao SAC, Sistema de Acompanhamento de Concessões (http://sac.capes.gov.br). Para tanto, é necessário que o Coordenador esteja devidamente registrado e tenha seus dados periodicamente atualizados no Cadastro de Discentes.
As Pró-Reitorias das IES são responsáveis por chancelar as bolsas cadastradas pelos Coordenadores de PPG no SAC.

ACESSO AO SAC
O acesso ao SAC é realizado por meio da mesma senha utilizada no acesso ao Cadastro de Discentes ou a outros sistemas de acompanhamento da CAPES. Se o usuário não tiver acesso a nenhum sistema relacionado a CAPES, ou em caso de perda de senha, é preciso acessar o link abaixo e realizar o cadastramento de usuário ou a geração de nova senha.
segurancasicapes.capes.gov.br/seguranca/cadastrousuario/cadastrousuario.seam?aba=esqueci.

Posso acumular bolsa do programa PNPD/CAPES, com bolsa de outra agência de fomento ou atividade remunerada?
É vedado o acúmulo da percepção de bolsa com qualquer modalidade de bolsa de outro programa da CAPES, de outra agência de fomento pública, nacional ou internacional, empresa pública ou privada, ou ainda com o exercício profissional remunerado, ressalvadas as exceções previstas no art. 5º da PORTARIA Nº 086, DE 03 DE JULHO DE 2013, ou expressa permissão em norma específica baixada pela Capes.

Quais os critérios para as Instituições que desejam participar do programa PNPD/CAPES?

A instituição que pretender participar do PNPD deverá:
o Ter personalidade jurídica de direito público ou privado;
o Garantir e manter infraestrutura adequada para o gerenciamento do PNPD;
o Ter Programa de Pós-Graduação stricto sensu, recomendado pelaCAPES, reconhecido pelo Conselho Nacional de Educação (CNE)/Ministério da Educação (MEC) e em funcionamento.

Qual a duração da bolsa de PNPD/CAPES?
Para os bolsistas aprovados nas modalidades A e B, o período de duração da bolsa será de doze meses, podendo ser renovada anualmente até atingir o limite máximo de 60 (sessenta) meses. Para os candidatos aprovados na modalidade C, o período máximo de duração da bolsa será de 12 meses, sem possibilidade de renovação.

O programa PNPD/CAPES, oferta bolsas por cotas? Quantas vagas?
Sim. O número de cotas de bolsas oferecido varia de acordo com critérios definidos pela CAPES, que podem levar em conta o desempenho do PPG na avaliação trienal, as áreas de apoio estratégico, a região em que se situa a IES, entre outros. Os PPGs contemplados são responsáveis pela seleção e acompanhamento dos bolsistas, assim como pela definição de seus objetivos e atividades.

O candidato ao programa PNPD/CAPES, deve possuir diploma de Doutor no ato da inscrição?
O candidato deve possuir o título de doutor, quando da implementação da bolsa, obtido em cursos avaliados pela CAPES e reconhecidos pelo CNE/MEC. Em caso de diploma obtido em instituição estrangeira, este deverá ser analisado pelo Programa de Pós-Graduação.

Objetivo:
O PRODOC tem como principal objetivo estimular o desenvolvimento, no âmbito dos programas de pós-graduação de instituições de ensino superior públicas, de projetos institucionais que contribuam para:
o a complementação da formação de recém-doutores e a aquisição, por esses profissionais, de prática acadêmica junto a equipes docentes de programas de pós-graduação;
o a diversificação interna dos grupos de ensino e pesquisa mediante a participação dos egressos de cursos de doutorado de outras instituições do País e do Exterior;
o o fortalecimento de grupos de pesquisa nos programas de pós-graduação;
o a integração das atividades de ensino, de pesquisa e de extensão.

Existe algum modelo de formulário para o relatório final do Programa PRODOC?
O relatório de atividades não possui um formulário padrão. Como será analisado por um consultor com formação na área, sugerimos que utilize o mesmo padrão de um relatório acadêmico.

Objetivo
O Prodoutoral tem como objetivo geral estimular a elaboração e a implementação de estratégias de melhoria do ensino, da pesquisa e da extensão das IFES de origem, de modo a apoiar esforços institucionais para a capacitação e para o aprimoramento da qualificação dos seus docentes, visando à consolidação de grupos de pesquisa e à formação de programas de pós-graduação. É um programa que se caracteriza por favorecer a mobilidade dos bolsistas das IFES de origem para as IES de destino durante o tempo de duração da capacitação docente, bem como a dos professores orientadores, como forma de integração entre as instituições participantes.

Como funciona
O Programa é realizado de forma compartilhada entre a Capes e as instituições participantes por meio do planejamento, cujas bases são descritas no Plano Institucional de Formação de Quadros Docentes (Planfor), instrumento comum a todas as IFES de origem participantes. A implementação do financiamento dependerá da análise técnica da documentação solicitada.

Objetivo:
Manter o padrão de qualidade dos programas de pós-graduação com nota 6 ou 7, pertencentes a instituições jurídicas de direito público e privado, atendendo adequadamente suas necessidades e especificidades.

Como funciona?
Os Programas inseridos no Proex recebem uma dotação orçamentária que pode ser utilizada de acordo com prioridades estabelecidas pelos próprios programas, em qualquer das modalidades de apoio concedidas pela CAPES: concessão de bolsas de estudo, bem como recursos de custeio fomento para investimento em laboratórios, custeio de elaboração de dissertações e teses, passagens, eventos, publicações, entre outros. As bolsas de estudo concedidas no âmbito do Proex são gerenciadas pelas coordenações dos cursos de pós-graduação, que são responsáveis pela seleção e acompanhamento dos bolsistas conforme as orientações da CAPES.

Programa Capes/PGTPA
O Programa de Apoio à Pós-Graduação e à Pesquisa Científica e Tecnológica em Tecnologia Assistiva no Brasil - PGPTA, constitui ação do governo brasileiro destinada a fomentar a cooperação entre instituições civis para implementação de projetos voltados ao ensino, à pós-graduação e ao desenvolvimento de projetos de pesquisas científicas e tecnológicas e à formação de recursos humanos qualificados na área de Tecnologia Assistiva no Brasil.

O PGPTA tem por objetivo estimular no País a realização de projetos conjuntos de pesquisa com vistas a possibilitar o desenvolvimento de projetos de pesquisas científicas e a formação de recursos humanos pós-graduados na área de Tecnologia Assistiva no Brasil, contribuindo, assim, para desenvolver e consolidar o pensamento brasileiro contemporâneo na área.

Para mais informações, acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/programa-capes-pgtpa

PROESP - Programa de Apoio a Educação Especial
O Programa de Apoio à Educação Especial - PROESP é uma iniciativa do Ministério da Educação/SEESP, em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. O programa objetiva apoiar projetos de pesquisa e a formação de recursos humanos, no âmbito da pós-graduação stricto sensu, voltadas à produção e avaliação de referenciais, metodologias e recursos de acessibilidade na educação e demais processos pedagógicos e formativos que envolvem o atendimento educacional especializado para alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, realizado de forma complementar ou suplementar à escolarização.

Pró-Equipamentos
O programa Pró-Equipamentos tem o objetivo de apoiar propostas que visem atender a necessidade de equipamentos destinados à melhoria da estrutura de pesquisa científica e tecnológica dos Programas de Pós-Graduação, em todas as áreas do conhecimento, nas Instituições Públicas de Ensino Superior. Serão priorizados investimentos em equipamentos de uso compartilhado no desenvolvimento de pesquisas na instituição proponente e em instituições parceiras.

PGPSE - Programa de Apoio à Pós-Graduação e à Pesquisa Científica e Tecnológica em Desenvolvimento Socioeconômico no Brasil

Objetivo Geral
O PGPSE tem por objetivo estimular no País a realização de projetos conjuntos de pesquisa com vistas a possibilitar o desenvolvimento de pesquisas científicas e a formação de recursos humanos pós-graduados na área de Desenvolvimento Socioeconômico no Brasil, contribuindo, assim, para desenvolver e consolidar o pensamento brasileiro contemporâneo na área.

Itens financiáveis e modalidades de apoio
São financiáveis os seguintes itens:
o bolsa, com prazo de implementação e duração vinculados ao de vigência do projeto, nas modalidades constantes do edital;
o passagens aéreas, adquiridas na classe econômica e tarifa promocional, para missões de estudos e de pesquisa, no Brasil ou no exterior, e de docência no país para pesquisadores qualificados;
o diárias para missões de pesquisa e docência, conforme legislação vigente;
o despesas de custeio relacionadas às atividades do projeto.

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/desenvolvimento-socioeconomico-pgpse

Pró-Amazônia: Biodiversidade e Sustentabilidade

Objetivo
O Programa Pró-Amazônia: Biodiversidade e Sustentabilidade tem por objetivo estimular no país a realização de projetos de pesquisa e apoio nessas temáticas, utilizando-se de recursos humanos e de infraestrutura disponíveis em diferentes IES ou demais instituições enquadráveis nos termos do edital, possibilitando a produção de pesquisa e inovação associadas à iniciação à pesquisa e formação de doutores, bem como o apoio à realização de estágio Pós-Doutoral. Serão incentivados projetos que contemplem a participação de empresas sediadas na Região Norte.

Áreas temáticas
1. agroecologia;
2. água e recursos hídricos;
3. biotecnologia;
4. engenharias;
5. fármacos;
6. recursos pesqueiros.
7. recursos (produtos) naturais;
8. saúde;
9. segurança alimentar;
10. sustentabilidade dos núcleos urbanos.

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/pro-amazonia-biodiversidade-e-sustentabilidade

Pró-Amazônia Azul - Programa de Apoio à Mobilidade Discente em Pós-Graduação em Ciências do Mar

Objetivo
Estimular a formação de doutores em Ciências do Mar, oriundos de regiões onde exista carência de pessoal em pesquisa e formação de recursos humanos nas áreas específicas demandadas, com expectativa de retorno para exercício profissional na sua região de origem.

Condições obrigatórias
O Pró-Amazônia Azul dirige-se às instituições públicas e privadas brasileiras que possuam, em seus programas de pós-graduação stricto sensu reconhecidos pela CAPES, área(s) de concentração ou linha(s) de pesquisa identificada com pelo menos uma das áreas temáticas definidas por seu Edital.

Como funciona?
Concessão de bolsas de doutorado no país, com duração máxima de 48 meses e auxílio-transporte, correspondente a uma mensalidade de bolsa de doutorado, bem como eventuais taxas escolares, caso o PPG-destino esteja vinculado a uma instituição de ensino superior privada.

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/pro-amazonia-azul

Pró-Defesa - Programa de apoio ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica em defesa nacional

Objetivo
Implantar redes de cooperação acadêmica no país na área de Defesa Nacional, possibilitando a produção de pesquisas científicas e tecnológicas e a formação de recursos humanos pós-graduados no tema.

Como funciona?
O Pró-Defesa dirige-se a instituições públicas e privadas brasileiras que possuam, em seus programas de pós-graduação stricto sensu, reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC), área(s) de concentração ou linha(s) de pesquisa em Defesa Nacional. Também poderão concorrer as instituições que apresentem projeto viável de implantação desta(s) linha(s) e demonstrem comprometimento institucional inequívoco com o desenvolvimento das ações do projeto apresentado e com o fortalecimento do ensino e da pesquisa sobre Defesa Nacional, mesmo após o encerramento do projeto. Será admitida a participação de instituições militares de altos estudos que não possuam programas de pós-graduação stricto sensu, mas que estabeleçam associação com IES, nos termos deste edital.

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/pro-defesa

Programa San Tiago Dantas de apoio ao ensino de relações internacionais

Objetivo
Desenvolver o ensino de pós-graduação em relações internacionais em instituições públicas, formando assim recursos humanos de alto nível, fortalecendo e ampliando programas de pós-graduação existentes e criando novos.

Como funciona?
Conceder apoio a estudos e pesquisas sobre regiões, países, instituições e os múltiplos aspectos, teóricos e práticos, relativos às diferentes instâncias de negociação internacionais.

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/san-tiago-dantas

Programa San Tiago Dantas de apoio ao ensino de relações internacionais

Objetivo
Desenvolver o ensino de pós-graduação em relações internacionais em instituições públicas, formando assim recursos humanos de alto nível, fortalecendo e ampliando programas de pós-graduação existentes e criando novos.

Como funciona?
Conceder apoio a estudos e pesquisas sobre regiões, países, instituições e os múltiplos aspectos, teóricos e práticos, relativos às diferentes instâncias de negociação internacionais.

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/san-tiago-dantas

PROCAD - Programa Nacional de Cooperação Acadêmica

Objetivo
Promover a formação de recursos humanos de alto nível, nas diversas áreas do conhecimento, através de projetos conjuntos de pesquisa de média duração. Intensificar, também, o intercâmbio científico no país, por intermédio do envolvimento de equipes acadêmicas de diversas instituições de ensino superior e de pesquisa brasileiras, criando condições para a elevação geral da qualidade do ensino superior e da pós-graduação.

Como funciona?
Os projetos serão apoiados por meio do financiamento de missões de estudo, missões de docência e pesquisa e estágio pós-doutoral. As missões devem ser planejadas de modo a assegurar a implementação das ações necessárias, destinadas a facilitar e possibilitar a interação entre as equipes, consolidando, desse modo, as redes de cooperação.

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/procad

Procad-NF - Programa Nacional de Cooperação Acadêmica/Ação Novas Fronteiras

Objetivo
O objetivo é apoiar projetos conjuntos de ensino e pesquisa, em instituições distintas, que estimulem a formação pós-graduada, a mobilidade docente e discente e a fixação de pesquisadores doutores nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Quem pode participar
Equipes formadas por professores e estudantes vinculados aos programas de pós-graduação recomendados pela Capes nas instituições de ensino superior (com conceito Capes, igual ou superior a 5 no nível de doutorado). Os projetos devem ter equipe constituída de, pelo menos, três docentes/pesquisadores doutores.

Benefícios
Entre os itens financiáveis estão bolsa e auxílio moradia no país; passagens aéreas e diárias para missões de estudos, missões de docência e pesquisa e estágio pós-doutoral; diárias para missões de docência e pesquisa; e recursos de custeio para o desenvolvimento das atividades do projeto até o máximo anual de R$ 10 mil para cada equipe integrante do projeto.

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/procad-nf

BioMicro - Doutorados em bioinformática e microeletrônica

Objetivo
Fomentar o desenvolvimento de áreas específicas do Sistema de Pós-Graduação Nacional, atendendo a solicitação dos participantes do Seminário Nacional Pós-Graduação: Enfrentando Novos Desafios, promovido pela CAPES.

Como funciona?
Os projetos aprovados terão suporte financeiro da CAPES durante cinco anos, incluindo bolsas, com duração individual máxima de até quatro anos e recursos de custeio.

Quantos projetos foram selecionados?
São quatro projetos, sendo dois em cada área, das seguintes instituições:
o Bioinformática
Universidade de São Paulo (USP), sem instituição consorciada mas envolvendo nove unidades da própria USP.
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em consórcio com o Centro Nacional de Processamento de Alto Desempenho (Cenapad) de Minas Gerais e de Goiás.
o Microeletrônica
Universidade de São Paulo (USP), em consórcio com a Unicamp e a Unesp.
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), sem instituição consorciada mas envolvendo a Escola de Engenharia e os Institutos de Física, Química e Informática da própria UFRGS.

PAPED - Programa de Apoio à Pesquisa em Educação à Distância

Objetivo
Apoiar projetos que visem o desenvolvimento da educação presencial e/ou a distância, incentivando a pesquisa e a construção de novos conhecimentos que proporcionem a melhoria da qualidade, eqüidade e eficiência dos sistemas públicos de ensino, pela incorporação didática das novas tecnologias de informação e comunicação.

Parceria
O PAPED é desenvolvido pela CAPES e pela Secretaria de Educação a Distância (SEED), através do Ministério da Educação.

Como funciona?
Em 2005, o Convite PAPED apresentou duas chamadas, já encerradas:
o Apoio financeiro à elaboração de teses de doutorado ou de dissertações de mestrado sobre aplicações tecnológicas à Educação e sua divulgação por meio de artigos a serem publicados nos Anais do PAPED, destinado, exclusivamente, a estudantes de pós-graduação stricto sensu.
o Premiação de materiais didático-pedagógicos (objetos de aprendizagem e produtos multimídia) de elevado padrão de qualidade para uso em cursos ou disciplinas, ministrados presencialmente ou a distância na educação básica ou superior, desenvolvidos, exclusivamente, por docentes e pesquisadores de cursos de graduação e de pós-graduação stricto sensu.

Programa Nacional de Nanotecnologia
O programa tem o objeitvo de induzir ação específica para acelerar as áreas de Nanotecnologia e Nanociência no país, implementando assim o Programa Nacional de Nanotecnologia bem como o Centro Nacional de Referência em Nanotecnologia.

CEPEMA/USP - Projeto de criação do centro de ensino e pesquisa em meio ambiente

Objetivo
Apoiar a implantação do Cepema, projeto criado pela USP, com sede na cidade de Cubatão-SP.

Como funciona?
Concessão de seis bolsas de estudos de doutorado pleno e duas bolsas de pós-doutorado para recém-doutores, além de recursos de custeio e capital. O Cepema é considerado um apoio especial por tratar-se de projeto com duração específica (cinco anos) e ter sido implantado a partir do deferimento de uma proposta institucional, encaminhada pela Universidade de São Paulo (USP), sem vínculo com os programas regulares da CAPES.

Qual é o papel do Cepema?
Promover a difusão do conhecimento científico aplicado à proteção ambiental, ao gerenciamento de riscos ambientais associados à atividade industrial e à diminuição da poluição.

Agronegócios
O Projeto rede centro-oeste de pós-graduação em ciências e saúde e agronegócios tem por objetivo financiar a implantação dos Programas de Pós-Graduação em Agronegócios e Ciências da Saúde estabelecidos no consórcio UFMS/UFG/UnB através da concessão de recursos de capital para a aquisição de equipamentos e materiais permanentes.

PBE-DPM - Programa de Bolsa Especial para Doutorado em Pesquisa Médica

Objetivo
O Programa de Bolsa Especial para Doutorado em Pesquisa Médica tem por objetivo fomentar o desenvolvimento para a formação em pesquisa médica, com a finalidade de estimular a produção acadêmica e a formação de pesquisadores, em nível de doutorado, por meio de financiamento específico, consolidando e ampliando o pensamento crítico estratégico para o desenvolvimento científico do país.

Como funciona?
Serão concedidas bolsas de Doutorado Pleno no país, por prazo máximo de 48 meses, a candidatos indicados pelo Programa de Pós-Graduação, de acordo com cota aprovada pela Capes, após realização de processo seletivo para o ingresso do aluno no referido Programa de Doutorado.

Programa de Nanobiotecnologia
O Programa de Nanobiotecnologia tem por objeitvo estimular e apoiar no País a realização de projetos conjuntos de pesquisa utilizando-se de recursos humanos e de infra-estrutura disponíveis em diferentes IES, institutos de pesquisa, empresas e/ou demais instituições enquadráveis nos termos deste Edital, possibilitando a produção de pesquisas científicas e tecnológicas por meio de formação de recursos humanos pós-graduados e a formação complementar de RH em outros níveis.

Pró-Cultura
O Programa Pró-Cultura visa promover, por meio de projetos conjuntos de pesquisa, a articulação e o diálogo entre pesquisadores e grupos de pesquisas que atuam no campo de estudos da cultura em instituições nacionais de ensino superior; fomentar novos estudos e pesquisas no campo da cultura; contribuir para o aperfeiçoamento de pessoal de nível superior na pesquisa sobre aspectos contemporâneos e interdisciplinares relacionados ao campo cultural.

RH-TV Digital - Programa de Formação de Recursos Humanos em TV Digital
O Programa de Formação de Recursos Humanos em TV Digital tem por objetivo implantar redes de cooperação acadêmica no país na área de TV Digital, possibilitando a produção de pesquisas científicas e tecnológicas e a formação de recursos humanos pós-graduados no tema.

Pró-Administração
Estimular no País a realização de projetos conjuntos de pesquisa e apoio à capacitação docente utilizando-se de recursos humanos e de infra-estrutura disponíveis em diferentes IES e/ou demais instituições enquadráveis nos termos deste Edital, possibilitando a produção de pesquisas científicas e tecnológicas e a formação de recursos humanos pós-graduados na área de Administração. Contribuirá, assim, para ampliar e consolidar o desenvolvimento de áreas de formação consideradas estratégicas, através da análise das prioridades e das competências existentes visando a melhoria de ensino de pós-graduação e graduação em Administração e Gestão.

Pró-Engenharias
O Programa de Apoio ao Ensino e à Pesquisa Científica e Tecnológica em Engenharias (Pró-Engenharias) visa implantar redes de cooperação acadêmica no país na área das Engenharias, possibilitando a produção de pesquisas científicas e tecnológicas e a formação de recursos humanos pós-graduados no tema.

Programa Ciências do Mar
O Programa Ciências do Mar tem como objetivo estimular e apoiar a realização de projetos conjuntos de pesquisa no País utilizando-se de recursos humanos e de infra-estrutura disponíveis em diferentes instituições de ensino superior (IES), institutos de pesquisa, empresas e/ou demais instituições associadas enquadráveis nos termos deste Edital, possibilitando o desenvolvimento de projetos de pesquisa científica e tecnológica, contemplando a formação de recursos humanos pós-graduados e, de forma complementar, em nível de graduação.

Pós-Doc SUS - Programa Nacional de Pós-Doutorado em Saúde
Visa fomentar as atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, mediante a seleção de projetos apresentados por pesquisadores, que visem:
o investigar temas prioritários para o Sistema Único de Saúde;
o apoiar o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE);
o contribuir para o desenvolvimento da pós-graduação e grupos de pesquisa em saúde no País;
o renovar os quadros nas universidades e instituições de pesquisa, envolvidas em temas estratégicos para o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde;
o apoiar a Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP) e a Lei nº 11.487.

PNADB - Programa Nacional de Apoio e Desenvolvimento da Botânica
O PNADB tem por objetivo maior apoiar projetos conjuntos de pesquisa utilizando-se de recursos humanos e de infra-estrutura disponíveis em diferentes instituições de ensino superior (IES), possibilitando a pesquisa interdisciplinar voltada para a caracterização de espécies botânicas e a criação de condições estimulantes à associação de projetos para incremento da formação pós-graduada na área de botânica no país.

Pró-Comex
Estímulo, no país, para a realização de projetos conjuntos de pesquisa utilizando-se de recursos humanos e de infra-estrutura disponíveis em diferentes instituições de ensino superior (IES) e/ou demais instituições de pesquisa, de modo a possibilitar a produção de pesquisas científicas, mercadológicas e tecnológicas e a formação de recursos humanos pós-graduados em comércio exterior.

Pró-Multiplicar - Programa de Formação de Multiplicadores do Portal de Periódicos
Visa expandir o conhecimento sobre o uso do Portal de Periódicos. Direcionado à comunidade acadêmica que acessa a ferramenta, o Pró-Multplicar se fundamenta em treinamentos ministrados a bolsistas de mestrado e doutorado, que ficam responsáveis por repassar o conhecimento sobre o Portal de Periódicos a alunos de graduação e pós-graduação.

CAPES/SPM
O Programa de Apoio ao Enfrentamento da Violência contra as Mulheres visa estimular, no país, a produção de pesquisas científicas e tecnológicas e a formação de recursos humanos pós-graduados, que incorporem as dimensões de gênero e o acúmulo dos estudos feministas no enfrentamento à violência contra as mulheres em todas as áreas do conhecimento relacionadas, contribuindo, assim, para desenvolver e inserir no pensamento brasileiro tais perspectivas de análises.

CNJ Acadêmico - Programa de Apoio à Pesquisa Jurídica
A iniciativa é uma parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por intermédio do Departamento de Pesquisas Judiciárias do Conselho.

O CNJ acadêmico apoiará propostas que visem promover e fomentar a realização e a divulgação de pesquisas científicas em áreas de interesse prioritário para o Poder Judiciário nas universidades brasileiras. O objetivo é estimular a criação de linhas de pesquisas e redes de discussão nessas áreas.

O edital subdivide-se em áreas temáticas, com subtemas ilustrativos de assuntos considerados importantes. As áreas são as seguintes:
o O Sistema de Justiça Criminal no Brasil – seus problemas e desafios;
o Análise do desempenho dos órgãos do Poder Judiciário;
o Aprimoramento dos instrumentos para uma prestação jurisdicional mais eficiente;
o Atuação, competências e interfaces CNJ com os demais órgãos do Poder Judiciário e dos outros Poderes;
o Utilização da tecnologia da informação para o aprimoramento do Poder Judiciário - limites e desafios; e
o Principais problemas no processo de revisão das decisões nos Juizados Especiais Federais.
O CNJ Acadêmico dirige-se às instituições públicas e privadas brasileiras que possuam programas de pós-graduação stricto sensu, reconhecidos pela Capes, com área de concentração ou linha de pesquisa relacionada aos temas especificados em edital.

Pró-Ensino na Saúde
Projetos de apoio ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica em ensino na saúde. Dirigido a grupos de professores e pesquisadores de instituições brasileiras públicas e privadas, sem fins lucrativos, com programas de pós-graduação stricto sensu com nota mínima 4, o Pró-Ensino na Saúde tem por objetivo possibilitar a produção de pesquisas científicas e tecnológicas e a formação de mestres, doutores e estágio pós-doutoral na área do ensino na saúde contribuindo, assim, para desenvolver e consolidar esta área de formação, considerada estratégica para a consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS).

Programa Nacional de Incentivo à Pesquisa em Parasitologia Básica
Visa estimular e apoiar a realização de pesquisa no país utilizando-se de recursos humanos e de infraestrutura disponíveis em diferentes instituições de ensino superior (IES), institutos de pesquisa ou demais instituições enquadráveis nos termos de edital, possibilitando o desenvolvimento de projetos de pesquisa científica contemplando a formação de recursos humanos pós-graduados, na área de Parasitologia Básica.

Toxinologia / Capes

Objetivo Geral
Estimular e apoiar a realização de projetos conjuntos de pesquisa no país utilizando-se de recursos humanos e de infra-estrutura disponíveis em diferentes instituições de ensino superior - IES, institutos de pesquisa, empresas e/ou demais instituições associadas enquadráveis nos termos deste edital, possibilitando o desenvolvimento de projetos de pesquisa científica e tecnológica, contemplando a formação de recursos humanos pós-graduados e, de forma complementar, em nível de graduação.

Público-alvo
Instituições públicas e privadas brasileiras que possuam em seus programas de pós-graduação (PPGs) stricto sensu área (s) de concentração ou linha (s) de pesquisa dirigida (s) aos temas contemplados no edital. Grupos de pesquisa de instituições que atuem na área poderão ser incluídos nos projetos consorciados e outras instituições que apresentem projetos viáveis.

Programa Capes-Embrapa
O programa tem como objetivo estimular e apoiar a realização de projetos conjuntos de pesquisa no País utilizando-se de recursos humanos e de infra-estrutura disponíveis em diferentes instituições de ensino superior e unidades de pesquisa da Embrapa, possibilitando o desenvolvimento de projetos de pesquisa científica e tecnológica, contemplando a formação de recursos humanos pós-graduados.

Proponentes elegíveis
Serão elegíveis os projetos apresentados por pesquisador, doutor do quadro permanente de pessoal de Instituições de Ensino Superior – IES ou Instituto de Pesquisa público ou privado atuante em Programa de Pós-Graduação stricto sensu aprovado pela Capes e associado a grupos de pesquisa da Embrapa.

Itens financiáveis e modalidades de apoio
A infra-estrutura e os recursos de custeio para a execução do projeto serão disponibilizados pela Embrapa. A Capes financiará os recursos exclusivamente para o pagamento de bolsas de estudo, com prazo de implementação e duração vinculados ao tempo de vigência do projeto, nas seguintes modalidades:
I. bolsas de mestrado no País, com duração máxima de 24 meses;
II. bolsas de doutorado no País com duração máxima de 48 meses e com período facultativo no exterior (sanduíche) de 04 a 06 meses.
III. bolsas de pós-doutorado no País, com duração máxima de 36 meses.

Bolsas no Exterior em Áreas Estratégicas
ATENÇÃO: Inscrição restrita aqueles que tiverem suas candidaturas aprovadas previamente no âmbito dos editais lançados pela Coordenação-Geral de Programas Estratégicos da Capes.

A Diretoria de Relações Internacionais (DRI) da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), no uso de suas atribuições, torna público o regulamento para seleção e concessão de bolsas de diferentes modalidades no Exterior com vistas a atender áreas do conhecimento de natureza estratégica para o país em vinculação com os programas especiais da Capes.

A Capes concede bolsas aos participantes dos projetos de pesquisa integrantes do Programa Nacional de Apoio ao Ensino e à Pesquisa em Áreas Estratégicas (PRONAP) e aos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT), com vistas à inserção internacional de estudantes e pesquisadores, ao estabelecimento de intercâmbio científico e a abertura de novas linhas de pesquisa, para o desenvolvimento no País.

Tais bolsas destinam-se a pesquisadores participantes dos projetos de pesquisa aprovados, exclusivamente, nos editais lançados pela Coordenação-Geral de Programas Estratégicos - (CGPE) da Diretoria de Programas e Bolsas no País (DPB) para realização de atividades no Exterior, devendo ser solicitadas de acordo com o planejado nos projetos e, somente, nas modalidades previstas no edital específico a que se vincula o projeto.

A duração das bolsas para realização das atividades no Exterior varia de acordo com a modalidade concedida e o cronograma de execução proposto na candidatura dentro da vigência do projeto. A natureza das atividades que compreendem a estada no Exterior apresenta a perspectiva de colaboração entre pesquisadores, não cabendo encargos recíprocos para desenvolvimento que impliquem, por exemplo, o pagamento de taxas escolares.

Durante o período de análise da candidatura na Capes, recomenda-se antecipar providências de utilidade futura, tais como, a realização do teste de proficiência de idioma estrangeiro, quando couber, e a obtenção de informações sobre o visto de entrada no país de destino, prevenindo atrasos no início do estágio. Reprogramações do período do estágio originalmente proposto deverão ser formalizados junto a CGPE-DPB, obedecendo os prazos-limite estabelecidos no projeto.

Apos a emissão da Carta de Concessão pela DRI, os candidatos deverão encaminhar, por meio do processo eletrônico, os seguintes documentos para implementação da bolsa: confirmação da obtenção do visto para o país de destino, dados bancários no Brasil, resultado do Teste de Proficiência no idioma do país de destino, de acordo com as normas da DRI para a modalidade de bolsa pretendida, e Termo de Compromisso, devidamente assinado.

Desde Maio de 2010, a CAPES concede Auxílio-deslocamento para aquisição de passagens aéreas pelo bolsista, considerando o valor para o trecho descrito na carta de concessão e nos documentos pertinentes à candidatura. Os procedimentos relativos à reserva e compra dos bilhetes aéreos são de responsabilidade dos próprios candidatos.

A saída para o estágio deve ocorrer na primeira quinzena do mês de início da vigência da bolsa, e a implementação desta fica condicionada ao envio da documentação complementar supracitada com antecedência de quinze dias à data de embarque.

Para mais informações, acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/bolsas-no-exterior-em-areas-estrategicas

PROEJA-CAPES/SETEC
O Programa de Apoio ao Ensino e à Pesquisa Científica e Tecnológica em Educação Profissional Integrada à Educação de Jovens e Adultos (Proeja) realizado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação, tem como objetivo aumentar a produção científica e a criação de cursos na área. As propostas devem conter temas relacionados à educação profissional de jovens e adultos, como o aumento da escolaridade, a inclusão no mundo do trabalho, a capacitação, entre outros. Podem participar grupos de pesquisa de cursos recomendados pela Capes.

Capes/Inmetro

Objetivos
Ampliar a RELAI (Rede de Laboratórios Associados ao Inmetro para Inovação e Competitividade) por meio da seleção de novos laboratórios associados que apresentem potencial para o desenvolvimento de projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P,D&I), em cooperação com os setores industrial/empresarial ou de serviços, demandantes de soluções tecnológicas inovadoras, e Promover e consolidar os laboratórios associados da RELAI:
o Os laboratórios associados poderão compartilhar da infraestrutura laboratorial do Inmetro no desenvolvimento de seus projetos cooperativos.
o Os laboratórios associados poderão se beneficiar das conexões do Inmetro com instituições internacionais de alto nível experientes em programas de cooperação universidade-empresa.

Áreas prioritárias
As áreas prioritárias são aquelas estabelecidas pela política industrial nacional (Plano Brasil Maior) e pela Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação 2012-2015, alinhadas aos programas de pesquisa, desenvolvimento e/ou inovação conduzidos pelo Inmetro.

Proponente
O proponente, responsável pela apresentação da proposta, deve atender, obrigatoriamente, aos itens abaixo:
a) possuir o título de doutor, há pelo menos 5 (cinco) anos, e ter seu currículo cadastrado na Plataforma Lattes, atualizado até a data limite para submissão da proposta;
b) ser obrigatoriamente o coordenador da proposta;
c) ter vínculo formal com a instituição de execução da proposta. Vínculo formal é entendido como toda e qualquer forma de vinculação existente entre o proponente, pessoa física, e a instituição de execução do projeto. Na inexistência de vínculo empregatício ou funcional, o vínculo estará caracterizado por meio de documento oficial que comprove haver concordância entre o proponente e a instituição de execução da proposta para o desenvolvimento da atividade de pesquisa e/ou ensino, documento esse expedido por autoridade competente da instituição. Esse documento deve ficar em poder do proponente, não sendo necessária a remessa a Capes.

Proposta
A proposta deverá ser apresentada na forma de projeto claramente caracterizado como de pesquisa e desenvolvimento tecnológico para fins de inovação. Ver mais detalhes no edital.

Itens financiáveis
a) Bolsas com valores fixados de acordo com normas específicas da CAPES (Portaria Conjunta CAPES/CNPq nº 01, de 28/03/2013 e Portaria CAPES nº 174 de 2012) e duração vinculada ao prazo de vigência do projeto, nas seguintes modalidades:
I. Bolsas no País:
i. Pós-Doutorado, com duração máxima de 24 (vinte e quatro) meses, improrrogáveis;
ii. Professor Visitante Sênior (PVS) com duração de 15 (quinze) dias a 6 (seis) meses improrrogáveis, para professor/pesquisador doutor titulado há no mínimo, 10 anos. O candidato deve ter sido docente ou pesquisador de reconhecida competência em sua área e ter produção científica relevante, notadamente nos últimos dez anos.
II. Bolsas no Exterior, de acordo com normas específicas da CAPES, em especial aPortaria CAPES nº 19/2011:
i. Estágio Pós-Doutoral no exterior, com duração de 6 (seis) a 12 (doze) meses, improrrogáveis, para docentes/pesquisadores cujo título de doutor tenha sido obtido há menos de 8 (oito) anos;
ii. Estágio Sênior no exterior, com duração de 1 (um) a 6 (seis) meses, improrrogáveis, para docentes/pesquisadores cujo título de doutor tenha sido obtido há pelo menos 8 (oito) anos.

Contrapartida
As demais despesas da proposta deverão ser de responsabilidade do proponente/instituição de execução da proposta e demais instituições parceiras, a título de contrapartida.

Acesse a íntegra do edital www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/Edital-RELAI-Inmetro-76-2014.pdf.

Pró-Estratégia - Programa de Apoio ao Ensino e à Pesquisa Científica e Tecnológica em Assuntos Estratégicos de Interesse Nacional

Objetivo
O Pró-Estratégia tem como objetivo estimular no país a realização de projetos conjuntos de pesquisa utilizando-se de recursos humanos e de infraestrutura disponíveis em diferentes IES, ICT e demais instituições enquadráveis nos termos do edital. Assim, o Pró-Estratégia visa estimular a produção de ciência, tecnologia e inovação, bem como a formação de recursos humanos pós-graduados, em áreas relativas à defesa, ao desenvolvimento e a outros temas estratégicos de interesse nacional.

Áreas temáticas
São considerados basicamente três conjuntos de áreas estratégicas:
o as que dizem respeito à gestão estratégica de políticas públicas nas áreas relativas à defesa, ao desenvolvimento e a outros temas estratégicos de interesse nacional, englobando o pensamento prospectivo, a pré-avaliação e avaliação de políticas públicas, as estruturas institucionais conducentes à produção de resultados no longo prazo, o aperfeiçoamento das relações entre o Estado e organizações do setor privado e da sociedade civil;
o as que guardam relação direta com os setores priorizados pela Estratégia Nacional de Defesa, a saber, o espacial, o cibernético e o nuclear, os quais transcendem a divisão entre desenvolvimento e defesa e ampliam as sinergias entre as esferas civil e militar;
o as abrangidas pelos eixos tecnológicos estabelecidos no anexo III do edital, entre as quais se enfatizarão aquelas capazes de, simultaneamente, ampliar as condições de segurança e aperfeiçoar o desenvolvimento nacional, produzindo externalidades positivas para a indústria civil e/ou para o crescimento socioeconômico.

Quem participa?
Podem participar do Pró-Estratégia IES públicas e privadas, instituições militares de ensino e pesquisa, centros de estudos estratégicos, institutos de pesquisa e empresas públicas, desde que atendidos os requisitos constantes em edital.

Capes/ Eletrobras Eletronuclear
O programa Capes/Eletrobras Eletronuclear visa estimular e apoiar a realização de projetos de pesquisa no País concedendo cotas de bolsas a instituições de ensino superior (IES) públicas ou privadas sem fins lucrativos, com o objetivo de apoiar a formação de recursos humanos voltados para o setor nuclear para atuarem em projetos de pesquisa e desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação, e também em núcleos de inovação e transferência de tecnologia.

Capes/CNPEM
O Programa Capes/CNPEM visa estimular e apoiar o desenvolvimento da pesquisa científica e tecnológica nas áreas de energia e materiais, dentre elas, Biotecnologia, Bioenergia, Biomassa Bioetanol, Química Verde, Nanotecnologia e Luz Síncrotron, visando à formação e à capacitação de recursos humanos altamente qualificados nas áreas de atuação dos laboratórios vinculados ao Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais – CNPEM, Laboratório Nacional de Luz Síncrotron – LNLS, Laboratório Nacional de Biociências – LNBio, Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol – CTBE e Laboratório Nacional de Nanotecnologia – LNNano, além de possibilitar a ampliação das oportunidades de cooperação entre grupos de pesquisas. A CAPES concederá bolsas de estudo e o CNPEM será responsável pela disponibilização da infraestrutura e aportes financeiros para deslocamentos.

PVS Capes/ITA - Programa Professor Visitante Sênior Capes-ITA
O Programa Professor Visitante Sênior (PVS) tem como objetivo propiciar a professores/pesquisadores de consagrado mérito científico e reconhecida experiência acadêmica a realização de estudos ou pesquisas de alto nível, além da participação no desenvolvimento de planos, programas e projetos que contribuam para o aprimoramento e consolidação do desempenho científico-acadêmico do ITA para os setores aeronáutico, espacial, defesa e outros de cunho estratégico.

Pós-doutorado Capes/ITA
O programa Pós-Doutorado Capes/ITA tem o objetivo de estimular e apoiar a realização de projetos de pesquisa concedendo cotas de bolsas de pós-doutorado e recursos financeiros de custeio a pesquisadores vinculados a programas de pós-graduação do ITA, com o objetivo de apoiar a formação de recursos humanos, voltados para o setor da Aeronáutica, Espaço e Defesa.

Áreas temáticas
Os projetos de pesquisa devem estar vinculados a apenas programas de pós-graduação do ITA, que sejam recomendados pela CAPES.
As áreas temáticas para apoio à formação de RH são aquelas que focam prioritariamente no estudo de produtos, processos, e serviços relacionados a:
o Grupo 1: Aerodinâmica, propulsão, estruturas, mecânica do voo, novos conceitos de aeronaves, projeto aeronáutico, propulsão espacial e hipersônica.
o Grupo 2: Energia, manufatura, projeto mecânico, produção, materiais, processos de fabricação, mecatrônica, motores e turbinas.
o Grupo 3: Controle, dispositivos e sistema eletrônicos, eletrônica aplicada, microondas, optoeletrônica, telecomunicações, robótica, sistemas autônomos, integração de sistemas e sistemas embarcados.
o Grupo 4: Transporte Aéreo, infraestrutura aeronáutica e espacial, controle e administração de tráfego aéreo, logística e engenharia ambiental.
o Grupo 5: Software embarcado, verificação e validação de software, data science, segurança da informação, comando de controle, big data e educação online.
o Grupo 6: Física dos plasmas, nanotecnologia, fotônica, materiais avançados e Sensores e Atuadores Espaciais, bioengenharia, engenharia física e física experimental.
o Grupo 7: Safety, aviônica e engenharia de sistemas.

Biologia Computacional
O Programa Biologia Computacional Estimular e apoiar a realização de projetos conjuntos de pesquisa entre pesquisadores vinculados a diferentes instituições de ensino superior - IES, institutos de pesquisa e demais instituições associadas enquadráveis nos termos deste Edital, possibilitando o desenvolvimento de projetos de pesquisa científica e tecnológica, contemplando a formação de recursos humanos (RH) em nível de pós-graduação stricto sensu acadêmico e, de forma complementar, em nível de graduação.

Pró-Integração
O Programa de Apoio ao Ensino e à Pesquisa Científica e Tecnológica em Assuntos relacionados ao Desenvolvimento Regional e Nacional (Pró-Integração) tem como objetivo estimular e apoiar a realização de projetos conjuntos de pesquisa entre pesquisadores vinculados a diferentes instituições de ensino superior - IES, institutos de pesquisa e demais instituições associadas enquadráveis nos termos deste Edital, possibilitando o desenvolvimento de projetos de pesquisa científica e tecnológica, contemplando a formação de recursos humanos (RH) em nível de pós-graduação stricto sensu acadêmico.

IODP - International Ocean Discovery Program
O International Ocean Discovery Program (IODP) é um programa internacional de pesquisas marinhas, hoje apoiado por 26 países, e que visa investigar a história e a estrutura da Terra a partir do registro de sedimentos e rochas. Este programa reúne parte significativa da comunidade científica atuante na ciência do mar em águas profundas e tem como objetivo explorar de forma integrada o sistema Terra. Para isto, usa o atual e mais evoluído estado da arte da tecnologia em perfuração oceânica como instrumento essencial para novas descobertas, permitindo a disseminação de dados e amostras a partir de arquivos globais, particularmente para os países membros do programa.

O IODP/Capes-Brasil é executado pela Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) em parceria com a National Science Foundation(NSF). O programa enquadra-se nas diretrizes da Capes de indução temporária de áreas estratégicas da política brasileira de ciência, tecnologia e inovação e consiste em conceder apoio financeiro aos projetos selecionados de acordo com os critérios definidos no Edital.

Pró-Alertas
O Programa de Apoio ao Ensino e à Pesquisa Científica e Tecnológica em Desastres Naturais (Pró-Alertas) constitui ação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) destinada a estimular e apoiar a realização de projetos conjuntos de pesquisa no país, em diferentes instituições de ensino superior (IES), institutos de pesquisa e demais instituições associáveis enquadráveis nos termos do edital, para a formação de recursos humanos em nível de pós-graduação stricto sensu acadêmico, por meio do desenvolvimento de pesquisa científica e tecnológica interdisciplinares na área de Desastres Naturais.

O Pró-Alertas será executado pela Capes com apoio do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O programa enquadra-se nas diretrizes da Capes de indução temporária de áreas estratégicas da política brasileira de ciência, tecnologia e inovação e consiste em conceder apoio financeiro aos projetos selecionados de acordo com os critérios definidos em edital.

Objetivo Geral
Estimular a realização de projetos conjuntos de pesquisa, com vistas a contribuir para a consolidação do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) do MCTI, mediante a produção de pesquisas científicas e tecnológicas e a formação de recursos humanos pós-graduados em Gestão de Desastres Naturais, que levem ao aprofundamento do conhecimento sobre o tema, com vistas a monitorar áreas de risco e estabelecer critérios científicos para elaborar alertas, de maneira a reduzir substancialmente o número de vítimas e prejuízos causados pelos desastres naturais no país.

Programa Ciência Forenses (Pró-Forenses)
O Pró-Forenses tem o objetivo de estimular, no país, a realização de projetos conjuntos de pesquisa utilizando-se de recursos humanos e de infraestrutura disponíveis em diferentes IES e/ou demais instituições enquadráveis nos termos do edital, possibilitando a produção de pesquisas científicas e a formação de recursos humanos pós-graduados aplicados em Ciências Forenses, contribuindo, assim, para desenvolver e consolidar o pensamento brasileiro na área.

Benefícios
o Bolsas no país
o Bolsas no exterior
o Passagens aéreas
o Diárias para missões de pesquisa e docência
o Auxílio-moradia com duração máxima de 12 (doze) meses

Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/programas-especiais/programa-ciencia-forenses-pro-forenses

Requisitos para participar do programa
Poderão solicitar apoio ao PROSUP as Instituições de Ensino Superior Particulares que mantenham Programas de Pós-Graduação stricto sensu recomendados pela CAPES com nota igual ou superior a 3 (três).

Formas de apoio
Bolsas de Pós-Graduação nos níveis de Mestrado Acadêmico e Doutorado, e taxas escolares destinadas aos discentes selecionados pelas Instituições apoiadas pelo Programa.
Para mais detalhes sobre como obter uma bolsa de pós-graduação PROSUP, os discentes deverão entrar em contato com as Pró-reitorias de Pós-Graduação, ou unidade equivalente das Instituições apoiadas pelo Programa.
Acesse: www.capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-pais/prosup

Objetivo
O Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares/ PROSUP - tem por objetivo apoiar discentes de Programas de Pós-Graduação stricto sensu oferecidos por Instituições Particulares de Ensino Superior, contribuindo para a formação e manutenção de padrões de excelência e eficiência na formação de recursos humanos de alto nível, imprescindíveis ao desenvolvimento do País.

O programa PROSUP prevê algum auxílio de reserva técnica para impressão dos volumes de dissertação?
No âmbito do PROSUP, não é disponibilizado esse auxílio. O recurso é restrito à bolsa ou taxa escolar, quando a própria IES faz o cadastro no sistema (pois a concessão é institucional e não pessoal). Há o limite máximo de benefício, que pode chegar a 24 meses para mestrado e 48 para doutorado. Isso acontece se os prazos estiverem dentro do período no qual o discente estiver cadastrado e cursando na IES. O auxílio a que você se refere deve ser o auxílio tese, que foi extinto em 2007, conforme portaria PORTARIA Nº 84, DE 29 DE AGOSTO DE 2007 (Dispõe sobre a extinção do auxílio-tese dos Programas de Fomento da CAPES).

PVNS - Programa Professor Visitante Nacional Sênior

Objetivo
Apoiar a execução de estudos e pesquisas pelo Professor Visitante Nacional Sênior que, em conjunto com planos institucionais, contribuam para a criação ou fortalecimento de programas de pós-graduação stricto sensu, além de propiciar a produção de conhecimento científico.

Quem pode participar
Professores/pesquisadores doutores há pelo menos dez anos que estejam aposentados ou oficialmente licenciados para participar do programa. O candidato deve ter sido docente ou pesquisador de reconhecida competência em sua área e ter produção científica relevante, notadamente nos últimos dez anos.

Benefícios
Serão oferecidas bolsas no valor de R$ 8.905,42 mensais durante um período de dois anos, prorrogável por igual período.

Programa Professor Visitante Sênior Capes-UNILA (PVS Capes-UNILA)

Objetivo
Consolidar científica e academicamente a Universidade Federal da Integração Latino-Americana – UNILA.

Quem pode participar
Professores doutores há pelo menos dez anos, aposentados ou oficialmente licenciados e pesquisadores nível 1 do CNPq ou equivalente. Além disso, o candidato deve ter sido docente e pesquisador de reconhecida competência em sua área e ter produção científica relevante, notadamente nos últimos dez anos.

Benefícios
À UNILA serão concedidas até 20 bolsas de Professor Visitante Sênior.

Aos professores visitantes serão oferecidas bolsas no valor de R$ 8.905,42 mensais durante um período de dois anos, prorrogável por igual período, e passagens aéreas, de ida e volta, entre o local onde ele reside e o da instituição.

Quem pode se inscrever? Quem pode concorrer ao Prêmio CAPES Talento Universitário?
Estudantes brasileiros que ingressaram no ensino superior em 2019, que estejam regularmente matriculados em curso de graduação na modalidade presencial ou a distância em qualquer área do conhecimento, em Instituição de Ensino Superior pública, privada ou militar. Além disso, o candidato ao prêmio deverá ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2017 ou 2018.

Quem entrou na universidade em 2018 com a nota do ENEM de 2017 pode participar?
Não. Somente os estudantes ingressantes em 2019 podem concorrer ao prêmio.

Quem vai entrar na universidade em 2020 e já tem nota do ENEM de 2017 ou 2018 pode participar?
Não. Somente os estudantes ingressantes em 2019 podem concorrer ao prêmio.

Entrei na universidade pelo vestibular tradicional este ano, posso participar?
Se você fez o ENEM em 2017 ou 2018, sim, pode participar, mesmo não tendo ingressado na universidade com a nota do ENEM.

Os resultados dos alunos serão utilizados em alguma pesquisa do Ministério da Educação e da CAPES? Quais são os objetivos do Prêmio CAPES Talento Universitário?
Um dos objetivos do prêmio é subsidiar estudos e pesquisas quantitativas e qualitativas que estejam relacionadas com as competências finalísticas da CAPES.

Como se inscrever?
Os interessados devem se inscrever no site http://talentouniversitario.capes.gov.br, até as 23h59 do dia 12 de novembro de 2019, horário de Brasília.

Até quando as inscrições estão abertas?
Até às 23h59 do dia 12 de novembro de 2019, horário de Brasília, ou quando trinta mil inscrições forem preenchidas – o que ocorrer primeiro.

Tem que pagar taxa de inscrição?
Não é cobrada taxa de inscrição.

Estudantes de quais cursos podem se inscrever?
Podem se inscrever estudantes de qualquer curso de graduação que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2017 ou 2018 e ingressado na universidade em 2019.

A qual área do conhecimento meu curso pertence?
A área de conhecimento de cada curso pode ser conferida através do link: https://www.capes.gov.br/avaliacao/instrumentos-de-apoio/tabela-de-areas-do-conhecimento-avaliacao 

Se uma pessoa está matriculada em uma universidade particular e passou para uma universidade pública para o semestre que vem, qual instituição coloca na inscrição?
Ela deve informar a instituição em que está matriculada no momento da inscrição.

Em que dia será realizada a prova?
A prova será aplicada no dia 08 de dezembro de 2019.

Onde será aplicada a prova?
As provas serão aplicadas em 60 municípios das 27 unidades da Federação, conforme tabela abaixo:

Cidades aplicação prova

Quem será responsável pela elaboração, distribuição e aplicação das provas?
A CAPES contratará uma empresa de reconhecida experiência em ações como esta, que será responsável pela elaboração, distribuição e aplicação das provas.

Serão divulgados mais municípios para realização da prova?
As provas serão aplicadas apenas nos municípios previstos no edital.

Qual o tempo de duração da prova?
A prova terá duração de 4 horas.

Qual o conteúdo da prova?
A prova será de conhecimentos gerais e terá 80 questões de múltipla escolha.

Quais as disciplinas/matérias devo estudar para a prova?
O participante deverá estudar todo o conteúdo de conhecimentos gerais, que inclui história, geografia, matemática, ciências, atualidades políticas, sociais e culturais.

E se eu tiver problemas com a inscrição?
Caso enfrente problemas com a inscrição, envie um e-mail para:
talentouniversitario@capes.gov.br 

Quando será divulgado o resultado?
O resultado será divulgado em fevereiro de 2020, na página da CAPES.

Quantos estudantes serão premiados?
Serão premiados mil estudantes de graduação regularmente matriculados em Instituição de Ensino Superior pública, privada ou militar ingressados no Ensino Superior no ano letivo de 2019 e que obtiverem as maiores notas na prova.

Qual o valor do Prêmio CAPES Talento Universitário?
O prêmio será no valor único de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), cada.

Qual a expectativa de número de inscritos?
A expectativa da CAPES é de que tenhamos 30 mil inscritos para a prova.

É a primeira vez que a CAPES lança esse prêmio?
Sim, é a primeira vez que a CAPES lança esse prêmio.

A Portaria Conjunta nº 1 de 28 de março de 2013 dispõe sobre o reajuste dos valores das bolsas de estudo no país.

Valores das bolsas
PeríodoAtividade prevista
Mestrado R$ 1.500,00
Doutorado R$ 2.200,00
Pós-Doutorado R$ 4.100,00
Professor Visitante Nacional Sênior R$ 8.905,42

1- O que é o ProEB?
Os Programas de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Rede Pública de Educação Básica - ProEB tem por objetivo a formação continuada stricto sensu dos professores em exercício na rede pública de educação básica, em conformidade com a política do Ministério da Educação – MEC, mediante apoio às instituições de ensino superior (IES) ou rede de instituições associadas do País, responsáveis pela implantação e execução de cursos com áreas de concentração e temáticas vinculadas diretamente à melhoria da Educação Básica. O ProEB tem como finalidade a melhoria da qualidade do ensino nas escolas da Educação Básica Pública Brasileira, à medida que: promove a formação continuada de professores das redes públicas de educação, no nível de pós-graduação stricto sensu, nas áreas da Educação Básica Brasileira; institui uma rede nacional para oferta de programas de mestrados profissionais promovidos por instituições de ensino superior públicas brasileiras de notória tradição na área de formação de professores e que sejam partícipes do Sistema Universidade Aberta do Brasil: valoriza as experiências advindas da prática do professor ao mesmo tempo que colabora, através dos trabalhos realizados, para o desenvolvimento de materiais e estratégias didáticas que ensejam a melhoria do desempenho de aprendizagem dos alunos; cria uma rede de reflexão sobre a realidade do Ensino Básico Público Brasileiro, apontando perspectivas de mudanças e respostas aos problemas do cotidiano da escola e da sociedade. Para mais informações, acesse: http://capes.gov.br/educacao-a-distancia/proeb

2- Como se dará a concessão de bolsas e fomento aos cursos de Mestrado Profissional do ProEB?
O apoio da CAPES dar-se-á mediante a concessão de bolsas e fomento aos cursos de Mestrado Profissional do ProEB, nas modalidades presencial e a distância, no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil - UAB, da seguinte forma: as bolsas serão concedidas e pagas diretamente aos professores em efetivo exercício da educação básica pública regularmente matriculados em cursos de Mestrado Profissional do ProEB e cujo trabalho acadêmico tenha como objeto a educação básica; os recursos de fomento destinados ao custeio das atividades acadêmicas de cursos de Mestrado Profissional do ProEB serão calculados conforme a Portaria 61 repassados ao respectivo Programa de Pós-Graduação (PPG) ou ao gestor nacional da rede.

3- Onde posso obter informações sobre o ProfÁgua - Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos?
Os interessados em participar do ProfÁgua deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do ProÁgua: http://www.profagua.uerj.br/ 

4- De que forma posso obter informações sobre o ProfArtes - Programa de Mestrado Profissional em Artes?
Os interessados em participar do ProfArtes deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do ProfArtes: http://www.udesc.br/ceart/profartes

5- Como obtenho informações sobre o PROFBIO - Mestrado Profissional em Ensino de Biologia?
Os interessados em participar do ProfBio deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do ProfBio: https://www.profbio.ufmg.br/

6- Como acesso informações sobre o ProfHistória - Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História?
Os interessados em participar do ProfHistória deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do ProfHistória: http://www.profhistoria.uerj.br/

7- Onde posso obter informações sobre o ProfiAP - Programa de Mestrado Profissional em Administração Pública?
Os interessados em participar do ProfiAP deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do ProfiAP: http://www.profiap.org.br/

8- Como obtenho informações sobre o PROFilo – Mestrado Profissional em Filosofia?
Os interessados em participar do PROFilo deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do PROFilo: http://www.humanas.ufpr.br/portal/prof-filo/

9- De que modo posso acessar informações sobre o ProFis - Programa de Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física — MNPEF?
Os interessados em participar do ProFis deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do ProFis: http://www1.fisica.org.br/mnpef/

10- Onde posso obter informações sobre o Profletras - Programa de Mestrado Profissional em Letras?
Os interessados em participar do ProfLetras deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do ProfLetras: http://www.comperve.ufrn.br/conteudo/posgraduacao/profletras/201501/informacoes.php

11- De que modo obtenho informações sobre o PROFMAT - Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional?
Os interessados em participar do PROFMAT deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do PROFMAT: http://www.profmat-sbm.org.br/

12- Onde posso obter informações sobre o PROFQUI – Mestrado Profissional em Química?
Os interessados em participar do PROFQUI deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do PROFQUI: https://profqui.iq.ufrj.br/

13- Como obtenho informações sobre o PROFSOCIO – Mestrado Profissional em Sociologia?
Os interessados em participar do PROFSOCIO deverão entrar em contato diretamente com a instituição participante. Para maiores informações, acesse o site do PROFSOCIO: http://basilio.fundaj.gov.br/mp_profsocio/

14- Quais são as instituições participantes do ProEB?
Instituições Públicas de Ensino Superior, integrantes do Sistema UAB e Instituições Públicas de Ensino Superior que objetivam integração à UAB, credenciadas pelo MEC.

15- Qual é o público alvo dos cursos do ProEB?
Docentes das redes públicas de educação básica que estejam em efetivo exercício, ou seja, atuando em sala de aula, durante todo o período do curso.

Qual o objetivo do Programa Nacional de Formação em Administração Pública (PNAP)?
O PNAP tem por objetivo selecionar e acolher adesões à oferta de cursos na área da Administração Pública no âmbito do Sistema UAB: bacharelado em Administração Pública, especialização em Gestão Pública, especialização em Gestão Pública Municipal e especialização Gestão em Saúde. Os cursos têm por objetivo a formação e qualificação de pessoal de nível superior visando ao exercício de atividades gerenciais. Poderão aderir ao PNAP todas as Instituições Públicas de Ensino Superior - IPES que compõem o Sistema UAB, com vistas a consolidar a oferta desse Programa em todo o território nacional, por meio da rede de polos de apoio presencial do Sistema UAB. Para maiores informações, acesse: www.capes.gov.br/educacao-a-distancia/pnap

1- O que é a UAB?
A Universidade Aberta do Brasil é um sistema integrado por universidades públicas que oferece cursos de nível superior para camadas da população que têm dificuldade de acesso à formação universitária, por meio do uso da metodologia da educação a distância. O público em geral é atendido, mas os professores que atuam na educação básica têm prioridade de formação, seguidos dos dirigentes, gestores e trabalhadores em educação básica dos estados, municípios e do Distrito Federal. O Sistema UAB foi instituído pelo Decreto 5.800, de 8 de junho de 2006, para "o desenvolvimento da modalidade de educação a distância, com a finalidade de expandir e interiorizar a oferta de cursos e programas de educação superior no País". Fomenta a modalidade de educação a distância nas instituições públicas de ensino superior, bem como apoia pesquisas em metodologias inovadoras de ensino superior respaldadas em tecnologias de informação e comunicação. Além disso, incentiva a colaboração entre a União e os entes federativos e estimula a criação de centros de formação permanentes por meio dos polos de apoio presencial em localidades estratégicas. Assim, o Sistema UAB propicia a articulação, a interação e a efetivação de iniciativas que estimulam a parceria dos três níveis governamentais (federal, estadual e municipal) com as universidades públicas e demais organizações interessadas, enquanto viabiliza mecanismos alternativos para o fomento, a implantação e a execução de cursos de graduação e pós-graduação de forma consorciada. Ao plantar a semente da universidade pública de qualidade em locais distantes e isolados, incentiva o desenvolvimento de municípios com baixos IDH e IDEB. Desse modo, funciona como um eficaz instrumento para a universalização do acesso ao ensino superior e para a requalificação do professor em outras disciplinas, fortalecendo a escola no interior do Brasil, minimizando a concentração de oferta de cursos de graduação nos grandes centros urbanos e evitando o fluxo migratório para as grandes cidades.

2- A CAPES é responsável pelo processo seletivo no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil?
A realização dos processos seletivos no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), bem como os atos administrativos de admissão, dispensa, lotação e acompanhamento das atividades desenvolvidas por parte dos bolsistas são de responsabilidade das Instituições de Ensino, conforme alínea ""a"", inciso II do art. 3º da Portaria CAPES nº 183, de 21 de outubro de 2016.
A CAPES, por seu turno, conforme alínea "f", inciso I do art. 3º da Portaria CAPES nº 183/2016, define os critérios de formação acadêmica e experiência profissional que devem ser observados nos certames executados pelas instituições de ensino.
Ressalta-se que o Art. 7º da aludida Portaria, de que trata da seleção dos bolsistas, foi regulamentado por meio da Portaria CAPES nº 102, de 10 de maio de 2019.

3- Como participar do processo seletivo dos cursos da UAB?
Para ingressar no sistema UAB, o processo de seleção segue o modelo tradicional dos cursos de graduação presenciais, com aplicação de prova de vestibular. Sendo assim, a única exigência é de que os candidatos tenham concluído o ensino médio. A realização das provas fica a critério das instituições públicas de ensino superior. Os interessados deverão procurar as informações diretamente no polo ou na instituição de interesse e verificar com os mesmos quando e como será o processo seletivo.

4- Qual o procedimento para ter um polo da UAB em nosso Município?
O primeiro passo a ser seguido pelo candidato a mantenedor é contatar uma ou mais instituições de ensino para verificar seu interesse em ofertar cursos naquele município. O segundo passo é encaminhar ofício à CAPES acompanhado do interesse da IES, solicitando o polo, conforme Portaria CAPES Nº218 de 24 de setembro de 2018.

5- Quais são as atribuições e o papel do tutor?
Tutor é o profissional selecionado pela IPES vinculada ao Sistema UAB para o exercício das atividades descritas a seguir. No entanto, cabe às instituições de ensino determinar, nos processos seletivos de tutores, as atividades a serem desenvolvidas para a execução dos Projetos Pedagógicos, de acordo com as especificidades das áreas e dos cursos. São as atribuições do tutor: mediar à comunicação de conteúdos entre o professor e os estudantes; acompanhar as atividades discentes, conforme o cronograma do curso; apoiar o professor da disciplina no desenvolvimento das atividades docentes; manter regularidade de acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem - AVA e responder às solicitações dos alunos no prazo máximo de 24 horas; estabelecer contato permanente com os alunos e mediar as atividades discentes; colaborar com a coordenação do curso na avaliação dos estudantes; participar das atividades de capacitação e atualização promovidas pela instituição de ensino; elaborar relatórios mensais de acompanhamento dos alunos e encaminhar à coordenação de tutoria; participar do processo de avaliação da disciplina sob orientação do professor responsável; apoiar operacionalmente a coordenação do curso nas atividades presenciais nos polos, em especial na aplicação de avaliações.

6- A CAPES regulamenta a escolha de tutor da UAB?
A CAPES regulamenta a seleção de todos os bolsistas do Sistema UAB nos termos e limites definidos pela Portaria CAPES nº 102, de 10 de maio de 2019. A questão da alocação do tutor trata de decisão acadêmico-administrativa da universidade, uma esfera que se encontra para além da governança da CAPES. Como o sistema UAB atua com instituições públicas de ensino superior (IPES), as decisões administrativas realizadas por estas ficam automaticamente vinculados às legislações correlatas da Administração Pública.

7- A quem compete o cadastro e a autorização dos bolsistas no SGB?
O cadastramento dos bolsistas no Sistema de Gestão de Bolsas (SGB) compete à IES. Após o cadastramento, a IES deverá adicionar uma vinculação compreendendo o período de atuação do bolsista. Todavia, essa vinculação necessita ser homologada via certificação digital no próprio SGB, sendo essa atribuição pertinente ao coordenador UAB ou ao adjunto UAB.

No tocante ao Coordenador de Polo e Assistente à Docência, tanto o cadastro quanto a autorização dos bolsistas compete diretamente à CAPES.

8- A bolsa UAB é paga na minha conta corrente?
Até agosto de 2016 as bolsas eram depositadas em contas benefício. A partir de setembro de 2016 são depositadas em contas correntes, definidas pelos bolsistas.

9- Como proceder em casos de acúmulo de bolsas?
Orientação ao usuário: Informamos que sua demanda será encaminhada à área técnica responsável para o devido tratamento. Solicitamos, por gentileza, que aguarde comunicação por e-mail ou telefone.

10- O que posso fazer quando há atraso de pagamento de bolsa UAB?
As dúvidas sobre pagamento de bolsas deverão ser levantadas exclusivamente por meio da Coordenação UAB de sua instituição a qual dispõe dos canais apropriados.

11- O que é o ATUAB?
O ATUAB é o ambiente de trabalho da Universidade Aberta do Brasil restrito aos seus colaboradores. Configura-se numa personalização do ambiente virtual de aprendizagem (AVA) Moodle para o compartilhamento de informação, comunicação entre a CAPES, IES e Polos, além da gestão e discussão de temas de interesse para o desenvolvimento do Sistema UAB. Participam desse ambiente os coordenadores UAB, coordenadores de curso, coordenadores de polo de apoio presencial e colaboradores da CAPES. Caso o colaborador não acesse o ATUAB, após 30 dias seu acesso será bloqueado.

12- Como adquirir o acesso ao SGB?
Somente possuem acesso ao SGB a CAPES e as IES. Para os coordenadores UAB terem acesso ao SGB, é necessário o envio da Portaria ou do Oficio do Reitor da IES nomeando o coordenador UAB/Adjunto UAB, juntamente da ficha de cadastro e termo de compromisso. Para o assistente, é necessário o envio de Oficio da Coordenação UAB da instituição designando-o para esse perfil. Após os trâmites descritos anteriormente, os usuários deverão acessar a página http://sgb.capes.gov.br, selecionar a opção "Solicitar Pré-cadastro", posteriormente "Solicitar Acesso" e alimentar o sistema com seus dados pessoais. Após esses procedimentos realizados, o usuário deverá informar aos gestores CAPES pelo e-mail bolsasuab@capes.gov.br, para obter a liberação da sua senha de acesso.

13- De que modo é realizado o cálculo para saber quantas bolsas um professor conteudista e um professor formado têm direito?
O quantitativo de cotas a serem disponibilizadas para instituição de ensino participante será definido nos termos da Instrução Normatica Capes/DED nº02/2017.

14- Como faço para me transferir para outro Polo?
Consulte a instituição ofertante do curso no polo para o qual deseja se transferir. Os regimentos internos da IPES regulam tais procedimentos.

15- De que forma posso retirar o comprovante de rendimentos dos valores recebidos referentes às bolsas UAB?
Anualmente é disponibilizado, para fins de ajuste da Declaração de Imposto de Renda, um extrato dos pagamentos realizados para o bolsista no ano anterior. Atualmente esse extrato é disponibilizado durante o período adequado pela CAPES por meio do link http://informerendimentos.capes.gov.br.

16- Como saber quais os cursos que estão com as inscrições abertas?
Recomenda-se acessar diretamente o site da universidade que oferece o curso de interesse e procurar ali as informações necessárias sobre vestibulares e processos seletivos. Para mais informações acesse http://www.capes.gov.br/uab 

17- De que modo um interessado pode ser um tutor da UAB?
Os interessados em atuar no Sistema UAB como bolsistas (tutores) devem atender aos requisitos exigidos na Lei no 11.273/2006. Caso os requisitos sejam atendidos procure o coordenador UAB de uma instituição participante do sistema e informe-se sobre o processo de seleção de tutores.

18- Qual a qualificação necessária para participar de processo de seleção para tutor?
O candidato a tutor deve possuir formação de nível superior e experiência mínima de um ano no magistério do ensino básico ou superior. Caso não comprove essa experiência, deve comprovar formação pós-graduada ou vinculação a programa de pós-graduação para poder exercer a função.

19- A CAPES regulamenta a escolha de tutor da UAB?
A CAPES regulamenta a seleção de todos os bolsistas do Sistema UAB nos termos e limites definidos pela Portaria CAPES nº 102, de 10 de maio de 2019. A questão da alocação do tutor trata de decisão acadêmico-administrativas da universidade, uma esfera que se encontra para além da governança da CAPES. Como o sistema UAB atua com instituições públicas de ensino superior (IPES), as decisões administrativas realizadas por estas ficam automaticamente vinculados às legislações correlatas da Administração Pública.

20- Como solicitar divulgação de editais de seleção de tutores e alunos no sitio da UAB?
As instituições públicas integrantes da UAB devem preencher o Banco de Dados disponíveis para a recepção dessas informações no ATUAB/Ambiente de Trabalho dos Coordenadores UAB.

21- Como faço para obter uma declaração de rendimentos para o Imposto de Renda relacionada à bolsa UAB?
Os bolsistas que receberam pagamentos tanto por meio do novo SGB/CAPES, quanto por meio do SGB/FNDE, deverão obter duas declarações de rendimentos, referentes às respectivas instituições, que podem ser retiradas na página http://informerendimentos.capes.gov.br.

22- Depois de enviar o lote de pagamento via SGB para a CAPES), é necessário encaminhar alguma documentação?
Não. O envio do lote é realizado mediante certificação digital, o que elimina a necessidade de envio da documentação gerada durante esse procedimento.

23- É necessário solicitar nominalmente quais os bolsistas devem aparecer no lote complementar?
Não. Todavia, se você não autorizou um bolsista por um erro e quer contemplá-lo em um lote complementar, é imprescindível registrar a solicitação de exclusão da não-autorização e identificar o bolsista pelo CPF no mês de referência.

24- É necessário solicitar que o lote complementar do mês seja aberto para nossa instituição, ou todos abrem para todas as instituições?
Os lotes complementares regulares, ou seja, aqueles previstos no cronograma de abertura, são abertos para todas as IES.

25- Esqueci minha senha. O que devo fazer?
Caso a senha seja do SGB, acesse o site do SGB e clique na opção "solicitar pré-cadastro" na página de entrada. Depois, clique em ""recuperar e desbloquear senha no SSD.

Caso a senha seja do SisUAB, basta clicar no link "Esqueci minha senha" na página inicial do sistema e seguir as orientações.

26- Há previsão de licença maternidade para as bolsistas UAB?
Não existe cobertura para licença maternidade no caso das bolsas UAB. Cabe à coordenação UAB da universidade avaliar se as suas tutoras têm condições de manter o seu compromisso junto com os alunos no período em que estiver de licença. A portaria CAPES nº 248 de 19 de dezembro de 2011 aprova a concessão de bolsas, para bolsistas em licença maternidade, exclusivamente nos termos de bolsa de estudo destinado à titulação de mestres e doutores. Dessa forma, essa modalidade de pagamento de bolsa não se aplica à UAB.

Gostaria de ter mais informações sobre a Resolução nº 15, de 4 de dezembro de 2015, que trata do pagamento de bolsas Parfor e UAB. Informamos que a publicação no DOU não gera nenhum prejuízo aos bolsistas. Trata-se apenas de regularizar o que já ocorreu, ou seja, essa revogação é necessária porque a CAPES, desde 2011, assumiu o pagamento das bolsas do Parfor e UAB.

27- De que modo posso obter mais informações sobre cadastro, envio de documentação e pagamento de bolsas?
As dúvidas sobre cadastro, envio de documentação e pagamento de bolsas deverão ser levantadas exclusivamente por meio da Coordenação UAB de sua instituição a qual dispõe dos canais apropriados ou, para aqueles que tem acesso ao SisUAB, em seus dados pessoais no sistema.

28- Qual é a legislação de bolsas UAB?
Instrução Normativa nº 2, de 19 de abril de 2017; Portaria CAPES nº 183 de 21 de outubro de de 2016; Portaria CAPES nº 15 de 23 de janeiro de 2017; Portaria CAPES nº 139 de 13 de julho de 2017; Portaria CAPES nº 153 de 12 de julho de 2018.

29- Os cursos a distância em algum momento são presenciais?
O Decreto n° 5.622/05 determina a obrigatoriedade de momentos presenciais nos cursos a distância, destinados às seguintes finalidades: avaliação dos estudantes; estágios obrigatórios, quando previstos na legislação pertinente; defesa de trabalhos de conclusão de curso, quando previstos na legislação pertinente; atividades relacionadas a laboratórios de ensino, quando for o caso. Cada curso e instituição podem definir momentos presenciais para outros tipos de atividades. As atividades presenciais obrigatórias realizam-se no polo de apoio presencial ou na própria sede da instituição, conforme determinação institucional. O aluno é responsável por comparecer às atividades presenciais, mantendo a frequência mínima exigida por cada instituição. Para conhecer as normas específicas que regulamentam cada curso, o aluno deve se informar junto à instituição de ensino ofertante.

30- De que forma ocorre o pagamento de bolsas UAB?
Os valores referentes às bolsas da UAB serão pagos até o 15º dia útil de cada mês, para os bolsistas relacionados no lote principal, que são os que não tiveram nenhuma restrição no cadastro como bolsistas da CAPES. Os bolsistas que tiveram algum problema no cadastramento compõem os lotes complementares, que são pagos todos os meses a partir do 15º dia útil. Dúvidas sobre cadastro, envio de documentação e pagamento de bolsas deverão ser levantadas exclusivamente por meio da Coordenação UAB de sua instituição a qual dispõe dos canais apropriados.

31- Perdi o prazo para envio do lote. O que devo fazer?
Caso perca o prazo para envio do lote, deverá encaminhar solicitação de prorrogação do prazo. Ressaltamos que o atraso no envio do lote pode implicar atraso no pagamento da bolsa.

32- Posso acumular bolsa CAPES com a bolsa de tutor UAB?
Conforme prevê a Portaria Conjunta Nº2 (CAPES e CNPq), de 22 de julho de 2014 - sobre bolsas dos tutores da Universidade Aberta do Brasil (UAB), para os bolsistas matriculados em programas de pós-graduação no País, a autorização para atuar como tutor deverá ser formulada pela coordenação do curso, ou programa de pós-graduação, em que o bolsista estiver matriculado, com a devida anuência de seu orientador. Para os demais bolsistas, a autorização para atuar como tutor deverá ser emitida pelo coordenador do projeto ao qual a bolsa estiver vinculada. A atuação como tutor da UAB não exime o bolsista de cumprir com as obrigações previstas para cada modalidade de bolsa, inclusive quanto ao prazo de vigência, ficando mantida a obrigatoriedade de cumprir os termos do compromisso assumido com a agência de fomento concedente da bolsa. Acesse a portaria:
http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=456#anchor

33- Posso fazer dois cursos a distância em instituições diferentes?
A Lei 12.089/09 proíbe uma mesma pessoa ocupar simultaneamente mais de uma vaga como estudante em cursos de graduação de instituições públicas de ensino superior. Sobre o acúmulo de vagas em cursos de níveis diferentes, as instituições devem ser consultadas, tendo em vista o regimento interno de cada uma delas.

34- Quais documentos do bolsista deverão ser enviados para a CAPES?
Para cadastros realizados a partir de agosto de 2011 todos os documentos dos bolsistas (Ficha/Termo de compromisso e comprovantes de formação e experiência) deverão ser arquivados pela Universidade. Ressalta-se que os documentos podem ser solicitados pela CAPES mediante requerimento dos órgãos de controle.

Quando tratar-se de Coordenador de Polo ou Assistente à Docência, deve-se seguir suas Portarias correspondentes.

35- Quais são os cursos de pós-graduação stricto sensu a distância?
Pelo sistema UAB são ofertados mestrados profissionais em rede nacional no formato semipresencial voltados a professores da educação básica nas áreas de: Matemática (Profmat), Letras (Profletras), Física – MNPEF (ProFis), Artes (ProfArtes), Administração Pública (ProfiAP), História (ProfHistória), Biologia (ProfBio), Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (ProfÁgua), Química (ProfQui), Filosofia (ProFilo), Sociologia (ProfSocio) e Educação Física (ProfEdFísica). O MEC pretende, com este incentivo, que as instituições de ensino superior apresentem à CAPES propostas de novos cursos de mestrado profissional a distância voltados a professores da educação básica. A CAPES é a responsável pela recomendação de todos os cursos de mestrado e doutorado no Brasil. Para funcionar e ter autorização do MEC, as propostas de cursos são apresentadas à CAPES no período estabelecido pelo Calendário da Diretoria de Avaliação. Após o recebimento das propostas de novos cursos, o Conselho Técnico-Científico da Educação Superior da CAPES avalia todas as propostas e delibera quanto à recomendação ou não da criação do novo curso. São considerados nesta avaliação: proposta do programa; corpo docente; corpo discente, teses e dissertações; produção intelectual e inserção social.

36- Quais são os principais estágios do pagamento das bolsas UAB?
A bolsa é autorizada no SGB de acordo com o cronograma da abertura de lotes de pagamento divulgado. A competência da abertura dos lotes CAPES. A bolsa é autorizada pelo coordenador UAB da IES e paga pela CAPES.
Qual a diferença entre o professor pesquisador e o professor conteudista de acordo com a Resolução n° 8/2010? O professor pesquisador conteudista é aquele que irá trabalhar no processo de elaboração do conteúdo das disciplinas a serem ofertadas nos diversos cursos do sistema UAB. Os professores envolvidos nas atividades de formação, revisão, diagramação e web-design devem ser cadastrados como professor pesquisador desde que cumpram os requisitos estabelecidos pela resolução nº 26
(http://www.uab.capes.gov.br/index.php/component/content/article?id=71:resol).

37- Qual diferença entre o pesquisador I e pesquisador II?
Essa diferenciação vale para todas as funções que tem a categoria I e II. A questão central da diferença é a formação e o valor da bolsa. A categoria I recebe um valor maior de bolsa, no caso do professor pesquisador I, R$ 1.300,00 (hum mil e trezentos reais) e no caso do professor pesquisador II, R$ 1.100,00 (hum mil e cem reais). Para pertencer à categoria I, o bolsista precisa ter 3 anos de experiência no magistério superior. Se o bolsista não preencher esse requisito, mas possuir formação mínima em nível superior e experiência de 1 ano no magistério superior, ou vinculação à programa de pós-graduação de mestrado ou doutorado, receberá bolsa no valor de R$ 1.100,00 (hum mil e cem reais) mensais.

38- Qual é o prazo para que as bolsas sejam creditadas?
O prazo para o pagamento regular das bolsas é até o 15° dia útil do mês subsequente.

39- Qual o procedimento para alterar a data fim de um curso no SGB?
Deve ser encaminhada para a CAPES uma solicitação de alteração. Assim, para que possa ser prorrogada a vigência de um curso no SGB, caberá a análise sobre a consistência no pagamento de bolsa (aprovadas e pagas), bem como o cadastro dos cursos na SisUAB. Nos casos em que não houver pendências no SisUAB e não houver excedentes no pagamento de bolsas, a vigência será prorrogada.

40- Quantas bolsas podem ser pagas para as diferentes funções no meu curso?
O quantitativo de bolsa está especificado na planilha financeira de cada curso, qualquer dúvida nesse sentido, favor contatar o gerente financeiro da IES.

41- Se eu tiver um saldo na minha cota de bolsa anual de um determinado curso, eu posso transferir para outro ano?
Essa questão deve ser tratada com o gerente financeiro da IES.

42- O que é o SisUAB?
O SisUAB é uma plataforma de suporte para a execução, acompanhamento e gestão de processos da Universidade Aberta do Brasil. Está preparado para o cadastramento e consulta de informações sobre instituições, polos, cursos, material didático, articulações, colaboradores e mantenedores. O acesso ao SisUAB é permitido apenas aos usuários previamente autorizados (coordenadores UAB e coordenadores de curso, coordenadores de polos de apoio presencial e colaboradores da CAPES). Acesse: https://sisuab2.capes.gov.br/sisuab2 

43- Como cadastrar um colaborador no SisUAB 2?
Para realizar um cadastro no SisUAB 2 o usuário deve acessar o sistema no endereço https://sisuab2.capes.gov.br, e em sua tela de login clicar em "Solicitar cadastro". O usuário receberá um e-mail com um link para confirmação da solicitação. Ao acessar o link de confirmação o usuário receberá uma senha em seu e-mail que o permitirá acessar o sistema para complementação dos dados cadastrais e a finalização do envio da solicitação.

44- Como cadastrar um Polo?
Somente a CAPES pode cadastrar polos no Sistema UAB.

45- De que modo se cadastra uma IPES?
Uma IPES poderá ser cadastrada acessando o menu "IPES/Cadastrar".

46- Como cadastrar uma Matriz Curricular para um curso?
Na tela inicial do sistema, após login, selecione a opção [Programas e Cursos] e selecione a opção [Curso Convencional] e depois a opção [Consulta]. Uma matriz é cadastrada no momento em que se cadastra um curso nas opções de Curso Convencional ou Curso Nacional. Na tela que aparece "Curso Convencional", clique no botão [Inserir] para incluir uma nova matriz curricular. Em tempo, é importante lembrar que é de competência dos analistas da CAPES que aprovem as matrizes cadastradas em perfis de coordenadores e secretários de curso e UAB.

47- Como cadastrar uma Oferta no SisUAB 2?
Para o cadastro de Oferta no SIsUAB 2 inicialmente o usuário deverá verificar se o curso que a Oferta vai disponibilizar está cadastrado; caso contrário, deve ser realizado o cadastro do curso previamente. O acesso ao cadastro de Cursos e Ofertas se dará por meio do menu "Programas e Cursos". Ao menos um Polo deverá ser incluído para a Oferta. Certificar-se antecipadamente quais Polos estarão capacitados para receber a Oferta.

48- De que forma tenho acesso ao resultado da minha solicitação de cadastro?
Após a análise da solicitação pelo responsável da CAPES, o usuário receberá um e-mail comunicando o seu resultado.

49- Como iniciar um monitoramento de Polo?
A fim de solicitar o monitoramento de um polo, deve-se enviar ofício à CAPES contendo a solicitação e justificativa para que a CAPES proceda com o agendamento da visita.

50- Como substituir a atual Matriz Curricular de um curso?
A atual Matriz Curricular de um curso poderá ser alterada ou substituída acessando o menu "Programas e Cursos/Oferta". Inicialmente a Oferta deverá ser consultada; em seguida acessar o ícone de visualizar e selecionar a aba "Matrizes Curriculares". Uma nova matriz poderá ser incluída ou a atual alterada.

51- Por que eu não consigo alterar ou incluir uma nova Matriz Curricular?
Para acessar uma determinada funcionalidade no sistema, o usuário deverá verificar se o grupo de perfil, ao qual está cadastrado, permite o acesso a funcionalidade desejada.

1- Qual características da conta bancária deve ter para o recebimento regular da bolsa?
A conta deve ter obrigatoriamente as seguintes características: - ser conta-corrente; - estar ativa (sempre verificar junto ao banco); - ter como titular o beneficiário da bolsa; - não ser conta-salário; - não ser “Conta Fácil”, de operação 023 da Caixa Econômica; - não ser poupança.

2- Fiz o cadastro de minha conta BB no SCBA, mas o pagamento da bolsa consta como devolvido. Como proceder?
Verificamos que muitas contas bancárias do Banco do Brasil estão sendo cadastradas, no SCBA, com o 0 (zero) no lugar do X no campo dígito verificador da conta. Por esse motivo, muitos pagamentos de bolsas estão sendo devolvidos. Orientamos a não realizar essa substituição. Os beneficiários que tiverem realizado o cadastramento com tal substituição, podem acessar o sistema e proceder a correção. Após a correção, deverão aguardar a próxima folha de pagamento para o recebimento da bolsa devolvida. Em caso de dúvidas, entre em contato com o coordenador institucional que é o responsável pelo gerenciamento das bolsas e possui os meios de contato apropriados com o programa de Residência Pedagógica.

3- O bolsista não recebeu a bolsa e consta no SCBA ter sido devolvido por problemas na conta (dv inválido, conta invalida, etc). Como proceder?
Orientamos a correção da conta no sistema. Para alterar os dados bancários é necessário que acesse o processo e cadastre os dados corretos no item “Complementar dados”. Conforme os passos descritos abaixo:

1) Acessar o menu “Processos > Meus processos”.
2) Selecionar o nome do “Programa Capes” e “Edital”, depois clicar em “Pesquisar”. 3) Acessar o processo do beneficiário clicando no número do processo.
4) Clicar no botão “Complementar dados”.
5) Acessar a aba “dados bancários” e depois clicar no botão + ao lado da “Conta Bancária. ” 6) Cadastrar os dados bancários corretos e depois clicar em “Salvar”.

Observação: Caso esteja no notebook e não visualize o botão “Salvar” no final da página, diminua o zoom da tela ou puxe arraste a tela para cima. Assim conseguirá acessar o botão.
7) Após a alteração dos dados bancários, clicar no botão “Salvar” da tela de “Dados Bancários” e o procedimento estará finalizado.
8) Aguardar a próxima folha de pagamento para o recebimento da bolsa devolvida.

4- O bolsista não recebeu e o SCBA diz que a conta está inativa, o que fazer?
O bolsista deve depositar um pequeno valor na conta e reativá-la. O problema da conta tendo sido corrigido, não é necessário nenhum tipo de solicitação para a Capes. O pagamento da bolsa devolvida será gerado junto à próxima folha, no início do próximo mês.

5- O pagamento consta no extrato, mas ainda não está na conta do bolsista. O que fazer?
Pode acontecer uma defasagem de tempo entre a informação do extrato e o depósito na conta corrente, principalmente para aqueles que não possuam conta no Banco do Brasil. Em caso de dúvidas, entre em contato com o coordenador institucional que é o responsável pelo gerenciamento das bolsas e possui os meios de contato apropriados com o programa de Residência Pedagógica.

6- O que é o Programa de Residência Pedagógica?
O Programa de Residência Pedagógica tem por objetivo induzir o aperfeiçoamento da formação prática nos cursos de licenciatura, promovendo a imersão do licenciando, que está na segunda metade curso, na escola de educação básica. Essa imersão deve contemplar, entre outras atividades, regência de sala de aula e intervenção pedagógica, acompanhadas por um professor da escola com experiência na área de ensino do licenciando e orientada por um docente da sua Instituição Formadora.

7- Quais as modalidades de bolsa do Programa de Residência Pedagógica?
No Programa de Residência Pedagógica serão concedidas as seguintes modalidades de bolsa: Residente: para discentes com matrícula ativa em curso de licenciatura que tenham cursado o mínimo de 50% do curso ou que estejam cursando a partir do 5º período, no valor de R$400,00 (quatrocentos reais); Coordenador Institucional: para docente da IES responsável pelo projeto institucional de Residência Pedagógica, no valor de R$ 1.500,00 (um mil e quinhentos reais); Docente Orientador: para o docente que orientará o estágio dos residentes estabelecendo a relação entre teoria e prática, no valor R$1.400,00 (um mil e quatrocentos reais); Preceptor: para o professor da escola de educação básica que acompanhará os residentes na escola-campo, no valor de R$ 765,00 (um mil e setecentos e sessenta e cinco reais).

8- Quais os objetivos do Programa de Residência Pedagógica?
Aperfeiçoar a formação dos discentes de cursos de licenciatura, por meio do desenvolvimento de projetos que fortaleçam o campo da prática e conduzam o licenciando a exercitar de forma ativa a relação entre teoria e prática profissional docente, utilizando coleta de dados e diagnóstico sobre o ensino e a aprendizagem escolar, entre outras didáticas e metodologias; Induzir a reformulação do estágio supervisionado nos cursos de licenciatura, tendo por base a experiência da residência pedagógica; Fortalecer, ampliar e consolidar a relação entre a IES e a escola, promovendo sinergia entre a entidade que forma e a que recebe o egresso da licenciatura e estimulando o protagonismo das redes de ensino na formação de professores; Promover a adequação dos currículos e propostas pedagógicas dos cursos de formação inicial de professores da educação básica às orientações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

9- Como posso fazer o cadastro para receber a bolsa do Programa Residência Pedagógica?
O cadastro deve ser feito primeiramente na Plataforma Freire. Feita a seleção, e distribuição de bolsas, os coordenadores institucionais responsáveis vinculam o currículo selecionado a um projeto institucional do Residência Pedagógica. Para que a CAPES efetue o pagamento da bolsa o nome do bolsista deve aparecer tanto na Plataforma Freire como no Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios (SCBA), o qual reconhece pagamentos somente para aqueles bolsistas que estão vinculados a um projeto institucional.

1- Qual objetivo do Programa de Desenvolvimento Profissional de Professores da Educação Básica no Canadá?
O Programa tem o objetivo de promover a capacitação de professores em efetivo exercício nas escolas públicas das redes estadual, municipal e distrital, por meio da realização de curso de aperfeiçoamento, com duração de 08 semanas, promovido pelo Colleges and Institutes Canada - CICan.O curso oferece capacitação em inglês básico e aperfeiçoamento em gestão de sala de aula e em aprendizagens centradas no aluno.

2- Qual características da conta bancária deve ter para o recebimento regular da bolsa?
A conta deve ter obrigatoriamente as seguintes características: - ser conta-corrente; - estar ativa (sempre verificar junto ao banco); - ter como titular o beneficiário da bolsa; - não ser conta-salário; - não ser “Conta Fácil”, de operação 023 da Caixa Econômica; - não ser poupança.

Qual objetivo do Programa de Desenvolvimento de Profissionais da Educação Básica na Irlanda?
O Programa tem o objetivo de promover a capacitação dos profissionais que atuam na direção, coordenação ou supervisão pedagógica das escolas de educação básica das redes pública ou privada sem fins lucrativos e nos colégios militares que ofertam educação básica, por meio da realização de curso de especialização em educação no Mary Immaculate College, em Limerick, Irlanda.A proposta pedagógica do curso tem por objetivo, além do treinamento em língua inglesa, o desenvolvimento de habilidades em liderança e gestão pedagógica.

1- Alunos de cursos da UAB poderão solicitar vagas na Plataforma Freire?
Alunos ativos em cursos da UAB não poderão solicitar vagas na Plataforma Freire. Caso o aluno não esteja ativo no programa, é necessário procurar a coordenação da UAB para que o retire do sistema.

2- Como cadastrar meu currículo na Plataforma Freire?
Após realizar o login de acesso em http://freire2.capes.gov.br, será exibida a tela com o Termo de Aceite. Leia atentamente o documento e selecione a opção “Aceito os termos acima citados” para dar prosseguimento ao cadastro. Todos os campos com o asterisco vermelho devem ser preenchidos. Para inserir o endereço, os telefones, os e-mails e as redes sociais, basta selecionar o botão +incluir que se encontra abaixo de cada campo. Caso o sistema já apresente esses dados e os mesmos não estejam atualizados, realize uma nova inclusão para informar os dados corretos. Lembre-se que o sistema não permite a exclusão ou edição do dado já existente, daí a necessidade de nova inclusão. Lembre-se que: O sistema exige pelo menos um endereço comercial; Você deverá indicar a informação que deseja tornar pública, clicando no ícone que possui a imagem de uma impressora. Dessa forma, a informação poderá ser visualizada por qualquer pessoa. Após o preenchimento dos dados pessoais, clique em Salvar/Próximo e você será direcionado para o formulário de Formação Acadêmica, que poderá trazer seus dados preenchidos automaticamente. Esses dados poderão ser complementados e/ou alterados por você. O cadastro da Formação Acadêmica contempla: Formação básica e graduação, na qual o usuário deverá informar os dados do ensino fundamental, médio e da graduação; Formação continuada e pós-graduação, onde o usuário deverá informar os dados relativos aos cursos de aperfeiçoamento, extensão, especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado; e Idiomas. Atenção! Caso você não encontre a sua instituição ou seu curso de formação, favor encaminhar e-mail com cópia do diploma anexado para freire@capes.gov.br para que possamos incluí-los na lista de entidades e cursos. O próximo passo é o preenchimento do formulário de Atuação Profissional, onde deverão ser colocadas informações sobre: experiência profissional na educação básica (SOMENTE PARA ATUAÇÃO EM ESCOLAS/INSTITUIÇÕES QUE OFERTAM EDUCAÇÃO BÁSICA), outra atuação profissional, participações em projetos, produção técnica, didática, cultural e bibliográfica e participações em eventos. Para incluir uma experiência profissional da educação básica, clique sobre o botão +incluir. Aparecerá uma tela para preenchimento. Selecione a UF (estado) e o município. Comece a escrever o nome da escola (digite pelo menos 3 letras do nome da escola ou uma palavra do nome da escola sem abreviação). O sistema disponibilizará a escola para a seleção. Exemplo: Se o professor atua na Escola Classe Agrovila (EC Agrovila), deverá escrever no campo “Nome da Escola” a palavra agrovila. Nesse momento o sistema buscará, no município, todas as escolas com essa palavra no nome e você poderá selecionar a escola onde trabalha. Alguns dados são preenchidos automaticamente pelo sistema; outros você deverá incluir, entre eles, aqueles referentes à função, à situação funcional, à carga horária, à modalidade, à etapa e disciplina de atuação. Em seguida clique no botão +Adicionar. Na sequência digite a data de início e fim (se houver) da atuação naquele estabelecimento e depois clique em salvar. Para incluir mais Experiências profissionais na educação básica, clique em +Incluir. O Campo “Outra atuação profissional” é livre para preenchimento com os dados relativos aos vínculos com qualquer outro órgão/entidade/empresa que não sejam escolas ou instituições que atuem com educação básica. O campo “Participações em projetos” é dedicado a detalhar a participação em projetos ou programas educacionais que você tenha participado, como por exemplo (Pibid, Pibic, Prêmio Professores do Brasil, entre outros). O campo “Produção Técnica, Didática, Cultural e Bibliográfica” destina-se à inclusão de materiais, sequências didáticas, entre outros produtos educacionais e instrucionais desenvolvidos pelo usuário. Concluído o preenchimento do currículo, você precisa concordar com o Termo de Adesão e Condições de Uso. Clique no botão para concordar e leia atentamente o documento. Em seguida, selecione a opção “Declaro que li e estou de acordo com a Termo de Adesão e Condições de Uso”. O usuário deverá aceitar os termos e autorizar a publicação do currículo. Ao selecionar essa opção, o sistema voltará a exibir a tela de dados pessoais.

3- Dificuldades no preenchimento do currículo na Plataforma Freire. O que fazer?
Em caso de dificuldades no acesso ou preenchimento do currículo na Plataforma Freire (telas de erro, campos que não acatam os dados informados e etc), orientamos que troque de navegador (de preferência Google Chrome ou Mozilla Firefox) e/ou faça a limpeza de cache e cookies, e tente realizar o procedimento novamente. Caso o erro persista, deverá ser encaminhada uma solicitação para o Fale Conosco, disponível na página da CAPES (http://fale-conosco.mec.call.inf.br/), contendo a descrição detalhada da dificuldade enfrentada com o Print Screen da tela de erro, para que possamos auxiliá-lo(a).

4- Não tenho acesso à Plataforma Freire. Como solicitar meu cadastro?
Para acessar a nova Plataforma Freire acesse o link: http://freire2.capes.gov.br e selecione a opção “Solicitar cadastro”. Após “Solicitar cadastro”, você será direcionado à tela do sistema SiCAPES - SEGURANÇA, na qual deverá preencher seus dados pessoais, informar o código disponibilizado na tela e, em seguida, clicar em solicitar cadastro. Realizado o passo anterior, clique em OK. Um link será enviado para o e-mail informado. Verifique na mensagem se o seu e-mail está correto. O Sistema enviará para o seu e-mail um link para confirmação do cadastro. Clique nesse link e será direcionado para a tela de cadastro. Clique no botão “ok”. Na sequência, uma nova mensagem com a sua senha provisória será enviado para seu e-mail. Volte ao link http://freire2.capes.gov.br faça o login (seu login será sempre o seu CPF) e informe a senha enviada para seu e-mail. Na tela de Login de Acesso à Plataforma você também poderá, se desejar, alterar sua senha.

5- O Coordenador Institucional pode visualizar as escolas habilitadas pelas secretária para os Programa CAPES?
Sim, pode visualizar todas as escolas e componentes aprovados para a Instituição de Ensino Superior, na opção disponível ao perfil Coordenador Institucional no Menu "Gestão de Programa".

6- O que é a Plataforma Freire?
A Plataforma Freire é um sistema disponibilizado pela Capes com a finalidade de constituir uma base de dados que: a) abrigue o currículo de profissionais do magistério da educação básica e superior, estudantes de licenciatura e outros profissionais que desenvolvam ou participem de programas, atividades, estudos e pesquisas relacionados à missão institucional da Capes de subsidiar o Ministério da Educação na formulação de políticas e no desenvolvimento de atividades de suporte à formação de profissionais de magistério para a educação básica e realizar a indução, o fomento e o acompanhamento de programas e ações destinados à formação inicial e continuada dos profissionais de magistério, bem como a estudos e pesquisas na área; b) permita à Capes realizar a gestão da demanda por formação inicial e continuada de professores da educação básica e o acompanhamento dos programas e ações que tenham entre seus partícipes professores e escolas das redes de ensino; c) disponibilize às redes de ensino dados e informações sobre os profissionais do magistério, com o intuito de facilitar o planejamento e a elaboração de políticas locais de formação inicial e continuada de professores; d) oportunize aos profissionais do magistério da educação básica e das licenciaturas a socialização de suas produções técnicas e acadêmicas, fomentando a visibilidade desses profissionais, a constituição de redes e a conexão com os gestores de políticas educacionais; e) subsidie a Capes nos processos de seleção de projetos vinculados aos programas apoiados por esta Fundação. A Plataforma Freire é integrada ao Censo da Educação Básica. Por isso, contém dados de identificação e informações sobre a formação e a atuação de professores da educação básica. Essas informações são disponibilizadas apenas para o professor no momento do seu acesso ao sistema. Acesse a Plataforma Freire: freire.capes.gov.br

7- Por que é necessário dar aceite ao termo de adesão e condições de uso após preenchimento ou alteração qualquer informação dos Dados Pessoais, Formação Acadêmica, Atuação Profissional, Projeto, Produções e Eventos?
O aceite ao termo é para se ter acesso à opção de geração do currículo em versão .PDF para impressão e, também, para participação em qualquer oferta de vagas em curso de graduação ou em programas CAPES.

8- Quem deve incluir seu currículo na Plataforma Freire?
Os (as) profissionais (as) do magistério na educação básica, os (as) docentes e os estudantes de cursos de licenciatura, pesquisadores (as) e estudantes de programas de pós-graduação que atuam com educação básica e com a formação de profissionais para esse nível de ensino, os (as) gestores e outros (as) profissionais que atuam na escola básica, os (as) secretários (as) de educação das redes de ensino ou órgão equivalente, entre outros (as) profissionais que desenvolvam ou participem de programas, atividades, estudos e pesquisas relacionados à educação básica e à formação de professores para esse nível de ensino.

9- Como vincular o nome do bolsista a um projeto?
A inclusão de bolsista em projeto institucional na Plataforma Freire é realizada pelo coordenador institucional ao acessar o projeto ou pela equipe da Capes, quando há uma solicitação do coordenador institucional. Caso o bolsista não esteja vinculado a projeto na Plataforma Freire, deverá entrar em contato com o coordenador do seu núcleo ou do projeto na sua IES para solicitar a atualização da informação no sistema.

10- Quais os dados necessários para solicitar troca de e-mail e reenvio de senha da Plataforma Freire?
Para que possamos direcionar sua solicitação ao setor responsável, encaminhe um e-mail para: faleconosco@capes.gov.br e informe os seguintes dados: nome do sistema da CAPES, nome completo, CPF, e-mail atual, data de nascimento e nome completo da mãe, e aguarde comunicação por e-mail ou telefone.

1- O que é o Pibid?
O Pibid é uma iniciativa para o aperfeiçoamento e a valorização da formação de professores para a educação básica. O programa concede bolsas a alunos de licenciatura participantes de projetos de iniciação à docência desenvolvidos por Instituições de Educação Superior (IES) em parceria com escolas de educação básica da rede pública de ensino. Os projetos devem promover a inserção dos estudantes no contexto das escolas públicas desde o início da sua formação acadêmica para que desenvolvam atividades didático-pedagógicas sob orientação de um docente da licenciatura e de um professor da escola.

2- O que fazer em casos de atraso de bolsas?
O pagamento das bolsas é depositado até o dia 10 de cada mês. Em alguns bancos, o valor pode ficar disponível na conta após essa data. Dessa forma, orientamos aguardar, para o Banco do Brasil, até o dia 10 de cada mês. Para os demais bancos, até o dia 15. Ultrapassados esses prazos, caso o pagamento não tenha sido realizado, entrar em contato com o coordenador responsável pelo programa ou com a Coordenação de Valorização da Formação Docente da CAPES, por meio do endereço: pibid@capes.gov.br

3- Quais características da conta bancária para o recebimento regular da bolsa?
A conta deve ter obrigatoriamente as seguintes características: - ser conta corrente; - estar ativa (sempre verificar junto ao banco); - ter como titular o beneficiário da bolsa; - não ser conta-salário; - não ser “Conta Fácil”, de operação 023 da Caixa Econômica; - não ser poupança. O banco deve ter uma agência fisíca, não podendo a conta ter apenas agência virtual.

4- Como funciona o ciclo de pagamento do Pibid?
Esclarecemos que somente fazem jus ao recebimento da bolsa aqueles participantes que realizaram atividades nas escolas e na IES. As atividades são consideradas por mês e, portanto, o ciclo de pagamento das bolsas considera o período de 30 dias. A bolsa sempre é paga no mês subsequente à realização das atividades. Reiteramos, abaixo, o cronograma habitual – ressalvadas possíveis alterações em razão de finais de semana e feriados: Atividade Cronograma Abertura do sistema Freire e SCBA para alterações de participantes pelo CI**/*** De 1º a 14 de cada mês Envio de solicitação de pagamento retroativo pelo CI De 15 a 20 de cada mês Análise do pagamento retroativo pela Capes De 20 a 30 de cada mês Geração de folha de pagamento De 25 a 30 de cada mês Depósito na conta bancária dos bolsistas Até o dia 10 do mês subsequente ** Substituição de bolsistas, alteração de responsável pelo núcleo (CA), etc. ***

5- Como encaminhar as propostas para o PIBID?
Os editais de seleção são publicados no site da CAPES e no DOU. Instituições de Educação Superior interessadas em participar do Pibid devem apresentar à CAPES seus projetos de iniciação à docência conforme os editais de seleção publicados. Podem se candidatar IES públicas e privadas com e sem fins lucrativos que oferecem cursos de licenciatura. As instituições aprovadas pela CAPES recebem cotas de bolsas para o desenvolvimento das atividades do projeto. Os bolsistas do Pibid são escolhidos por meio de seleções promovidas por cada IES.

6- Como contatar os responsáveis pelo PIBID?
Solicitamos, por gentileza, que verifique com o Coordenador Institucional, pois ele é o responsável pelo gerenciamento das bolsas e possui os meios de contato apropriados com o programa PIBID.

7- Quais são consideradas razões para o ressarcimento de valores das bolsas?
"De acordo com a portaria Capes 175/2018, que regulamenta devolução de bolsas: ""Art. 37 Fica previsto o ressarcimento da bolsa pelo beneficiário nos casos de inobservância às normas estabelecidas nesta Portaria e nos editais dos Programas.

Art. 38 São consideradas razões para o ressarcimento de valores pagos pela CAPES ao beneficiário a título das bolsas de que trata esta Portaria:

I - Recebimento indevido de valores, ainda que por erro da Administração Pública;
II - Descumprimento de quaisquer obrigações e normas estabelecidas nessa Portaria;
III - Em caso de formatura do beneficiário da bolsa na modalidade residente, independentemente do tempo em que participar do projeto, a não conclusão do Plano de Atividades até a data de sua colação de grau.

§ 1º No caso previsto no inciso II, além de ter a bolsa cancelada, de acordo com o inciso II do art. 36, o bolsista fica obrigado a ressarcir os valores despendidos com a bolsa, de acordo com a legislação federal vigente e impossibilitado de receber benefícios por parte da CAPES pelo período de cinco anos, contados do conhecimento do fato, sem prejuízo das demais sanções administrativas, cíveis e penais.

§ 2º No caso previsto no inciso III, o bolsista fica obrigado a ressarcir os valores despendidos com a bolsa, salvo se motivada por caso fortuito, força maior, circunstância alheia à sua vontade ou doença grave devidamente comprovada. A avaliação dessas situações fica condicionada à aprovação DEB/CAPES, em despacho fundamentado.

§ 3º O ressarcimento das bolsas pelos beneficiários, quando apurado, terá seu valor corrigido na forma da lei.

8- Em qual período posso fazer substituição de bolsistas?
Os sistemas Freire e SCBA serão disponibilizados todos os meses do dia 01 a 14. Excepcionalmente poderá haver ajustes nesse período. Nesses casos enviaremos mensagem eletrônica informando as datas em que o sistema estará disponível.

9- Erro de divergência de dados PIBID entre a CAPES e a Receita Federal. O que fazer?
O sistema SAC utiliza a base de dados de CPF da Receita Federal como fonte de informação no cadastro de participantes. Portanto quando o coordenador institucional acessa a aba “Cadastrar Novos Participantes” e digita o CPF do bolsista o sistema automaticamente procura na base da Receita. Ao cadastrar os números do CPF e ocorrer o seguinte erro “Erro em validar CPF” ou “CPF inexistente”, o coordenador institucional precisa verificar no site da Receita Federal se o CPF informado está cadastrado e correto. Se o número informado estiver correto, o coordenador deve encaminhar um e-mail para o programa com a informação do erro e aguardar 24 horas para continuar o cadastro. Caso o CPF não seja encontrado na Receita Federal o coordenador acionará o bolsista, que regularizará sua situação na Receita. Assim que a situação for resolvida, o coordenador efetivará o cadastro.

10- Fiz o cadastro de minha conta BB no SCBA, mas o pagamento da bolsa consta como devolvido. Como proceder?
Verificamos que muitas contas bancárias do Banco do Brasil estão sendo cadastradas, no SCBA, com o 0 (zero) no lugar do X no campo dígito verificador da conta. Por esse motivo, muitos pagamentos de bolsas estão sendo devolvidos. Orientamos a não realizar essa substituição. Os beneficiários que tiverem realizado o cadastramento com tal substituição, podem acessar o sistema e proceder a correção. Após a correção, deverão aguardar a próxima folha de pagamento para o recebimento da bolsa devolvida. Em caso de dúvidas, entre em contato com o coordenador institucional que é o responsável pelo gerenciamento das bolsas e possui os meios de contato apropriados com o programa PIBID.

11- Há alguma restrição para um bolsista do PIBID solicitar FIES, ou vice-versa?
A legislação em vigor veda o acúmulo de bolsas. O FIES é um financiamento. Desta forma, orientamos que verifique junto ao contrato do FIES se existe a possibilidade de o beneficiário receber bolsa de estudos ou pesquisa.

12- Quais são as modalidades e valores de bolsas?
A CAPES concede cinco modalidades de bolsa aos participantes do projeto institucional: Iniciação à docência – para estudantes de licenciatura das áreas abrangidas pelo subprojeto. Valor: R$400,00 (quatrocentos reais). Supervisão – para professores de escolas públicas de educação básica que supervisionam, no mínimo, cinco e, no máximo, dez bolsistas da licenciatura. Valor: R$765,00 (setecentos e sessenta e cinco reais). Coordenação de área – para professores da licenciatura que coordenam subprojetos. Valor: R$1.400,00 (um mil e quatrocentos reais). Coordenação de área de gestão de processos educacionais – para o professor da licenciatura que auxilia na gestão do projeto na IES. Valor: R$1.400,00 (um mil e quatrocentos reais). Coordenação institucional – para o professor da licenciatura que coordena o projeto Pibid na IES. Permitida a concessão de uma bolsa por projeto institucional. Valor: R$1.500,00 (um mil e quinhentos reais). As bolsas são pagas pela CAPES diretamente aos bolsistas, por meio de crédito bancário.

13- O bolsista não recebeu a bolsa e consta no SCBA ter sido devolvido por problemas na conta (dv inválido, conta invalida, etc). Como alterar os dados bancários no sistema?
Orientamos a correção da conta no sistema. Para alterar os dados bancários é necessário que acesse o processo e cadastre os dados corretos no item “Complementar dados”. Conforme os passos descritos abaixo:

1) Acessar o menu “Processos > Meus processos”.
2) Selecionar o nome do “Programa CAPES” e “Edital”, depois clicar em “Pesquisar”. 3) Acessar o processo do beneficiário clicando no número do processo.
4) Clicar no botão “Complementar dados”.
5) Acessar a aba “dados bancários” e depois clicar no botão + ao lado da “Conta Bancária. ” 6) Cadastrar os dados bancários corretos e depois clicar em “Salvar”. Observação: Caso esteja no notebook e não visualize o botão “Salvar” no final da página, diminua o zoom da tela ou puxe arraste a tela para cima. Assim conseguirá acessar o botão.
7) Após a alteração dos dados bancários, clicar no botão “Salvar” da tela de “Dados Bancários” e o procedimento estará finalizado.
8) Aguardar a próxima folha de pagamento para o recebimento da bolsa devolvida.

14- O bolsista não recebeu e o SCBA diz que a conta está inativa, o que fazer?
O bolsista deve depositar um pequeno valor na conta e reativá-la. O problema da conta tendo sido corrigido, não é necessário nenhum tipo de solicitação para a Capes. O pagamento da bolsa devolvida será gerado junto à próxima folha, no início do próximo mês.

15- Como fazer para obter mais informações sobre o Pibid?
Para saber mais leia os documentos e informações para o gerenciamento do Pibid disponíveis em www.capes.gov.br/educacao-basica/capespibid/documentos-pibid Mesmo não sendo coordenador, leia estes documentos para conhecer melhor o programa.

16- Quais os critérios para substituição de bolsistas?
A substituição de bolsistas é permitida no Pibid, entretanto, alguns quesitos devem ser observados. Além dos requisitos dispostos na Portaria Capes 175/2018, é necessário observar alguns procedimentos. O pagamento do bolsista é realizado por mês de referência – em setembro pagamos a bolsa referente a agosto, em outubro referente a setembro e assim por diante, conforme explicitado anteriormente. Para jazer jus ao pagamento da bolsa, o participante – CA, supervisor ou discente de ID – deve ter sido ativo nas atividades do projeto nas escolas e na IES por período superior a 14 dias do mês corrente. Dessa forma, o coordenador deve orientar o bolsista que irá sair do projeto (desistente), que, para receber a bolsa, ele deverá participar por período superior a 14 dias. Caso ele participe por período menor que esse, o coordenador, no mês da saída, deverá acessar o SCBA e a Freire e realizar a substituição. Se o desistente tiver participado por mais de 15 dias, o coordenador deverá aguardar até o início do próximo mês para realizar a substituição. No primeiro caso, o aluno desistente não receberá bolsa, pois foi desligado do sistema antes do dia 14. No segundo caso, o aluno desistente receberá a bolsa. O novo bolsista deve iniciar suas atividades nos primeiros 14 dias do mês. Caso não seja possível, oriente-o a iniciar as atividades do projeto no início do mês subsequente à sua seleção. Recomendamos que o processo seletivo de bolsistas contenha, via de regra, uma lista de espera. Isso facilita a substituição de bolsistas.

17- Qual a diferença de pagamento devolvido e pagamento retroativo?
Quando no SCBA, a situação do pagamento da bolsa consta como DEVOLVIDA, seguir uma das orientações abaixo: Pedir ao bolsista que corrija seus dados bancários no SCBA; pedir ao bolsista que verifique se sua conta está ativa no banco. Caso esteja inativa, recomendamos o depósito de um pequeno valor que garanta a atividade da conta. Você pode consultar o motivo da devolução no extrato. Nesses casos, não é necessária a solicitação de pagamento retroativo, apenas a correção dos dados no sistema. Ao ser gerada a próxima folha, o pagamento que foi devolvido será depositado na conta do bolsista. Solicitação de pagamentos RETROATIVOS encaixam-se nos seguintes casos: O bolsista não foi cadastrado, no SCBA, no período devido; O sistema acusou duplicidade de bolsa de maneira indevida; A bolsa foi suspensa, pela Capes ou pelos coordenadores, de maneira indevida; no sistema, a concessão de bolsa foi diferente da sua atuação – ex.: bolsista de supervisão foi cadastrado como iniciação à docência e recebeu a bolsa equivalente a um participante desde modalidade. O formulário de pagamento retroativo encontra-se em http://www.capes.gov.br/educacaobasica/capespibid/editais-e-selecoes

1- O que é o Parfor?
O Programa Nacional de Formação de Professores da Educação Básica – Parfor é uma ação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES que visa induzir e fomentar a oferta de educação superior, gratuita e de qualidade, para profissionais do magistério que estejam no exercício da docência na rede pública de educação básica. O fomento ocorre por meio da oferta de turmas especiais para professores em serviço na rede pública de educação básica, em cursos de: a) Licenciatura para professores sem formação superior ou que, mesmo tendo essa formação, se disponha a realizar curso de licenciatura na etapa/disciplina em que atua em sala de aula; II. Segunda licenciatura – para professor com grau em licenciatura que se disponha realizar uma segunda licenciatura na disciplina em que atua em sala de aula e para a qual não possui formação; III. Formação pedagógica – para professor com curso superior, mas que não possui o grau em licenciatura.

2- Onde posso obter mais informações sobre o Parfor?
Acesse a página do programa no site da CAPES, menu Nossas Ações > Formação de Professores da Educação Básica > Parfor, ou pelo link http://www.capes.gov.br/educacao-basica/parfor.

3- O cadastro na Plataforma Freire, garante vaga em curso de formação fomentado pelo Parfor?
O cadastro de currículo na Plataforma Freire não garante vaga em curso de formação fomentado pelo Programa Parfor.

Cabe esclarecer que a seleção dos alunos que cursarão os cursos fomentados pelo Parfor é feita pela universidade selecionada em edital.

Um dos requisitos para ser aluno das turmas especiais do Parfor é ser docente ou monitor em serviço na rede pública de educação básica. Para mais detalhes sobre o Parfor, consultar http://capes.gov.br/educacao-basica/parfor 

Bolsista no exterior
Primeiramente, gostaríamos de confirmar se você já começou a receber a bolsa e se já se encontra no país onde deverá fazer seu curso. O acesso remoto só é ativado neste momento.

Em seguida, solicitamos que confirme os procedimentos que devem ser seguidos:

1. Acesse o Portal de Periódicos (http://www.periodicos.capes.gov.br);
2. Clique no link MEU ESPAÇO disponível no topo da página;
3. Na página do MEU ESPAÇO, clique na logo à direita onde se lê: CAFe comunidade acadêmica federada;
4. Uma lista de instituições participantes da CAFE será apresentada. Você deve selecionar a instituição opção CAPES- COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR e clicar no botão ENVIAR.
5. Na nova tela que será apresentada, você deve incluir o login e senha encaminhados na mensagem informada abaixo. O login é seu número de CPF (sem ponto, nem hífen).
6. Após a identificação, você será novamente redirecionado para o Portal. Caso já possua cadastro no serviço MEU ESPAÇO ele solicitará sua autorização para unificar o cadastro do existente com o cadastro da Capes. Isso só será necessário uma vez e a unificação é opcional. Caso ainda não possua cadastro, você será redirecionado normalmente para a página inicial para iniciar sua pesquisa.

Caso não se lembre da senha, solicitamos que acesse o sistema Cadastro de Usuário através do link http://segurancasicapes.capes.gov.br/seguranca/cadastrousuario/cadastrousuario.seam?aba=esqueci&sistema=periodicos e peça uma nova senha através do link "Esqueci minha senha". Informe o CPF e o código de segurança e selecione a opção "Requisitar nova senha". Após esse procedimento será enviada para seu e-mail, uma validação que deve ser feita em até 15 minutos. Após essa validação, será encaminhado outro e-mail com a senha definitiva. Vale lembrar que se não for validado dentro de 15 minutos, o (a) senhor (a) deverá efetuar novamente a requisição de nova senha.

Caso não receba a nova senha ou verifique que o e-mail indicado não está atualizado, solicitamos que entre em contato com a Central de Atendimento ao Usuário (CAU) no telefone (0xx61) 2022-6839 ou a Central de Atendimento da CAPES pelo 0800 616161 ou pelo e-mail faleconosco@capes.gov.br, informando seu número de CPF e informando a necessidade de atualização de seu e-mail. , conforme orientação veiculada na página da CAPES (vide: http://www.capes.gov.br/servicos/sala-de-imprensa/36-noticias/5220-acesso-remoto-ao-portal-de-periodicos-para-bolsistas-da-capes). Talvez seus dados estejam desatualizados e por isso não é possível recuperar uma nova senha para realizar o acesso remoto via CAFe ao Portal de Periódicos.

Como uma instituição pode participar do Portal (convênio)
Agradecemos o contato e informamos que o acesso ao Portal de Periódicos da Capes é concedido a instituições de ensino e pesquisa. São elegíveis para acesso gratuito ao Portal de Periódicos:
o Instituições federais de ensino superior,
o Instituições de pesquisa com pós-graduação e instituições públicas de ensino superior, estaduais e municipais com pós-graduação com avaliação trienal* nota 4 (quatro) pela Capes,
o Instituições privadas de ensino superior com pelo menos um curso de doutorado com avaliação trienal* nota 5 (cinco) ou superior pela Capes
o Instituições com programas de pós-graduação recomendados pela Capes e que atendam aos critérios de excelência definidos pelo Ministério da Educação. Esses usuários acessam parcialmente o conteúdo assinado pelo Portal de Periódicos.
* A próxima avaliação trienal da Capes será realizada no ano de 2016.

As instituições participantes são selecionadas considerando-se a missão da Capes de promover a elevação da qualidade do ensino superior através do fomento à pós-graduação.

Instituições que não se enquadram na regulamentação das participantes gratuitas do programa e desejam acessar o Portal de Periódicos podem fazê-lo a partir da modalidade "Usuário Colaborador" que beneficia essas instituições com a economia de escala obtida em negociação junto aos editores.

Os valores das assinaturas variam de acordo com a avaliação feita pelos editores do perfil da instituição e das bases de dados solicitadas em formulário preenchido. O pagamento é feito por através de repasse de recursos por meio de acordo de colaboração firmado entre a Capes e a instituição para acesso pelo período de um ano.

Essa modalidade permite que os usuários selecionem as coleções que desejam assinar considerando o programa acadêmico que possuem e as prioridades de sua instituição individualmente.

Conteúdo não assinado
Agradecemos o contato e informamos que no caso de periódicos não assinados ou mesmo de conteúdos fora do período de assinatura, é possível acessar gratuitamente apenas a tabela de conteúdo ou índice dos periódicos, a referência bibliográfica e o resumo dos artigos. Para verificar a disponibilidade de acesso ao conteúdo desejado, faça uma pesquisa no Portal de Periódicos (http://www.periodicos.capes.gov.br) pelo menu BUSCAR PERIÓDICO. O resultado da pesquisa apresentará a informação sobre a disponibilidade de acesso ao conteúdo e ainda o período de assinatura disponível, esta informação pode ser verificada clicando-se no ícone de informação (em azul), localizado à direita do título do periódico.

Para obter o texto completo destes artigos não disponíveis via Portal de Periódicos, o usuário poderá encomendá-los online diretamente do fornecedor, ou através de programas de comutação bibliográfica, como o COMUT, que localiza documentos em bibliotecas brasileiras e também no exterior e fornece as cópias solicitadas. Consulte sua biblioteca para obter mais informações sobre esse serviço. Em ambos os casos, unicamente o usuário é responsável pelo pagamento do material, não cabendo a Capes ou às instituições qualquer responsabilidade referente a estas despesas.

Funcionamento em geral
Agradecemos o contato e informamos que o acesso ao conteúdo assinado pelo Portal de Periódicos da Capes (http://www.periodicos.capes.gov.br) é realizado a partir de computadores ligados à rede das instituições participantes ou por elas autorizados, sem necessidade de cadastro ou informe de nome de usuário e senha. Estes terminais estão instalados nas dependências das instituições, como bibliotecas, laboratórios, escritórios de trabalho e outros locais.

Qualquer tipo de acesso feito fora dessas condições permitirá apenas a utilização do conteúdo de acesso livre disponível no Portal e que compreende, entre outros, os periódicos nacionais, periódicos e e-livros de livre acesso, o banco de teses da CAPES, bem como algumas bases de resumos e patentes gratuitas.

Lembramos que o cadastramento no Meu Espaço não habilita o acesso remoto. Esta ferramenta permite apenas salvar artigos e criar alertas de pesquisas já realizadas no acervo do Portal e guardar periódicos preferidos em um espaço virtual; submeter sua inscrição online nos treinamentos do Portal, avaliar a qualidade dos treinamentos e acessar e imprimir o certificado de conclusão do curso.

Caso tenha interesse em acessar remotamente o conteúdo assinado do Portal, sugerimos que seja feita uma consulta à biblioteca da sua instituição sobre a possibilidade de utilização desse tipo de serviço. Reiteramos que as condições para obtenção e utilização do acesso remoto são de responsabilidade única e exclusiva de cada instituição participante, mesmo aquelas que participam da Comunidade Acadêmica Federada (CAFe).

Agradecemos pela compreensão e colocam-nos à disposição para eventuais dúvidas sobre acesso e uso do conteúdo do Portal de Periódicos.

Como identificar um problema de acesso
A equipe do Portal de Periódicos da Capes agradece o contato e solicita mais informações sobre o ocorrido:
1) Solicitamos informações sobre o conteúdo acessado, nome da base ou título do periódico (juntamente com o número de ISSN) e que verifique se o ano da referência desejada está dentro do período disponível de assinatura.*
* Essas informações podem ser verificadas no menu BUSCA > submenu "Buscar Periódico". Basta localizar o título desejado através do título do periódico ou número de ISSN e na lista de resultados recuperados verificar a informação de disponibilidade de acesso a partir do ícone de informação (em azul).
2) Solicitamos informações sobre a instituição a qual está vinculado(a), forma de acesso ao Portal (a partir de um computador localizado dentro da instituição ou via acesso remoto) e ainda o número de IP utilizado que pode ser conferido a partir de nosso serviço pelo endereço: http://www.periodicos.capes.gov.br/consultaip.php. Basta acessar o link informado e um número será exibido. Esse número deve ser encaminhado para nossa equipe por meio de um print screen da tela que será exibida.

Lembramos ainda, que o acesso ao Portal pode ser feito a partir de qualquer computador localizado nas instituições participantes. Para informações sobre o acesso remoto sugerimos contato com a equipe de TI ou a biblioteca de sua instituição. O acesso a partir de computadores não autorizados permitirá apenas visualização e acesso ao conteúdo gratuito disponível no Portal.

Comunidade Acadêmica Federada (CAFe)
A CAPES, pensando nas instituições que não podem prover acesso remoto a seus usuários, vem desenvolvendo junto com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) a Comunidade Acadêmica Federada (CAFe). A CAFe é uma federação que estabelece uma relação de confiança entre instituições de ensino e pesquisa brasileiras. A responsabilidade por manter o repositório centralizado com dados sobre integrantes da federação é da RNP. Caso sua instituição tenha interesse em participar, acesse o endereço: http://www.rnp.br/servicos/cafe.html e verifique as condições de acesso.

Para acessar remotamente o Portal de Periódicos via CAFe, basta seguir os seguintes passos:
1. Acesse o Portal de Periódicos (http://www.periodicos.capes.gov.br).
2. Clique no link MEU ESPAÇO disponível no topo da página
3. Na página do MEU ESPAÇO, clique na logo à direita onde se lê: CAFe comunidade acadêmica federada;
4. Uma lista de instituições participantes da CAFE será apresentada. Você deve selecionar sua instituição (é possível localiza-la por meio da sigla ou nome por extenso) e clicar no botão ENVIAR.
   a. Caso sua instituição não seja listada, possivelmente ela ainda não participa da CAFe.
5. Na nova tela que será apresentada, você deve incluir o login e senha fornecidos pela sua Instituição;
6. Após a identificação você será novamente redirecionado para a página inicial para iniciar sua pesquisa.

Lembramos que o cadastramento e identificação no MEU ESPAÇO não possibilita acesso ao conteúdo assinado pelo Portal de Periódicos.

Meu Espaço – Alteração de e-mail para reenvio de senha
Agradecemos o contato e informamos que seu cadastro foi habilitado com as seguintes informações:
Nome de usuário cadastrado: (informar)
E-mail cadastrado: (informar)
Solicitamos que tente acesso novamente ao Portal utilizando o nome de usuário informado e a senha cadastrada. Caso não se lembre de sua senha e não tenha mais acesso ao e-mail cadastrado, por favor, responda a este e-mail informando o seu CPF e qual o novo e-mail deverá ser cadastrado para que posteriormente você possa solicitar nova senha.

Meu Espaço - Alteração de senha
Para alterar sua senha você deve:
1) Acessar o Portal de Periódicos da Capes (http://www.periodicos.capes.gov.br);
2) Fazer sua identificação utilizando o nome de usuário cadastrado e senha informada;
3) Após sua identificação, logo abaixo do link do MEU ESPAÇO na página inicial do Portal, aparecerá a seguinte saudação: "Seja bem vindo(a), nome do usuário (editar perfil)";
4) Clique no link "editar perfil" localizado à direita do seu nome;
5) Você será direcionado novamente para a página de cadastro com seus dados.
6) Nesta tela, aparecerá o link ALTERAR SENHA, localizado logo abaixo do seu nome de usuário, clicando nele você poderá incluir a nova senha desejada. Para salvá-la clique no botão ENVIAR, localizado ao final do cadastro.

Meu Espaço - Não consigo ativar/acessar
A equipe do Portal de Periódicos da Capes agradece o contato e solicita mais informações sobre a ocorrência.

Após o cadastro, você deverá receber, na sua caixa de e-mails, uma mensagem solicitando a confirmação do cadastro realizado. Caso não tenha recebido este e-mail no prazo de 48h, solicitamos que verifique seu correio eletrônico novamente, incluindo caixa de spams ou lixo eletrônico visto que alguns provedores de acesso restringem o acesso a determinadas mensagens. Em caso negativo, acesse novamente no Portal de Periódicos (http://www.periodicos.capes.gov.br) a opção MEU ESPAÇO. À esquerda da tela, logo abaixo do botão NOVO USUÁRIO há um link para reenviar o e-mail de confirmação de cadastro.

Se o problema persistir, favor encaminhar para o e-mail periodicos@capes.gov.br os dados abaixo para que seja feita a liberação manual do cadastro:
- CPF:
- e-mail cadastrado
- Instituição (nome)

Meu espaço (o que é o serviço e como se cadastrar)
O cadastramento no Meu Espaço permite salvar artigos e periódicos favoritos, criar alertas de pesquisas já realizadas no acervo do Portal; submeter sua inscrição online nos treinamentos do Portal, avaliar a qualidade dos treinamentos e acessar e imprimir o certificado de participação nos treinamentos de uso do Portal de Periódicos oferecidos pela Capes.

Para utilizar esse serviço acesse o Portal (http://www.periodicos.capes.gov.br), clique no link MEU ESPAÇO (localizado no topo da página) e em seguida clique no botão NOVO USUÁRIO. Um formulário será exibido para preenchimento. Após o preenchimento, um link de confirmação será encaminhado para o e-mail cadastrado, a fim de confirmar o correto preenchimento do e-mail e liberar o acesso ao serviço. Caso o e-mail não chegue num prazo de 48h, é possível solicitar novo envio por meio da opção 'Não recebi meu e-mail de confirmação de cadastro' disponível também no MEU ESPAÇO.

Caso verifique que o e-mail foi cadastrado incorretamente, e, por isso, não é possível receber o link de confirmação, encaminhe um e-mail para periodicos@capes.gov.br solicitando a correção do e-mail e informando seu número de CPF para que seu cadastro seja localizado corretamente.

Meu Espaço – Resposta ao envio de dados
Agradecemos o retorno e informamos que seu cadastro já foi liberado. Solicitamos que tente acesso novamente ao Portal utilizando o nome de usuário informado e a senha cadastrada. Caso não se lembre da senha cadastrada, sugerimos que solicite nova senha. Esta será encaminhada para o e-mail cadastrado em um prazo de 48h. Informamos ainda que a senha é gerada automaticamente e que não temos acesso a essa informação.

Lembramos que o cadastro no MEU ESPAÇO permite apenas salvar artigos e criar alertas de pesquisas já realizadas no acervo do Portal e guardar periódicos preferidos em um espaço virtual; submeter sua inscrição online nos treinamentos do Portal, avaliar a qualidade dos treinamentos e acessar e imprimir o certificado de conclusão do curso.

Esse cadastro não possui relação com o serviço de acesso remoto que algumas instituições participantes oferecem a seus usuários. Este serviço é de responsabilidade EXCLUSIVA das mesmas, ainda que o acesso se dê pela Comunidade Acadêmica Federada (CAFe).

Como acesso o Banco de Teses?
O Banco de Teses e Dissertações é liberado a toda a comunidade científica, permitindo a consulta de resumos de teses e dissertações defendidas junto a programas de pós-graduação do país. Não há necessidade de cadastro para o acesso. Acesse o endereço http://www.capes.gov.br/servicos/banco-de-teses, e clique no link resumos. Ao clicar neste link, você será direcionado para outra página que apresentará uma ferramenta de busca. A ferramenta permite a pesquisa por autor, título e palavras-chave. O uso das informações da referida base de dados e de seus registros está sujeito às leis de direito autorais vigentes. Para obter o texto completo destas teses é necessário entrar em contato com a biblioteca depositária ou com o autor do trabalho.

Dicas de pesquisa - Primeiros passos
1. O sistema não diferencia caracteres maiúsculos e minúsculos.
o Exemplo: o termo computador recupera registros com as palavras computador, Computador e COMPUTADOR.
2. Faça a pesquisa com o termo acentuado e não acentuado. O sistema diferencia as palavras que possuem acentuação e o resultado da busca pode ser alterado.
o Exemplo: Para pesquisar o termo bioética, use os termos bioética e bioetica.

Dicas de pesquisa - Expandir resultados
1. Use os operadores AND e OR na expressão de busca para adicionar algum termo:
o Exemplo: digitando coração AND cardiologia, serão recuperados ambos os termos coração E cardiologia.
o Exemplo: Portugal OR Brasil, serão recuperados documentos que contenham os termos Portugal OU Brasil.
2.Use o * (asterisco) para encontrar registros que contém parte das palavras.
o Exemplo: poli* recupera polícia, policiais, policiamento, polipropileno, político, política, etc.

Dicas de pesquisa - Refinar/filtrar resultados
1. Para pesquisar uma sentença inteira use o conector - (hífen) entre as palavras, sem espaços.
o Exemplo: tecnologias-da-informação-e-comunicação.
o Exemplo: normas-internacionais-de-contabilidade.
o Exemplo: ordenamento-jurídico-brasileiro.
2.Para termos que possuem mais de um significado, use o conector - (hífen) antes das palavras que se deseja evitar, incluindo um espaço antes.
o Exemplo: controle -constitucionalidade -avaliação -interno -externo.
o Exemplo: letra -caligrafia -alfabeto -canção.
3.Os caracteres + (mais), "" (aspas) e () (parênteses) não são usados na busca do Banco de Teses.
4. A pesquisa por "Data da Defesa" deve seguir o padrão AAAA/MM/DD (ano, mês e dia), sempre separados por barra inclinada.
o Exemplo: Para recuperar a data de registro de uma tese/dissertação no dia 01 de agosto de 2010, use: 2010/08/01.
5. Alguns caracteres especiais não são recuperados pelo Banco de Teses. Desse modo, recomenda-se evitar o seu uso nas pesquisas.
o Exemplo: letras gregas e operadores matemáticos.
6. Números separados por vírgulas recuperam os números fracionais e, também, os números digitados isoladamente.
Exemplo: ao se digitar 3,75, a pesquisa retornará os resultados 3,75 como fração decimal e, também, os registros que apresentam os dois termos, 3 e 75, em qualquer área/campo do registro.

Dúvida sobre os anos disponíveis
Conforme pode ser visto na área "INFORMAÇÕES", disponível na página inicial do Banco de Teses (BT), como forma de garantir a consistência dos dados disponíveis no Banco, a equipe responsável pela atualização do BT está realizando uma análise dos dados informados e identificando registros que por algum motivo não foram informados de forma completa à época de coleta dos dados.

Assim, em um primeiro momento, apenas os trabalhos defendidos em 2012 e 2011 estão disponíveis. Os trabalhos defendidos em anos anteriores serão incluídos gradativamente, após análise e validação dos mesmos.

Caso queira solicitar uma pesquisa nos dados de anos ainda não disponíveis, entre em contato através do Fale Conosco: http://www.capes.gov.br/faleconosco, indicando os termos que devem ser pesquisados, os campos que devem ser utilizados, o período desejado dentre outras informações que julgar necessário. Sua solicitação será atendida conforme a capacidade da equipe técnica.

Inclusão de Registro
O objetivo do Banco de Teses é reunir e preservar informações sobre a produção científica dos programas de pós-graduação brasileiros que é coletada através do aplicativo Cadastro de Discentes e da plataforma Sucupira que reúne todos os dados relativos à comunidade dos alunos de mestrado e doutorado, desde a matrícula até a titulação.

Assim, as inclusões de registros são realizadas apenas a partir do Cadastro de Discentes e da plataforma Sucupira, no período em que ficam disponíveis para preenchimento. O cadastro dos dados é efetuado pelos respectivos programas.

A inclusão de registros fora deste período está sendo desenvolvida pela Diretoria de Tecnologia da Informação e o andamento desta atividade deve ser verificada diretamente com a área responsável.

Não tenho acesso ao texto completo. Qual o problema?
O Banco de Teses e Dissertações pode ser acessado por toda a comunidade científica. Não há necessidade de cadastro. Por ser uma base referencial, o Banco de Teses permite a consulta apenas a resumos de teses e dissertações defendidas junto a programas de pós-graduação do país. No entanto, alguns autores indicam o endereço para acesso ao texto completo. Essa informação pode ser incluída pelo autor do trabalho mediante identificação no Banco de Teses.

Posso publicar artigo ou livro baseado na minha tese caso ela esteja disponível no Banco de Teses?
O objetivo do Banco de Teses da Capes é oferecer informações a respeito dos trabalhos e pesquisas que são esenvolvidos junto aos programas de pós-graduação brasileiros, assim, oferece acesso a informações de referência e resumo destes, o que não prejudica o ineditismo do material, tampouco ameaça o direito autoral do autor. O acesso ao texto completo só é colocado à disposição com a autorização prévia do autor.

Solicitação de Login e senha
Informamos que o Banco de Teses e Dissertações pode ser acessado por toda a comunidade SEMnecessidade de cadastro, tampouco de autenticação no sistema por informe de nome de usuário e senha.

Por se tratar de uma base de dados referencial, ou seja, que reúne apenas referências e resumos de trabalhos, o Banco de Teses (BT) não permite acesso ao texto completo, a menos que o autor do trabalho informe uma URL para acesso a essa informação.

Para incluir essa informação no Banco de Teses, o autor do trabalho deve fazer sua identificação no banco e incluir essa informação. O autor também pode corrigir informações, caso verifique a necessidade. A identificação servirá apenas para esse fim.

Se você é autor de algum trabalho listado no BT e deseja atualizar seus dados:
1. Localize seu trabalho através das opções de busca disponíveis;
2. Clique no link DETALHES;
3. Ao final dos dados detalhados haverá um link PARA ALTERAR SUA TESE, CLIQUE AQUI. Clique neste link. Alguns trabalhos apresentarão ainda a mensagem "Autor, atualize seus dados/informações junto a Capes. Para isso, clique aqui". Ambos levam ao mesmo caminho.
4. O clique nos links citados abrirá uma tela para identificação no Sistema de Informações da Capes (SICAPES). Caso já possua um cadastro, basta identificar-se para que o formulário de edição dos dados seja apresentado e você possa realizar a atualização desejada. Caso ainda não possua um cadastro, clique no link NÃO SOU CADASTRADO e faça seu cadastro para que o formulário de edição dos dados seja apresentado.
Caso o sistema SICAPES apresente algum problema de acesso ou de dados já existentes, entre em contato com a equipe responsável pelo e-mail faleconosco@capes.gov.br

Inclusão de artigo
O Portal de Periódicos é uma biblioteca virtual que garante acesso a artigos, bases referenciais, livros e outros documentos publicados por outros editores. O Portal não possui um periódico próprio para publicação de artigos, apenas fornece acesso às publicações existentes.

A Capes publica a Revista Brasileira de Pós-Graduação - RBPG (http://www.capes.gov.br/rbpg/), que aceita colaborações e oferece acesso ao Portal Domínio Público (www.dominiopublico.gov.br/‎), que também recebe colaborações.

Sugerimos que consulte os periódicos de sua área sobre a possibilidade de publicação de trabalhos. Neste sentido, sugerimos a consulta ao Qualis (http://qualis.capes.gov.br/webqualis/), que é o conjunto de procedimentos utilizados pela Capes para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação. Tal processo foi concebido para atender as necessidades específicas do sistema de avaliação e é baseado nas informações fornecidas por meio do aplicativo Coleta de Dados. Como resultado, disponibiliza uma lista com a classificação dos veículos utilizados pelos programas de pós-graduação para a divulgação da sua produção.

Inclusão de periódico nacional
O Portal inclui em sua coleção as publicações eletrônicas brasileiras distribuídas pelo SciELO e, a partir de 2004, os periódicos nacionais avaliados pelo programa Qualis que atendem a todos os requisitos estabelecidos pela Diretoria da Capes, a seguir relacionados:
- títulos classificados em nível A e/ou B;
- títulos com textos completos dos artigos em formato eletrônico;
- títulos de acesso gratuito na internet.

Se você é editor ou usuário de publicação que atende a todas as condições acima indicadas e que não foi incluída no Portal, por favor, entre em contato conosco no endereço periodicos@capes.gov.br, indicando:
1º) Título completo do periódico
2º) Título abreviado do periódico
3º) ISSN do periódico
4º) áreas do conhecimento a que atende de acordo com o Portal
5º) URL de acesso
6º) período disponível para acesso
7º) nota de avaliação pelo Qualis

Lembramos que o Qualis é uma classificação feita pela Capes, em consonância com a comunidade acadêmica, dos veículos utilizados pelos programas de pós-graduação para a divulgação da produção intelectual de seus docentes e alunos, cujo objetivo é atender às necessidades específicas da avaliação da pós-graduação realizada por esta agência. Este programa é de responsabilidade da Coordenação de Gestão da Informação.

Após o registro, sua solicitação entra em uma fila de cadastro que é repassada mensalmente à equipe de desenvolvimento de coleções. A equipe é a responsável pela alimentação no sistema atualmente utilizado pelo Portal. O sistema utiliza uma base de dados central e diversas instituições em todo o mundo podem acessar e utilizar as informações disponíveis, o que aperfeiçoa o tempo das equipes e permite um serviço cooperativo. Essa base de dados permite dar maior visibilidade aos periódicos nacionais, considerando que os registros inseridos pela equipe do Portal podem ser visualizados por instituições em todo o mundo, entretanto, o tempo para inclusão é um pouco mais demorado.

Funcionamento em geral
O Portal de Periódicos da Capes oferece acesso a textos selecionados em mais de 36 mil publicações periódicas internacionais e nacionais e às mais renomadas publicações de resumos, cobrindo todas as áreas do conhecimento. Inclui também uma seleção de importantes fontes de informação científica e tecnológica de acesso gratuito na web. Informamos que a Capes procura atender as solicitações da comunidade acadêmica encaminhadas por meio de seus representantes de área e de sugestões encaminhadas ao Portal. As sugestões de novas assinaturas enviadas a Capes são analisadas pelos Coordenadores de Área da Capes, pelo Conselho Consultivo do Programa de Apoio à Aquisição de Periódicos (PAAP) e pela comunidade acadêmica usuária do Portal. As análises levam em consideração os seguintes critérios:
• Cursos de pós-graduação na área no País: número de cursos, avaliações recebidas, número de professores e de alunos, produtividade e outras características;
• Número de títulos disponíveis no Portal sobre o assunto e total de consultas destes títulos;
• Número de títulos disponíveis no Portal sobre o assunto em relação às demais áreas representadas;
• Fator de impacto da publicação, conforme o Journal Citation Reports do Institute for Scientific Information (ISI);
• Número de indicações do título;
• Disponibilidade de recursos financeiros por parte da Capes;
• Viabilidade de formalização de contrato com o fornecedor; e,
• Outros fatores que possam interferir na seleção do título. Para verificar a disponibilidade de um conteúdo no Portal de Periódicos, basta localizar o conteúdo desejado pelas opções de pesquisa disponíveis (Buscar Periódico, Base ou Livro) e verificar a disponibilidade acesso a partir do ícone de informação em azul disponível à direita dos itens recuperados nas pesquisas disponíveis.

Sugestão de conteúdo para o Portal
A equipe do Portal de Periódicos da Capes agradece o contato. Usuários das instituições participantes podem registrar suas sugestões pela opção Fale conosco, encaminhando as informações a seguir para que a solicitação seja cadastrada corretamente:
1) O número de ISSN (apenas no caso de periódicos);
2) O título completo da base ou periódico;
3) O editor responsável;
4) As áreas do conhecimento a que atende;
5) O endereço eletrônico do periódico ou base;
6) Seu nome;
7) A instituição onde atua.

A Capes procura atender as solicitações da comunidade acadêmica encaminhadas por meio de seus representantes de área e de sugestões encaminhadas ao Portal.

As sugestões de novas assinaturas enviadas a Capes são analisadas pelos Coordenadores de Área de Capes, pelo Conselho Consultivo do Programa de Apoio à Aquisição de Periódicos (Paap) e pela comunidade acadêmica usuária do Portal. As análises levam em consideração os seguintes critérios:
o Cursos de pós-graduação na área no País: número de cursos, avaliações recebidas, número de professores e de alunos, produtividade e outras características;
o Número de títulos disponíveis no Portal sobre o assunto e total de consultas destes títulos;
o Número de títulos disponíveis no Portal sobre o assunto em relação às demais áreas representadas;
o Fator de impacto da publicação, conforme o Journal Citation Reportsdo Institute for Scientific Information (ISI);
o Número de indicações do título;
o Disponibilidade de recursos financeiros por parte da Capes;
o Viabilidade de formalização de contrato com o fornecedor; e,
o Outros fatores que possam interferir na seleção do título.

Solicitação de pesquisa
A equipe da Coordenação-Geral do Portal de Periódicos desempenha atividades relacionadas ao desenvolvimento de coleções, contratos com editores, realização de treinamentos e coleta, análise e manutenção dos dados de uso e acesso ao Portal.

Frente à quantidade de atividades desempenhadas pela equipe contamos com o auxílio dos bibliotecários das instituições que participam do Portal para auxiliar-nos na tarefa de atendimento aos usuários com relação às solicitações de pesquisa. Assim, sugerimos o contato com a biblioteca de sua instituição para auxiliá-lo(a).

Lembramos que o Portal permite a busca por assunto, disponível na página inicial sob o tema BUSCAR ASSUNTO ou pelo menu BUSCA. O uso de bases de dados destinadas à área do conhecimento desejado também pode ser útil para iniciar pesquisas, principalmente as bases referenciais cuja abrangência é maior. Assim, após o levantamento inicial é possível selecionar os periódicos desejados e verificar os artigos que poderão auxiliá-lo(a) em sua pesquisa. Sugerimos que os termos utilizados para pesquisa estejam em inglês, considerando que grande parte das bases disponíveis é estrangeira e, portanto, o número de resultados localizados será maior. Entretanto, é possível realizar sua pesquisa em qualquer idioma.

Como funciona o acesso remoto?
Prezado (a) Senhor (a), A Capes incentiva às Instituições participantes a oferecer a seus usuários o acesso remoto, desde que a biblioteca se responsabilize pelo suporte e infra-estrutura necessária para este serviço.Caso tenha interesse de acessar remotamente o conteúdo assinado do Portal, sugerimos que seja feita uma consulta à biblioteca da sua instituição sobre a possibilidade de utilização desse tipo de serviço. Reiteramos que as condições para obtenção e utilização do acesso remoto são de responsabilidade única e exclusiva de cada instituição participante, mesmo aquelas que participam da Comunidade Acadêmica Federada (CAFe).

Como são divulgadas as novidades do Portal?
Prezado (a) Senhor (a), O Portal periódicos Capes divulga as novas aquisições em sua página inicial. Infelizmente ainda não dispomos de ferramentas que possibilitem o cadastramento prévio de seus usuários para divulgação de informações selecionadas. No entanto, algumas bases assinadas pela Capes oferecem esse serviço. Consulte a base de sua área sobre essa possibilidade.

Informações sobre a versão para smartphone e tablets
Em consonância com as novas tecnologias, a equipe do Portal de Periódicos da Capes vem desenvolvendo uma versão para acesso rápido ao Portal por através de smartphones e tablets. Você pode auxiliar nossa equipe a partir do encaminhamento de suas considerações para o Fale Conosco do Portal.

Estas versões podem ser acessadas pelo endereço: http://www.periodicos.capes.gov.br/mobile ou pelas respetivas lojas de cada um dos sistemas operacionais disponíveis.

Lembramos que o acesso ao conteúdo assinado do Portal pode ser feito apenas a partir da utilização das redes das instituições participantes ou por elas autorizados. Caso o acesso seja realizado fora destas redes, apenas o conteúdo gratuito e de livre acesso estará disponível.

Portal Saúde Baseada em Evidência
Agradecemos o contato e informamos que o Portal Saúde Baseada em Evidência é gerenciado pelo Ministério da Saúde e a equipe responsável pode ser contatada pelo e-mail periodicos@saude.gov.br, que segue copiada.

Qualis Artístico
A área de Artes/Música considera a produção artística, vinculada diretamente aos programas de mestrado e doutorado pertencentes à área, central para o processo de avaliação de seus Programas de Pós-Graduação stricto sensu. Sendo assim, consolidou e utiliza o Qualis Artístico o qual, no contexto da avaliação trienal, é o instrumento que permite a classificação, de acordo com critérios e procedimentos claros e compreensíveis às demais áreas de avaliação, da produção artística dos programas de pós-graduação submetida à CAPES, em cada ano do triênio, por meio do aplicativo Coleta Capes. Outras áreas de avaliação também utilizam o Qualis Artístico, ainda que atribuam uma importância menor a este item no quesito da ficha de avaliação.

Partindo do princípio de que o eixo da avaliação é a produção dos programas e de que se trata de perceber como o conjunto da produção artística dos programas é reconhecido pela Área a partir de sua repercussão e abrangência, considera-se que mais importa uma temporada que uma apresentação única; uma exposição que uma obra particular, já que o agrupamento das produções permite uma visão panorâmica e otimizada das mesmas – devendo ser enfatizadas as produções, cujo impacto se faz sentir no contexto das temporadas, turnês e exposições.

Nesse contexto, dois aspectos são considerados norteadores na avaliação dos produtos declarados no Coleta pelos programas que valorizam esta modalidade de produção intelectual: a) o impacto da obra, sua repercussão e abrangência (onde foi apresentada, se ganhou prêmio, se foi selecionada por júri qualificado, se é obra única ou parte de uma série, etc.); b) grau de vinculação com linha de pesquisa ou projeto de pesquisa do autor.

Advoga-se para os Programas da área um equilíbrio entre produção bibliográfica e produção artística. Neste sentido, o processo de avaliação da pós-graduação em Artes/Música classificou a produção artística de tal forma a equipará-la à produção bibliográfica.

Qualis-Periódicos
Qualis é o conjunto de procedimentos utilizados pela Capes para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação. Tal processo foi concebido para atender as necessidades específicas do sistema de avaliação e é baseado nas informações fornecidas por meio do aplicativo Coleta de Dados. Como resultado, disponibiliza uma lista com a classificação dos veículos utilizados pelos programas de pós-graduação para a divulgação da sua produção.

A estratificação da qualidade dessa produção é realizada de forma indireta. Dessa forma, o Qualis afere a qualidade dos artigos e de outros tipos de produção, a partir da análise da qualidade dos veículos de divulgação, ou seja, periódicos científicos.

A classificação de periódicos é realizada pelas áreas de avaliação e passa por processo anual de atualização. Esses veículos são enquadrados em estratos indicativos da qualidade - A1, o mais elevado; A2; B1; B2; B3; B4; B5; C - com peso zero.

Note-se que o mesmo periódico, ao ser classificado em duas ou mais áreas distintas, pode receber diferentes avaliações. Isto não constitui inconsistência, mas expressa o valor atribuído, em cada área, à pertinência do conteúdo veiculado. Por isso, não se pretende com esta classificação que é específica para o processo de avaliação de cada área, definir qualidade de periódicos de forma absoluta.

O aplicativo que permite a classificação e consulta ao Qualis das áreas, bem como a divulgação dos critérios utilizados para a classificação de periódicos é o WebQualis.

Acesse: http://qualis.capes.gov.br/webqualis/principal.seam

Quando um periódico não consta no Qualis?
O Qualis é um instrumento que tem como finalidade única auxiliar no processo de avaliação do programas de pós-graduação brasileiros, realizada pela Capes. Nesse sentido, um determinado periódico pode não constar da lista Qualis, disponível no sítio http://qualis.capes.gov.br/, pelos seguintes motivos:

* não ter sido indicado por nenhum programa de pós-graduação como veículo de divulgação de sua produção intelectual; ou

* foi informado por algum programa de pós-graduação, mas a(s) Área(s) de Avaliação que analisaram essa publicação a classificaram como "Não Periódico", a partir dos critérios definidos em seu(s) respectivo(s) Documento(s) de Área. Por esse motivo, tal publicação não constará na classificação Qualis.

As classificações disponíveis em http://qualis.capes.gov.br/ correspondem à última atualização feita, a partir das informações de 2012 fornecidos pelos Programas de Pós, via Coleta de Dados. Não há previsão, no momento, para novas atualizações. Caso surjam outras dúvidas, a Capes tem, em seu site, uma área dedicada a dúvidas frequentes para livre acesso.

Roteiro para Classificação de Livros
O Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES) durante a 111ª Reunião, realizada em 24 de agosto de 2009, aprovou o Roteiro para Classificação de Livros. O roteiro traz conceitos e definições comuns e sugestão de modelo de ficha de classificação e servirá como orientação para as 23 áreas que vão classificar livros na avaliação trienal de 2010.

Em várias áreas do conhecimento, os livros constituem a principal modalidade de veiculação de produção artística, tecnológica e científica. As outras áreas de conhecimento, nas quais a produção de conhecimentos quase não se expressa na forma de livros, mas preferencialmente na forma de artigos em periódicos, não utilizarão o Roteiro para Classificação de Livros.

O roteiro consolida discussões ocorridas nas áreas e no âmbito do CTC-ES desde o meio do ano de 2008, cujos esforços eram de estabelecer critérios e procedimentos comuns para a qualificação de livros.

Como no caso de periódicos as orientações e critérios do roteiro foram estabelecidos visando exclusivamente à avaliação da produção intelectual dos programas de pós-graduação e, portanto, são inadequadas para avaliações individuais de professores, pesquisadores e alunos.

Acesse: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/avaliacao/Roteiro_livros_Trienio2007_2009.pdf

Como usar o Portal
O Portal de Periódicos da Capes permite realizar uma busca por assunto, localizar um periódico, livro ou base de dados por meio dos campos disponíveis na página inicial ou pelo menu BUSCA.

O uso de bases de dados multidisciplinares ou destinadas a determinadas áreas do conhecimento também pode ser útil para iniciar pesquisas. Bases de dados de referências e resumos, cujo escopo e abrangência com relação ao número de registros costumam ser maior, permitem realizar levantamentos e analisar o "cenário" da pesquisa que se deseja realizar. Assim, após o levantamento inicial é possível verificar artigos, periódicos e mesmo outros materiais que poderão auxiliá-lo (a) em sua pesquisa.

Indicamos que os termos utilizados para pesquisa estejam em inglês, considerando que grande parte dos conteúdos acadêmicos e científicos disponíveis está em idioma estrangeiro e que, portanto, o número de resultados localizados será maior. Entretanto, é possível realizar sua pesquisa em qualquer idioma.

Aos usuários que sentirem necessidade de mais informações para realizarem suas pesquisas, o Portal de Periódicos da Capes disponibiliza um guia de uso que pode ser encontrado no menu SUPORTE, submenu MATERIAIS DIDÁTICOS. A equipe do Portal de Periódicos também está disponível para auxiliá-lo(a) na realização de buscas por meio dessa ferramenta.

Como usar o Portal – Buscar Assunto - Critérios de relevância utilizados no Portal
A ordenação por relevância dos resultados localizados em uma busca por assunto leva vários fatores em consideração:
• Pesos diferentes atribuídos à existência do termo de busca em locais diferentes, bem como a quantidade de vezes que os termos aparecem (exemplo: existência do termo de busca nos metadados Versus o mesmo termo dentro do texto completo do documento);
• A relevância considera a ordem dos termos de busca e a sua proximidade tanto nos metadados quanto no texto completo ("search-wise distance");
• A relevância do recurso leva em consideração medidas de utilização do texto da citação por usuários do Primo em todo o mundo; e
• Datas de publicação.

A ordenação dos registros localizados em uma busca por assunto também pode ser feita por:
• Data – mais recente;
• Mais acessados;
• Autor;
• Título.

Como usar o Portal – Buscar Assunto
Para realizar uma pesquisa por assunto no Portal de Periódicos da Capes (http://www.periodicos.capes.gov.br), utilize a respectiva opção disponível na página inicial ou acesse o menu BUSCA para verificar outras opções de pesquisa para este conteúdo. Digite o termo desejado no campo de pesquisa e clique no botão ENVIAR.

A página exibida será recarregada apresentando o resultado da busca, informações e recursos disponíveis. Os documentos exibidos são recuperados em várias bases de dados pesquisáveis via Portal. Para acessar o artigo desejado clique no ícone à esquerda das informações do documento. Ele será exibido se estiver disponível em texto completo.

Em caso de dúvida sobre a disponibilidade do documento, localize a referência do mesmo e verifique o período de assinatura do periódico ou livro. Para isso, localize o título do periódico ou livro onde o documento foi publicado na opção BUSCAR PERIÓDICO ou BUSCAR LIVRO e verifique a disponibilidade de acesso por meio do clique no ícone de informação em azul.

Como usar o Portal – Buscar Assunto - Exportação de registros para o EndNote
Para exportar registros para o EndNote Web, gerenciador de referências da ThomsonReuters oferecido gratuitamente aos usuários do Portal de Periódicos da Capes, basta realizar sua pesquisa por assunto no Portal, normalmente, e ao identificar um artigo/documento de seu interesse, clicar na opção DETALHES que aparece abaixo da referência do documento.

Esta opção apresentará a direita um submenu chamado ENVIAR PARA. Clique neste submenu para verificar as várias opções de envio (Adicionar ao MEU ESPAÇO, enviar referência por e-mail, imprimir referência dentre outros) e selecione a opção EndNote.

Após este procedimento, uma nova janela será aberta para que você se identifique no próprio gerenciador e o sistema possa importar automaticamente o registro do documento desejado.

Os documentos serão salvos na pasta [Unfiled] do mesmo.

Como usar o Portal – Buscar Base
Para localizar bases de dados no Portal de Periódicos da Capes (http://www.periodicos.capes.gov.br), utilize a opção disponível na página inicial ou acesse o menu BUSCA para verificar outras opções de pesquisa para este conteúdo. É possível localizar uma base por nome, área do conhecimento, por editora responsável, tipo de documento que reúne e mesmo combinar os campos de pesquisa. O resultado será apresentado na mesma janela. Para acessar a interface de busca da base desejada, clique no título da base. Para verificar mais informações sobre o conteúdo oferecido pela base acesse o ícone de informação em azul. Para refazer a pesquisa clique na opção BUSCAR BASE do menu BUSCAR localizado à esquerda da tela.

Como usar o Portal – Buscar Livro
Para buscar livros, monografias e outras publicações não seriadas no Portal de Periódicos da Capes, utilize a opção disponível na página inicial ou acesse o menu BUSCA para verificar outras opções de pesquisa para este conteúdo. É possível localizar o livro pelo título, pelo nome do capítulo, pelo nome do relatório, pelo número de ISBN, pelo nome do autor ou editor/fornecedor. O resultado será apresentado na mesma janela. Para acessar o texto completo do livro desejado clique no ícone em formato de folha com sinal de soma.

Como usar o Portal – Buscar Periódico
Para buscar periódicos no Portal de Periódicos da Capes (http://www.periodicos.capes.gov.br), utilize a opção disponível na página inicial ou acesse o menu BUSCA para verificar outras opções de pesquisa para este conteúdo. É possível localizar um periódico pelo nome, número de ISSN, área do conhecimento, editora responsável ou mesmo pela referência de um artigo. O resultado será apresentado na mesma janela. Para acessar a página do periódico desejado clique no ícone em formato de folha com sinal de soma. Verifique ainda as informações de disponibilidade de acesso, clicando no ícone de informação em azul. Para refazer a pesquisa clique na opção BUSCAR PERIÓDICO do menu BUSCAR localizado à esquerda da tela.

Como usar o Portal – Buscar Periódico - Verificar o fator de impacto e outras formas de acesso ao periódico
Para verificar as informações sobre o fator de impacto dos periódicos ou outros índices de avaliação das publicações, localize a publicação desejada na opção BUSCAR PERIÓDICO e clique no ícone de acesso ao texto completo (folha de papel com sinal de soma em laranja). Após o clique, uma nova janela será aberta e no topo da página à direita estarão disponíveis alguns links. Clique no link EXIBIR MENU. Este link apresentará, além de outros links para acesso ao periódico, informações sobre o fator de impacto da publicação, segundo o Journal Citation Report (JCR), avaliação Qualis e índice H pelo SCImago, se houver.

Emissão do certificado
Agradecemos o contato e informamos que para a emissão dos certificados, solicitamos o prazo de pelo menos um mês. Ocasionalmente, os certificados podem estar disponíveis antes do prazo estimado. Para obtê-lo você precisará:
1º) Identificar-se no Portal clicando no link MEU ESPAÇO, localizado no topo da página no Portal;
2º) Caso tenha certificados disponíveis, a opção "Meus certificados" ficará habilitada no menu lateral SUPORTE, submenu TREINAMENTOS;
3º) Ao clicar no item MEUS CERTIFICADOS, todos os treinamentos nos quais se inscreveu serão listados. Os treinamentos que apresentarem na coluna "Disponível" o ícone checklist na cor verde são aqueles cujo certificado já está disponível para impressão. Clique no título do treinamento para baixar o arquivo do certificado.
4º) É possível avaliar o treinamento recebido, antes de emitir o certificado, se desejar.

Inscrição
Os passos para inscrição no treinamento são os seguintes:
1º) Entre na página do Portal de Periódicos da Capes (http://www.periodicos.capes.gov.br).
2º) Faça a identificação no Portal. Para isso, é preciso preencher um formulário, disponível na seção "Meu Espaço". O cadastro permite usar vários recursos adicionais do Portal de Periódicos;
3º) Após se identificar, verifique na página inicial do Portal o treinamento desejado ou acesse o menu TREINAMENTOS para verificar os treinamentos agendados.
4º) Escolha o treinamento desejado.
5º) Para solicitar sua inscrição, basta clicar no botão 'Solicitar inscrição'. Lembramos que a confirmação da inscrição depende da disponibilidade de vagas.
6º) Um e-mail de confirmação será encaminhado para seu endereço de e-mail cadastrado no 'Meu Espaço'.

Materiais de divulgação do Portal
Agradecemos o contato e informamos que material de divulgação eletrônico está disponível no menu INSTITUCIONAL, localizado no menu lateral à esquerda da página do Portal de Periódicos.

1- Como solicitar senha de acessando ao SICAPES?
Caso o usuário já acesse sistemas da CAPES como o SAC (Sistema de Acompanhamento de Concessões) ou outro, a senha deve ser a mesma. Se ele não sabe mais a senha, deve clicar em "Esqueci minha senha", uma nova senha será enviada por e-mail. Caso seja o primeiro acesso aos sistemas da CAPES, deve clicar em "Quero me cadastrar".

2- Como escolher uma base do INEP?
Basta começar a digitar INEP que as bases aparecerão. Escolher uma de cada vez.

3- Como excluir um participante?
Para excluir um participante, clique no X vermelho ao lado do nome do participante.

4- Como incluir itens no orçamento?
Para incluir itens no orçamento clique no botão Adicionar.

5- Como localizar o CPF no SICAPES?
Digitar e aguardar. Ao preencher o CPF alguns dados são buscados na receita federal (nome, data nascimento). Caso algum dado esteja errado (nome ou nome da mãe, por exemplo) favor enviar a informação correta extraída do site da Receita Federal para correção por meio do Fale Conosco, disponível no site da CAPES (http://capes.gov.br/faleconosco).

6- É necessário enviar todos os anexos?
Somente aqueles obrigatórios (com * ao lado do nome). Caso contrarário a inscrição não poderá ser finalizada.

7- Escolhi o PPG, mas não aparece a linha de pesquisa, o que faço?
Digite o PPG e a linha de pesquisa na Aba 5, no campo "Outras informações julgadas pertinentes para o entendimento do projeto".

8- Há um modelo para os termos de compromisso?
Verifique na página do Edital/Programa, seção Documentos.

9- Já finalizei meu projeto, mas preciso fazer alterações. É possível?
Durante o período de inscrição, você poderá cancelar uma inscrição, mesmo que ela tenha sido finalizada, e submeter uma nova.

10- Não preciso detalhar os itens a serem adquiridos?
O nível de detalhamento é aquele presente na tela de orçamento.

11- Não tenho o CPF de todos os participantes, como incluí-los?
Se a tela exigir CPF ou outro documento, a pessoa somente poderá ser inserida com a submissão dessas informações.

12- No ato da inscrição, quem pode ser escolhido coordenador de projeto?
Normalmente, quem submete a inscrição é o coordenador de projeto. Contudo, é comum que no edital do programa haja a definição de quem pode sê-lo. Recomendamos consultar o edital vigente.

13- O que significa de PPGs envolvidos?
É a quantidade de Programas de Pós-Graduação que irão contribuir com o desenvolvimento do projeto.

14- Posso citar outras bases?
Sim, mas as bases incluídas serão gravadas e estarão disponíveis para os próximos usuários.

15- Posso não ter nenhum participante de alguma categoria?
Sim, por exemplo, é possível que o projeto não inclua nenhum doutorando ou graduando. Caso o edital do programa defina o contrário, o sistema exigirá o cadastro de participantes para que a inscrição possa ser finalizada.

16- Posso ser coordenador duas vezes?
Somente se o edital permitir.

17- Preciso escrever mais do que o campo permite. Como fazer?
A delimitação dos campos se dá para facilitar as etapas de análise.

18- Como fazer o preenchendo o projeto?
Embora não seja obrigatório, recomenda-se o preenchimento no sentido das abas (esquerda-direita).

19- Como preencher formulários de inscrição para programas de Cooperação Internacional?
Para preencher os formulários de Cooperação Internacional, favor acessar o site da CAPES (www.capes.gov.br), no menu Nossas Ações, disponível no lado esquerdo da tela, selecionar a opção Bolsas e Auxílios Internacionais > Informações > Editais Abertos > Selecionar o Edital desejado > seguir as instruções ou consultar os canais de atendimento especificados.

20- Quem devo incluir na equipe do projeto?
Todos aqueles que irão contribuir com o projeto, normalmente definidos em edital. É comum que a equipe seja formada por pesquisadores, docentes, discentes, mas esse rol não é taxativo.

CPF inexistente na base de dados. O que fazer?
É importante certificar que o CPF digitado esteja correto. Nossas informações são atualizadas diretamente com a base do MEC, que busca dados na Receita Federal.

1- Ao tentar anexar um documento ao processo, não encontro o "Tipo do Documento" apropriado. O que fazer?
Caso o documento a ser anexado seja de um tipo usual, frequentemente exigido em processos, poderá ser solicitada a criação ao responsável pela manutenção de 'Tipos de Documentos Exigíveis'. Para documentos pouco usuais, poderão ser associados ao tipo 'Outros'.

2- Como funciona o calendário de abertura do SCBA — DS, PROSUC e PROSUP?
O Ofício Circular nº 16/2017-CPG/CGSI/DPB/CAPES informa sobre o calendário de abertura do Sistema de Acompanhamento de Concessões (SAC) e do Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios (SCBA) referente ao ano de 2018, contendo o período no qual as Instituições partícipes do Programa de Demanda Social (DS), do Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições Comunitárias de Educação Superior (PROSUC) e do Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares (PROSUP) poderão realizar alterações nos referidos sistemas. Este calendário apresenta os períodos em que o SAC e o SCBA estarão abertos para inclusão de novos bolsistas, suspensão, reativação e cancelamento de bolsas. Os sistemas serão abertos às 08h00min do primeiro dia e fechados às 18h00min do último dia desse período — horário oficial de Brasília. Os prazos e horários estabelecidos neste calendário são improrrogáveis. Mês/ano referência Período de alteração 1/2018 8 a 18 de janeiro 2/2018 1 a 20 de fevereiro 3/2018 1 a 20 de março 4/2018 2 a 18 de abril 5/2018 2 a 18 de maio 6/2018 1 a 19 de junho 7/2018 2 a 18 de julho 8/2018 1 a 20 de agosto 9/2018 3 a 19 de setembro 10/2018 1 a 18 de outubro 11/2018 1 a 19 de novembro 12/2018 3 a 7 de dezembro.

3- Como conseguir senha de acesso ao sistema?
O (A) bolsista deve clicar no link "Esqueci minha senha.". Este link fica disponível na tela de login do SCBA. Brasileiro: Deve prencher os campos "CPF" "Captcha" e solicitar envio de senha, após concluir a solicitação é enviado e-mail com link para confirmar requisição de nova senha, após confirmar a requisição é enviado e-mail contendo usuário e senha de acesso. Estrangeiro: Deve selecionar o "Identificador registrado", informar o "documento estrangeiro", selecionar "País do documento", informar "Captcha" e solicitar "Recuperar", após concluir a solicitação é enviado e-mail com link para confirmar requisição de nova senha, após confirmar a requisição é enviado e-mail contendo usuário e senha de acesso.

4- Como consultar meu (s) pagamento (s) e/ou saber em que situação está (ão)?
Através da opção "Extrato". Nele são exibidos os pagamentos lançados e efetivos com sua respectiva situação. As situações mostradas no extrato são: Ordenado: Foi ordenado e assinado pelo ordenador de despesas da CAPES. Em processamento: Foi enviado ao sistema Financeiro, mas ainda não foi feito nenhum procedimento. Em Trâmite no Financeiro: Foi iniciado e ainda está no processo de tramitação no sistema Financeiro. Erro no processamento: Significa que ocorreu erro na rubrica de pagamento. Finalizado: Pagamento enviado ao banco. IMPORTANTE: O banco ainda pode rejeitar o pagamento, retornando-o com erro. Solicitado novo pagamento: Significa que um pagamento que retornou com erro, por exemplo: Domicílio bancário inexistente, foi solicitado novamente. O bolsista efetuou a correção e o técnico solicitou um novo pagamento. Tramitado: Quando solicitado o novo pagamento, o anterior (retornado com erro) fica na situação de tramitado, que é a confirmação de que o pagamento foi solicitado em uma nova folha. Cancelado: Por algum motivo, foi cancelado um item (rubrica) da SLR.

5- Como faço para incluir meu endereço?
O (A) bolsista deve clicar na opção "Complementar Dados". Depois disso, clicar na opção. O sistema exibirá a tela para preenchimento.

6- Como faço para incluir meus dados bancários?
O (A) bolsista deve clicar na opção "Complementar Dados", selecionar a aba "Dados Bancários" e depois disso, clicar na opção +. O sistema exibirá a tela para preenchimento.

7- Como troco mensagens/arquivos com a CAPES?
O (A) bolsista deve clicar na opção "Comunicações". O sistema automaticamente redirecionará para o Sistema Linha Direta. Opcionalmente, o usuário poderá acessar diretamente o link:http://linhadireta.capes.gov.br/linhadireta, informando o mesmo usuário e senha.

8- Esqueci minha senha. O que devo fazer?
O (A) bolsista deve clicar no link "Esqueci minha senha". Este link fica disponível na tela de login do SCBA. Brasileiro: Deve prencher os campos "CPF" "Captcha" e solicitar envio de senha, após concluir a solicitação é enviado e-mail com link para confirmar requisição de nova senha, após confirmar a requisição é enviado e-mail contendo usuário e senha de acesso. Estrangeiro: Deve selecionar o "Identificador registrado", informar o "documento estrangeiro", selecionar "País do documento", informar "Captcha" e solicita "Recuperar", após concluir a solicitação é enviado e-mail com link para confirmar requisição de nova senha, após confirmar a requisição é enviado e-mail contendo usuário e senha de acesso.

9- Estou no Sistema Linha Direta, o que faço agora para me comunicar com a CAPES?
O (A) bolsista deve selecionar a opção "Nova" para enviar mensagens e arquivos. Ao selecionar esta opção, o sistema disponibilizará as informações para preenchimento. Caso queira anexar algum arquivo, o (a) bolsista deve selecionar a opção "Clique para anexar".

10- Estou tentando anexar documento e o sistema me pede o tipo de documento. O que deve colocar?
O sistema tem vários tipos de documentos cadastrados. Para buscá-los, basta digitar parte do nome no campo referente ao tipo de documento. É importante selecionar o tipo de documento correto. Depois de selecionar o tipo e o arquivo, o usuário deverá salvar. Com isso, o sistema retornará para a tela anterior com o arquivo já anexado como segue abaixo. Exemplo: Vou anexar documento com o termo de compromisso assinado, logo o tipo que deverei buscar é "Termo de Compromisso devidamente datado e assinado".

11- Estou tentando incluir uma pessoa ao meu processo e não consigo. O sistema exibe a mensagem "CPF não encontrado na base de dados da Receita Federal". O que fazer?
Procurar a Receita Federal e verificar se realmente o CPF está correto. Caso o dado esteja errado, favor enviar a informação correta extraída do site da Receita Federal para correção por meio do Fale Conosco, disponível no site da CAPES (http://capes.gov.br/faleconosco).

12- Estou tentando inserir arquivo e o sistema exibe erro "O tamanho máximo do arquivo é de 5MB" O que fazer?
Não se trata de erro e sim de uma regra do sistema. Realmente só é permitido envio de arquivo com até 5MB.

13- Eu posso alterar os dados de endereço já existentes?
Não. O sistema não permite alteração, somente inclusão de um novo endereço.

14- Posso encaminhar arquivo em qualquer extensão?
Não. O sistema aceita somente arquivos do tipo PDF.

15- Preciso alterar minha senha de acesso. O que devo fazer?
O (A) bolsista deve clicar no link "> Alterar minha senha". Este link fica disponível na tela de login do SCBA.

16- Quero alterar meus dados bancários. Como faço?
O (A) bolsista deve clicar na opção "Complementar Dados", selecionar a aba "Dados Bancários" e depois disso, clicar na opção. Após a alteração, os dados devem ser salvos.

17- O que faz o SCBA - Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios?
Por meio do SCBA o usuário poderá visualizar e/ou alterar informações referentes ao seu processo. Este perfil se aplica aos bolsistas da CAPES, que poderão: Acompanhar seu processo; incluir dados de endereço no Brasil e no Exterior; incluir dados bancários no Brasil e no Exterior; encaminhar os documentos para compor seu processo, tais como: termo de compromisso assinado, comprovante de dados bancários, entre outros. Com este perfil também é possível trocar mensagens e arquivos com a CAPES pelo sistema Linha Direta. Endereço para acesso ao SCBA: http://scba.capes.gov.br/scba Endereço para acesso ao Linha Direta: https://linhadireta.capes.gov.br/

18- Tento acessar o sistema e a mensagem "Nome de usuário/senha incorretos" é exibida. O que faço?
Brasileiro:
Deve ser informado o CPF e a senha corretamente. Caso tenha esquecido a senha, clicar no link 'Esqueci minha senha'. Este link fica disponível na tela de login do SCBA. Deve informar os campos "CPF" "Captcha" e solicitar envio de senha, após concluir a solicitação é enviado e-mail com link para confirmar requisição de nova senha, ao requisitante é enviado e-mail contendo usuário e senha de acesso.

Estrangeiro:
Deve ser informado o Login e a senha corretamente. Caso tenha esquecido a senha, clicar no link 'Esqueci minha senha'. Este link fica disponível na tela de login do SCBA.Deve selecionar o "Identificador registrado", informar o "documento estrangeiro", selecionar "País do documento", informar "Captcha" e solicita "Recuperar", após concluir a solicitação é enviado e-mail com link para confirmar requisição de nova senha, após confirmar a requisição será enviado e-mail contendo usuário e senha de acesso. Caso o usuário estrangeiro tenha esquecido o "Documento estrangeiro" cadastrado, deve clicar no link "Esqueci o documento estrangeiro". Este link fica disponível na tela de login do SCBA. Deve informar os campos "Nome completo" "Data de nascimento" "País de documento" "E-mail" "Captcha" e solicitar recuperar login, após confirmar a requisição é enviado e-mail com as informações solicitadas.

19- Quais são os dados necessários para troca de e-mail e reenvio de senha?
Para que possamos direcionar sua solicitação ao setor responsável, é necessário que informe os seguintes dados: nome do sistema da CAPES, nome completo, CPF, e-mail atual, data de nascimento e nome completo da mãe, e aguarde comunicação por e-mail ou telefone.

SDI - Sistema de Disseminação de Informações

1- Como funciona o calendário de abertura do SAC — DS, PROSUC e PROSUP?
O Ofício Circular nº 16/2017-CPG/CGSI/DPB/CAPES informa sobre o calendário de abertura do Sistema de Acompanhamento de Concessões (SAC) e do Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios (SCBA) referente ao ano de 2018, contendo o período no qual as Instituições participantes do Programa de Demanda Social (DS), do Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições Comunitárias de Educação Superior (PROSUC) e do Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares (PROSUP) poderão realizar alterações nos referidos sistemas.

Este calendário apresenta os períodos em que o SAC e o SCBA estarão abertos para inclusão de novos bolsistas, suspensão, reativação e cancelamento de bolsas. Os sistemas serão abertos às 08h00min do primeiro dia e fechados às 18h00min do último dia desse período — horário oficial de Brasília. Os prazos e horários estabelecidos neste calendário são improrrogáveis. Mês/ano referência Período de alteração 1/2018 8 a 18 de janeiro 2/2018 1 a 20 de fevereiro 3/2018 1 a 20 de março 4/2018 2 a 18 de abril 5/2018 2 a 18 de maio 6/2018 1 a 19 de junho 7/2018 2 a 18 de julho 8/2018 1 a 20 de agosto 9/2018 3 a 19 de setembro 10/2018 1 a 18 de outubro 11/2018 1 a 19 de novembro 12/2018 3 a 7 de dezembro.

2- Como posso obter a senha de acesso ao SAC?
A senha de acesso é enviada pela área técnica de cada Programa CAPES. É necessário que a coordenação do programa ou pró-reitoria de pós-graduação envie e-mail para a área técnica com os seguintes dados: CPF, nome, data de nascimento, e-mail e IES.

3- Estou no acompanhamento para cancelar uma bolsa e a opção para cancelamento não aparece no SAC. Como resolver?
A opção não está disponível pelo fato de o sistema estar fechado. O (a) Senhor (a) deve aguardar a abertura do sistema. Caso queira saber qual a data exata da abertura do sistema, pedimos a gentileza em contatar a área técnica de bolsa do programa por de e-mail.

4- Tento incluir dados bancários e o sistema exibe a mensagem: O banco informado não foi encontrado ou não está autorizado para utilização no âmbito do Programa. O que devo fazer?
Neste caso, é necessário que entre em contato com a área técnica de bolsa do programa, pois existe restrição bancária.

5- Tento incluir novo bolsista e o sistema exibe a mensagem "Impossível cadastrar bolsa com início em (mm/aaaa), pois a folha de pagamento está fechada até (mm/aaaa)". O que devo fazer?
Favor contatar a área técnica de bolsa do programa, pois deve ser alterado o mês/ano do controle de folha e somente a área técnica tem permissão para alterar.

6- Tento incluir novo bolsista e o sistema exibe a mensagem: "Impossível cadastrar bolsista, pois não existe processo de concessão ativo ou quota disponível para a implementação da bolsa". O que devo fazer?
Esta mensagem quer dizer que não tem cota disponível para inclusão do bolsista. Neste caso, é necessário que o (a) senhor (a) verifique a concessão e utilização das cotas da sua IES / Projeto. A verificação pode ser feita através dos relatórios "Distribuição de Cotas" e "Distribuição Mensal de Cotas".

7- Tento incluir novo bolsista e o sistema não permite e exibe a mensagem: "Discente já se encontra cadastrado como bolsista no sistema SAC. Impossível conceder outra bolsa". O que acontece?
Não é possível a inclusão, pois o (a) bolsista já tem bolsa em outro programa da CAPES. Neste caso, se realmente a pessoa tiver que receber bolsa neste programa, é necessário o cancelamento da bolsa existente uma vez que não pode haver acúmulo.

8- Tento incluir novo bolsista e surge a mensagem "Discente já se encontra cadastrado como bolsista no sistema CADASTRO DE DISCENTES, caso deseje efetivar como bolsista no SAC é necessário solicitar o cancelamento da bolsa no sistema CADASTRO DE DISCENTES". O que fazer?
Não é possível a inclusão, pois o (a) discente já tem bolsa declarativa no Cadastro de Discente. Neste caso, se realmente a pessoa tiver que receber bolsa neste programa, é necessário o cancelamento da bolsa. O cancelamento deve ser feito diretamente no Cadastro de Discentes, pela Coordenação do Programa que o discente tem bolsa.

9- Tento incluir um novo bolsista e o sistema exibe a mensagem "Não é possível incluir novo bolsista, pois existe folha de pagamento em andamento e o sistema está fechado". O que devo fazer?
A mensagem quer dizer que o SAC está fechado para alterações ou tem folha de pagamento em andamento. Neste caso, o senhor (a) deve aguardar a abertura do sistema ou ainda contatar a área técnica de bolsa do programa para confirmar quando o sistema estará aberto para alterações.

10- Qual período de disponibilidade do SAC?
A área técnica das diretorias da CAPES são responsáveis por comunicar às pró-reitorias de Pós-Graduação em qual o período o SAC estará liberado para a manutenção dos bolsistas.

11- Quais são os dados necessários para troca de e-mail e reenvio de senha?
Para que possamos direcionar sua solicitação ao setor responsável, é necessário que informe os seguintes dados: nome do sistema da CAPES, nome completo, CPF, e-mail atual, data de nascimento e nome completo da mãe, e aguarde comunicação por e-mail ou telefone.

1- Posso atribuir valores ou notas às respostas dadas?
Sim, sendo possível elaborar avaliações e provas diversas utilizando o Sistema.

2- Posso criar novos tipos de perguntas diferentes dos já existentes?
Sim, também é possível elaborar avaliações e provas diversas utilizando o Sistema.

3- Posso enviar o mesmo questionário para diversas pessoas?
Sim, você pode criar diversos públicos-alvo diferentes, até mesmo com uma única pessoa, e em seguida disparar publicações do mesmo questionário para cada um deles - por diversas vezes, se necessário.

4- Posso enviar um questionário para vários públicos-alvo simultâneos?
Sim, mas sempre com prazo de vigência em comum para todos os públicos-alvo. Se quiser prazos diferentes, deverão ser feitas diversas publicações, cada uma com seu prazo.

5- Posso gerar públicos-alvo a partir de uma massa de dados ou planilha?
Sim, mas seguindo a formatação adequada para que o Questionários importe o público-alvo. Para saber sobre a formatação, entre em contato com Herbert Lopes (herbert.filho@capes.gov.br).

6- Preciso de usuário e senha para acessar o sistema?
Sim, todas as funcionalidades do QUESTIONARIOS são acessíveis mediante Login no Sistema.

1- Bolsista que ainda não realizou a consulta: como saber se está incluído no Cadin?
Na data do registro, o órgão ou a entidade responsável é obrigado a expedir comunicação ao devedor, dando ciência de sua inclusão no Cadin e prestando todas as informações pertinentes ao débito. Dada a natureza sigilosa das informações que constituem o Cadastro, não é disponibilizada ao público consulta por telefone ou internet. Para saber como consultar seus dados diretamente no Banco Central, acesse o site do Banco Central: "Serviços ao cidadão > Cadastros e sistemas de informação > Cadin > Orientações para acesso aos relatórios individuais no Cadin.

2- Bolsista que está com irregularidades no Cadastro: o que fazer?
Para obter a baixa de um registro no Cadin, cabe ao devedor procurar o órgão ou entidade responsável pela inscrição e comprovar a regularização do débito. Somente o órgão ou a entidade responsável pela inscrição tem autonomia para efetuar essa baixa. Conforme determinação do Tribunal de Contas da União (TCU), a CAPES fará o pagamento de bolsas somente mediante regularidade do beneficiário no Cadastro Informativo de créditos não quitados do setor público federal (Cadin).

3- Caso o beneficiário apresente irregularidades no cadastro CADIN, irá receber bolsa?
Se o beneficiário apresenta regularidade no Cadastro Informativo de créditos não quitados do setor público federal (Cadin) irá receber a bolsa da CAPES normalmente.

Como emitir a declaração de rendimentos – IRPF?
Declaração de Rendimentos - IRPF - referente aos Bolsistas no país e exterior que receberam o pagamento de bolsa diretamente da CAPES, Consultores que receberam o pagamento do Auxílio de Avaliação Educacional - AAE, Pesquisadores que receberam Auxílio financeiro a Projeto Educacional ou de Pesquisa - AUXPE e pessoas que receberam Diárias e Ajudas de Custo. Para emissão da declaração de rendimentos selecione o exercício e digite o número do CPF do beneficiário. Acesse: http://informerendimentos.capes.gov.br.

Qual sistema deve ser usado para realizar avaliação de projetos?
Para realizar a avaliação de projetos (emissão de parecer) utilize o Sistema de Avaliação de Propostas - SAP. Acesse o link: http://sap.capes.gov.br

1- O que fazer em caso de dificuldades no acesso ou preenchimento de formulários e telas de erro?
Em caso de dificuldades no acesso ou preenchimento de formulário, telas de erro, campos que não acatam os dados informados e etc, orientamos primeiramente que troque de navegador (de preferência para o Mozilla Firefox) e/ou faça a limpeza de cache e cookies, e tente realizar o procedimento novamente, caso o erro persista, deverá ser encaminhada uma solicitação para o Fale Conosco (http://fale-conosco.mec.call.inf.br/), disponível na página da CAPES, contendo o Print Screen da tela, o documento a ser anexado, se for o caso, e os dados do programa para que possamos auxiliá-lo(a).

2- Como encaminhar Print Screen da tela de erro?
Na tela que deseja capturar, pressione a tecla "Print Screen" em seu teclado. Abra um arquivo no Word ou algum outro programa de sua preferência, pressione as teclas CTRL V ao mesmo tempo ou selecione no menu Editar > Colar.

Se houver problema no processo seletivo do programa de pós-graduação da minha instituição, posso recorrer à CAPES?
A CAPES não interfere no sistema de seleção de discentes, cabendo tal responsabilidade exclusivamente aos programas de pós-graduação, nos termos estabelecidos nos regimentos e editais de seleção. Em função da autonomia administrativa e didático científica, constitucionalmente outorgada às universidades, as instituições de ensino superior (IES) respondem diretamente aos órgãos de defesa do aluno consumidor de serviços educacionais, sejam eles ofertados por instituição privada ou pública, pelas eventuais violações dos direitos dos estudantes. A avaliação da qualidade dos cursos de pós-graduação realizada pela CAPES não envolve a apreciação da regularidade do relacionamento das IES com os respectivos alunos, incluindo supostos desentendimentos sobre processos de seleção promovidos pelos programas de pós-graduação. A solução de eventuais impasses deve ser buscada em via hierárquica da instituição (ouvidoria ou setor correspondente da instituição) ou por vias judiciais (Ministério Público ou órgãos de defesa do consumidor).

Qual é a instância recursal das decisões do CTC-ES e do CTC-EB?
A Presidência da CAPES é a instância recursal das decisões do Conselho Técnico Científico da Educação Superior – CTC0-ES e do Conselho Técnico Científico da Educação Básica - CTC-EB, conforme inciso X, art. 26 do Decreto nº 8.977, de 30 de janeiro de 2017. A tramitação de recursos das decisões do CTC-ES está prevista na Portaria nº 185, de 12 de agosto de 2019, e na Instrução Normativa nº 01, de 09 de maio de 2017, que estabelece a Coordenação Executiva de Órgãos Colegiados (CECOL), como setor do Gabinete do Presidente responsável pela instrução, tramitação, acompanhamento e certificação do cumprimento dos prazos estabelecidos na legislação vigente. São recebidos recursos das decisões do CTC-ES em relação a cursos novos de doutorado e mestrado (APCN) ou em relação ao resultado da Avaliação Quadrienal, desde que cada processo tenha esgotado seu trâmite no âmbito do CTC-ES.

1- Como são coordenadas as atividades do Conselho Superior, Conselho Técnico Científico da Educação Superior (CTC-ES), Conselho Técnico Científico da Educação Básica (CTC-EB), Grupos Assessores, Comitês de Assessoramento e Grupos de Trabalho da CAPES?
Cabe à Coordenação Executiva de Órgãos Colegiados - CECOL agendar e preparar, antecipadamente, as reuniões dos órgãos colegiados, incluindo convites, remessas de material aos conselheiros e outras providências, assim como acompanhar as referidas reuniões e elaborar as respectivas atas. Cabe, ainda, a função de encaminhar as deliberações do plenário dos Conselhos à Chefia de Gabinete.

2- Quais outras atividades que a CECOL realiza?
Cabe também à Coordenação Executiva de Órgãos Colegiados - CECOL coordenar as atividades de agenda, de cerimonial e de apoio à organização de solenidades oficiais no âmbito da CAPES. A CECOL ainda coordena, com o apoio da Coordenação de Comunicação Social (CCS) e da Diretoria de Gestão (DGES), sob a supervisão da Chefia de Gabinete, a realização de eventos na CAPES.

3- Como funciona o CADCONS, Sistema para Cadastro de Consultores?
Cabe à CECOL a gestão do Sistema para Cadastro de Consultores, que atende ao disposto no art. 3º do Decreto nº 8.977, de 30 de janeiro de 2017. O registro de consultores científicos tem a finalidade de proceder ao acompanhamento e à avaliação de cursos e de programas de fomento; e apreciar o mérito das solicitações de bolsas ou auxílios. São considerados consultores científicos os profissionais de reconhecida competência, atuantes na área de ensino e formação de professores da educação básica, no ensino de pós-graduação e na pesquisa. A base de dados do Sistema para Cadastro de Consultores alimenta outros sistemas utilizados nas atividades administrativas de toda a CAPES.

4- De que modo funciona o Sistema de Auxílio de Avaliação Educacional?
O Sistema de Auxílio de Avaliação Educacional (SAE), sob a gestão da CECOL, é responsável pelo pagamento do Auxílio de Avaliação Educacional (AAE) que está previsto na Portaria nº 16, de 1º de fevereiro de 2011. O AAE é devido ao servidor ou colaborador eventual que, em decorrência do exercício da docência ou pesquisa no ensino básico ou superior, público ou privado, participe como consultor, em caráter eventual, de processo de avaliação educacional de instituições, cursos, projetos ou desempenho de estudantes a ser executado pela CAPES.

Como obtenho informações sobre o Prêmio Anísio Teixeira?
Instituído por meio da Portaria nº 216, de 9 de março de 1981, o Prêmio Anísio Teixeira ocorre a cada 5 anos e homenageia personalidades brasileiras que tenham contribuído de modo relevante para o desenvolvimento da pesquisa e formação de recursos humanos no País. O prêmio é uma homenagem ao educador Anísio Teixeira, intelectual baiano que difundiu o papel transformador da educação e da escola para a construção de uma sociedade moderna e democrática. Anísio Teixeira idealizou a primeira universidade com cursos de graduação e pós-graduação. Foi o primeiro presidente da CAPES, fundada em 1951, e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), que, desde 2001, incluiu o nome Anísio Teixeira ao da instituição.

Em 2012, foi instituído, pela Portaria MEC nº 868, de 04 de julho de 2012, o Prêmio Anísio Teixeira de Educação Básica. A premiação também ocorre a cada 5 anos e foi criada para reconhecer personalidades brasileiras que tenham contribuições relevantes e sistemáticas para o desenvolvimento da educação básica, para o aperfeiçoamento de ações dirigidas a esse nível de ensino ou para as atividades de melhoria da qualidade da formação de professores. Em sua primeira edição, o educador pernambucano Paulo Freire, patrono da educação brasileira, foi o homenageado.

Para mais informações, acesse: http://www.capes.gov.br/premioanisioteixeira 

 

De que modo posso ter informações sobre o Prêmio CAPES de Tese?
Também instituído por meio da Portaria nº 216, de 9 de março de 1981, o Prêmio CAPES de Tese homenageia, desde 2006, as melhores teses de doutorado selecionadas em cada uma das quarenta e nove áreas de avaliação da CAPES. São avaliadas as teses defendidas no ano anterior ao edital. A premiação consiste em certificado, medalha e bolsa de pós-doutorado nacional de até 12 meses para o autor da tese; certificado de menção honrosa para o segundo e terceiro colocados de cada área de avaliação, auxílio para participação em congresso nacional e certificado para o orientador; certificado ao coorientador e ao programa de pós-graduação em que foi defendida a tese; uma bolsa de pós-doutorado oferecida pela Comissão Fulbright para um dos inscritos no Prêmio CAPES de Tese cujo trabalho evidencie a amplitude e a profundidade das relações Brasil-Estados Unidos; e premiação em dinheiro concedida pela Fundação Carlos Chagas para os homenageados das áreas de Ensino e Educação; além de passagens aéreas e diárias para o autor e um dos orientadores de cada tese premiada para que compareçam à cerimônia de premiação. Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/premiocapesdetese 

O que é o Grande Prêmio CAPES de Tese?
Considerada uma segunda etapa do Prêmio CAPES de Tese, o Grande Prêmio CAPES de Tese homenageia 3 teses entre as 49 teses premiadas na primeira etapa do Prêmio. Assim como ocorre com as 49 áreas de avaliação da CAPES, o Grande Prêmio CAPES de Tese divide as áreas em 3 Colégios (1 - Colégio de Ciências da Vida; 2 - Colégio de Ciências Exatas, Tecnológicas e Multidisciplinar e 3 - Colégio de Humanidades). Dessa maneira, as 49 teses premiadas na primeira etapa concorrem ao Grande Prêmio no seu respectivo Colégio. A premiação consiste em certificado e troféu para o autor; certificado para o orientador, coorientador e para o programa de pós-graduação em que foi defendida a tese; bolsa de pós-doutorado internacional de até 12 meses para o autor da tese; auxílio para participação em congresso internacional para o orientador; e premiação em dinheiro concedida pelo Instituto Serrapilheira para cada autor da tese premiada no Grande Prêmio do Colégio de Ciências da Vida e do Colégio de Ciências Exatas, Tecnológicas e Multidisciplinar e pelo Instituto Ayrton Senna para o autor de tese premiada no Grande Prêmio do Colégio de Humanidades. O Grande Prêmio de Tese de cada colégio leva todos os anos o nome de cientista com grande contribuição para a academia e seu nome é escolhido pelo Conselho Superior e pelo Conselho Técnico Científico da Educação Superior da CAPES. Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/premiocapesdetese 

 

Qual é a parceria entre a CAPES e a Fundação Conrado Wessel?
A parceria entre a CAPES e a Fundação Conrado Wessel ocorreu até 2018 para, dentro da estrutura do Prêmio CAPES de Tese e do Grande Prêmio CAPES de Tese, consistia em oferecer uma premiação adicional. Tratava-se de premiação em dinheiro concedida pela Fundação Conrado Wessel para cada autor das 3 teses premiadas no Grande Prêmio de Tese. Não houve interesse da Fundação Conrado Wessel em manter a parceria para 2019. Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/premiocapesdetese

Como se dá a parceria entre a CAPES e a Fundação Carlos Chagas?
A parceria entre a CAPES e a Fundação Carlos Chagas, dentro da estrutura do Prêmio CAPES de Tese, é oferecer uma premiação adicional em dinheiro aos autores das teses premiadas nas áreas de Educação e Ensino. A premiação em dinheiro é concedida diretamente pela Fundação Carlos Chagas. Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/premiocapesdetese
A Comissão Fulbright atua como parceira nas premiações da CAPES?
Sim, a parceria entre a CAPES e a Comissão Fulbright, dentro da estrutura do Prêmio CAPES de Tese, é oferecer uma premiação adicional em forma de bolsa de pós-doutorado pelo período de 4 meses para um dos vencedores do Prêmio CAPES de Tese cujo trabalho evidencie a amplitude e a profundidade das relações Brasil-Estados Unidos. As bolsas são concedidas diretamente pela Comissão Fulbrigtht. Para mais informações acesse:
http://www.capes.gov.br/premiocapesdetese 

Como se dá a parceria com o Instituto Serrapilheira?
A parceria entre a CAPES e o Instituto Serrapilheira para oferecer premiação em dinheiro para os homenageados no Grande Prêmio dos Colégios de Ciências da Vida e Ciências Exatas, Tecnológicas e Multidisciplinar. Para mais informações, acesse:
http://www.capes.gov.br/premiocapesdetese 

Qual é a parceria do Instituto Ayrton Senna com a CAPES?
A parceria entre a CAPES e o Instituto Ayrton Senna ocorre para oferecer premiação em dinheiro para o homenageado no Grande Prêmio do Colégio de H0umanidades. Para mais informações acesse: http://www.capes.gov.br/premiocapesdetese 

 

Como funciona o Prêmio Capes Natura-Campus de Excelência em Pesquisa?
Resultado da parceria entre a CAPES e a Natura, o Prêmio CAPES - Natura Campus de Excelência em Pesquisa tem como objetivo estimular a produção de artigos de alta relevância e impacto para o desenvolvimento científico e tecnológico voltados à sustentabilidade e biodiversidade. Podem concorrer ao Prêmio trabalhos individuais ou em coautoria, de portadores do título de mestre ou doutor ou matriculados em programas de mestrado ou doutorado, vinculados à instituição de pós-graduação e pesquisa e reconhecidos pelo Ministério da Educação. A premiação consiste em certificados para os autores premiados e para o programa de pós-graduação de onde se originou o artigo premiado; premiação em dinheiro concedida pela Natura; e passagens aéreas e diárias para que os autores finalistas possam comparecer à cerimônia de premiação. Para mais informações acesse: http://capes.gov.br/bolsas/premios/premio-capes-natura 

 

A Interfarma atua como parceira nas premiações da CAPES?
Resultado da parceria entre a CAPES e a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa – Interfarma até 2018, o Prêmio Capes-Interfarma de Inovação e Pesquisa era oferecido para as duas melhores teses de doutorado relacionadas à Inovação e Pesquisa nas áreas de Saúde Humana ou Ética/Bioética no Brasil, Medicina, Odontologia, Farmácia, Enfermagem ou de Ciências Biomédicas (com a inclusão de Genética; Fisiologia, Bioquímica, Farmacologia; Imunologia, Microbiologia, Parasitologia e Biologia Celular). A premiação consistiu em certificado para os autores, orientadores, coorientadores e programas de pós-graduação em que foram defendidas as teses; premiação em dinheiro, concedida pela Interfarma, troféu e bolsa de até 12 meses para realização de estágio pós-doutoral em instituição nacional para os autores premiados; auxílio para participação em congresso no país para o orientador; e passagens aéreas e diárias para os autores premiados e um de seus orientadores para que compareçam à cerimônia de premiação. Não houve interesse da Interfarma em renovar a parceria para 2019.

Para mais informações acesse: http://capes.gov.br/bolsas/premios/premio-capes-interfarma

 

Como se dá a parceria com a Vale?
A parceria entre a CAPES e a Vale ocorreu até 2017. O Prêmio VALE-CAPES de Tecnologia e Inovação tinha como objetivo premiar os pesquisadores cujos trabalhos eram reconhecidos internacionalmente, bem como destacar a relevância e aplicação efetiva em problemas reais da sociedade. A premiação buscava ressaltar a atividade científica e tecnológica nas seguintes áreas temáticas:

- Geociências, Geomecânica e Geoestatística;
- Engenharia de Minas e Metalúrgica;
- Ciência e Engenharia de Materiais;
- Geofísica, Hidrologia e Clima;
- Ecologia e conservação da natureza, inclusive tecnologias socioambientais;
- Ciência da Computação, Automoção e Robótica aplicadas à mineração;
- Engenharia Ferroviária, Portuária e Transportes Transoceânico.

Eram premiados dois pesquisadores, sendo um pesquisador na categoria “Pesquisador Emérito”, pelo conjunto de sua obra e atuação profissional, e outro na categoria “Jovem Pesquisador”, desde que tenha até 35 anos. A premiação consistia em certificado, troféu, auxílio em dinheiro concedido pela Vale e em bolsa de estudos no país e/ou no exterior. Não houve interesse da Vale em renovar a parceria. Para mais informações acesse: http://capes.gov.br/bolsas/premios/premio-vale-capes 

 

Prêmio CAPES Talento Universitário

Quem pode se inscrever? Quem pode concorrer ao Prêmio CAPES Talento Universitário?
Estudantes brasileiros que ingressaram no ensino superior em 2019, que estejam regularmente matriculados em curso de graduação na modalidade presencial ou a distância em qualquer área do conhecimento, em Instituição de Ensino Superior pública, privada ou militar. Além disso, o candidato ao prêmio deverá ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2017 ou 2018.

Quem entrou na universidade em 2018 com a nota do ENEM de 2017 pode participar?
Não. Somente os estudantes ingressantes em 2019 podem concorrer ao prêmio.

Quem vai entrar na universidade em 2020 e já tem nota do ENEM de 2017 ou 2018 pode participar?
Não. Somente os estudantes ingressantes em 2019 podem concorrer ao prêmio.

Entrei na universidade pelo vestibular tradicional este ano, posso participar?
Se você fez o ENEM em 2017 ou 2018, sim, pode participar, mesmo não tendo ingressado na universidade com a nota do ENEM.

Os resultados dos alunos serão utilizados em alguma pesquisa do Ministério da Educação e da CAPES? Quais são os objetivos do Prêmio CAPES Talento Universitário?
Um dos objetivos do prêmio é subsidiar estudos e pesquisas quantitativas e qualitativas que estejam relacionadas com as competências finalísticas da CAPES.

Como se inscrever?
Os interessados devem se inscrever no site http://talentouniversitario.capes.gov.br, até as 23h59 do dia 12 de novembro de 2019, horário de Brasília.

Até quando as inscrições estão abertas?
Até às 23h59 do dia 12 de novembro de 2019, horário de Brasília, ou quando trinta mil inscrições forem preenchidas – o que ocorrer primeiro.

Tem que pagar taxa de inscrição?
Não é cobrada taxa de inscrição.

Estudantes de quais cursos podem se inscrever?
Podem se inscrever estudantes de qualquer curso de graduação que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2017 ou 2018 e ingressado na universidade em 2019.

A qual área do conhecimento meu curso pertence?
A área de conhecimento de cada curso pode ser conferida através do link: https://www.capes.gov.br/avaliacao/instrumentos-de-apoio/tabela-de-areas-do-conhecimento-avaliacao 

Se uma pessoa está matriculada em uma universidade particular e passou para uma universidade pública para o semestre que vem, qual instituição coloca na inscrição?
Ela deve informar a instituição em que está matriculada no momento da inscrição.

Em que dia será realizada a prova?
A prova será aplicada no dia 08 de dezembro de 2019.

Onde será aplicada a prova?
As provas serão aplicadas em 60 municípios das 27 unidades da Federação, conforme tabela abaixo:

Cidades aplicação prova

Quem será responsável pela elaboração, distribuição e aplicação das provas?
A CAPES contratará uma empresa de reconhecida experiência em ações como esta, que será responsável pela elaboração, distribuição e aplicação das provas.

Serão divulgados mais municípios para realização da prova?
As provas serão aplicadas apenas nos municípios previstos no edital.

Qual o tempo de duração da prova?
A prova terá duração de 4 horas.

Qual o conteúdo da prova?
A prova será de conhecimentos gerais e terá 80 questões de múltipla escolha.

Quais as disciplinas/matérias devo estudar para a prova?
O participante deverá estudar todo o conteúdo de conhecimentos gerais, que inclui história, geografia, matemática, ciências, atualidades políticas, sociais e culturais.

E se eu tiver problemas com a inscrição?
Caso enfrente problemas com a inscrição, envie um e-mail para:
talentouniversitario@capes.gov.br 

Quando será divulgado o resultado?
O resultado será divulgado em fevereiro de 2020, na página da CAPES.

Quantos estudantes serão premiados?
Serão premiados mil estudantes de graduação regularmente matriculados em Instituição de Ensino Superior pública, privada ou militar ingressados no Ensino Superior no ano letivo de 2019 e que obtiverem as maiores notas na prova.

Qual o valor do Prêmio CAPES Talento Universitário?
O prêmio será no valor único de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), cada.

Qual a expectativa de número de inscritos?
A expectativa da CAPES é de que tenhamos 30 mil inscritos para a prova.

É a primeira vez que a CAPES lança esse prêmio?
Sim, é a primeira vez que a CAPES lança esse prêmio.

1- Como funciona o GeoCAPES?
De acordo com o tipo de informação que se deseja obter, os mapas interativos exibem, em escala de cores, a variação numérica do indicador que foi selecionado para cada município, unidade federativa ou país. Além disso, o aplicativo oferece opções de visualização de gráficos e de tabelas com dados referentes ao indicador em questão.

2- O que é o GeoCAPES?
GeoCAPES é uma ferramenta de dados georeferencial. De forma simplificada, pode ser definida como uma base de dados que consiste em referenciar informações de acordo com sua localização geográfica. É uma maneira de disponibilizar informações acerca dos mais diversos cenários em que a CAPES participa ou está relacionada.
Acesse: http://geocapes.capes.gov.br

3- Qual o requisito para uso do GeoCAPES?
Computador com processador Pentium III ou equivalente, com 800 MHz e 2 GB de memória RAM ou configuração superior, com acesso à internet banda larga com velocidade de acesso de 256 Kbps ou superior (recomendado 1 Mbps). Navegadores: Firefox, Internet Explorer 9.0 ou posterior, Google Chrome, Safari 6 ou posterior, Opera 12 ou posterior.

1- A CAPES possui Dados Abertos?
Sim. Em abril de 2014 a CAPES publicou em seu portal do Plano de Dados Abertos. Acesse as informações em www.capes.gov.br/acessoainformacao/dados-abertos

2- Como posso ter acesso aos Dados Abertos?
Ao acessar os dados abertos da CAPES você encontra dados e informações sobre a pós-graduação brasileira, sobre a formação de professores para educação básica e outros temas relacionados à educação. Acesse: http://dadosabertos.capes.gov.br

3- O que são Dados Abertos e qual seu público-alvo?
São informações públicas na internet, processadas em formatos que permitem a sua reutilização e redistribuição livremente por qualquer pessoa ou instituição pública ou privada para elaboração de documentos, planilhas, tabelas, gráficos e outras finalidades, no máximo, sujeitos à exigência de creditar a autoria e de preservar a licença aberta.

A Lei de Acesso à Informação, Lei n° 12.527/2011, sancionada em 18 de novembro de 2011, tem o propósito de regulamentar o direito constitucional de acesso dos cidadãos às informações públicas.